capa animais racionais

VOCÊ ESTÁ LENDO:

Capítulo 54 da segunda parte

 

Carolina se mostra furiosa com a reação de Beto.

Carolina: Você vai embora de São Roque nem que seja na marra!

Beto: Eu já disse que não! Não sou covarde!

Joel: Que garoto teimoso!

Beto: Cala a boca, Joel! Não se intrometa!

Carolina: Não maltrate o Joel! Abaixe a voz e respeita! Aliás, não entendo o motivo, você reclamava que odeia o interior!

Beto: Eu odeio, realmente. Porém existe algo me prendendo: o meu namoro com a Priscila! Só saio se ela for comigo!

Carolina: Namoro? Sequer apresentou a tal mulher misteriosa! Sua vó ligou contando que engravidou a Melissa! Você é um irresponsável!

Beto: Pare! Pare de me perturbar! ― abandona o local.

Carolina: Beto! Espera!

Joel: Dá um tempo pra ele, Carol!

Carolina: Morrendo de medo, Joel! Medo do que o Rodrigo possa fazer contra o Beto!


Anoitecendo. Laura agarra Zeca na cama da residência alugada dela.

Laura: Armei o esquema com o Juca, estamos aguardando você roubar a fortuna da esfarrapada!

Zeca: Não fale de grana! Gastei um valor enorme pelo silêncio da Cacá!

Laura: A sapata vem se tornando uma pedra no caminho!

Zeca: Minha filha, Laura! Não tente encostar um fio na Cacá, entendeu?

Laura: Se quiser prosseguir do meu lado, decida qual é a sua prioridade, Zeca!

Zeca: Claro que é você! Arriscaria a pele se não te amasse, Laura? Ainda acho que deveria se esconder na capital!

Laura: Prefiro assistir de perto a Carolina e o Beto definhando…

Zeca: Apenas um conselho, pois se o Rodrigo estiver vivo, estragará tudo!

Laura: Não consigo acreditar que meu pai sobreviveu, apesar da polícia nunca ter localizado o corpo dele no incêndio, desapareceu por vinte anos!

Zeca: A Ana me garantiu que sim. Em breve você irá descobrir.

Laura: O Beto chegou! ― ao ouvir a buzina.

Zeca: Merda! Pra quê o moleque veio uma hora dessas da noite? Sorte que estacionei o carro longe!

Laura: Não faço ideia, você precisa sumir, rápido! ― escuta Beto tocando a campainha.

Zeca: Calma! A roupa! ― repara que Laura joga a calça, sapato e camisa pela janela.

Laura: Pule e se vista no quintal, anda! O Beto não pode te ver! Pula de uma vez!

Zeca: Caramba! ― se atira de cueca, recolhendo os pertences do chão.

Laura: Beto? Me acordou! ― ao abrir a porta.

Beto: Desculpa Priscila, afim de dormir com você. Insuportável o clima na fazenda!

Laura: Beleza, gatão!

Beto: Esqueça a maneira que te tratei antes, prometo que serei paciente! Não posso te perder, Priscila! Totalmente apaixonado por você! ― os lábios se escostam na boca dela intensamente.


A música eletrônica contagia os clientes da balada no centro do vilarejo. Catarina rodeia o lugar observando Moisés de DJ no alto da plataforma selecionando as melodias e Maria ocupada no caixa. Todos notam a presença de Melissa perseguindo Catarina até os fundos do camarim que Labella se trocava.

Melissa: Cacá, não adianta fugir!

Catarina: Me deixa em paz, Mel!

Melissa: Um minuto, por favor!

Labella: Perdoa a Melissa! Perdoa!

Maria: Cacá, percebemos o quanto você sofre com a separação!

Moisés: Larga de ser chata, Cacá! Todo mundo erra na vida!

Catarina: O que é isso? Um complô? Vocês se uniram com a safada da Mel?

Melissa: Olha pra maluca que te adora! Mereço uma segunda chance, hein? O que tive com o Beto foi somente um deslize… ― ao pronunciar as últimas palavras, Catarina lasca um beijão de cinema em Melissa enquanto Maria, Moisés e Labella, aplaudem gritando com alegria.

Catarina: Confesso que mesmo irritada com a traição, não tava aguentando! Desista do aborto! Meu sonho ser mãe, a oportunidade que temos pra construir um lar!

Maria: Verdade! O bebezinho não seria culpado de nada! A chance de passar uma borracha no que ocorreu!

Labella: A Cacá tá com os ouvidos doendo de tanto que enchi o saco dela pra compreender a sua situação, Mel!

