Zeca lamenta o que acabou de confessar a Roberto. 

Roberto: Grávida?

Zeca: Existe chance de ser o pai?

Roberto: Você sabe onde a Carolina mora?

Zeca: Conheço apenas o local que ela trabalha.

Roberto: Arranja o endereço Zeca.

Zeca: Não é boa ideia senhor Roberto… 


Anoitecendo. Eduardo buzina ao lado da residência de Lúcia.

Lúcia: Pensei que ia pra faculdade!

Eduardo: Gostou da surpresa?

Lúcia: Adorei.

Eduardo: Sem cabeça pra estudar.

Lúcia: O que ocorreu?

Eduardo: Tô péssimo. Piorou porque a Carol carrega um herdeiro do fazendeiro. Várias semanas dormindo separados…

Lúcia: Desista da Carolina. 

Eduardo: Ainda tenho esperança Lúcia. 

Lúcia: Cansei da fase de ciumenta, não ligo de compartilhar um pedaço. – vão para o quarto entre amassos e carícias.


Carlos encara Laura que foge da curiosidade dele.

Carlos: Então Laura? Explique os nomes Francisco e Marta!

Laura: Na hora certa você terá uma resposta. 

Carlos: O Rodrigo está no meio, né?

Laura: Mais tempo, por favor?

Carlos: O mesmo papo furado!

Laura: Escuta!

Carlos: Não! Vamos fugir, esquece a vingança!

Laura: Gatão…

Carlos: Não entende? Sendo difícil pra caramba controlar a situação!

Laura: Se me ama, aguente firme!

Carlos: Tentando Laura!


Amanhece, começa agitado na metrópole. Catarina vem do colégio e encontra Eduardo no domicílio alugado.

Eduardo: Almoça logo que iremos pra loja.

Catarina: Não vou.

Eduardo: Ah, vai sim e não ousa me desobedecer!

Catarina: Até quando ficará me infernizando? – se afasta de Eduardo com ódio.

Eduardo: Até quando eu quiser.

Catarina: Cedo ou tarde a Carol descobre quem é você realmente.

Eduardo: Kkkkk! Eu convivo com a Carolina desde a infância, ela confia no espertão aqui! Abre a bico e verá o que acontece! – rodeia Catarina.

Catarina: Arrependida de ter vindo pra cá. Você é nojento.

Eduardo: Respeita moleca! – mete um tapa na cara dela.

Eduardo: Cadê a Carolina?

Carolina: Procurando por mim Edu? Tudo bem Cacá? – aparece de repente após alguns segundos de silêncio com o barulho da porta.

Eduardo: Sim Carol. Quantas sacolas!

Catarina: Tá diferente…

Carolina: Roupas novas. Animada pra gastar! Comprei um carro usado. — Carolina exibe o visual transformado. Permanece os dreads no cabelo, porém presos através de um coque que destaca os brincos de pena na orelha. Substituiu o vestido florido e sandália por uma bela blusa de seda, calça jeans preta justa, além do sapato de salto alto.

Eduardo: A comida esfriando Cacá!

Carolina: Anda Cacá, come! Depois te levo pra dar um passeio no carrão!

Catarina: Ok.

Eduardo analisa o automóvel na garagem.

Carolina: O que achou?

Eduardo: Legalzinho!

Carolina: Havia dias que não tinha um real no bolso! Agora despejando dinheiro! – diz ao escorar e deslizar as mãos no veículo.

Eduardo: Você merece.

Carolina: Fiz o teste de farmácia. Acertou.

Eduardo: Ei! Não fique assim, te ajudarei a criar o bebê!

Carolina: Obrigada Edu. Obrigada de coração. 

Eduardo: Eu desejo mais que gratidão.

Carolina: Também. – Carolina encosta os lábios nele e Eduardo se surpreende.

Eduardo: Aguardei tanto o momento…

Carolina: Eu mudei. Virei a página!

Carolina o beija intensamente.

Carolina: Você teve toda a paciência do mundo comigo.

Eduardo: Valeu a pena. — se agarram no chão e transam.

