“De Onde Vem a Calma”

 

Daqui seis meses…

[CENA 01 – UNIVERSIDADE DE MÚSICA (NOVA YORK)/ AUDITÓRIO/ DIA]
(Elizabeth está no centro do auditório, preparando-se para seu discurso de abertura. Alguns veteranos entram em silêncio ao vê-la no palco. Candidatos e alunos prestam atenção nela)
ELIZABETH – Good morning. Welcome to another selection of freshmen from the New York Performing Music Academy. I am happy to say that this last selection was not easy. The number of new candidates has been increasing every season, which fortunately is great for our academy, which shows the prestige we are having abroad. But I confess that it was not easy to decide the candidates to be here today, in this last phase of the selection. (aos professores) Prepare yourself that you will have a difficult task in no time. (aos alunos) And veterans, pay attention to the participants who will perfom throughout this week. Some of them will be your competitors in a few months. First of all, I want to introduce the dear teachers… or rather, the dear teachers who will compose the evaluation panel of this first day of selection. Our dearest lyric music teacher, Helena Graviolle. (os alunos batem palmas de euforia) Our singing and dancing teacher, Rachel Cox. And our piano teacher, Olivia Benedit. (poucas pessoas batem palmas) How our assessment will work? Simple! Each teacher here will assign a grade from 0 to 10 for each candidate who presents. I will also assign a grade, which will be added to those of the teachers. The arithmetic average of these grades will be the final score for each candidate. The winner will be the one who gets the highest average. (os calouros parecem tenso no auditório, Pedro olha para Dylan e o discurso de Elizabeth o deixa mais nervoso)
PEDRO – (cochicha no ouvido de Maya) Acho que o Dylan não está bem.
MAYA – (olha disfarçadamente para trás) É… ele parece um pouquinho tenso.
PEDRO – Acho que vou lá ajudá-lo um pouco.
MAYA – No meio do discurso da Elizabeth?
PEDRO – Obvio que vou esperar ela terminar, né. Assim que o primeiro candidato subir, eu vou lá. (voltam a prestar atenção em Elizabeth)
ELIZABETH – Our fist participants… (olha para o papel) … in alphabetical order, Dylan Nolan from Cambridge, England. Emma Miller from Chicago. (levanta-se, acena para os veteranos, com um sorrisinho no rosto) Sandy Carpe, from Bolonha, Italy (também levanta-se) And Saimon Rodriguez, from Monterrey, Mexico. I want to wish you luck and surprise us! (sorri, desce do palco. Neste momento, Pedro aproveita, levanta-se e vai até Dylan)
PEDRO – Hi!
DYLAN – (de cabeça baixa, com os dedos cruzados entre as pernas) Hi.
PEDRO – The nervousness at that moment is talking loudly, right?! (o percebe suado, embora o auditório esteja com uma temperatura agradável)
DYLAN – Is…
PEDRO – Go for me… I was already on that side there, I know what it’s like to feel this nervousness devouring us inside. It’s just not good to let him control us. We need to show who’s in charge.
DYLAN – (olha para ele) How did you manage to control it?
PEDRO – Well… let’s say there is no magic formula for this. (ri) But when I went up on that stage, I felt good, you know? I was at ease, like I was singing inside my room. (Dylan sorri) So it was easy to get into the rhythm of the music and look, today I’m here.
DYLAN – Can I do it too?
PEDRO – Go for me… close your eyes, feel the music growing in you, connect with the stage that everything will be fine. (Dylan fica um pouco confiante, é surpreendido com Elizabeth o anunciando)
ELIZABETH – Dylan Nolan.
PEDRO – Good Luck! (Dylan levanta-se, passa por Pedro a caminho do palco)
MAYA – (senta-se ao lado dele) Isso não vale, hein. Você está dando dicas para o seu candidato.
PEDRO – Eu não disse quase nada, relaxa.
MAYA – Sei. (todos olham para o palco, Dylan está posicionado bem no centro, olha para os jurados e seu nervosismo parece aumentar novamente)
ELIZABETH – Quando você quiser! (Dylan continua parado no centro do palco, a banda espera o sinal dele para começa a tocar)

