“Kiwi”

 

Daqui seis meses…

[CENA 01 – UNIVERSIDADE DE MÚSICA (NOVA YORK)/ AUDITÓRIO/ NOITE]
(Elizabeth faz um pequeno suspense antes de anunciar o candidato, Pedro e Maya estão ansiosos pelo o resultado, talvez bem mais do que os próprios candidatos)
ELIZABETH – And the candidate who will be part of our community next semestre is… Carlo Rodriguez! (boa parte das pessoas ali presente levantam-se e o parabenizam) Congratulations, Carlo!
MAYA – (em pé, bate palmas) Congratulations, more than deserved! (Carlo levanta-se e agradece a todos, Maya senta-se, olha para Pedro) É… acho que alguém perdeu mais uma aposta.
PEDRO – O Andrew entra ano que vem, tenho certeza.
MAYA – Preparou o seu discurso já?
PEDRO – Aposta é aposta, né. Tenho que cumprir.

[CENA 02 – APARTAMENTO DE ARTHUR (NOVA YORK)/ SALA/ NOITE]
(Samuka e Mônica estão se beijando em cima do sofá, o clima está quente entre os dois)
MÔNICA – (encerra o beijo) Que horas são?
SAMUKA – Já é a quinta vez que você pergunta isso. (volta beijá-la)
MÔNICA – (encerra) Acho que a seleção já acabou, o Pedro deve estar voltando pra casa.
SAMUKA – Ele disse que iria me mandar uma mensagem assim que estivesse vindo. (pega o celular do bolso da calça, verifica se tem mensagem, exibe o celular para ela) Viu só? Nenhuma mensagem. (coloca o celular ao lado) Será que podemos voltar para o que estávamos fazendo? (volta a beijá-la por longos segundos)
MÔNICA – (encerra o beijo, levanta-se do sofá) Calma… vamos pelo menos ver se a seleção já acabou. (pega o celular, entra no site da universidade) Olha só… o Carlo conseguiu entrar.
SAMUKA – Parabéns pra ele.
MÔNICA – A seleção acabou 5 minutos atrás. Possivelmente o Pedro deve voltar pra cá.
SAMUKA – (levanta-se, se aproxima dela) Tenho certeza de que esse tal Carlo vai querer comemorar com a banda dele e Pedro com certeza irá junto com eles. (pega o celular dela, coloca em seu bolso da calça) Então, relaxa… que se ele vier, ele vai avisar. (volta a beijá-la, a empurra para o sofá novamente, o clima volta a esquentar)

[CENA 03 – UNIVERSIDADE DE MÚSICA (NOVA YORK)/ CORREDOR/ NOITE]
(todos estão saindo do auditório, Carlo saí com o pessoal de sua banda, Pedro e Maya estavam lá fora a espera deles)
MAYA – Vamos lá, perdedor. Chegou a hora de cumprir sua aposta.
PEDRO – (ri) Observe! (caminha até Carlo) Hi. My name is Pedro, I’m a freshman… I mean, I can say a veteran now.
CARLO – I know who you are. I follow the university blog, and you are well commented there. (estende a mão para cumprimentá-lo) Nice to meet you.
PEDRO – (surpreso) Oh really? Wow, I had no idea that the blog was acessed that much.
CARLO – For someone who wants to enter this university, they have to stay informed of everything.
PEDRO – (ri) Thuth. Well, I came to congratulate you, for getting in. I can’t wait to run into these corridors next semestre.
CARLO – I say the same. Do you know of a place that allows you to play around here? Me and the people in my band are looking forward to celebrating.
PEDRO – I know a diner nearby. I want to take you there.
CARLO – It’s fine by me.
PEDRO – (repara em Maya logo atrás) My friend over there is going crazy with a show from you.

