VOCÊ ESTÁ LENDO:

Jardim do Éden – Capítulo 1

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on tumblr

 

 

JARDIM DO ÉDEN – CAPÍTULO 1 “CADÊ MINHA FILHA?”

UMA WEBNOVELA DE: NATHAN FREITAS

ELENCO 1ª Fase

Ester: Patricia Pillar
Silvano: Gabriel Braga Nunes
Valdir: Jackson Antunes
Daniel: Arthur Aguiar
Sônia: Bianca Comparato
Dr. Quelônio: Antonio Calloni
Joana: Sophia Abraão

 

CENA 1. TAKES DA CIDADE DE PORTO FELIZ. EXT./DIA.

TAKES DA CIDADE. MÚSICA MARCANDO. COMEÇAMOS PELA PRAÇA DA CIDADE, PASSANDO PELOS CENTROS HISTÓRICOS… RUAS, AVENIDAS, BARES, CAMPINHOS DE FUTEBOL COM SEUS PELADEIROS… COMEÇA A CHOVER… UMA PEQUENA GAROA. MUSICA FÚNEBRE…

CORTA PARA…

CENA 2. CEMITÉRIO. EXT/DIA.

UMAS 15 OU 20 PESSOAS, DE PRETO, COM GUARDA-CHUVAS, AO REDOR DE UM CAIXÃO, COM FLORES ETC… DESTACAMOS ESTER E JULIANO, TRISTES. UM PADRE FAZ A ORAÇÃO DE PRAXE. O PREFEITO, UM HOMEM DE MEIA-IDADE, COMEÇA A FALAR.

PREFEITO: AQUI, SENHORES! NESTE CAIXÃO… NESTA COVA… NÃO ESTÁ SENDO SEPULTADO… UMA PESSOA QUALQUER. ESTAMOS SEPULTANBDO AQUI… UMA PESSOA IMPOLUTA…. UMA PESSOA INIGUALÁVEL. UM HOMEM DE UMA CONDUTA HONRADA. UM HOMEM QUE ATÉ OS ÚLTMOS DIAS DE VIDA, LUTOU PELA MELHORIA DESSE POVO TÃO SOFRIDO DESTA CIDADE. SIM, SENHORES! DR. BENEDITO SABATINI, FOI UM DESBRAVADOR! FOI ELE QUEM TROUXE O PROGRESSO A ESTA CIDADE. A EMPRESA PARAÍSO, DE SUA PROPRIEDADE, É HOJE CONSIDERADA A MELHOR DO PAÍS, PORQUE NÃO DIZER, DO MUNDO?! E FOI GRAÇAS A ESSA BRAVURA INDÔMITA DESSE HOMEM, QUE HOJE, PORTO FELIZ É CONHECIDA NACIONALMENTE COMO A CAPITAL DA MAÇÃ. A GARRA, A CORAGEM, E A DETERMINAÇÃO DO HOMEM QUE AQUI JAZ! SENHORAS E SENHORES! AQUI, DIANTE DESTE ESQUIFE, QUE DEU SEU SANGUE… DEU SUA VIDA POR ESTA CIDADE. E PRA FINALIZAR… COMO PREFEITO DESTA HUMILDE CIDADE, QUE PERDE O ILUSTRE FILHO DA CIDADE QUE TANTO FEZ PELOS SEUS CONPATRÍCIOS. E QUE DEUS, NA SUA PLENITUDE, O RECEBA PARA A ETERNIDADE. MUITO OBRIGADO.

(TODOS APLAUDEM.)

JULIANO: ( P/ESTER) O PREFEITO TÁ PENSANDO QUE ISSO AQUI É UM PALANQUE!

ESTER: DEIXA ELE PENSAR. NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES NÃO TERÁ O PAPAI PARA FINANCIAR SUAS CAMPANHAS!

(O CAIXÃO VAI DESCENDO À COVA. FLORES SÃO JOGADAS. TEMPO NESTA CENA.)

CORTA PARA…

        

CENA 3. TAKES DA CIDADE DE PORTO FELIZ. EXT/DIA.

CHOVE FORTE. RAIOS, TROVÕES CORTAM A CIDADE.

CORTA PARA…

CENA 4. CASA DE BENEDITO. SALA. INT/DIA.

VÃO ENTRANDO, TRISTES, ESTER E JULIANO. A CASA DE MÓVEIS BONS. BEM PROJETADOS, ESTER, MUITO EMOTIVA.

