capa animais racionais

VOCÊ ESTÁ LENDO:

Último capítulo da segunda parte 60

 

Juca prossegue com o revólver na mira de Carolina.

Carolina: Zeca? Você… ― ao notá-lo na presença de Laura.

Zeca: Sim, Carol! Estou junto com a Laura! É por ela que suportei você durante vinte anos, pra conquistar a sua confiança e retirar o máximo da herança do Beto!

Carolina: Canalha…

Laura: Cala a boca! Zeca, amarre e jogue a ordinária no porta-malas!

Juca: Cadê o filhinho dela?

Zeca: O Beto está no quarto. Deixa que eu cuido do rapaz!

Carolina: Zeca, por favor! Não cometa nenhuma crueldade com o Beto!

Laura: Eu disse pra calar a boca! ― mete um tapa no rosto de Carolina.

Joel: O que vocês desejam com a Carol?

Laura: Não te interessa!

Joel: Maldita a hora que te apoei no passado… Me arrependo tanto!

Laura: Zeca, fique aí e dê uma lição no Joel!

Joel tenta pegar o celular de Carolina que caiu na grama, mas é puxado pela gola da camisa. Zeca ataca Joel e começa arrastá-lo para o jardim.

Joel: Zeca! Não, Zeca!

Zeca: Quietinho, imprestável! Ou será pior! Não imagina a vontade que tava pra te arregassar, cadeirante inútil! O Rodrigo perdeu a chance de acabar com você! ― sobe em cima de Joel, espancando com socos, além de chutes no estômago. Zeca o ergue e arremessa o coitado no arbusto de espinhos.


Na residência de Maria, Labella é recebida por Melissa que exibe a enorme barriga.

Labella: Mel, bastante arriscado se deslocar para um lugar que você não conhece!

Maria: Pra onde vão, mocinhas? ― ao reparar Melissa se acomodando no táxi com Labella.

Labella: Melhor contar, Mel.

Maria: Contar o quê?

Melissa: Eu e a Labella resolvemos conferir o endereço do papel que Gustavo largou no armário!

Maria: Você enlouqueceu, Mel? Não sabe do que se trata! Pensa na gravidez!

Melissa: Prometo que tomarei cuidado, prometo!

Maria: Não, Mel! Perigoso pra caramba!

Melissa: Desculpa, vózinha. Rápido, Labella!

Maria: Mel! Espera! Ah, meu Deus do céu!


Beto encontra Zeca e o impede de continuar a surra em Joel quase inconsciente.

Beto: Pare com isso!

Zeca: Coragem de defender o aleijado?

Beto: O Joel já apanhou demais! Pode matá-lo assim!

Zeca: É a intenção!

Beto: Não! Apesar da sacanagem que o Joel aprontou, não merece sofrer dessa maneira!

Zeca: Pois eu não tenho um pingo de pena do traste! ― abandona Beto que carrega Joel para o casarão.

Beto: Joel? Fala comigo, Joel! ― balança o corpo de Joel.

Joel: Beto… Sequestraram a Carol… A Carol… ― pronuncia com dificuldade.

Beto: O quê? Não entendi, Joel!

Maria: Beto!

Beto: Vó?

Maria: Vim por causa da Mel que foi procurar o Gustavo num local misterioso! Medo do que deve acontecer! Me ajuda, Beto!

Beto: Ligando pra Mel!

Maria: Liga! Eu não consegui convencer aquela teimosa!

Beto: Alô, Mel? Em qual encrenca você se enfiou?

Melissa: Oi, Beto! Não se preocupe que tô na companhia da Labella, quero apenas notícias do Gustavo! ― responde do outro lado da linha.

Beto: Me informa o endereço imediatamente! Se o Gustavo desconfiar que você tá investigando, pode terminar mal!

Melissa: Enviando os dados por mensagem, estamos chegando! Não precisa se estressar! Acha que sou boba? Chato!

Beto: Mel? Alô? Desligou na minha cara!

Maria: E agora? O Gustavo é completamente imprevisível!

Beto: Calma! Ela enviou um sms com detalhes. Indo buscá-la! Chame uma ambulância para o Joel!

Maria: O que ocorreu com você, Joel? ― se assusta ao analisar a situação crítica de Joel deitado no sofá. Beto se apressa dirigindo a camionete nas trilhas do interior. 


Laura e Juca levam Carolina pelo corredor do esconderijo e a empurram na parede.