[CENA 04 – LANCHONETE (NOVA YORK)/ NOITE]
(os garotos chegam à lanchonete, Pedro conversa com o dono, que permite eles tocarem. Carlo e a banda se organizaram no palco e preparam-se para tocar)

[CENA DE MÚSICA – KIWI (HARRY STYLES)]

She worked her way through a cheap pack of cigarettes 1
Hard liquor mixed with a bit of intellect
And all the boys, they were saying they were into it
Such a pretty face on a pretty neck

She’s driving me crazy, but I’m into it, but I’m into it
I’m kinda into it
It’s getting crazy, I think I’m losing it, I think I’m losing it
Oh, I think she said

I’m having your baby 2
It’s none of your business
I’m having your baby
It’s none of your business
(It’s none of your, it’s none of your)
I’m having your baby (hey!)
It’s none of your business (oh)
I’m having your baby (hey!)
It’s none of your, it’s none of your

It’s New York, baby, always jacked up 3
Holland Tunnel for a nose, it’s always backed up
When she’s alone, she goes home to a cactus
In a black dress, she’s such an actress

Driving me crazy, but I’m into it, but I’m into it
I’m kinda into it
It’s getting crazy, I think I’m losing it, I think I’m losing it
Oh, I think she said

I’m having your baby (hey!) 4
It’s none of your business (oh)
I’m having your baby (hey!)
It’s none of your business
(It’s none of your, it’s none of your)
I’m having your baby (hey!)
It’s none of your business (oh)
I’m having your baby (hey!)
It’s none of your, it’s none of your

She sits beside me like a silhouette
Hard candy dripping on me ’til my feet are wet
And now she’s all over me, it’s like I paid for it
It’s like I paid for it, I’m gonna pay for this

It’s none of your, it’s none of your

I’m having your baby (hey!) 5
It’s none of your business
I’m having your baby (hey!)
It’s none of your business
(It’s none of your, it’s none of your)
I’m having your baby (hey!)
It’s none of your business
I’m having your baby (hey!)
It’s none of your business, it’s none of your

1. Os seguidores da banda de Carlo o seguiram até a lanchonete, assim que os garotos começam a tocar, seus seguidores vão a loucura. Maya é uma das dezenas de garotas que estão eufóricas próximas ao palco. Pedro está do lado dela, surpreso com a reação da amiga.
2. Carlo e o primo cantam e tocam animados, Pedro observa a energia vindo deles, e se lembra do momento que também participava de uma banda.
3. Pedro repara na amiga ao lado parecendo uma fã maluca, vendo um show de seu ídolo. Ele pega o celular, começa a gravar os garotos tocando, em seguida, filma Maya dançando e pulando loucamente.
4. Os garotos estão tocando bem e vê-los naquele clima animado, o faz sentir saudades de seus amigos. Para de gravar e sente saudade de casa.
5. Carlo e sua banda encerram a música, são praticamente glorificados por boa parte das pessoas ali presente. Maya está cansada, Pedro sorri ao ver a amiga naquele estado, com apenas uma única música.

Agora…

[CENA 05 – CASA DE ANA/ Q. DE ANA/ DIA]
(Ana desperta e fica surpresa ao ver Alan dormindo ao seu lado)
ANA – (senta-se na cama, o cutuca) Alan, acorda. Alan! Acorda, você tem que sair daqui. (levanta-se, puxando a coberta de cima dele)
ALAN – (sonolento) O que aconteceu?
ANA – Você não devia ter dormido aqui.
ALAN – (senta-se) Se arrependeu?
ANA – Não… quer dizer, talvez me arrependa se o meu pai te pegar aqui.
ALAN – (esfrega os olhos) Acho que o Junior não iria se incomodar com isso.
ANA – Ah vai sim. (joga as roupas dele) Anda, se veste logo que vou ver se a está tudo limpo lá embaixo. (saí do quarto, minutos depois ela retorna, Alan está de pé e vestido) Parece que o papai ainda não acordou. Vamos, você tem que sair daqui agora.
ALAN – (se aproxima dela) E quanto a gente?
ANA – Nada mudou, Alan.
ALAN – Como não? Eu pensei que…
ANA – Eu ainda irei para Madrid semana que vem e você ficará aqui. (caminha até a porta) O que aconteceu na noite anterior, será apenas uma lembrança para nós dois.
ALAN – Se você quer lembranças, então toma mais essa. (caminha apressado até ela, a surpreende e a beija)