ESTER: – COITADO DE PAPAI. TÃO NOVO PRA MORRER.

JULIANO: – PAPAI CUMPRIU O SEU DESTINO AQUI NA TERRA, ESTER. DEVEMOS NOS CONFORMAR.

ESTER: – POIS EU NÃO ME CONFORMO. PAPAI MORREU POR CAUSA DAQUELA MALDITA.

JULIANO: – NÃO FALA ASSIM!

ESTER: (ALTERADA) – FALO! QUERO QUE TODOS SAIBAM QUE AQUELA INFLIZ ERA UMA DEVASSA!

JULIANO: – A GAROTA NÃO TEM NADA A VER COM AS ATITUDES DA MÃE.

ESTER: – VOCÊ DEFENDE AQUELA ORDINÁRIA?

JULIANO: – NÃO É ISSO. ESQUECE ESSA HISTÓRIA. NADA VAI DAR ERRADO.

ESTER: (HISTÉRICA) – UMA PESSOA QUE ABANDONA A FILHA PRA SE AVENTURAR NO MUNDO, NÃO TEM O DIREITO DE SER MÃE.

             (JULIANO NOUTRO TOM, ANIMADO).

JULIANO: –  DR. QUELÔNIO ME FALOU QUE AMANHÃ VEM ABRIR O TESTAMENTO DE PAPAI. NÃO VEJO A HORA!

ESTER: (HORRORIZADA) – EU NÃO ACREDITO QUE ESTOU OUVINDO ISTO, JULIANO. ACABAMOS DE ENTERRAR PAPAI E, VOCÊ AÍ, PREOCUPADO COM TESTAMENTO. TENHA UM POUCO DE SENSIBILIDADE.

JULIANO: (CÍNICO) – EU ESTOU APENAS PENSANDO NO MEU FUTURO. NO NOSSO FUTURO NADA MAIS JUSTO PENSAR NO QUE IREMOS FAZER COM A HERANÇA.

    (ESTER PERCEBE QUE JULIANO ESTÁ CERTO)

ESTER: – TEM RAZÃO. NÃO HAVIA PENSADO NISTO. (AMBICIOSA) COM CERTEZA TEREI A MELHOR PARTE. SENDO EU A FILHA MAIS VELHA, TENHO DIREITO NA MELHOR PARTE. (TODA ORGULHOSA).

JULIANO: – ESTÁ TOTALMENTE ENGANADA. SOU O FILHO HOMEM, E COMO TAL, TENHO DIREITO A 90% DA HERANÇA. ERA DE MIM QUE PAPAI SENTIA ORGULHO. UM FILHO HOMEM NA FAMÍLIA, PRA DAR CONTINUIDADE NOS NEGÓCIOS.

             (ESTER RI, IRÔNICA)

ESTER: – VOCÊ ESTÁ MALUCO. PAPAI NÃO CONFIAVA EM VOCÊ. POR VÁRIAS VEZES ELE ME FALOU ISSO. EU SERIA SUA SUBSTITUTA.

             (OS DOIS COMEÇAM A DISCUTIR, APARECE VALDIR, O MORDOMO, COM UMA CARTA NA MÃO, E INTERROMPE A CONFUSÃO).

VALDIR: – SENHORES!

             (OS DOIS PARAM DE DISCUTIR)

ESTER: – O QUE FOI VALDIR? O QUE QUER?

VALDIR: – CHEGOU ESTA CARTA, SENHORA.

ESTER: (CURIOSA) – CARTA? DE QUEM?

JULIANO: – DEVE SER DO ADVOGADO.

VALDIR: – NÃO É NÃO, SENHOR. (PASSA A CARTA PARA ESTER.).

ESTER: (ABRE A CARTA. LER. INCRÉDULA) – O QUE? EU NÃO ACREDITO.

JULIANO: – O QUE FOI? (PEGA A CARTA E LÊ). QUE HISTÓRIA É ESSA?

ESTER: – QUANDO FOI QUE ESTA CARTA CHEGOU VALDIR?

VALDIR: – AGORA A POUCO, SENHORA.

ESTER: (FURIOSA) – E SÓ AGORA VOCÊ ME DIZ ISSO, SEU IGNORANTE.

VALDIR: – DESCULPE, SENHORA.

ESTER: – VÁ. SAIA DAQUI!. DEIXE-NOS A SÓS. VÁ. (VALDIR SAI DE CENA)

JULIANO: – E AGORA, ESTER? O QUE VAMOS FAZER?

