VOCÊ ESTÁ LENDO

Falsas Juras – Capítulo 29: Últimas Semanas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Cena 1- Casa dos Silva / Sala // Int / Noite

Continuação imediata do capítulo anterior.

Jonathana chorar: Eu só espero que vocês me aceitam como eu sou, só isso.

Suzana: Fala logo, estamos aflitos.

Jonathan: Pai, pessoal, eu… eu sou… eu sou gay. É isso, eu me descobrir, eu me apaixonei por outro homem.

Otávio surpreso: Como? Que história é essa Jonathan? Isso por acaso é alguma brincadeira?

Jonathan: Não pai, eu me descobri, apenas isso. Eu me apaixonei por um homem.

Suzana: Ah filho. Não se preocupe com isso, se vocês se gostam, se amam de verdade. Já está valendo.

Otávio: Como você pode apoiar uma baixaria desta? Meu Deus, não podia vir de uma pessoa diferente né? Afinal foi você quem fugiu para ser atriz. É você quem está incentivando a Sofia nesta baixaria e agora vai incentivar está faltando de vergonha.

Jonathan: Pai por favor…

Sofia: Olha pai, o senhor está me saindo um ótimo de um preconceituoso.

Otávio: Chame do que quiser mas eu jamais vou aceitar uma baixaria desta. Jamais.

Jonathan: Quer dizer que o senhor não vai me apoiar? Pai, eu preciso de vocês, eu estou sozinho agora.

Otávio: Não conte comigo para isso, aliás, se você quer insistir nesta pouca vergonha eu vou falando logo que aqui dentro da minha casa eu não aceito isso.

Suzana: Você está expulsando o garoto de casa Otávio é isso? Você não aprende?

Otávio: Cala a boca Suzana, você não tem o direto de me dar lição de moral.

Suzana: Eu posso ter errado Otávio, posso ter deixado meus meninos para trás mas em uma coisa eu sei que sou bom. Eu apoio meus filhos, e estou disposta a apoia-los em qualquer que seja a decisão deles.

Otávio: Eu não vou apoiar isso.

Jonathan: Então é isso, o senhor está me mandando embora?

Otávio: Você escolhe, mas digo que aqui na minha casa com esta pouca vergonha você não fica.

Sofia: Pai, por favor.

Otávio: Não me amola Sofia, eu já aceitei coisa demais, mas essa não. Isso jamais.

Jonathan: Deixa Sofia, pode deixar, se é assim que ele quer assim será, eu vou arrumar minhas coisas e sair desta casa, eu não quero viver embaixo do mesmo teto de um preconceituoso.

Suzana: Você pode ir para minha casa se quiser filho.

Jonathan a encara: Não fique você achando que porque me defendeu aqui que eu te perdoei. Eu não quero viver com você também, eu vou arrumar outro lugar.

Ele entra para o quarto. Suzana e Otávio trocam olhares ameaçadores.

Frida: Jonathan gay, quem diria. – ela sorri.

Cena 2- Apto de Fernando / Sala / Int / Manhã

 

Tomás está em pé com as malas prontas. Ele encara Fernando.

Tomás: Então é um adeus.

Fernando: É Tomás, não dá mais. É melhor que seja assim.

Tomás: Depois de tudo que eu fiz por nós, Fernando. Depois de tudo que passamos, tudo que fiz por você. Lembra do que eu fiz para que você ficasse no Brasil?

Fernando: Eu lembro sim, Tomás. Eu sou muito grato a você por isso. Mas infelizmente gratidão não sustenta relacionamento.

Tomás: Tudo bem, eu vou embora, eu vou te esquecer, por mais que isso doa, mas vou te esquecer.

Fernando: Me desculpe, eu não queria que fosse assim.

Tomás nada diz, ele sai. Close em Fernando que suspira aliviado.

Cena 3- ONG Tuquinha / Diretoria / Int / Noite

 

Daniela arruma a sala. Ela cantarola.