Agora…

[CENA 02 – ESTÚDIO SUA CANÇÃO (ao vivo)/ PALCO/ NOITE]
(Daniel continua olhando para o pai, sério e imóvel. Mais uma vez ele perde o momento de cantar, a banda decide então parar de tocar. Os jurados se olham entre si, confusos com o que está acontecendo com ele. Lauro volta para o palco)
LAURO – (toca no ombro dele) Tudo bem, rapaz?
DANIEL – (volta a realidade) Oi?
LAURO – Tudo bem?
DANIEL – (repara ao redor, percebe o que aconteceu) Desculpem… é que estava concentrado com algo aqui e acabei perdendo um pouco noção das coisas.
LAURO – Cuidado que os desatentos aqui não costumam ir longe na competição, hein.
DANIEL – Não se preocupa, estarei mais atento agora.
LAURO – Tudo bem. (saí do palco, Daniel decide evitar seu pai, que o observa preocupado. Daniel olha para a banda que começa a tocar)

[CENA DE MÚSICA – DE ONDE VEM A CALMA (LOS HERMANOS)]

De onde vem a calma daquele cara? 1
Ele não sabe ser melhor, viu?
Como não entende de ser valente?
Ele não sabe ser mais viril
Ele não sabe não, viu?
E às vezes dá como um frio
É o mundo que anda hostil
O mundo todo é hostil

De onde vem o jeito tão sem defeito 2
Que esse rapaz consegue fingir?
Olha esse sorriso tão indeciso
Tá se exibindo pra solidão
Não vão embora daqui
Eu sou o que vocês são
Não solta da minha mão
Não solta da minha mão

Eu não vou mudar, não 3
Eu vou ficar são
Mesmo se for só
Não vou ceder
Deus vai dar aval sim
O mal vai ter fim
E no final, assim, calado, eu sei
Que vou ser coroado rei de mim

1. Daniel respira fundo, fecha os olhos e começa a cantar. Os abre segundos depois, olha para os jurados, solta um leve sorriso. Samuel presta atenção no filho, fica feliz ao vê-lo cantar.
2. O ambiente está em um completo silêncio, os jurados curtem a apresentação dele. Daniel olha em direção a Dácio e canta os versos finais deste trecho para ele.
3. No trecho seguinte, volta a olhar para frente, fecha os olhos e canta calmamente. Os abre e olha em direção ao seu pai. Ao encerrar a música, ele agradece sendo aplaudido.

[CENA 03 – CASA DELLE ROSE/ SALÃO/ NOITE]
LARISSA – Nossa, que susto que o Daniel deu. Pensei que ele já iria ser eliminado.
IONE – Vocês sabem para quem ele estava olhando parado daquele jeito?
NATHANIEL – Para o pai dele.
LARISSA – Sério?
IONE – Eu não vi este infeliz na plateia. Onde ele está Nathan?
NATHANIEL – Ele está sentado entre o Léo e a Valéria. (Ione atenta-se na TV)
LARISSA – (surpresa) Você tem mesmo uma visão de águia, hein.
NATHANIEL – (ri) Eu apenas gosto de reparar nas coisas ao meu redor, é isso.

[CENA 04 – CASA DE PEDRO/ SALA/ NOITE]
PAULA – Eita, foi por pouco e esse Daniel não era eliminado antes mesmo de cantar.
VANDA – Parece que ele ficou paralisado ao ver alguém na plateia ou só eu tive essa impressão?
PAULA – Eu também tive está sensação.
CAROL – Se for, certamente ele não deve gostar muito desta pessoa.
PEDRO – Eu não conheço muito o Daniel, mas pela a história dele com o pai, duvido nada que ele tenha ido para ver o filho de perto.
VANDA – Os dois não tem uma boa relação?
PEDRO – Não. Na verdade, Daniel é gay e ele namora um dos meus melhores amigos. O pai dele é muito religioso e abomina essa escolha que o filho fez.
CAROL – É, ele estava com uma expressão séria no rosto, talvez tenha visto mesmo o pai na plateia.
PAULA – Aposto como esse pai não queria o filho no programa de música.
PEDRO – Isso eu não sei. Mas um dos motivos para o Daniel querer ganhar o programa, é justamente para poder construir sua vida de músico longe daqui.