ESTER: (INDIGNADA) – AQUELA ORDINÁRIA VAI ACABAR COM OS NOSSOS PLANOS. JOANA! SEMPRE ELA PRA NOS INFERNIZAR.

JULIANO: – CALMA, ESTER. TEMOS QUE ARRANJAR UM MEIO PARA CONSEGUIR ALGUMA COISA COM A CHEGADA DA MÃE PRODIGA. EU TENHO UM PLANO.

ESTER: – EU NÃO CONFIO EM VOCÊ.

JULIANO: – POIS EU ACHO MELHOR CONFIAR. SE ESTA CARTA DIZ QUE ELA CHEGA AMANHÃ, TEREMOS QUE MOSTRAR QUE NÃO TEMOS NADA CONTRA ELA. COM CERTEZA SOUBE DA MORTE DE PAPAI, E VIRÁ BUSCAR A METADE DO QUE É SEU POR DIREITO. NESTE CASO, DEVEMOS SER AMIGÁVEIS.

ESTER: – AQUELA VADIA SEM VERGONHA NÃO TEM DIREITO A NADA. NÓS, SOMOS OS ÚNICOS HERDEIROS. ELA QUE SE ATREVA A QUERER TER PROVEITO DA NOSSA HERANÇA.

JULIANO: – E VOCÊ SABE DO CARINHO QUE O PAPAI SENTIA PELO GAROTA, NÃO SABE? E COMO ELA É MENOR DE IDADE, CABE À MÃE FICAR COM A PARTE DELE ATÉ COMPLETAR A MAIORIDADE. (T) E QUEM ME GARANTE QUE PAPAI NÃO TENHA DEIXADO ALGUMA COISA PRA ELA? HEIN?

ESTER: (SARDÔNICA) – PAPAI NÃO SERIA CAPAZ DE UMA ATITUDE TÃO LEVIANA DESSE JEITO.

JULIANO: – PAPAI TINHA AQUELE JEITO GROSSEIRÃO, MAS NO FUNDO UM CORAÇÃO ENORME.

ESTER: (DE CONTRA GOSTO) – SE DE FATO ISTO ACONTECER, TEREMOS QUE IMPEDIR. NÃO PODEMOS ACEITAR QUE AQUELA VAGABUNDA USUFRUA DE NOSSOS DIREITOS.

JULIANO: – BOM, EU TENHO QUE DORMIR. AMANHÃ SERÁ UM LONGO DIA. (OS DOIS SAEM DE CENA.)

(VALDIR QUE OUVIA ATRÁS DA PORTA, RI, IRÔNICO)

VALDIR: TENHA CERTEZA QUE SIM. AMANHÃ A VIDA DE VOCÊS IRÃO MUDAR… PRA PIOR. SANGUESSUGAS!

CORTA PARA…

CENA 5. CENAS AÉREAS SOBRE FORTALEZA. EXT/DIA.NOITE.

APENAS O SOL SE PONDO. ANOITECE.

CORTA PARA…

CENA 6. CASA DE DANIEL E SÔNIA. SALA. INT/NOITE.

DANIEL VEM ENTRANDO, QUANDO SE DEPARA COM JOANA.

DANIEL: CADÊ SÔNIA?!

JOANA: DONA SONIA SAIU.

DANIEL: O QUE FAZ AQUI?

JOANA: COMO ASSIM? EU TRABALHO AQUI.

DANIEL: ISSO EU SEI. VOCÊ NÃO IA VISITAR UNS PARENTES?

JOANA: SIM, VOU. PORQUE O INTERESSE?

DANIEL: ERA TUDO QUE EU QUERIA.

JOANA: QUERIA O QUÊ? ( ENIGMÁTICA) QUE DONA SONIA DESCOBRISSE QUE VOCÊ É UM CANALHA?

DANIEL: ( ESTRANHA, SURPRESO.) EU AINDA VOU DESCOBRIR PORQUE VOCÊ TEM ESSE ÓDIO DE MIM.PORQUE QUER ME ENVENENAR CONTRA MINHA MULHER?

JOANA: MULHER?

DANIEL: SIM. NÃO SABIA? EU E SÔNIA VAMOS NOS CASAR. (EM TOM DE AMEAÇA) E AI DE QUEM TENTAR INTERFERIR NA NOSSA FELICIDADE.