Enquanto Carolina e Eduardo aproveitavam a tarde de amor, Roberto se sente mal, adivinhando que sua amada estava nos braços de outro homem.

Carolina: Edu, preciso ir! Prometi a Lúcia que passaria na lanchonete. – se levanta e coloca a calça.

Eduardo: Ah, tão perfeito nós juntinhos… — se apoia no ombro de Carolina ao abandonar o cômodo.

Carolina: Teremos bastante oportunidade! – dá um selinho de despedida na frente de Catarina na sala.

Eduardo: Pronta Cacá? Necessito de você lá no pet shop pra me auxiliar!

Carolina: Tchau amores!

Eduardo: Cuidado, hein? – grita ao vê-la dirigir. 

Catarina: Como tem coragem de enganar a tia Carol? Imaginando a reação dela sobre o tráfico de animais, o romance com a Lúcia, os abusos…

Eduardo: Cala a boca. Presta atenção, se você falar algo, sofrerá as consequências!


No casarão da fazenda Corais, Laura chama Isadora.

Laura: Isa, o Roberto sumiu?

Isadora: O Zeca me contou que foi na capital.

Laura: Pra quê?

Isadora: Questionar se a criança que a Carolina espera é dele.

Laura: Ela engravidou?

Isadora: E daí? Se concentre nos planos do Rodrigo.

Laura: Eu quero saber o lugar que o Roberto se meteu. Pergunte imediatamente para o Zeca!

Isadora: O que pretende fazer?

Laura: Não deixarei a infeliz me atrapalhar.

Isadora: Qual a preocupação? Apaixonada?

Laura: Não te interessa!

Isadora: Um conselho Laura, só te lembrar o verdadeiro motivo do casamento com o Roberto.


Em São Roque, Moisés observa sentado na calçada a Melissa sair da aula.

Moisés: Feliz que voltou pra escola.

Melissa: Chega de me esconder, apesar do medo da Isadora!

Moisés: E a carinha triste?

Melissa: Nada.

Moisés: Saudades da Cacá?

Melissa: Deve tá tranquila em São Paulo… O rapaz apressado na rua não é o Carlos?

Moisés: Carlos! – grita e persegue Carlos.

Carlos: Desembucha velho! — se vira pra Moisés.

Moisés: Nossa… — repara no olho roxo de Carlos.

Carlos: Nem encosta, canalha!

Moisés: Calma!

Carlos: Nunca irei te perdoar pela morte da minha mãe.

Moisés: Você persiste namorando a Laura?

Carlos: Não enche o saco!

Moisés: Carlos

Carlos: Aliás, a única dúvida é desvendar um mistério. No período que eu era somente um menino usando fraldas, você se envolveu na história do Rodrigo. Afinal, o que esconde?

Moisés: Se afaste do Rodrigo! Não direi uma palavra.

Carlos: Suspeitava que não poderia contar com você.

Moisés: Seria ótimo que se aproximasse da sua família…

Carlos: Você e a Melissa que se danem! — empurra Moisés e prossegue a caminhada.

Melissa: Não adianta. O Carlos prefere nos ignorar. — consola Moisés que chora. 


Roberto estaciona a camionete na zona leste da região paulista. Localiza o endereço anotado. Entra distraído com o movimento do estabelecimento e se esbarra em uma pessoa.

Roberto: Desculpa… — nota que se trata de Carolina.

Carolina: Roberto? – derruba a bandeja de copos que pegava da mesa.

Roberto: Novamente nos esbarramos. – se recorda da primeira vez.

Laura desce do táxi perto dali tirando os óculos escuros.

Retornamos para a cena do casal.

Carolina: O que você fez! – os dois se confrontam e recolhem os cacos.

Roberto: Direto ao ponto Carolina, o filho na barriga é meu?

Música de encerramento: Lewis Capaldi – Someone You Loved Tema: Livre

A Widcyber está devidamente autorizada pelo autor(a) para publicar este conteúdo. Não copie ou distribua conteúdos originais sem obter os direitos, plágio é crime.

LEIA MAIS DESTE CONTEÚDO:

Pesquisa de satisfação: Nos ajude a entender como estamos nos saindo por aqui.

>
Rolar para o topo