VOCÊ ESTÁ LENDO:

Doces Mentiras – Capítulo 21

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on tumblr

 

Na construtora Brito de Carvalho…

Ao sair da sala de Inácio, Maurício dá de cara com Eduardo.

Eduardo: – Bom dia Maurício, conseguiu se explicar?

Maurício: – Não sei do que você está falando meu querido, infelizmente.

Eduardo: – Então só você não está sabendo, porque a empresa toda já sabe do fiasco que é o fornecedor que você arranjou.

Maurício: – Eduardo, meu querido, sua dor de cotovelo não vai afetar meu dia que já começou maravilhoso, ater mais.

Maurício dá uma tapinha no ombro de Eduardo e segue para sua sala.

 

No cortiço…

Carla falava ao telefone com Maurício.

Carla: – Sério? Amanhã já? Ai eu não vou pegar ônibus e nem metrô até aí tá me ouvindo?

Maurício: – Não se preocupe, vou te buscar todos os dias, aliás, você devia se mudar pro meu flat logo.

Carla: – Eu adoraria.

Maurício: – Então amanhã, as 8h da manhã eu te pego e a gente combina essa mudança.

Carla: – Meu amor, você me faz sentir a mulher mais especial desse mundo.

Maurício: – O mundo é nosso minha gata! O céu é o limite.

Os pombinhos estão certos de que vão pôr as mãos na fortuna da família Brito de Carvalho.

 

Na lanchonete Elvis…

Ainda não havia entregas para fazer e Billy estava sentando ouvindo suas músicas no fone de ouvido, quando Margarida se aproxima.

Margarida: – Filho eu tenho uma ótima notícia pra você!

Billy: – Oi mãe. –o rapaz dá um sorriso maia-boca.

Margarida: – Tava conversando com teu pai e a gente resolveu antecipar tuas férias.

Billy: – Férias? Mas ainda faltam 3 meses mãe. Quem vai fazer as entregas?

Margarida: – Já pensamos nisso também. E o melhor filho, você pode ir para o sul ficar na casa da sua tia, visitar teus primos e o resto da família.

Billy: – Não mãe, que coisa! Não sou criança pra você e papai ficarem decidindo minhas férias.

Billy, embora desiludido, permanece irredutível em aceitar a proposta da mãe.

 

No apartamento de Carolina…

A artista plástica já havia terminado o almoço e estava de saída quando Alexandre chega.

Alexandre: – Pra onde você vai assim?

Carolina: – Estou indo para o espaço onde funcionava o ateliê, comprei um material para começar a trabalhar e já devem estar indo fazer a entrega.

Alexandre: – Já tá se achando muito importante não é Carol? Espero que tenha feito pelo menos o almoço.

Carolina: – Não se preocupe querido, a comida está sobre o fogão, agora estou atrasada, beijo!

Carol parece ter recebido um novo fôlego de vida, sente-se animada e nem o machismo e o mau humor de Alexandre estragarão as coisas.

 

 

Na mansão Brito de Carvalho…

Na cozinha, Ofélia aconselha o filho.

Ofélia: – Meu filho, uma coisa está me preocupando.

Jonas: – Que foi mamãe?

Ofélia: – Jonas, eu quero que você evite ficar sozinho com dona Sônia no jardim.

Jonas: – Não estou entendendo mamãe, mas por quê?

Ofélia: – Já presenciei por duas vezes dona Maria Estela observando vocês pela janela.

Jonas: – Continuo sem entender mãe, não estávamos fazendo nada demais e dona Sônia é uma mulher digna e honesta.

Ofélia: – Mesmo assim Jonas, dona Maria Estela é uma mulher muito ardilosa.

Jonas: – Bom mamãe, eu não vejo motivo para tal afastamento, mas, eu sempre segui seus conselhos e vou te obedecer com toda certeza.

Ofélia: – Vai ser o melhor querido. Eu só queria não saber tanto a respeito desta família.

 

Na sala de estar da mansão…

Sônia lia uma revista no sofá e ao seu lado tia Leonor penteava os cabelos.

Leonor: – Minha querida, você acha que devo colocar um laço de fita? Ernesto sempre diz que eu sou a irmã mais bonita que ele tem. O que você acha?

Sônia: – Ernesto tinha razão, você é linda tia Leonor.

Leonor: – Pena que ela mandou ele ir embora, ela levou meu irmão pra longe.

Sônia fica pensativa com a fala de tia Leonor.

Sônia: – Ela quem tia Leonor?

Leonor: – Estelinha. Ela levou meu irmão embora e ele nunca mais voltou.