JOANA: A CARAPUÇA NÃO SERVE PRA MIM. NÃO TENHO PORQUE ME METER NA VIDA DOS MEUS PATRÕES. AGORA, SÓ ACHO BOM ALGUÉM FICAR SABENDO.

DANIEL: ALGUÉM? QUEM?

JOANA: (DIRETA) SUA AMANTE.

DANIEL: (PEGO DE SURPRESA) O QUE DISSE?

JOANA: NÃO SE FAÇA DE DESENTENDIDO. VOCE SABE MUITO BEM DE QUEM FALO. OU VAI NEGAR?

(DANIEL FICA ALI, SEM REAÇÃO.)

DANIEL: VOCÊ DEVE ESTÁ DELIRANDO.

JOANA: ERA TUDO QUE VOCE QUERIA. QUE EU ESTIVESSE DOIDA. MAS, SEU TIRO SAIU PELA CULATRA.

DANIEL: O QUE VOCE TÁ QUERENDO COM ISSO? É DINHEIRO QUE VOCÊ QUER?

JOANA: NÃO ADIANTA BANCAR O ESPERTINHO PRA CIMA DE MIM. DONA SONIA VAI SABER QUEM É O HOMEM QUE ELA ESCOLHEU PRA CASAR, HOJE!

DANIEL:(AMEAÇADOR) SE VOCE ABRIR SUA BOCA PRA FALAR ALGO PRA SONIA, EU… (PAUSA, NERVOSO)

JOANA: VAI FAZER, O QUE? VAI ME MATAR? NÃO É ISSO O QUE VOCÊ FAZ, QUANDO SE SENTE AMEAÇADO?

DANIEL: EU NÃO SEI O QUE VOCE TÁ FALANDO. EU NÃO CONHEÇO ESSA (SE ENTREGA) ATRIZ.

JOANA: AH… CONFESSA? ATRIZ! EU NÃO FALEI QUEM ERA. E VOCE, SE CONDENOU.

(DANIEL SE VER NUM BECO SEM SAÍDA, E RESOLVE SE ENTREGAR.)

DANIEL: (FAZ UMA PAUSA ESTRATÉGICA) MARION FOI UM CASO QUE EU TIVE NO PASSADO. NÃO ERA COISA SÉRIA ATÉ EU DESCOBRIR QUE ELA ERA UMA MULHER CASADA.

JOANA: CORTA ESSA!

DANIEL: EU JURO! EU NÃO SABIA QUE MARION ERA CASADA. (PAUSA). BOM, O MARIDO DELA DESCOBRIRU TUDO E, ME PROCUROU.

JOANA: TE PROCUROU?!

DANIEL: SIM. E ME OFERECEU 200 MIL CRUZEIROS PRA ME AFASTAR DA MARION. JEAN ERA UM HOMEM INFLUENTE, PODEROSO. NÃO QUERIA VER SEU NOME ENVOLVIDO EM ESCÂNDALOS. A VERDADE É QUE EU NUNCA SENTI NADA POR ELA, ENTENDE? APENAS UMA ATRAÇÃO FÍSICA. SEXO! NADA MAIS.

(JOANA NÃO ACREDITA.)

JOANA: MAS PARECE QUE SUA ATRAÇÃO POR ELA AINDA CONTINUA.

DANIEL: COMO ASSIM?

JOANA: (SOLTA A BOMBA) ONTEM, EU VI VOCES AOS BEIJOS.

DANIEL: (SURPRESO) O QUE DISSE? QUE MALUQUICE É ESSA? EU NUNCA MAIS VI MARION.

JOANA: DEIXE DE CONVERSA! E SE PENSA QUE ENGOLI ESSA CONVERSA FIADA, DE QUE O MARIDO DELA TE PAGOU ESSA QUANTIA EM DINHEIRO… PODE ESQUEÇER. EU NÃO ACREDITO. ASSIM, COMO EU NÃO ACREDITO, COM CERTEZA, DONA SONIA TAMBÉM NÃO HÁ DE PERDOAR.

DANIEL: (VIOLENTO, PEGA JOANA PELO BRAÇO) O QUE VOCE QUER, AFINAL? ME DESTRUIR? ACABAR COMIGO E SONIA, É ISSO?

(SONIA ENTRA, E FLAGRA OS DOIS. ESTRANHA A CENA.)

SONIA: O QUE ESTÁ HAVENDO AQUI?

(DANIEL SOLTA JOANA. OS DOIS FICAM SEM REAÇÃO.)

DANIEL: ( TENTANDO DISFARÇAR) OI MEU AMOR.