[CENA 05 – CASA DE ANA/ Q. DE ANA/ NOITE]
(Ana está sentada em sua cama, lembra-se da visão que teve hoje mais cedo ao tocar em Alan. Vê-lo na cama com outra a magoou, começa a chorar)
JUNIOR – (bate na porta, entra em seguida) Filha… você não vai assistir o programa hoje comigo?
ANA – (olha para o lado, limpa as lágrimas rapidamente) Estou indo pai.
JUNIOR – (a percebe chorando) Tudo bem, filha? (se aproxima da cama, senta-se) Você estava chorando?
ANA – Não é nada, pai.
JUNIOR – Como nada? O que aconteceu? (Ana queria parar de chorar, mas as lágrimas não param de sair) Tem a ver com a sua viagem para Madrid?
ANA – Não. Não tem nada a ver com isso.
JUNIOR – (limpa o rosto dela com o polegar) Então porque você está chorando desse jeito?
ANA – Tem a ver com o Alan.
JUNIOR – Ele magoou você?
ANA – Não intencionalmente.
JUNIOR – Não entendi!
ANA – (limpa suas lágrimas, que param de sair) Eu e o Alan terminamos desde que passei as férias na casa do tio Gustavo.
JUNIOR – Então aquela história de estarem distantes por causa dos estudos…
ANA – Eu menti. Eu não queria dizer nada, porque tinha esperança de voltarmos um dia.
JUNIOR – E o que ele fez que te magoou?
ANA – Poucos dias após terminarmos, ele começou a sair com outras garotas do colégio. (Junior abaixa a cabeça, decepcionado)
JUNIOR – Poxa, confiava tanto nesse garoto. Bem… mas se ele fez isso, é porque talvez ele realmente não te amasse tanto assim.
ANA – Ele me amava sim, pai. Eu sentia isso, acho que minhas escolhas colocaram fim nesse amor.
JUNIOR – Como assim?
ANA – Eu talvez não tenha dado tanta atenção assim a nossa relação em Madrid.
JUNIOR – Mesmo assim acho que não justifica. Quem realmente ama, faz de tudo para manter este amor acesso. (por algum motivo, lembra-se de Adriana) Então se ele realmente fez isso, com pouco tempo de término, é porque certamente ele já estava de olho em outras garotas.
ANA – (abaixa a cabeça, sente vontade de chorar novamente) Eu só quero que este mês acabe logo. Quero ir para Madrid o mais rápido possível. (Junior abaixa a cabeça, Ana percebe que ele não gostou de ouvir aquilo) Desculpa, pai… não quero que pense que quero sair logo daqui.
JUNIOR – (levanta-se) Acho que devemos concordar que aqui não tem mais nada que segure você. (solta um falso sorriso) Que pai não ficaria feliz em ver sua filha criando asas e ganhando o mundo por aí.
ANA – Eu não vou embora pra sempre, pai.
JUNIOR – Sua avó costumava dizer que o futuro só a Deus cabe! (caminha até a porta) Então… você vem ou não ver o programa comigo?
ANA – Hoje eu não estou um pouco no clima.
JUNIOR – Sem problema. (volta para a cama) Boa noite então, querida! (beija a cabeça dela)
ANA – Boa noite, pai. (Junior a observa por um tempo, saí do quarto em seguida. Ana continua sentada, olha para as suas mãos e fica pensativa)