[CENA 06 – CASA DE MANUELA/ COZINHA/ DIA]
(Manuela entra na cozinha e encontra a mãe preparando o café com um belo sorriso no rosto)
MANUELA – Bom dia, mamãe!
SARA – (feliz) Bom dia, filha.
MANUELA – (senta-se à mesa) Pelo o visto, o passeio com o Ivo ontem foi bom. Eu fui para a festa e vocês ainda não haviam chegado. E quando cheguei ontem à noite, a senhora já estava na cama.
SARA – (fica envergonhada) A gente se divertiu um pouco apenas, nas demais aconteceu.
MANUELA – Nada demais, é?
SARA – (tenta mudar de assunto) E como foi a festa?
MANUELA – Foi boa, as meninas só lamentaram que a festa terminou cedo.
SARA – Ah é?
MANUELA – Sim, só que no geral a festa foi boa. Nos divertimos muito. (se lembra de alguns momentos, solta um leve sorriso) Mas, voltando ao assunto inicial…. a senhora ainda não me contou para aonde o Ivo a levou?
SARA – A nenhum lugar importante, filha.
MANUELA – Discordo, porque para a senhora ter acordado com essa felicidade estampada no rosto, algo muito bom aconteceu ontem.
SARA – (caminha até a mesa, com a garrafa de café, senta-se) Eu apenas me divertir com o Ivo, só isso. Ele é uma companhia agradável.
MANUELA – Olha só, será que já posso chamar o Ivo de padrasto?
SARA – Não cria teorias, Manu. Até porque, não sei se o que rolou ontem vai acontecer novamente.
MANUELA – Por que não?
SARA – Ele comentou comigo que estará focado em alguns dias com os shows da banda que ele gerencia…
MANUELA – A Órbita Três!
SARA – Essa aí mesmo. Parece que eles irão viajar muito pelo o país, então, não terá uma outra folga tão cedo. E eu digo o mesmo no hospital.
MANUELA – Ele disse quando começa os shows?
SARA – Não, só comentou que será em alguns dias.
MANUELA – Então por que a senhora não o convida para sair hoje novamente? Hoje é Domingo, vocês poderão repetir o que rolou ontem.
SARA – Ele deve estar ocupado com a lanchonete. Deve estar limpando a bagunça que vocês deixaram ontem.
MANUELA – Não fizemos tanta bagunça assim. Acho até que depois da festa o Pedro e os amigos dele arrumaram os lixos e algumas outras coisas em sacolas e juntaram tudo num canto.
SARA – Que exemplo de amigos esses seus.
MANUELA – (ri, começa a se servir) É… eu queria ter ficado para ajudar, mas as meninas estavam loucas para ir embora.

[CENA 07 – CASA DE ANA/ Q. DE ANA/ DIA]
(Ana e Alan continuam se beijando, ela encerra o beijo)
ANA – Você tem que sair daqui agora.
ALAN – (sorri) Gostou desta lembrança? (Ana fica vermelha, sinal de que gostou)
ANA – (segura a mão dele, o puxa para fora do quarto) Deixa de papo e vamos logo.