Daniela: Vou deixar tudo arrumadinho Kelly, eu sei que você virá para cá muito breve. – sorri.

Suzana entra: Atrapalho? Ou você está muito ocupada conversando sozinha? – sorri.

Daniela: Você não atrapalha, pode entrar.

Suzana: Eu posso saber o motivo de tanta felicidade?

Daniela: A Kelly, ela acordou, finalmente.

Suzana: Ela acordou? Graças a Deus, que bom.

Daniela: Pois é, também acho.

Suzana: E já podemos falar com ela?

Daniela: Talvez amanhã, não sei, vou lá amanhã pela manhã para saber. Ela precisa saber muita coisa.

Suzana: Eu quero ir com você, por favor me espere.

Daniela: Tudo bem, nós iremos juntas.

As duas sentam e continuam a conversar.

Corta para.

 

Cena 4- Apto de Exdras / Sala / Int / Noite

 

Exdras e Cauã estão sentados no sofá.

Cauã: Até quando a mamãe vai ficar naquele lugar pai?

Exdras: Eu não sei filho, desta vez sua mãe foi longe demais.

Cauã: Porque ela foi fazer isso?

Exdras: Mente fraca, não pensa antes de falar, tudo isso contribuiu para que sua mãe acabasse lá.

Cauã: O senhor já falou com o advogado?

Exdras: Já sim, ele disse que vai tentar um habeas corpus para vê pelo menos se ela espera o julgamento em liberdade.

Cauã: Tomara que ele consiga, minha mãe deve tá sofrendo naquele lugar.

Exdras: Nem imagine o quanto. – ele abraça o filho – não se preocupe, ela vai sair de lá logo, logo.

Nos dois abraçados. Corta para.

Cena 5- Cabana no meio do mato / Int / Noite

 

Felipe desperta com água no rosto. Ele suspira forte. Na sua frente Heloísa sorri ao encara-lo.

Heloísa: Bem vindo de volta meu amor.

Felipe: Me larga, me solta. O que você vai fazer comigo?

Heloísa: Eu vou me divertir um pouco com você, mas isso depois antes acho que você merece sofrer um pouco.

Heloísa desce um tapão no rosto de Felipe.

Heloísa: Isso é por me enganar.

Ela desce outro tapa: E isso aqui é por tentar me matar.

Ela desce mais um tapão: E isso, é por ter arrumado tudo que era meu.

Felipe bufa: Sua vagabunda, ordinária. Viúva dos infernos, você vai me pagar, eu vou acabar com você com minhas próprias mãos.

Heloísa: Sinto muito querido, mas daqui você só sai pro inferno. – ela sorri – você vai provar de tudo que me fez passar, Felipe.

Felipe: Eu devia ter acabado com você quando tive oportunidade.

Heloísa: Pois é, mas agora chegou a fez do rato comer o gato. Você vai pagar Felipe, pagar caro.

Aída entra com alguns botijões de gasolina.

Heloísa: Este é o seu destino, fogo, ardor… – ela sorri.

Felipe se desespera ao ver Aída com os botijões.

Felipe: Ela, é a nova secretária.

Heloísa: Partes do meu plano de vingança. Você caiu Felipe, chegou minha vez de tripudiar.

Em Felipe desesperado. Corta para.

Cena 6- Apto de Fernando / Sala / Int / Noite

 

A campainha toca.

Fernando: Será que o Tomás esqueceu alguma coisa?

Ele abre a porta.

Fernando: Jonathan? O que… o que você está fazendo aqui?

Jonathan: Eu posso ficar aqui, pelo menos uma noite? – diz choroso.

Fernando: Claro, mas o que houve? Seus pais não te aceitaram?

Jonathan: Meu pai, ele me disse coisas horríveis, ele me expulsou de casa. – chora.

Fernando: Senta, por favor. Eu vou pegar um copo com água para você.

Jonathan senta. Fernando trás um copo com água e entrega a ele.

Jonathan bebe: Obrigado. Eu não tenho para onde ir, será que…

Fernando: Você pode ficar aqui o quanto quiser.

Ele senta ao lado de Jonathan e o abraça.

Fernando: seu que é difícil, mas, eu quero que saiba que pode contar comigo.

Jonathan: Obrigado.

Fernando: E sua mãe, o que ela diz.

Jonathan: Ela ficou de boa, só meu pai que… eu não quero nem pensar nisso.

Fernando: Não acha que é agora que você tem que se reconciliar com sua mãe?

Jonathan: Porque você acha isso? Não quer que eu fique aqui?

Fernando: Não é nada disso, só acho que ela quer se redimir, ela está disposta a voltar atrás.

Jonathan: Eu não tenho cabeça para isso agora Fernando, agora não. Isso tá mexendo muito comigo, eu só quero ficar em paz. Só isso.

Fernando: Você pode contar comigo viu, quando achar que estiver pronto do falar comigo que irei te ajudar.

Ele o beija.

Corta para.

 

Cena 7- Rio de Janeiro / Ext / Manhã

 

Ao som de Enrique Inglesias – Duele el corazon Ft. Wisin chega um novo amanhecer na cidade carioca. É uma manhã bem iluminada e alegre.

 

Corta para.

 

Cena 8- Hospital / Quarto de Kelly / Int / Manhã

 

Daniela entra no quarto. Kelly sorri ao vê-la.

Daniela: Você não sabe como fico feliz ao te ver acordada novamente.

Kelly sorri, uma lágrima rola de seu rosto: Como é bom estar viva minha amiga.

Daniela: Acho bom você ficar bem viva mesmo, eu não estava aguentando levar a ONG sozinha não. – sorri.

Kelly: Tudo que eu mais quero é poder sair daqui é voltar para minha, ou melhor, nossa ONG. – ela fica séria – e o Marlon? Como ele está?

Daniela: O Marlon, bem ele…

Kelly: Ele morreu não foi? Pode falar.

Daniela: Ele não resistiu ao acidente, eu sinto muito.

Kelly: Quem diria que minha vida fosse transformar neste inferno todo. – ela chora.

Daniela: Não diz isso, podia ser pior, você podia ter morrido, mas olha pelo lado bom, você está aqui, está viva.

Kelly: O que será de mim agora? Eu não tenho mais forças para recomeçar. Quando eu lembro de tudo que eu passei, tenho vontade de desistir de viver.

Daniela segura sua mão: Não diz isso, eu estou aqui, sou sua amiga e quero ter você para sempre ao meu lado. Pode contar comigo, eu vou te ajudar a recomeçar sua vida.

Kelly: Obrigado por esta sempre ao meu lado.

Daniela: E eu não pretendo desligar de você nunca, entendeu? Nunca.

Kelly: Aí de você se quebrar este juramento. – sorri.

Daniela: Por falar nisso, tem alguém aqui querendo falar com você.

Kelly: Alguém? Mas, quem é?

Suzana entra: Lembra de mim?

Kelly: Eu não acredito no que meus olhos vêem? – diz incrédula.

Suzana: Pois acredite, sou euzinha. Susana sua velha amiga de teatro, lembra?

Kelly: Claro que eu lembro. – sorri.

Suzana: Eu preciso falar com você, é algo sério.

Daniela: Bem, eu vou deixar vocês a sós. Qualquer coisa estarei ali fora.

Kelly: Pode deixar.

Daniela sai.

Kelly: O que houve Suzana? O que você fez?

Suzana: É sobre a menina Kelly, eu decidi falar toda a verdade.

Em Kelly surpresa. Corta para.

Fim do Capítulo 29

Continua.

-” ”>-‘.’ ”>

Atenção: A Widcyber tem a autorização do autor para publicar este conteúdo.

cropped-wid-1.png

NAVEGAR

>
error: Este conteúdo é protegido! A cópia deste conteúdo não é autorizada em virtude da preservação de direitos autorais.
Rolar para o topo