[CENA 06 – ESTÚDIO SUA CANÇÃO (ao vivo)/ PALCO – CORREDOR/ NOITE]
(os quatros participantes do grupo B já se apresentaram e encontram-se reunidos no centro do palco, com Lauro no meio deles)
LAURO – Chegou a hora, pessoal. (uma assistente caminha até ele, lhe entrega o resultado) Em minhas mãos o resultado que vocês definiram. (olha para o resultado, faz um certo suspense) A decisão foi acirrada… o escolhido foi definido por poucos pontos de diferença. (Daniel evita olhar em direção ao seu pai, continua atento a Lauro. Samuel, por outro lado, está olhando para o filho, com as mãos cruzadas, torcendo) Com 39% dos votos, que avança para a próxima fase é… Daniel Oliveira! (plateia bate palma, Daniel não acredita que tenha avançado) Parabéns, garoto! (o abraça. Samuel levanta-se completamente eufórico)
SAMUEL – É isso aí… esse é o meu filho. Parabéns!
LAURO – Gostaria de dizer alguma coisa?
DANIEL – (emocionado) Eu só quero agradecer a todos que votaram em mim. De verdade, muito obrigado. (olha para seu pai, o vê-lo feliz o faz ficar sério)
LAURO – Parabéns, garoto. Palmas para Daniel, pessoal!
DANIEL – Obrigado, muito obrigado! (saí do palco)
LAURO – (aos jurados) Muito bem, agora o pepino é com vocês. (sorri, assim como os jurados)
[CORREDOR]
(Dácio e Daniel param próximos a uma escada, comemoram)
DÁCIO – Parabéns, eu sabia que você ia passar para a próxima etapa. (o abraça)
DANIEL – Sabia? Por acaso você não…
DÁCIO – Ei, ei… não viaja, que eu não invadi nada e não manipulei nada.
DANIEL – Que bom. Eu não iria te perdoar se você fizesse isso.
DÁCIO – (se aproxima) Agora que tal pegamos nossas coisas e comemorarmos? (estão perto de se beijar, Amanda aparece no corredor)
AMANDA – Desculpem… eu não queria atrapalhar. (os dois se separam)
DANIEL – (envergonhado) Sem problema.
AMANDA – Sua apresentação foi ótima. Parabéns.
DANIEL – Obrigado. Se grupo é o próximo, certo?
AMANDA – Sim. Dê uma saidinha da sala que nos colocaram, para orar um pouco.
DANIEL – Orar sempre é bom. Ainda mais nesse momento. (Dácio meio que não gosta da conversa entre eles)
AMANDA – Sim. Quero aproveitar este momento e me conectar um pouco com Deus. Pedir uma boa apresentação daqui a pouco. (sorri)
DANIEL – Tenha uma boa conexão.
AMANDA – Obrigada. Mais uma vez parabéns por ter passado. Espero cantar com você um dia.
DANIEL – Eu também. (Dácio olha para ele, não entende como aquela conversa chegou ali)
AMANDA – Com licença. (vai embora)
DÁCIO – Marcado duetos com os concorrentes?
DANIEL – O que? (o percebe enciumado, sorri) Você ficou com ciúmes?
DÁCIO – Eu não… só não gostei muito dessa sua aproximação.
DANIEL – O mesmo que ficar com ciúmes.
DÁCIO – Claro que não! Vamos logo pegar nossas coisas. (prossegue caminho no corredor)
DANIEL – (feliz ao vê-lo enciumado) Você tá com ciúmes sim, vem cá. (o segue)

