VOCÊ ESTÁ LENDO:

Doces Mentiras – Capítulo 17

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on tumblr

 

Suzana conseguiu encontrar sua rival após segui-la.

Suzana: – Ei ô, tô falando contigo.

Carla: – Eu te conheço?

Suzana: – Ainda não, mas deixa eu me apresentar, eu sou a namorada do Maurício.

Carla: – Sério? Ele sabe disso?

Suzana: – É o seguinte garota, eu exijo que você deixe meu namorado em paz.

Carla: – É mesmo? E se eu não quiser?

Suzana: – Você vai se arrepender de ter se mentido entre a gente.

Carla: – Escuta aqui eu não sei quem é você, deve ser alguma aproveitadora que me viu no jornal com meu futuro marido e está querendo dar algum tipo de golpe.

Suzana ri ironicamente.

Suzana: – Meu amor, a única que está querendo ascender socialmente aqui é você, olha onde você mora.

Carla: – Eu não moro aqui, vim fazer uma visita a umas pessoas carentes que vivem nesse cortiço e quer saber me deixa em paz sua mal amada, nem te conheço!

Carla caminha em direção à entrada do cortiço e Suzana a segura pelo braço.

Suzana: – Eu ainda não terminei sua vadia!

Carla: – É melhor você me soltar sua infeliz!

Suzana: – Tá bem, mas não esquece o meu aviso hein! Deixa o Maurício em paz! A mulher que ele ama sou eu.

Suzana sai bastante descompensada.

Carla está furiosa e liga para Maurício para esclarecer a situação, mas o executivo não atende.

 

Na mansão Brito de Carvalho…

Após o almoço, Sônia pede licença às visitas e sobe para o seu quarto, pois está com uma enxaqueca terrível. Graziela e Edu se curtem no sofá da sala. Neste momento Verinha vai até o jardim e aproveita para atacar.

Verinha: – Meu Deus que pecado! –a perua fala sozinha.

Ela observava Jonas, de regata bastante justa terminando de regar algumas plantas e se aproxima.

Verinha: – Olá!

Jonas: – Oi dona Verinha, desculpa não percebi que a senhora estava aí.

Verinha: – Pode esquecer essas formalidades comigo rapaz – risos. Me chame de Verinha e você por favor, se não vou me sentir uma idosa.

Jonas: – Tudo bem dona, digo, Verinha. Como você quiser.

Verinha: – Assim é bem melhor. Olha Jonas eu moro em apartamento, mas assim, na minha varanda eu tenho alguns arranjos naturais, as coisas mais lindas. Eu até cuido direitinho, mas ultimamente minhas plantinhas estão morrendo.

Jonas: – Entendo, na verdade o cultivo sem ser direto na terra requer alguns cuidados especiais.

Verinha: – Eu creio que você seja expert nesses tipos de cuidado.

Jonas: – Bom, eu conheço algumas técnicas e produtos, de repente posso te indicar.

Verinha: – Faz assim, nesse cartão aqui tem meu telefone, me manda uma mensagem no whatsapp que daí eu salvo seu numero pra te ligar qualquer dia desses pra você ir lá em casa dá uma olhadinha e me ensinar o que você sabe sobre plantas.

Jonas: – Tudo bem estou às ordens.

Verinha está cercando o rapaz de todas as formas e vai dar o bote logo, logo.

 

Na lanchonete Elvis…

Desde cedo que Billy fazia as entregas do estabelecimento e ainda não havia almoçado.

Margarida: – Filho! Deixa essa entrega que daqui a pouco você faz. Venha almoçar.

Billy: – Não mãe, eu tô sem fome. Pode deixar, eu termino tudo aqui e depois faço um lanche.

Margarida: – Tá bem filho, mas você precisa se alimentar.

Billy: – Pode deixar mamma.

 

 

Na agência Marcelo Duarte…

Marcelo, Ligia e Ingrid fazem uma pausa após uma sessão de fotos.

Ligia: – Ingrid, como está seu irmão?

Ingrid olha para Marcelo.

Ingrid: – Está bem, eu dei o seu recado e ele ficou bastante aliviado, pois ficou bem preocupado no dia do quase acidente.

Marcelo: – O Edu é um ótimo partido viu Ligia? Pena que…

Ingrid interrompe.

Ingrid: – Pena que ele é muito ocupado, vive mergulhado no trabalho, acho que p que falta para ele mesmo é um romance.

Ligia: – Ai gente, assim eu fico com vergonha, só perguntei por que ele foi muito gentil comigo.

Marcelo: – Sei.

Ligia: – Imagina se um homem bonito como ele e rico iria olhar pra uma moça simples como eu que mora num cortiço.

