Enquanto Carla e Maurício confabulavam contra Inácio, Eduardo chega e surpreende os dois.

Eduardo: – Bom dia, como vai Maurício?

Maurício: – Excelente dia Eduardo, ah, e esta é a nova secretária, a Carla.

Carla: – Bom dia, muito prazer seu Eduardo.

Eduardo: – Seja bem vinda Carla. Meu pai está na sala dele?

Carla: – Sim, ele pediu para não ser incomodado.

Eduardo: – Então pode deixar, eu falo com ele outra hora, bom trabalho.

O advogado vai embora sem desconfiar de nada.

 

Na lanchonete Elvis…

Marcelo e Ingrid comiam enquanto Ligia lhes fazia companhia.

Marcelo: – Humm que delícia Ligia!

Ingrid: – Que comida maravilhosa gente!

Ligia: – Dona Margarida e seu Domingos são os melhores.

Margarida: – Bondade sua Liginha!

Ingrid: – Mas não é exagero dona Margarida, tudo aqui é de muito bom gosto.

Nessa hora Billy acabara de chegar de uma entrega.

Margarida: – Billy! Filho! Vem cá.

O rapaz se aproxima.

Margarida: – Esse aqui gente é meu filho Billy, meu orgulho.

Marcelo: – Como vai?

Ligia: – Tudo bom Billy?

Ingrid fixa o olhar no rapaz e ele nela.

Billy: – Bom dia, tudo bem pessoal?

Ingrid: – Tudo ótimo. –a jovem responde quase deixando cair seu suco.

Billy se afasta e Ingrid  começa a perguntar mais sobre ele para Margarida.

Algumas horas mais tarde, no apartamento da família Silveira…

Jonas bate a porta e Verinha atende.

Jonas: – Boa tarde dona, digo Verinha, como vai?

Verinha: – Estou ótima meu querido, vamos entrar?

A perua está usando apenas um hobby e Jonas sente-se um pouco constrangido.

Verinha: – Você quer um suco, sentar um pouco?

Jonas: – Não, na verdade preciso voltar logo, onde estão os vasos de plantas?

Verinha: – Por ali meu querido, na varanda.

O rapaz se dirige a varanda e ao analisar as plantas…

Jonas: – Mas essas plantas não são de verdade.

Neste momento, Verinha está atrás dele e o surpreende.

Verinha: – As plantas não são, mas aqui tem algo bem real pra você. –a socialite tira o hobby, ficando completamente nua.

O rapaz fica estático e em seguida a toma em seus braços e a beija.

 

 

De volta à construtora Brito de Carvalho…

Maurício e Carla saem juntos para almoçar e na portaria do prédio eles encontram Graziela.

Graziela: – Oi Maurício, tudo bem?

Maurício: – Tudo ótimo Grazi.

Graziela: – Você sabe dizer se o Edu ainda tá aí?

Maurício: – Na verdade, acho que ele ainda não voltou do horário de almoço, mas deve estar próximo, ele volta antes das 15h sempre.

Graziela: – Obrigada querido, vou ligar pra ele e esperar por aqui mesmo, beijos.

Maurício: – Foi um prazer Graziela.

O casal segue para o almoço.

 

Num restaurante próximo da construtora…

Eduardo havia convidado Ligia para almoçar e a moça sem saber do estado civil do amado, aceitou.

Eduardo: – Eu quero te dizer uma coisa sabe Ligia? Mas não sei se esse é o momento certo.-o advogado segura as mãos da bela.

Ligia: – Fica a vontade Eduardo, eu também tenho algo pra te dizer já faz algum tempo.

Eduardo sorri.

Eduardo: – Olha estamos parecendo dois adolescentes, vamos fazer assim, você aceita jantar comigo outro dia e a gente fala o que tem pra falar, sem pressão, dá até pra ensaiar o que vai dizer. -risos.

Ligia: – Você sempre com uma solução pra tudo, eu aceito sim, assim a gente conversa mais a vontade.

Os pombinhos não perceberam, mas estavam sendo observados por Carla e Maurício.

Carla: – Que safada essa minha prima! Saindo com homem comprometido, depois banca a santa.

Maurício: – Essa mulher é sua prima?

Carla: – Sim, ela mora lá no cortiço comigo.

Maurício começa a fotografar Ligia e Edu de uma certa distância , sem que eles percebam.

Carla: – Mas o que você pretende?

Maurício: – Logo, logo você vai saber.

 

No carro de Marcelo, o fotógrafo e Ingrid conversam…

Marcelo: – A Carol tá super empolgada porque vai voltara pintar, a gente dá só uma passadinha lá pra ver como está tudo e depois seguimos para a agência.

Ingrid: – Ai que coisa maravilhosa Cello, sua irmã é uma artista incrível.

Ingrid mexe em sua bolsa e percebe que sua carteira não está lá.

Marcelo: – Que foi querida? Parece preocupada.

Ingrid: – Minha carteira sumiu? Acho que esqueci lá na lanchonete Elvis.

Marcelo: – Sem problemas, a gente volta para buscar.

 

Na mansão Brito de Carvalho…

A empregada que arruma a casa havia faltado e Ofélia espanava os móveis do quarto de Maria Estela, e ao abrir uma das gavetas do criado mudo, encontra um velho diário da megera e fica ali, olhando para ele querendo lembrar de onde já o conhece.

Ofélia: – Meu Deus, mas não pode ser, será?

Maria Estela a flagra olhando para seu diário.

Maria Estela: – O que você pensa que está fazendo Ofélia?

Ofélia: – Nada dona Maria Estela, só estava aqui arrumando seu quarto e achei bonita a capa desse caderno.

Maria Estela: – Restrinja sua presença apenas onde é necessário Ofélia já pode sair do meu quarto.

Após Ofélia sair, a megera segura o diário contra o peito como se li estivesse sua vida.

 

                    Fim do Capítulo

-” ”>-‘.’ ”>

A Widcyber está devidamente autorizada pelo autor(a) para publicar este conteúdo. Não copie ou distribua conteúdos originais sem obter os direitos, plágio é crime.

Pesquisa de satisfação: Nos ajude a entender como estamos nos saindo por aqui.

Leia mais Histórias

>
Rolar para o topo