[CENA 08 – CASA DE CAIO/ COZINHA/ DIA]
(Caio continua olhando para sua mãe, a espera do que ela tem a dizer)
CAMILA – Ontem, quando você e o Pedro saíram, eu conversei com o seu pai e talvez esteja pegando pesado com esse estudo intensivo.
CAIO – Um pouquinho.
CAMILA – Por isso, eu decidi e irei criar um horário flexível para você.
CAIO – (surpreso) Sério?
CAMILA – Sim, te matar em estudar não vai te levar a aprovação no vestibular, então vamos criar uma rotina de estudos, da qual você terá que se comprometer a segui-la.
CAIO – A senhora pode ficar tranquila, que vou seguir sim.
CAMILA – Espero. Depois vamos lá para a sala e iremos planejar os melhores horários para você. Nessas férias, pode ser um período de estudo maior, já que não terá mais aulas. E ano que vem, quando as aulas recomeçarem, podemos diminuir a carga horária.
CAIO – (nem pensa em discordar, com receio de que ela mude de ideia e volte atrás) Por mim tudo bem!
CAMILA – Ótimo. Agora vamos para o próximo tópico desta conversa.
CAIO – Tem mais?
CAMILA – Tem. Você vai estudar sim para o vestibular, mas será para o curso que você desejar fazer. Te fazer cursar direito só porque eu quero, não é o certo. Embora, você já tenha uma garantia para o futuro. Só que, seu pai me convenceu de que essa escolha tem que vir de você. (um sorriso cresce em Caio)
CAIO – Então… eu posso escolher o curso que eu quero fazer?
CAMILA – Pode, desde que você pense bem de que é realmente isto que você quer.
CAIO – (levanta-se e a abraça, Camila não esperava por isso, solta um leve sorriso) Obrigado, mãe.
CAMILA – Não me agradeça.
CAIO – (senta-se) Então, eu não vou estudar leis e normas?
CAMILA – Dependerá do que você escolher seguir. Mas, por enquanto, você estudará conteúdos voltados para vestibulares. Assuntos pertencentes a sua grade curricular do colégio. Com a aproximação das provas, acredito que você já tenha feito a sua escolha, portanto, poderá estudar os conteúdos específicos.
CAIO – (feliz) Obrigado, mãe! (levanta-se e a abraça novamente, Camila retribui. Cláudio entra na cozinha, ver a cena e fica feliz)

[CENA 09 – CASA DE DÁCIO/ Q. DE DÁCIO/ DIA]
(Dácio está há algum tempo procurando algum segredo da Amanda, no entanto, parece que aquela ali não esconde nada)
DÁCIO – (irritado) Não acredito que não tem nada sobre está garota. Ninguém é tão santo assim, ela tem que ter algo escondido. (centrado) E eu vou encontrar!

[CENA 10 – CASA DE OTÁVIO/ SALA/ DIA]
(Ione entra na sala em passos leves, caminha até a porta.  Eduardo vem da cozinha e a encontra)
EDUARDO – (surpreso) Ione?
IONE – Oi, Edu! (caminha até ele)
EDUARDO – O que está fazendo aqui tão cedo? Dormiu aqui?
IONE – Dormi. Mas não como você está pensando. Simplesmente eu vi que o Otávio estava precisando de mim ontem, então eu vim ajudá-lo
EDUARDO – Ajudou?
IONE – Um pouco. Eu e ele ficamos até tarde conversando aqui na sala, depois o ajudei a levá-lo para cama.
EDUARDO – Posso te fazer uma pergunta?
IONE – Claro.
EDUARDO – Quais são os seus sentimentos em relação a ele? (Ione o observa, sem saber o que dizer de imediato)
IONE – Bem… eu gosto da companhia dele…
EDUARDO – Você sabe que ele sente algo por você, né?
IONE – Eu sei.
EDUARDO – Então, a não ser que isso seja recíproco, recomendo que você não alimente demais esse sentimento, caso contrário…
IONE – (o interrompe, vira-se para a porta) Eu não vou machucá-lo, Edu. Pode ficar tranquilo quanto a isso. (caminha até a porta e vai embora. Eduardo volta para a cozinha)