Ingrid: – Nada disso, agora você é uma modelo fotográfica no início de carreira e com um futuro promissor pela frente e daqui a pouco você vai poder alugar um apê em outro local.

Ligia: – Só vocês mesmo pra me colocar pra cima, mas vamos trabalhar? –a modelo levanta e caminha em direção ao set.

Ingrid e Marcelo se entreolham e sorriem discretamente.

Ingrid não nega que detesta a cunhada e quer providenciar uma nova namorada para Eduardo.

 

Na construtora Brito de Carvalho…

Maurício termina uma reunião com Inácio e vê as ligações de Carla e retorna.

Maurício: – Oi meu amor, já está com saudades?

Carla: – Talvez. –a moça responde de maneira fria.

Maurício: – Algum problema?

Carla: – Você não me disse que tinha uma namorada.

Maurício: – Tenho você.

Carla: – Não seu idiota, uma dona aí apareceu aqui na porta do cortiço, dizendo pra eu me afastar de você e que vocês eram namorados.

Maurício: – Suzana!

Carla: – Eu não sei o nome dela, nem perguntei, só sei que ela me ameaçou e depois foi embora.

Maurício: – Aquela ali nunca foi namorada minha, ela é secretária da presidência aqui e o que tivemos foi um lance, algumas saídas, mas só.

Carla: – Ela parecia bem apaixonada.

Maurício: – É uma louca, a gente só saiu algumas vezes e ela disse que se apaixonou, esquece isso por favor.

Carla: – Não sei se eu acredito em você.

Maurício: – Vamos fazer o seguinte, pra me desculpar, que tal um passeiozinho daqueles de iate?

Carla: – Acho ótimo, talvez eu até te perdoe.

Maurício: – Então amanhã? Eu te ligo pra combinar o horário.

Carla: – Tudo bem fica esperto viu com essa mulher.

Maurício: – Pode deixar. Beijo.

O que o executivo não reparou é que Suzana ouvia sua conversa atrás de um das portas do corredor da empresa.

 

De volta à mansão Brito de Carvalho…

Verinha e Graziela já foram embora. Eduardo recebe uma mensagem de Ingrid pedindo que ele vá lhe buscar na agência mais cedo, pois seu carro foi para a oficina.

Eduardo: – Mãe, tô indo na agência, Ingrid vai sair mais cedo e o carro dela ta na oficina.

Sônia: – Tudo bem filho, dirige com cuidado.

O advogado sai para buscar sua irmã.

Sônia estava sozinha na sala e Maria Estela aparece.

Maria Estela: – E então Sônia, você ainda vai ficar com a destruidora de rosas aqui dentro desta casa?

Sônia: – A senhora não cansa? Nós duas sabemos que tia Leonor não fez aquilo.

Maria Estela: – Não faço ideia do que você está falando.

Sônia: – Esta casa pode vir a baixo, mas eu não vou permitir que internem tia Leonor. Desista minha sogra!

Sônia se retira e deixa Maria Estela furiosa.

Maria Estela: – Maldita! –resmunga para si mesma.

 

 

De volta ao cortiço…

Margarida faz uma visita a Carla.

Dulce: – Margarida, que surpresa boa!

Margarida: – Você tá melhor mulher?

Dulce: – Estou caminhando né? Liginha tem me ajudado bastante.

Margarida: – Que menina de ouro viu Dulce! E por falar nas suas sobrinhas, a Carla está?

Dulce: – Está sim, só um minuto. Carla! Carla!

Carla sai de seu quarto.

Carla: – Que foi tia?

Margarida: – Eu preciso falar com você Carla.

Carla: – Veio me agredir de novo?

Dulce: – Carla!

Margarida: – Pode deixar Dulce. Não menina, hoje eu vim em missão de paz.

 

 

 

Fim do Capítulo

 

 

 -” ”>-‘.’ ”>

LEIA MAIS DESTE CONTEÚDO:

A Widcyber está devidamente autorizada pelo autor(a) para publicar este conteúdo. Não copie ou distribua conteúdos originais sem obter os direitos, plágio é crime.

  • Novela ótima como sempre. Parabéns, Alberto! Margarida bem que podia sentar outro tapão na Carla biscate. Pobre Dulce não merece uma sobrinha dessa.

  • Novela ótima como sempre. Parabéns, Alberto! Margarida bem que podia sentar outro tapão na Carla biscate. Pobre Dulce não merece uma sobrinha dessa.

  • Pesquisa de satisfação: Nos ajude a entender como estamos nos saindo por aqui.

    Você também poderá gostar de ler:

    Você também poderá gostar de ler:

    >
    Rolar para o topo