(SONIA DESCONFIADA.)

JOANA: DONA SONIA, EU CONVERSAVA COM SEU DANIEL. A SENHORA SABE, EU PRETENDO VISITAR UNS PARENTES QUE TENHO NO INTERIOR. E TAVA COMUNICANDO AO SEU DANIEL.

SONIA: (DESCONFIADA) SEI… E VOCE VAI QUANDO?

JOANA: AO AMANHECER DO DIA.

SONIA: TUDO BEM. BOA VIAGEM.

JOANA: OBRIGADA. EU VOU ME DEITAR. COM LICENÇA. BOA NOITE. (SAI DE CENA.)

SONIA: BOA NOITE. (P/ DANIEL) O QUE VOCES DOIS CONVERSAVAM?

DANIEL: UÉ! VOCE NÃO OUVIU O QUE ELA DISSE?

(DANIEL VAI DAR UM BEIJINHO NELA, MAS SONIA SAI PARA O LADO, IGNORANDO)

SONIA: OUVI. MAS NÃO ACREDITEI.

DANIEL: O QUÊ? VOCE TÁ DESCONFIANDO DE QUÊ?

SONIA: EU NOTEI UM CLIMA DIFERENTE ENTRE VOCES, QUANDO ENTREI. O QUE ERA?

DANIEL: PÁRA DE COISA, MEU BEM. O QUE PODERIA HAVER ENTRE JOANA E EU?

SONIA: (SEM JEITO) VOCE ESTÁ TENDO UM CASO COM JOANA?

(DANIEL SOLTA UM SONORA GARGALHADA.)

DANIEL: VOCE TÁ ACHANDO QUE EU E A JOANA TEMOS UM CASO? VOCE SÓ PODE TÁ DE BRINCADEIRA.

DANIEL: BRINCADEIRA, PORQUE?

DANIEL: PORQUE NÃO TEM CABIMENTO. (PUXA SONIA PRA SI) E VOCE QUE EU AMO, SUA BOBA. VOCE ACHA QUE VOU TROCAR VOCE POR ESSA … ENFIM. (SE BEIJAM).

SONIA: EU TE AMO. EU TENHO MUITO MEDO DE TE PERDER.

DANIEL: NÃO TENHA MEDO, NÃO.

(OS DOIS SE BEIJAM.)

CORTA PARA…

CENA 7. TERMINAL RODOVIÁRIO. EXT/DIA.

UMA GRANDE MOVIMENTAÇÃO DE PESSOAS. DESTACAMOS JOANA, ENTRANDO NUM ÔNIBUS.

CORTA PARA…

                   

CENA 8. CIDADE DE PORTO FELIZ. EXT/DIA.

ALGUNS TAKES DA CIDADE.

CORTA PARA…

 

 

CENA 9. CASA DE BENEDITO. COZINHA. INT/DIA

ESTER SENTADA À MESA NO CAFÉ. LOGO ENTRA JULIANO, QUE SENTA À MESA).

JULIANO: – BOM DIA!

ESTER: (DE CARA AMARRADA) – SÓ SE FOR PRA VOCÊ.

JULIANO: – IH… TÁ COM UMA CARA. O QUE HOUVE?

ESTER: – E VOCÊ AINDA PERGUNTA? EU ESTOU COM OS NERVOS À FLOR DA PELE. O ADVOGADO VEM HOJE ABRIR O TESTAMENTO. AQUELA INFELIZ VAI DAR O AR DE SUA GRAÇA. TUDO DESMORONANDO SOBRE NOSSA CABEÇA, E VOCÊ PERGUNTAM: “O QUE HOUVE?”.

             (JULIANO PEGA UMA FRUTA, LEVANTA DA MESA E VAI PARA O SOFÁ, PEGA UM JORNAL).

JULIANO: – AH… DEIXA DE SER DRAMÁTICA, ESTER. EU JÁ TE FALEI QUAL É O PLANO. CONFIE EM MIM. AQUELA LÁ NÃO VAI VER NEM A COR DO NOSSO DINHEIRO.

ESTER: (INCRÉDULA) – EU NÃO SEI SE DEVO CONFIAR EM VOCÊ.

JULIANO: – CLARO QUE DEVE, FICA TRANQUILA.

ESTER: – SE ESTE FOR MAIS DE UM DOS SEUS PLANOS FRUSTRADOS, PODE DESISTIR. EU NÃO ESTOU A FIM DE DAR VEXAME NA FRENTE DO ADVOGADO.

