Flor do Campo

VOCÊ ESTÁ LENDO

Capítulo 01

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

NAVEGAR

O dia surgiu com uma linda alvorada da noite passada, na fazenda Flor do Campo. E  o surgir do sol desperta a todos que fazem parte daquele ambiente desprendido de toda e qualquer ganância e ambição. Cada um se põe a cuidar de seus afazeres.

      Terna, sai em direção à escolinha onde trabalha e em cada casa por onde  passa,as crianças a acompanha em direção ao aprendizado.

TERNA: Vamos crianças,está na hora de começar a nossa aula. Não podemos perder tempo, a vida é curta.

     E assim professora e alunos seguem pela estrada da fazenda cantarolando ansiosos pelo que irão ensinar e aprender. O padre Zeca, que está na porta da igreja, abençoa a professora e a seus alunos.

TERNA: A benção padre Zeca.

PADRE ZECA: Que o dia de vocês todos sejam cheio de bênçãos e que possam estudar bastante crianças.

      E a caminhada em direção a escola continua e ao passar enfrente a mercearia…

ONOFRE: Eta criançada animada.

TERNA: Bom dia seu Onofre.

ONOFRE: Bom dia professora Terna

ONOFRE: Eu e Santa queremos dar uma balinha para cada uma dessas lindas crianças.

SANTA: Vocês são o futuro do nosso Brasil.

TERNA: Verdade. Quem sabe de entre esses alunos pode sair um futuro presidente da República.

ONOFRE: Isso mesmo.

TERNA: Vamos crianças!

A caminhada continua…

      Da varanda da casa sede da fazenda, Carmosa, fica observando a sobrinha cheia de entusiasmo com a profissão escolhida.

CARMOSA:Como a minha sobrinha fica feliz em meio a estas crianças.

DOLORES:Minha filha fez a escolha certa.Faz o que gosta.

ORLANDO: Ver nossa menina feliz é o meu maior prazer.

CARMOSA: Como eu não me casei e nem tive filho,darei para meus sobrinhos a minha parte na fazenda.Terna e Artur são como filhos meus.A felicidade deles me basta.

ORLANDO: Falando nisso,acho que nós dois já podemos começara olhar essa questão de doações,pois já estamos ficando velhos,é hora deles começarem a trabalhar para eles mesmos.

CARMOSA: Como já disse,não tenho marido e nem filhos,então tudo o que é meu será de meus sobrinhos queridos,Terna e Artur.Vamos sim fazer aos doações.

A fazenda cria gado bovino para corte e o responsável por cuidar e supervisionar a boiada, é Martinho. Homem de confiança de seu Orlando.

MARTINHO: (cavalgando com seu filho Bento) Agora que a professora Terna e seus alunos já estão na escola,podemos tocar a boiada até a outra manga.Não tem mais perigo.

BENTO: Terna é uma professora muito carinhosa.Todos os pais gostam dela como professora.

MARTINHO: Seu Orlando e dona Dolores deram sorte com os filhos que têm.Artur também é um bom rapaz.

BENTO: Os dois são sortudos.Uma fazenda deste tamanho pra ser dividida com os dois.

MARTINHO: E herdarão a parte de Carmosa,que herdou parte desta fazenda e não se casou,não teve filhos e deixou o irmão ,seu Orlando cuidar de tudo.

      Então, pai e filho executam suas tarefas conversando .

Na fazenda,também mora Josefa e sua duas filhas,Rosa e Margarida.Seu marido morreu de um mal súbito.Após a morte do marido,seu Orlando deixou que mãe e filhas continuassem a morar na fazenda.

ROSA:não vejo a hora de sumir daqui desse mato.

MARGARIDA:Sumir pra onde minha irmã?Nosso lugar é aqui.

JOSEFA: Devemos sempre ser gratas a seu Onofre e dona Dolores,por deixar a gente morar aqui.

ROSA:Que futuro teremos vivendo aqui nesse fim de mundo?Não quero ficar igual essa professorinha ,Terna,aqui isolada de tudo.Uma hora subirei na boleia de um caminhão desses compradores de boi e vou me embora daqui.

JOSEFA: Que isso minha filha. A vida não é assim não.