Melissa: Obrigada gente, pelo apoio! Infelizmente não é possível voltar atrás, no entanto resolvi manter a gravidez!

Labella: Momento de comemorar brindando a reconciliação! Cadê o Gustavo pra trazer o champanhe?

LABELLA

Moisés: No bar servindo os clientes! Vamos pra lá!

Melissa: O que é aquilo que o Gustavo forneceu ao rapaz? ― avista Gustavo alguns metros no balcão entregando um pacote e recebendo dinheiro de uma pessoa.

Catarina: Não… Deus do céu… ― corre apressada e arranca a mercadoria. Rasga o embrulho e se assusta com as cápsulas que derruba.

Maria: Droga?

Gustavo: Me devolve, Cacá!

Catarina: Desconfiava, agora não resta dúvida! Teve coragem de nos decepcionar vendendo a porcaria da cocaína? ― segura a gola da camiseta do Gustavo.

Melissa: Arranjanos um emprego e você apronta uma baita sacanagem conosco, Gustavo?

Moisés: Imagina que encrenca se a polícia suspeitar!

Catarina: Eu pensando que você havia se transformado! Me enganou, canalha!

Gustavo: O salário miserável de garçom na espelunca não é suficiente! Vim trabalhar nesse lixo por ordem do Juca, nojo de vocês e da cambada de gay infestando a região!

Catarina: Fora daqui! Fora do meu estabelecimento, desgraçado! ― arrasta Gustavo pra saída.

Gustavo: Com alegria! Um alívio que sinto por me afastar do bando de aberrações!

Labella: Canalha! Não leva uma porrada por causa dos fregueses!

Gustavo: Sai da frente, traveco! ― empurrando Labella.

Moisés: Deixa ele! Não vale a pena se estressar com o Gustavo! Um brinde ao retorno da Cacá e Mel!


Zeca se acomoda no casarão Corais e analisa Carolina se divertindo na vitória do tabuleiro de xadrez com Joel.

Carolina: Zeca, onde se meteu, amor? Preocupada com você, não atendia as ligações!

Zeca: O celular descarregou, Carol! ― se aproxima com um selinho nela.

Carolina: Cumprimente o Joel que pretende morar conosco durante um período…

Zeca: A Maria e o Moisés me informaram da novidade! Não concordo de colocar um desconhecido entre nós! Se desejava ajudá-lo, poderia alugar um abrigo pra ele!

Carolina: Não é um desconhecido!

Joel: Jamais tinha intenção de incomodar…

Carolina: O Joel não possui parentes! A maneira que arranjei pra compensar o quanto me auxiliou no passado!

Zeca: Ok, Carol! Então estabeleça um prazo pra ele se enfiar em outro canto! Generosidade demais se infiltrar na nossa privacidade! Indo dormir, cansado! 

Carolina: Que falta de consideração! Ei! ― Zeca ignora Carolina e sobe as escadas.

Joel: Zeca tem razão. Eu não faço parte da família…

Carolina: Claro que faz parte, Joel! Não se importe com o comentário! Explico melhor depois!

Joel: Agradeço de coração, Carol! De qualquer forma, devo procurar um lugarzinho pra mim!

Carolina: Se é assim que prefere… Mas não tenha pressa! Sua companhia me consola! Estou desesperada com o Rodrigo! Não sei como convencer o Beto de se mudar da cidade!


Novo dia amanhece na casa de Melissa e Catarina que tomam café juntas.

Melissa: Tão feliz… ― abraça Catarina.

Catarina: Não consigo ficar distante de você!

Melissa: Precisamos conversar sobre a criança!

Catarina: Temos bastante meses, Mel! Ainda é um grãozinho na barriga, você engravidou há duas semanas, né?

Melissa: O calendário voa, Cacá! Ansiosa pra montar o quarto dele ou dela!

Catarina: Vou aproveitar a manhã linda pra pedalar, logo apareço pra discutirmos a questão!

Melissa: Cuidado no trânsito, mocinha!


Isadora ia ao supermercado na metrópole paulista, se lembra que não pegou a bolsa no meio do caminho. Uma surpresa desagradável ao entrar na sua moradia silenciosamente: Rodrigo e Ana se esfregando na sala.

Isadora: Que Palhaçada é essa?

Música de encerramento: The Climb – Miley Cyrus Tema: Livre

A Widcyber está devidamente autorizada pelo autor(a) para publicar este conteúdo. Não copie ou distribua conteúdos originais sem obter os direitos, plágio é crime.

LEIA MAIS DESTE CONTEÚDO:

Pesquisa de satisfação: Nos ajude a entender como estamos nos saindo por aqui.

>
Rolar para o topo