JULIANO: – VOCÊ SABE QUE EU SOU EXPERIENTE NO ASSUNTO.

ESTER: – SÓ ESPERO QUE AQUELA INFELIZ CHEGUE SOMENTE APÓS A LEITURA, PRA TER-NOS O PRAZER DE DESPACHÁ-LA PRA BEM LONGE DAQUI. DA ONDE ELA NUNCA DEVERIA TER SAÍDO.

JULIANO: – CALMA ESTER. O MEU PLANO REQUER UM POUCO DE POSTURA E CATEGORIA.

ESTER: – SE PAPAI DE FATO DEIXOU ALGUMA COISA PARA A MENINA, ESTAMOS FERRADOS. ELA VAI SE INSTALAR DE VEZ.

JULIANO: – EU DUVIDO MUITO. QUANDO ELA SOUBER QUE PAPAI DEIXOU UNS CARAMINGUÁS PARA A NETA, SE E QUE ESTA CRIANÇA AINDA EXISTE, NÉ? ELA VAI DAR MEIA VOLTA E VAI EMBORA.

ESTER: – AQUELA ALI NÃO DÁ PONTO SEM NÓ. É MUITO BOM TOMAR CUIDADO COM ELA. QUALQUER INSTANTE ELA DÁ O BOTE NA GENTE E TIRA TUDO.

JULIANO: – VIRA ESSA BOCA PRA LÁ. A GRANA É NOSSA, ESTER. NÓS, FOMOS OS ÚNICOS QUE FICAMOS COM O PAPAI. NÓS SOMOS UMA FAMÍLIA. PAPAI NÃO CONTOU COM JOANA PRA NADA. A CRIANÇA A GENTE DEIXOU NO ORFANATO, COM PESSOAS QUE SABIA MUITO BEM CUIDAR. ALÉM DO MAIS, ELA NÃO VAI SENTIR FALTA NENHUMA DO DINHEIRO.

ESTER: – POR ESSE LADO VOCÊ TEM RAZÃO. AS AÇÕES DA EMPRESA, PELO MENOS 30% JÁ ME É GARANTIDO.

JULIANO: – VAMOS VER, ESTER. VOCÊ SÓ TERÁ CERTEZA DISSO QUANDO O ADVOGADO CHEGAR COM O TESTAMENTO.

ESTER: – NÃO VEJO A HORA DISSO ACONTECER. (JULIANO SAI.)

             (A CAMPAINHA TOCA. VAI ABRIR A PORTA. É SURPREEDIDA AO ABRIR A PORTA. É JOANA. QUE VAI LOGO ENTRANDO).

JOANA: – OLÁ!

ESTER: – ENTÃO VOCÊ VEIO REALMENTE? O QUE QUER?

JOANA: – SE NÃO SABE, EU TENHO UMA FILHA QUE MORA AQUI.

ESTER: (IRÔNICA) – ENTÃO ERROU DE ENDEREÇO. A ÚNICA CRIANÇA QUE EXISTE AQUI, A MÃE DELE JÁ MORREU HÁ MUITOS E MUITOS ANOS.

JOANA: – CADÊ ELA, ESTER? CADÊ MINHA FILHA?

ESTER: – QUE INTERESSE É ESSE NA MENINA? NUNCA DEU IMPORTÂNCIA PRA ELA. AGORA ESSE INTERESSE?

JOANA: – EU NÃO VIM DISCUTIR COM VOCÊ SOBRE ISSO. E NÃO PENSE VOCÊ QUE EU VIM POR CAUSA DESSE TAL TESTAMENTO. EU VIM PELO MINHA FILHA.

ESTER: (RI, IRÔNICA) – VOCÊ ACHA QUE EU VOU ACREDITAR NESTA TUA HISTORIA? EU SEI MUITO BEM QUAL É O TEU JOGO GAROTA. MAS VAI CAIR DO CAVALO QUANDO O TESTAMENTO FOR ABERTO.

JOANA: – NÃO ESTOU NEM UM POUCO INTERESSADA NISSO. SE EU QUISESSE MIXARIA EU IA PRA DEBAIXO DE UM VIADUTO PEDIR ESMOLAS.

ESTER: – VOCÊ ACABOU COM A NOSSA FAMÍLIA. VOCÊ NOS DESMORALIZOU. AGORA DEPOIS DE TUDO QUE FEZ VEM COM A MAIOR CARA DE PAU COMO SE NADA TIVESSE ACONTECIDO. DESCARADA.

