VOCÊ ESTÁ LENDO:

Doces Mentiras – Capítulo 30

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on tumblr

No flat de Maurício…

O executivo e Carla comemoravam a vitória sobre Eduardo e Vicente.

Maurício: – Você precisava ver a cara do Inácio todo contente pelo nosso noivado, ele ofereceu até o jantar na mansão dos Brito de Carvalho.

Carla: – Sério? E você aceitou não é?

Maurício: – Claro que sim! Agora é a hora de manter o velho mais perto da gente e se entrosar com a família dele.

Carla: – Ai, já posso até imaginar, eu toda trabalhada na elegância, cheia de joias e dona da fortuna desses idiotas.

Maurício: – Isso minha rainha, isso, sonha alto vai, aquilo tudo vai ser nosso!

Os dois brindam e se beijam.

Na lanchonete Elvis…

Eduardo contou para Ligia que seu pai havia o expulsado de casa, mas não foi claro em relação ao motivo.

Ligia: Nossa amor, que chato isso! Mas será que vocês não podem conversar e se acertar? Afinal ele é seu pai.

Eduardo: – Acredito que não sabe Ligia? Meu pai e eu nunca fomos grandes amigos e agora com essa história dele querer controlar minha vida, a situação já estava insustentável.

Ligia: – Bom, mesmo assim eu torço pra que fique tudo bem entre vocês, afinal, família é pra sempre.

Eduardo: – Obrigado meu amor, você tem razão, mas, por agora eu só quero uma coisa que vai me fazer muito feliz.

Ligia: – O que?

Eduardo: – Um beijo teu.

Ligia: – Sempre. –risos.

O casal apaixonado se beija ali mesmo sob os olhares atentos de dona Margarida que está do outro lado do balcão.

Margarida: – Olha ali filho, olha, aquele é o novo namorado da Liginha.

Billy: – Sim mamãe, deixe eles, a senhora hein!

Margarida: – Mas olha como fala comigo menino! E você sabia que a Liginha veio aqui fazer uma reserva de mesas para o aniversário do patrão dela lá, o fotógrafo e você sabe quem vem também?

Billy: – Deve vir muita gente mamãe, sei lá.

Margarida: – Aquela moça bonita que esqueceu a carteira aqui e que vocês não paravam de se beliscar com os olhos.

Billy: – A Ingrid?

Margarida: – Tá vendo, olha só, já sabe até o nome dela!

Billy: – Imagina mamãe se uma moça rica e bonita que nem aquela daria bola pra mim.

Margarida: – Filho, não se coloca pra baixo! Você é lindo, gentil, trabalhador, que mulher não se interessaria por você.

Billy: – Não sei mamãe, não tenho sorte no amor.

Margarida: – Amor não é procura, ele é encontro. Você não precisa procurar, ele chega sozinho e sem avisar.

Billy fica pensativo com os conselhos da mãe.

 

Na mansão dos Brito de Carvalho…

Na mesa de jantar o clima era de silêncio e quietude.

Inácio: – Todo mundo perdeu a língua aqui?

Maria Estela: – É assim filho, há tempos que você não toma as rédeas nessa casa e quando toma uma decisão tem que ser duramente criticado.

De cabeça baixa, Sônia ergue o olhar por um instante para Inácio e Maria Estela.

Inácio: – Vai ficar assim por quanto tempo Sônia?

Sônia se levanta e sobe para o quarto sem dar uma palavra.

Maria Estela: – Eu não sei por que ainda dou minha opinião.

Inácio: – Já chega mamãe, não quero mais falar sobre isso, perdi o apetite.

O empresário também se retira da sala de jantar.

 

Na manhã seguinte, no ateliê de Carolina…

Alexandre chega furioso ao ateliê querendo tirar satisfações com Carolina.

Alexandre: – Que palhaçada é essa Carol? – segurando a intimação da queixa que ela prestou na delegacia.

Carolina: – Alexandre vai embora.

Alexandre se aproxima da esposa tentando intimidá-la, mas é surpreendido por Marcelo.

Marcelo: – Você não escutou o que ela disse seu infeliz!

Alexandre: – Ah então você chamou esse, esse…

Marcelo: – Esse o que? Esse gay, bicha, viado? Chama do que você quiser, mas se você encostar um dedo na minha irmã de novo eu arranco cada dedo da tua mão imunda, um a um.

Alexandre: – Nossa. –risos. – Eu tô morrendo de medo de você sabe?

Marcelo ri ironicamente e acerta um soco no nariz de Alexandre que vai ao chão.

Carolina: – Não Marcelo! Por favor! Pára.

Marcelo: – Vai embora daqui seu desgraçado.

Alexandre se levanta limpando o nariz ensanguentado e ameaça.

Alexandre: – Você vai se arrepender sua bicha desgraçada e você sua vadia, não encosta em mim!

Carolina: – Alexandre, espera, vamos conversar!

Marcelo: – Deixa esse verme minha irmã!

 

Na mansão dos Brito de Carvalho…

Maria Estela saia de seu quarto e viu tia Leonor se aproximando das escadas.

Leonor: – Bom dia Estelinha, vamos ao jardim? Ernesto não vai mais voltar, você mandou ele pra lá ó. –apontando para baixo.

Maria Estela: – Cala essa boca sua maluca! Que inferno! Toda vida a mesma história!

Leonor: – Eu sei Estelinha, meu irmão não vai mais voltar, a culpa é sua!

Tia Leonor sempre diz coisas confusas, mas Maria Estela está disposta a se livrar da cunhada para encobrir algo que não quer que ninguém saiba.

Maria Estela: – Mandei você calar essa boca!

Sem que ninguém veja e num impulso muito rápido, a megera empurra Leonor escada abaixo e começa a gritar.

Maria Estela: – Socorro! Alguém, meu Deus que tragédia! Sônia! Ofélia!

 

Fim do Capítulo

-” ”>-‘.’ ”>

LEIA MAIS DESTE CONTEÚDO:

A Widcyber está devidamente autorizada pelo autor(a) para publicar este conteúdo. Não copie ou distribua conteúdos originais sem obter os direitos, plágio é crime.

  • É isso aí, xará! Mete um corretivo no Alexandre, que ele merece. ???
    Pobre Leonor. Maria Estela merece o pior final, megera maldita.
    Um dos melhores capítulos até hoje, Alberto ???

  • É isso aí, xará! Mete um corretivo no Alexandre, que ele merece. 👏👏👏
    Pobre Leonor. Maria Estela merece o pior final, megera maldita.
    Um dos melhores capítulos até hoje, Alberto 👏👏👏

  • Pesquisa de satisfação: Nos ajude a entender como estamos nos saindo por aqui.

    Você também poderá gostar de ler:

    Você também poderá gostar de ler:

    >
    Rolar para o topo