MARGARIDA:E você acha que um caminhoneiro vai querer te levar minha irmã?Falando de Terna,ela é uma moça estudada e trata bem a todos.

ROSA:O que adiantou estudar e ficar aqui,nesse fim de mundo.Ela é uma boba metidinha.

      Retornando para casa,Bento comenta com o pai e a mãe,sobre Terna,ao vê-la voltandoda escola  para casa com seus alunos.

BENTO:Terna é uma moça muito simpática e responsável.Além de bonita.

MARIA:Verdade.O rapaz que casar com ela será muito feliz.

BENTO:Quem sabe esse rapaz poderá ser eu,né mamãe?

MARIA:Meu filho,não sonhe alto.Ela é  rica e você é pobre.

MARTINHO:Opa!Aí eu discordo;riqueza não quer dizer nada não mulher.Tem muitos pobres por aí que dão de 10 a 0 em um rico.Não é o caso da moça Terna,que trata a todos com igualdade.

MARIA:Mas quando se fala em casamento nessas condições,difícil dar certo.

BENTO:O amor é mais valioso.Vou continuar sonhando.Quem sabe um dia …

      Artur, o filho mais velho de Orlando e Dolores, vai à mercearia e quem o atende é Sofia, a filha de seu Onofre e Santa.

ARTUR: Bom dia Sofia!
SOFIA: Bom dia Artur. Em que posso ajudar?

ARTUR: Estava passando e resolvi chegar para ver se estão bem.

SOFIA: Obrigada. Estamos bem sim, vou chamar meu pai .

ARTUR: Não carece, já estou indo.

      Artur monta em seu cavalo e se retira pensativo.

ARTUR: Sofia é uma moça muito bonita, meu coração está ficando balançado por ela. Voltarei mais aqui para vê-la.

E Sofia, também ficou na mercearia, pensativa.

SOFIA: Esse Artur é um príncipe. Estou começando a vê-lo com outros olhos.

      Dolores,é uma mulher prestativa e carinhosa com todos ,inclusive com o padre Zeca.

DOLORES: (na cozinha) Penha, por favor prepare um bolo de fubá e peça a Loló Para levar ao padre Zeca.

PENHA Tudo bem dona Dolores, farei agora. Assim que eu terminar chamarei a Loló.

DOLORES: Certo! Capriche como sempre. Padre Zeca merece.

PENHA: Com certeza ele merece.

      E assim se fez, ao terminar o bolo, Penha gritou:

PENHA: Venha cá seu moleque.

LOLÓ: O que a senhora quer, dona Penha?

PENHA: Vá até a igreja e entregue este bolo ao padre Zeca, são ordens da patroa.

LOLÓ: Levo sim, mas sobrou um pedacinho aí pra mim?

PENHA: Moleque atoa, só pensa em comer. Sobrou sim,vá logo.

LOLÓ: Que bom, assim verei a Lita ,que está lá limpando a igreja e o quartinho do padre.

PENHA: Olha lá, não quero saber de você de conversa mole com a minha filha…

LOLÓ: Não se preocupe. Sou um rapaz respeitador.

O rapaz,saiu em direção à igreja e lá encontrou com Lita,a filha de Penha.

LOLÓ: Com licença, Lita.

LITA: O que você tá fazendo aqui, Loló?

LOLÓ: Sua mãe, a pedido de dona Dolores, mandou trazer este bolo para o padre. Ele está?

LITA: Dona Dolores, vive enchendo o padre dessas coisas, por isso que ele tá com a barriga daquele tamanho. Ele não está, foi até a casa de dona Josefa. Me entrega aqui que vou deixar em cima da mesa dele.

LOLÓ: Já que ele não está e sua mãe também não ,que tal a gente conversar, sobre nós.

LITA: Conversar o que sobre nós, atrevido? Não tenho nada pra conversar com você. Vai embora daqui.

LOLÓ: Você sabe que eu te gosto muito.

LITA:  Some daqui agora ou vou te dar uma surra de vassoura.

 

Não percam os próximos capítulos.

Continua…

Atenção: A Widcyber tem a autorização do autor para publicar este conteúdo.

cropped-wid-1.png

NAVEGAR

>
error: Este conteúdo é protegido! A cópia deste conteúdo não é autorizada em virtude da preservação de direitos autorais.
Rolar para o topo