( JULINO ENTRA EM CENA. VÊ JOANA).

JULIANO: (IRÔNICO) – ORA, ORA, ORA. QUEM É VIVO SEMPRE APARECE. COMO VAI, IRMÃZINHA?

JOANA: (IGNORA-O) – MELHOR IMPOSSÍVEL. CADÊ MINHA FILHA?

JULIANO: ( SE FAZ DE DESENTENDIDO) – QUE FILHA? QUE EU SAIBA NÃO EXISTE FILHA NENHUMA SEUS AQUI.

JOANA: (ESGOTADA) – JÁ CHEGA. DEIXEM DE IRONIA. EU QUERA MINHA FILHA.

ESTER: – O QUE É ISSO? BAIXA A TUA BOLA, VIU! AONDE VOCÊ PENSA QUE TÁ? VOCÊ NÃO TEM O DIREITO DE CHEGAR AQUI E QUERER SABER DE NADA. NÃO DEVEMOS SATISFAÇÕES A VOCÊ. POR FAVOR, SAIA JÁ DESTA CASA. VOCÊ NÃO É BEM VINDA AQUI.

JOANA: – EU VOU PERGUNTAR PELA ULTIMA VEZ: CADÊ MINHA FILHA?

JULIANO: – VOCÊ NÃO OUVIU GAROTA? VOCÊ NÃO É BEM VINDA AQUI. OU SERÁ PRECISO DESENHAR PRA VOCÊ ENTENDER?

JOANA: – EU NÃO SOU IDIOTA ASSIM. EU TENHO OS MEUS DIREITOS.

ESTER: – QUE DIREITOS? VÊ SE TE ENXERGA! VOCÊ NÃO PASSA DE UMA MISERÁVEL. PENSA QUE NÓS IRÍAMOS TE RECEBER DE BRAÇOS ABERTOS, DEPOIS DE TUDO QUE APRONTOU COM A NOSSA FAMÍLIA? VOCÊ DESTRUIU O NOSSO PAI. A NOSSA EMPREA. ELE MORREU DE DESGOSTO POR TER UMA FILHA TÃO VAGABUNDA.

JOANA: (CHOROSA) – O PAPAI HAVIA ME PERDOADO. EU NÃO FIZ POR MAL. ELE ACEITOU FICAR COM MINHA FILHA, COMO FORMA DE PERDÃO.

JULIANO: – VOCÊ NÃO NOS COMOVE COM ESSA HISTORINHA PRA BOI DORMIR. O BABO TINHA HORROR DE VOCÊ. NEM SEU NOME ELE PRONUNCIAVA. VOCÊ ARRUINOU NOSSA FAMÍLIA. VOCÊ NÃO PERCEBE O ERRO QUE COMETEU, NINA? VOCÊ ACHA QUE PRA NÓS É FÁCIL TER QUE SUPORTAR OS COMENTÁRIOS DAS PESSOAS, OS FUXICOS, O POVO RINDO DA NOSSA CARA OU ATÉ MESMO NOS DISCRIMINANDO POR UM ERRO QUE VOCÊ MESMO COMETEU?

ESTER: – NUNCA EU VOU TE PERDOAR. PAPAI MORREU POR TUA CAUSA. VOCÊ VAI PAGAR CARO PELO QUE NOS FEZ SOFRER.

JOANA: (ACUADA) – EU ESTOU ARREPENDIDA. EU SÓ QUERO VER MINHA FILHA. ELA PRECISA SABER QUE EU EXISTO.

JULIANO: – NUNCA! ELA NUNCA SOUBE DA TUA EXISTÊNCIA. E VAI CONTINUAR SEM SABER DE VOCÊ. NENHUM JUIZ VAI LHE DAR DIREITOS SOBRE A GAROTA, DEPOIS QUE SOUBER DO BELO EXEMPLO DE MÃE QUE VOCÊ FOI. DESISTA.

JULIANO: – EU NÃO VOU EMBORA SEM ANTES VER MINHA FILHA. VOCÊS NÃO PODEM ME PROIBIR DE FALAR COM ELA.

ESTER: – PARA COM ESSE DRAMA. VOCÊ NÃO ENGANA MAIS NINGUÉM. SUA MASCARA JÁ CAIU HÁ MUITO TEMPO.

JOANA: – EU ESTOU TENTANDO ME REDIMIR DOS MEUS ERROS. TENTAR UMA NOVA VIDA. RECUPERAR O TEMPO PERDIDO QUE ESTIVE LONGE DO MEU FILHO.