Juca: Aguardei muito por vingança, Carolina. Teria uma vida de princesa, no entanto preferiu me desprezar! Torturá-la até o último suspiro, desgraçada! ― arranja um chicote entre utensílios perfurantes no canto. Laura a pendura no tronco.

Laura: Que tal? O destino que todos os negros nojentos igual a você mereciam! ― ameaça no ouvido de Carolina.

Carolina: Não me importo, só não maltrate o Beto! ― após Juca rasgar a sua roupa e lançar a primeira chicotada nas costas.

Laura: Antes de você morrer, faço questão de assassinar o Beto na sua frente! O Zeca vai trazê-lo pra nós quando eu pedir!

Carolina: Nãoooo! O Beto, não! ― resmunga enquanto o chicote sangra a sua pele.


Melissa e Labella estacionam em uma região deserta e analisam o galpão com a porta aberta.

Melissa: Que lugar horrível! ― repara curiosa.

Labella: Mel, volta!

Melissa: Negativo! Ansiosa pra descobrir o que o Gustavo esconde! Ai! ― ao sentir uma pontada no ventre.

Labella: Mel!

Melissa: A bolsa estourou, Labella! A bolsa estourou! ― senta no chão com a dor das contrações.

Laura: Que barulho é esse? ― escuta os gemidos de Melissa.

Juca: Alguém nos localizou aqui, Laura! ― segue com Laura para a saída.

Labella: Que merda!

Melissa: Nascendo, Labella! ― ouviu a pequena criatura chorar, então Melissa emocionada segura no colo.

Labella: Mel, é uma menina!

Juca: Olha, Laura! ― diante da cena e Laura vem na direção de Melissa.

Melissa: Laura? Você é a Laura?

Laura: Acertou, querida! Adoraria criar o bebezinho!

Labella: Não encosta nela! ― protege Melissa.

Laura: Sai do caminho, traveco! ― após um tabefe que apaga Labella.

Melissa: Nãooooo! Solta! Solta ela! Nãoooo! ― se desespera e Laura arranca com força de Melissa.

Laura: Me empresta a arma, Juca! ― aponta para Melissa, porém Beto aparece encobrindo Melissa. 

Beto: Não! Não, Laura! A Mel não tem nada haver com a história. Atira em mim! Repita a mesma coisa que fez com o meu pai. Atira!

Alguns segundos de silêncio no ar. Laura se recorda da época que atingiu Roberto e lágrimas escorrem.

Juca: Anda logo, Laura!

Laura desvia a posição e dispara em Juca que agoniza com o impacto do tiro no coração. Ela entrega o bebê para Beto e foge. Se esbarra em Zeca que freia perto dela.

Zeca: Laura! ― ele fornece a carona e os dois somem na pista de trânsito.

Beto devolve a criança para Melissa.

Beto: Ela te pertence.

Melissa: Nossa filha, Beto. Vou colocar o nome de Catarina.

Beto: Bela homenagem! ― beija Melissa intensamente.

Carolina: Beto! ― grita depois de conseguir se livrar sozinha e corre aos braços de Beto.


Em poucos dias, Melissa desfila magestosa em um salão, vestida de noiva. Vinha acompanhada de Joel na cadeira de rodas.

Melissa: Obrigada, Joel.

Joel: Eu que agradeço a honra, Mel. Certeza que o Moisés, se orgulharia de você!

 Melissa se aproxima de Beto no altar. Maria, Carolina com a neta e vários convidados assistem a cerimônia de casamento.


Na esquina, Laura e Zeca observavam o evento dentro de um veículo. 

Zeca: O que pretende, Laura?


Melissa e Beto trocam alianças e comemoram na chuva de arroz.

Carolina: Joel, percebeu como eles estão felizes?

Joel: Verdade. Eu ainda mais feliz porque me perdoou das besteiras que fiz. ― Carolina reage com um sorriso e aperta a mão de Joel.

Laura espiava no retrovisor Beto e Melissa entrando num carro cheio de latinhas atrás.

Laura: Vamos, Zeca! Vamos embora de São Roque. Gostaria somente de ver o Beto pela última vez. ― Zeca manobra o automóvel pra longe.

Fim por parte do autor, obrigado a todos que se dedicaram na leitura!

Música de encerramento: The Clumb – Miley Cyrus  Tema: Livre

A Widcyber está devidamente autorizada pelo autor(a) para publicar este conteúdo. Não copie ou distribua conteúdos originais sem obter os direitos, plágio é crime.

LEIA MAIS DESTE CONTEÚDO:

Pesquisa de satisfação: Nos ajude a entender como estamos nos saindo por aqui.

>
Rolar para o topo