[CENA 11 – CASA DELLE ROSE/ SALÃO/ DIA]
(Larissa, Nathaniel e algumas meninas estão arrumando o salão, Daniel entra nesse momento)
DANIEL – Oi, pessoal.
NATHANIEL – Oi, Dan.
LARISSA – Eu sei que falta alguns dias ainda, mas me diga que você também está nervoso para a semifinal na Quinta.
DANIEL – Estou um pouquinho. Na verdade, estou em dúvida em qual música cantar.
LARISSA – Eu também! Estou em dúvida em duas, mas não sei qual escolher.
NATHANIEL – Imaginou vocês dois indo para a final?!
DANIEL – A Larissa talvez vá, eu já não sei.
LARISSA – (a Nathaniel) Esqueceu que ele está concorrendo com o Otávio?
NATHANIEL – Ih, é verdade. Vocês dois são do grupo B.
LARISSA – Desejo boa sorte aos dois. Independente de quem vá para a final, será um prazer dividi-la com vocês.
DANIEL – Ih, olha ela… toda convencida, achando que já tá na final.
LARISSA – Se eu não acreditar em mim mesma, quem acreditará?
DANIEL – É, errada não está. Vocês precisam de ajuda?
NATHANIEL – Até que uma ajudinha cairia bem, já que a Ione não está aqui.
DANIEL – Beleza. (caminha até o bar, pega um pano e começa a limpar algumas mesas)
LARISSA – Estou tão ansiosa por está semifinal, que não vejo a hora de Quinta chegar. (sorri, esperançosa)

Dias depois…

[CENA 12 – ESTÚDIO SUA CANÇÃO (ao vivo)/ PALCO/ NOITE]
(Lauro está no centro do palco, plateia está de pé, eufórica)
LAURO – (animado) Boa noite, pessoal! Boa noite querida plateia, meus caros jurados.
LÉO – Boa noite, pessoal!
VALÉRIA – Boa noite, gente!
IGOR – Boa noite!
LAURO – No ar, a nossa querida semifinal. A temporada está acabando e hoje conheceremos os nossos finalistas. (troca de câmera) Sobraram apenas três vozes em cada grupo. (conforme falava, é exibido os candidatos de cada grupo) Cada candidato irá se apresentar aqui hoje para vocês e apenas um irá para a final. (volta a exibi-lo) Se você quer que o seu favorito esteja na final semana que vem, não perca tempo, entre agora em nosso site, faça seu cadastro e prepara-se para votar. Nesta semifinal, a votação ficará aberta até o encerramento de cada grupo, por isso, mesmo que o seu candidato ainda não tenha se aprestando, não espere e vote. (muda de câmera) A mecânica dos votos será a mesma que a fase passada. Nossos jurados têm dois pontos cada e você que está aí em casa, junto com a nossa plateia, tem quatro pontos, que será atribuído para o candidato mais votado. (aos jurados) Algo me diz que esta semifinal promete, o que vocês acham?
LÉO – Só tem candidatos fortes, em todos os grupos. Não será fácil decidir entre eles.
VALÉRIA – (brinca) Bem que o público podia decidir pela a gente, né? Assim ficaríamos aqui, apenas acompanhando as apresentações.
LAURO – (ri) Calma, que ainda não chegamos neste momento. (a câmera) Vamos dar início as apresentações. Vamos conhecer os semifinalistas do grupo A. (é exibido um VT apresentando os candidatos do grupo)

[CENA 13 – CASA DELLE ROSE/ SALÃO/ NOITE]
(todas as meninas estão no salão, acompanhando o programa)
IONE – Atenção meninas, votação aberta. Quero todas votando na nossa cantora. Vamos levá-la para a final!

[CENA 14 – ESTÚDIO SUA CANÇÃO (ao vivo)/ PALCO/ NOITE]
(após o VT, Larissa sobe ao palco, se posiciona no centro e espera a banda tocar. Após alguns segundos em silêncio, tocam a música “Que Será”, da cantora Dalva de Oliveira. Logo no início, a plateia bate palmas, que a deixa confortável e a faz andar pelo palco. No segundo trecho da música, ao olhar para a primeira fileira do lado esquerdo da plateia, Larissa ver alguém familiar. De imediato ela para de cantar, a banda para de tocar segundos depois. Todos estão sem entender por que ela parou, enquanto ela continua paralisada no palco, olhando para sua mãe)

Continua no capítulo 61…

A Widcyber está devidamente autorizada pelo autor(a) para publicar este conteúdo. Não copie ou distribua conteúdos originais sem obter os direitos, plágio é crime.

LEIA MAIS DESTE CONTEÚDO:

Pesquisa de satisfação: Nos ajude a entender como estamos nos saindo por aqui.

>
Rolar para o topo