ESTER: – VÁ RECUPERAR SEU TEMPO BEM LONGE DAQUI.

JOANA: – ME DÊ PELO MENOS UMA ÚNICA OPORTUNIDADE DE DEMOSTRAR MEU ARREPENDIMENTO.

ESTER: – DE MANEIRA ALGUMA. SE TE ACEITARMOS AQUI ESTAREMOS TRAINDO A HONRA DE NOSSO PAI.

JOANA: ( COMO IMPLORANDO) – DEIXE AO MENOS VER MINHA FILHA?

JULIANO: – QUE FILHA? ESQUECEU QUE A ABANDONOU PRA SE AVENTURAR NA VIDA? DEIXA DE SER CÍNICA, JOANA. CONFESSA! VOCÊ NÃO VEIO POR CAUSA DA GAROTA.

ESTER: – ESTA DAÍ NÃO DÁ PONTO SEM NÓ. TEVE UMA VIDA DESREGRADA. NUNCA DEU UM VINTÉM SEQUER E NEM MUITO MENOS SE PREOCUPOU EM SABER COMO ESTAVA O FILHO. SE DEPENDER DE MIM, VOCÊ NUNCA VERÁ A GAROTA.

JOANA: – VOCÊS NÃO TÊM ESSE DIREITO. A FILHA É MINHA. ELE SAIU DE DENTRO DE MIM. (GRITA, HISTÉRICA) FILHA! MEU AMOR, CADÊ VOCÊ MEU FILHA AMADA? MAMÃE ESTÁ AQUI!

( JULIANO PEGA JOANA PELO BRAÇO, EXPULSANDO.).

JULIANO: – VAMOS! SAIA JÁ DESTA CASA. VOCÊ NÃO TEM NADA AQUI. O NOSSO ADVOGADO CHEGA JÁ, E NÃO QUERO QUE ELE LHE VEJA AQUI. LOGO PORQUE A HERANÇA QUE PAPAI NOS DEIXOU NÃO LHE DIZ RESPEITO.

(JOANA FICA ALI, PARADA, CHORANDO.)

ESTER: – NÃO OUVIU? SAIA LOGO DESTA CASA.

( ESER ABRE A PORTA.)

JOANA: (FIRME, CORAJOSA) – POIS EU NÃO SAIO. EU, COMO FILHA, TENHO O DIREITO DE ESTAR PRESENTE NA HORA QUE FOR ABRIR O TESTAMENTO.

ESTER: – MAS QUE DESCALABRE! QUANTA PETULÂNCIA.

             ( A CAMPAINHA TOCA. JULIANO VAI ABRIR A PORTA. É O ADVOGADO.).

JULIANO: – DR. QUELÔNIO? ENTRE POR FAVOR.

             (O ADVOGADO ENTRA E FICA EM PÉ.)

ESTER: (FINGIDA, CÍNICA) – DR. QUELÔNIO, MAS QUE PRAZER. ACEITA UM CAFÉ, UM CHÁ OU UM SUCO?

QUELÔNIO: – NÃO. OBRIGADO. ESTOU UM POUCO APRESSADO. E VOU SER RÁPIDO COM VOCÊS. (PRA JOANA) E VOCÊ, QUEM É?

JOANA: – MUITO PRAZER, SENHOR. EU SOU A FILHA MAIS NOVA DO DR. BENEDITO.

QUELÔNIO: – AH, SIM. JOANA, O SEU NOME, NÃO É? EU ME LEMBRO MUITO BEM QUANDO SEU PAI FALAVA A SEU RESPEITO.

JOANA: – SIM.

ESTER: – MAS COMO O SENHOR SABE DR. QUELÔNIO, ELA É UMA FILHA BASTARDA DE MEU ADORÁVEL PAI.

JOANA: TENHO O DIREITO DE ESTAR PRESENTE, DR. QUELÔNIO?

QUELÔNIO: CLARO. VOCÊ É FILHA DELE. ASSIM, COMO ESTER E JULIANO.

JOANA: TENHO TODOS MEUS DOCUMENTOS QUE COMPROVAM.

ESTER: ISTO É UM ABSURDO, DR. QUELÔNIO. ELA NÃO PODE TER DIREITOS IGUAIS A NÓS, QUE SOMOS SEUS FILHOS RECONHECIDOS.

JULIANO: MAS O SENHOR HