Laura atravessa o corredor do hospital ao notar Roberto dormindo na sala de espera. Ela se infiltra na UTI, coloca as luvas descartáveis e arranca o respirador de Jorge.

Laura: Hora de acertar as contas Jorge.

Jorge: Ah… Aaah… – começa a gritar, porém é abafado pelo travesseiro que Laura pressiona no rosto.

Laura: Primeiro faço questão de confessar que matei a Helena! Eu matei a bruxa, assim como vou matar o Roberto que te ajudou a esconder toda sujeira do passado. Não desisto até acabar com o último sobrevivente da família Corais!

Jorge: Pare! Nã…. Ah… – se debate na cama.

Laura: Tão burro que não percebeu o sobrenome quando foi testemunha no casamento do Roberto… Depois de tantos inocentes massacrados… Quem se lembraria realmente? Mas o Rodrigo nunca esqueceu o que você fez há vinte anos! Estou por justiça aos que sofreram nas suas mãos! – o sufoca em alguns minutos. Jorge dá os últimos suspiros após lutar pra ter oxigênio.

Laura escuta um barulho no trinco da porta se abrindo.

Doutor Joel: Você tem que sair, rápido.


Carolina, Maria, Lúcia e Catarina chegam na rodoviária de São Roque.

Carolina: Não acredito que voltei. – desce do ônibus analisando a cidade.

Lúcia: Nem eu Carol.

Carolina: Lúcia, preferia que você ficasse comigo na residência da minha mãe.

Lúcia: Obrigada…

Carolina: Apesar das mentiras e do caso com o Eduardo, me auxiliou no momento que mais precisava na metrópole paulista. Gostaria de retribuir!


Roberto se levanta ao ver o médico Joel.

Roberto: Então doutor? Novidade da situação dele?

Doutor Joel: As notícias não são boas.

Roberto: Diga! O que aconteceu? — puxa o jaleco de Joel.

Doutor Joel: Não resistiu.

Laura: Calma Roberto… – agarra Roberto desesperado que se joga de joelhos.

Roberto: Não pode ser… Estava se recuperando… – chora cobrindo o rosto.

Doutor Joel: Infelizmente teve um ataque cardíaco e não conseguimos salvá-lo… Sinto muito.


Maria vai para a cozinha onde localiza Lúcia, Catarina e Carolina organizando os pertences das bagagens de viagem.

Lúcia: Carol, ainda acho que eu deveria me hospedar num hotel, não quero incomodar…

Carolina: Nenhum incômodo, sossega! O espaço é simples, só que cabe bastante gente. A Cacá reservou uma parte do armário pra você guardar as coisas.

Lúcia: Mesmo sabendo que não mereço, agradeço novamente. Aceito a moradia enquanto não vender a lanchonete.

Maria: Aproveite o período necessário Lúcia. E perdão de matratá-la naquele dia do acidente.

Lúcia: Entendo Maria… A senhora tinha razão, eu errei… Errei feio.

Carolina: Não vamos comentar sobre a tragédia! O assunto traz sensações horríveis.

Maria: Cacá, venha! Tenho uma surpresa pra você!

Catarina: Surpresa?

Maria: Corre! – Catarina a segue pra fora e fica admirada diante de alguém que mostra um sorriso imenso.

Catarina: Mel?

Melissa: Saudades! – se abraçam.

Catarina: Então você se arrependeu de morar na Bahia com os parentes?

Melissa: Na verdade, jamais pisei na Bahia.

Catarina: Como assim?

Melissa: Eu menti pra você Cacá. Inventamos a história. A Isadora contratou um capanga pra me apagar do mapa.

Catarina: O quê?

Melissa: Escapei por um fio.

Catarina: Ah Deus! Não imaginava…

Maria: A Isa passou dos limites, ela cometeu um crime, deveria estar presa! No entanto o Moisés e a Mel resolveram fingir que nada tivesse ocorrido.

Melissa: Desculpa te enganar Cacá, era a alternativa que restava. Temos que aguardar um tempo. 

Catarina: Aguardar um tempo?

Melissa: É a solução. Quase morri. A Isadora é louca. Vale a pena arriscar?

Maria: A Isa não pode suspeitar que a Melissa tá viva! Entendeu Cacá?

Catarina: Será um sacrifício fazer esse teatro!

Melissa: Dona Maria me contou o que houve na capital.

Catarina: Pesadelo que vivemos em São Paulo.

Maria: Melissa, melhor fugir imediatamente! A Isa aparecerá a qualquer instante do serviço!

Melissa: Antes de ir embora, socorre o meu pai, por favor dona Maria? É o motivo de vir aqui!

Maria: O Moisés?

Melissa: Depois da morte do Carlos, se tornou depressivo, bebendo sem parar na rua… O que eu faço?

Maria: Calma Mel! Cadê ele?

Melissa: Caído na esquina perto do cemitério.

Maria: Vamos buscar o barbudo teimoso e levá-lo na marra! Cacá, cuida do bar pra mim?

Catarina: Sim vó! – recebe um beijo de Melissa que se afasta junto com Maria.


Roberto e a esposa entram na fazenda Corais, o silêncio dominou a cena durante o trajeto.

Roberto: Tomar um banho, tô destruído. – resmunga abatido, cansado e de cabeça baixa.

Laura: Certo amor. Se arrume para o enterro do Jorge.

Roberto: Ok Laura. – sobe as escadas em direção ao quarto.

Após minutos rodeando a sala, Laura retira o retrato de Helena e destranca o cofre secreto. Ela ajeita o quadro no devido lugar da parede ao roubar uma bolada de dinheiro.


Isadora pisa na casa nova empurrando o carrinho de bebê carregando Ana que trouxe da creche. De repente observa Gustavo enfiando as roupas numa mala.

Isadora: O que está fazendo Gustavo?

Gustavo: Eu já sei de tudo mãe.

Isadora: Do que você fala?

Juca: O Gustavo descobriu nosso segredinho Isa. Revelei a verdade pra ele. – aparece atrás do armário.

Música de encerramento: Imagine Dragons – Believer Tema: Livre

A Widcyber está devidamente autorizada pelo autor(a) para publicar este conteúdo. Não copie ou distribua conteúdos originais sem obter os direitos, plágio é crime.

LEIA MAIS DESTE CONTEÚDO:

Pesquisa de satisfação: Nos ajude a entender como estamos nos saindo por aqui.

>
Rolar para o topo