Maria Estela já ouvia a conversa há um tempo e nessa hora interrompe.

Maria Estela: – Eu não sei o que é pior Sônia, se é a Leonor delirando ou você aqui dando ouvidos aos devaneios dela.

Sônia: – E porque ela diz essas coisas sobre você?

Maria Estela: – Leonor nunca aceitou meu relacionamento com o irmão dela, sempre foi cismada comigo.

Sônia: – Devia ter suas razões não é? Se me dão licença.

Sônia coloca a revista em cima da mesa de centro e sai.

Maria Estela olha para tia Leonor e toma a escova com que ela penteava seus cabelos.

Maria Estela: – Me dá isso aqui sua maluca! Sempre falando demais não é infeliz?

Leonor: – Estelinha você está muito brava.

Maria Estela: – Você não viu nada.

A megera quebra ao meio a escova de cabelos da cunhada.

 

Após o almoço, Eduardo resolve passar perto da casa de Ligia e o rapaz fica surpreso ao vê-la na rua, próximo ao cortiço, vendendo doces com sua tia.

O advogado pára o carro e se aproxima.

Dulce: – Pois não senhor, fique a vontade, temos doces de frutas fresquinhos, trufas caseiras, quindim, cocada…

Eduardo está hipnotizado olhando para Ligia que está atendendo outro cliente e ainda não o viu.

Dulce: – Moço! Moço!

Eduardo: – Desculpa, eu vou querer um de cada, pode embrulhar pra viagem.

Dulce: – Eu não te conheço moço?

Nessa hora, Ligia toma um susto ao vê-lo ali.

Ligia: – Oi Eduardo, tudo bem?

Eduardo: – Tudo sim, que surpresa te encontrar aqui!

Ligia: – Era isso que eu fazia antes de ser modelo , e como tô de folga vim ajudar a tia hoje. Aliás, tia esse é o Eduardo.

Dulce: – Oi seu Eduardo!

Eduardo: – Como vai dona Dulce?

Dulce: – Tudo ótimo meu filho, graças a Deus.

Ligia: – E você Eduardo, tá perdido por aqui?

Eduardo disfarça.

Eduardo: – Na verdade, eu vim buscar uns contratos aqui perto, tava almoçando e passei aqui por acaso.

Os dois se olham e sorriem, enquanto Dulce os observa.

 

Algumas horas mais tarde no cortiço…

Carla não saiu o dia todo e da janela, ela vê Rodrigo, o sobrinho de Glória saindo do mesmo carro que veio buscá-lo no outro dia.

Rodrigo entra no cortiço e deixa cair do bolso uma corrente de ouro. Quando ele entra em casa, Carla vai lá e pega a corrente do meio do pátio.

Carla: – Humm… Parece ouro de verdade. –fala sozinha, enquanto analisa a joia.

 

No dia seguinte…

Carla chega à construtora Brito de Carvalho, acompanhada de Maurício e após passar pelo setor pessoal, já começa a trabalhar de imediato.

Maurício: – Esta é sua mesa, aquela porta a sua frente é a sala de Inácio. Não se preocupe com nada, já combinei com a Magda, a minha secretária para receber todas as ligações de hoje e direcionar para o velho.

Carla: – Sim, mas o serviço aqui é só ligações?

Maurício: – Claro que não, mas como hoje é seu primeiro dia, a Magda vai te auxiliar nas ligações e questões burocráticas. Boa sorte meu amor! Tenho que ir!

 

Inácio ainda não havia chegado e de repente, o empresário aparece na frente de Carla que arrumava sua mesa de costas para ele.

Inácio: – Bom dia!

O empresário faz um raio x completo na moça.

Carla: – Bom dia Dr. Inácio, eu sou Carla, a nova secretária.

Inácio: – Excelente!

Em tom sério, o empresário segue para sua sala.

 

 

Fim do Capítulo

-” ”>-‘.’ ”>

LEIA MAIS DESTE CONTEÚDO:

A Widcyber está devidamente autorizada pelo autor(a) para publicar este conteúdo. Não copie ou distribua conteúdos originais sem obter os direitos, plágio é crime.

  • Meu Deus, que site lindíssimo. Eu não li o capítulo, mas dá um gosto navegar por esse blog porque ele é o blog mais lindo que já visitei.

  • Meu Deus, que site lindíssimo. Eu não li o capítulo, mas dá um gosto navegar por esse blog porque ele é o blog mais lindo que já visitei.

  • Pesquisa de satisfação: Nos ajude a entender como estamos nos saindo por aqui.

    Você também poderá gostar de ler:

    Você também poderá gostar de ler:

    >
    Rolar para o topo