Flor do Campo

VOCÊ ESTÁ LENDO

Capítulo 04

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

NAVEGAR

Novo dia, nova manhã, novo raiar do sol. Terna mais uma vez vai executar sua tarefa preferida, ensinar  seus alunos. E na estrada rumo a escolinha, professora e alunos encontram com Bento que está indo para o curral.

BENTO: Bom dia Terna! Como você está?… Bom dia meninada!

TERNA: Bom dia Bento! Eu estou bem e você?… Pronto pra iniciar sua lida diária com o gado?

BENTO: Sim, estou pronto. Gosto de fazer o que faço.

TERNA: Eu também amo minha profissão. Estar com essa turminha aqui é bom demais e me realizo.

BENTO: Tô precisando falar com você, mas…

TERNA: Mas o que Bento?… É um assunto particular?

BENTO: Sim. Mas é difícil pra falar.

TERNA: Olha te espero hoje no fim do dia lá porteira de minha casa, pra gente conversar.

BENTO: Tá bom. Preciso abrir meu coração.

Compromisso feito. Agora seguem cada um para cumprir com suas obrigações.

 

Artur, monta em seu cavalo e vai até a mercearia, ter-se com Sofia. E a jovem está limpando a área que fica enfrente ao comercio .

ARTUR: Bom dia Sofia! Como passou de ontem?

SOFIA: Bom dia Artur. Passei bem. Porém assustada com a ação do caxeiro.

ARTUR: Esquece o acontecido. Ao ser surpreendido, ele ficou assustado, com medo. Não vai ter coragem de se aproximar de você de novo.

SOFIA: Tô com uma vontade de falar para os meus pais o que ele fez.

ARTUR: Melhor não! Isso só vai trazer problemas para seus pais… Sabe, tenho pensado muito em você. Gosto de você de uma maneira especial.

SOFIA: Também gosto de você!

ARTUR: Você aceitaria namorar comigo?

SOFIA: Até aceitaria, mas tem um problema.

ARTUR: Que problema Sofia?

SOFIA: Eu sou pobre e você é rico. Eu e minha família somos empregados de seu pai. Esse namoro não vai dar certo!

ARTUR: Vai dar certo sim. Basta você querer. Além do mais, dinheiro não é amor. E não vejo você e sua família como empregados e sim como pessoas  trabalhadoras que merecem  ser respeitadas e tratadas com igualdade.

SOFIA: Deixa eu pensar primeiro, depois te dou uma resposta.

ARTUR: Tudo bem! Mas quando estiver pensando coloque o amor na frente, não as condições financeiras. No fim do dia eu volta pra saber sua resposta.

SOFIA: Tá bom. Agora vou entrar.

 

Loló, aquele moleque que todo mundo manda nele, tem o compromisso de procurar Rosa e passar o recado de Romeu a ela.

LOLÓ: (chega na casa de Rosa) Rosa! Oh Rosa! Roooosaaa!

MARGARIDA: (chega na janela) Que foi Loló? Tem alguém morrendo? Com um escândalo desse só pode ser isso.

LOLÓ: Ninguém morreu não Margarida. A Rosa tá aí? Preciso falar com ela.

ROSA: (Rosa sai pela porta) O que você quer ?

LOLÓ: Vem cá. Ninguém pode ouvir não. Tenho um recado pra você.

ROSA: Para de coisa moleque. Quem mandou recado e que recado é esse?

LOLÓ: É o Romeu, o motorista da carreta que busca os bois na fazenda.

ROSA: O que ele quer comigo?

LOLÓ: Não sei, ele pediu pra te falar que quer conversar com você quando ele voltar aqui na fazenda.

ROSA:T á bão, pode ir embora, quando ele chegar  eu vou lá.

 

Todas os domingos tem  missa na igrejinha, e como é de costume, todas as  sextas-feiras o padre Zeca vai até a escola.

PADRE ZECA: Dá licença professora Terna?

TERNA: Claro padre. Entre! Já esperava pelo senhor. Afinal hoje é sexta-feira.

PADRE ZECA: Oi crianças… A professora deixa eu dar  o meu recadinho.

TERNA: Sim padre. Fique a vontade.

PADRE ZECA: Crianças  avisem aos papais de vocês que domingo, teremos a missa, quero que todo mundo vai para a igreja. O horário é o mesmo. Tá bom? Não esqueçam… Obrigado Terna.

TERNA: Eu é que agradeço padre Zeca. Todos nós iremos à missa. Né crianças?

CRIANÇAS: Siiiiimmmmmm

 

Ao sair da escola e pegar a estrada de volta para a igreja, padre Zeca encontra com Loló.

PADRE ZECA: Olá meu filho. Tudo bem?

LOLÓ: Oi padre. Tudo bem sim.

PADRE ZECA: Você está indo pra onde filho?

LOLÓ: Estou voltando da casa de dona Jozefa. Fui dar um recado para Rosa.

PADRE: Recado? Está acontecendo alguma coisa na casa de seu Orlando.

LOLÓ: Não! Não era recado de seu Orlando. O recado  era de Romeu, o motorista da carreta.

Sabendo dos ideais e atitudes de Rosa e ao saber que era um recado de um homem de fora, para a moça, o padre continua indagando a Loló.

PADRE ZECA: Mas o que ela quer com ela?

LOLÓ: Não sei padre. Só sei que eles vão se encontrar hoje, quando ele chegar para conversarem.

Loló seguiu de volta para a casa de Orlando e o padre continuou seu retorno para a igreja.

PADRE ZECA: (fala consigo mesmo) Isso não está me cheirando bem. Esse homem tá planejando algo e quer ter Rosa como sua cumplice.

 

No próximo capítulo veremos o que se trata a conversa de Romeu e Rosa.

Continua….

Atenção: A Widcyber tem a autorização do autor para publicar este conteúdo.

cropped-wid-1.png

NAVEGAR

>
error: Este conteúdo é protegido! A cópia deste conteúdo não é autorizada em virtude da preservação de direitos autorais.
Rolar para o topo