[CENA 07 – CASA DE CAIO/ SALA/ NOITE]
(Camila está sentada no sofá, com o notebook a sua frente, tenta resolver o problema que seu marido criou)
CAMILA – (confusa) Eu não estou entendo está situação, Cláudio.
CLÁUDIO – (fazendo carinho nela) Se você não está entendendo, muito menos eu amor. (se aproxima dela, a beija no pescoço)
CAMILA – Se você continuar me beijando dessa maneira, eu não irei conseguir resolver isso.
CLÁUDIO – Que tal deixarmos isso para depois e fazermos algo bem melhor. (a beija)
CAMILA – (encerra o beijo, o empurra um pouco) Se eu não resolver isso hoje, você não perderá seu emprego?
CLÁUDIO – Na verdade, não. (ri) Acho que exagerei um pouco. (Camila a observa, desconfia de que foi enganada)
CAMILA – Entendi o que está acontecendo aqui. (levanta-se) O Caio está dormindo, não está?
CLÁUDIO – O Caio é adolescente, Camila. (levanta-se, se aproxima dela) Ele precisa descansar.
CAMILA – Assim não tem como criar um futuro para este garoto, com você aliviando as pontas sempre.
CLÁUDIO – Talvez seja melhor deixarmos ele mesmo criar o futuro dele.
CAMILA – Caio será advogado e ninguém mais nesta casa toca nisso.
CLÁUDIO – Então pelo menos maneira um pouco nesse estudo? Ele tem parecido um zumbir ultimamente.
CAMILA – É bom que ele aprende a ter disciplina.
CLÁUDIO – (se aproxima dela, a segura pela cintura) Ele é um menino apenas, amor. Pega leve com ele… (a beija) … caso contrário, ele vai se tornar um adulto infeliz.
CAMILA – Tendo uma carreira profissional brilhante, o resto não importa.
CLÁUDIO – (se afasta) Francamente amor… eu não sei o que o fazer mais para tirar essa ideia da sua cabeça.
CAMILA – Simples… não tente mais. O estudo intensivo continua e graças a você, amanhã ele terá exercícios em dobro. (saí da sala, Cláudio fica parado ao lado do sofá, apreensivo)

[CENA 08 – ESTÚDIO SUA CANÇÃO (ao vivo)/ PALCO/ NOITE]
(Amanda é anunciada por Lauro, ela caminha até o centro do palco com o seu violão, fecha olhos e agradece a Deus)

AMANDA – (sorri) Espero que a música que eu irei cantar aqui hoje, conecte as pessoas que estão agora em casa. E conecte as pessoas que estão aqui também. Que apesar do caos que o mundo pode estar lá fora, só temos um ao outro. Então aproveitem cada momento com a pessoa que está ao seu lado agora, porque a vida não diz quando o trem vai partir.  (começa a tocar com um leve sorriso no rosto, a banda a acompanha ao fundo)

[CENA DE MÚSICA – TREM-BALA (ANA VILELA)]

Não é sobre ter todas as pessoas do mundo pra si 1
É sobre saber que em algum lugar alguém zela por ti
É sobre cantar e poder escutar mais do que a própria voz
É sobre dançar na chuva de vida que cai sobre nós

É saber se sentir infinito
Num universo tão vasto e bonito, é saber sonhar
Então fazer valer a pena
Cada verso daquele poema sobre acreditar

Não é sobre chegar no topo do mundo e saber que venceu 2
É sobre escalar e sentir que o caminho te fortaleceu
É sobre ser abrigo e também ter morada em outros corações
E assim ter amigos contigo em todas as situações

A gente não pode ter tudo
Qual seria a graça do mundo se fosse assim?
Por isso, eu prefiro sorrisos
E os presentes que a vida trouxe pra perto de mim

Não é sobre tudo que o seu dinheiro é capaz de comprar 3
E sim sobre cada momento, sorriso a se compartilhar
Também não é sobre correr contra o tempo pra ter sempre mais
Porque quando menos se espera a vida já ficou pra trás

Segura teu filho no colo
Sorria e abraça os teus pais enquanto estão aqui
Que a vida é trem-bala, parceiro
E a gente é só passageiro prestes a partir

Laiá, laiá, laiá, laiá, laiá
Laiá, laiá, laiá, laiá, laiá

Segura teu filho no colo 4
Sorria e abraça os teus pais enquanto estão aqui
Que a vida é trem-bala parceiro
E a gente é só passageiro prestes a partir

1. Amanda canta com uma visão geral da plateia. Olha para seus avôs a sua frente na plateia e canta para eles. Na sala reservada ao grupo B, Daniel e Dácio prestam atenção na apresentação dela pela TV, seguram a mão um do outro.
2. Na casa de Pedro, ele e Carol se entreolham, segura a mão dela e em seguida prestam atenção na TV. Na casa de Alice, ela está acompanhando o programa sozinha em seu quarto e apesar de ser brasileira, é tocada pela a música. Olha para suas pernas, olha ao redor e não tem ninguém ao seu lado.
3. No palco, algumas pessoas da plateia começam a se abraçar e a segurarem a mão um do outro. Amanda percebe a união das pessoas e isso a deixa feliz. Acredita que nas casas das outras famílias, o mesmo esteja acontecendo e que a música esteja levando união a todos. Na casa de Otávio, a música o faz lembrar de sua mãe, já Eduardo, além de lembrar de sua família que está no Pará, também se lembra de Larissa.
4. Na plateia, Samuel repara em um pai e filho juntos, sente um pouco de inveja. Amanda encerra a música grata e feliz, todos a aplaudem.

[CENA 09 – CASA DE OTÁVIO/ SALA/ NOITE]
(Otário e Eduardo acompanham o programa)
EDUARDO – Essa Amanda tem uma voz tão serena, né?
OTÁVIO – Muito. Como eram as expressões no rosto dos jurados?
EDUARDO – Sendo bem sincero com você, todos ficaram encantados com ela.
OTÁVIO – (sério) Imagino. Ela também tem uma bela história de vida, né.
EDUARDO – Sim. Eu particularmente a acho uma candidata forte. Ainda bem que ela não está em seu grupo.
OTÁVIO – Ainda bem.

[CENA 10 – ESTÚDIO SUA CANÇÃO/ SALA RESERVADA AO GRUPO C/ NOITE]
(Manuela se preocupa com o jeito que a plateia e os jurados reagiram. Ela será a próxima a se apresentar e estar nervosa de não conseguir dar o seu melhor)
MANUELA – Eu estou com medo meninas.
ÉSTER – Fica tranquila, Manu. Lembre-se que estamos a mil com os comentários nas redes sociais.
THALITA – Exatamente, seu nome já está em top 7.
ÉSTER – Então vai lá, relaxa e mostre para essa Amanda que você é melhor cantora do que ela. (Manuela olha para suas amigas, tenta se manter confiante, mas saí da sala bastante nervosa. Thalita e Éster ficam na sala, ambas pegam um notebook, o ligam rapidamente, entram no site do programa e começam a votar em disparada)

[CENA 11 – CASA DE PEDRO/ SALA/ NOITE]
(Paula está cochilando no outro sofá, Pedro e Carol reparam)
PEDRO – (sorri) Tia… não acha melhor ir para a sua cama?
PAULA – (disfarça) Eu não estou dormindo.
VANDA – Está sim, amiga… eu também acho que vou me retirar. (levanta-se) O dia foi exausto, então boa noite meninos.
PAULA – Sendo assim, também acho que vou te acompanhar. (levanta-se)
CAROL – Eu vou daqui a pouco, mamãe. Só vou terminar de ver o programa.
VANDA – Não se preocupa, aproveitem crianças.
PEDRO – (sorri) Boa noite.
PAULA – Boa noite, meninos. (as duas percebem os olhares trocados por Pedro e Carol quando ficaram sozinhas, ela e Vanda sobem as escadas com um leve sorriso no rosto. Na sala, Pedro e Carol se entreolham, se aproxima um pouco um do outro)

[CENA 12 – ESTÚDIO SUA CANÇÃO (ao vivo)/ PALCO/ NOITE]
(Manuela é anunciada por Lauro, ela caminha até o palco, com o coração acelerado. Sente uma pressão dentro de seu peito, como se a qualquer momento fosse infartar. Repara na quantidade de pessoas no auditório olhando para ela, seu nervosismo só aumenta. A banda começa a tocar com Manuela ainda imóvel no centro do palco)

Contínua no capítulo 49…

A Widcyber está devidamente autorizada pelo autor(a) para publicar este conteúdo. Não copie ou distribua conteúdos originais sem obter os direitos, plágio é crime.

LEIA MAIS DESTE CONTEÚDO:

Pesquisa de satisfação: Nos ajude a entender como estamos nos saindo por aqui.

>
Rolar para o topo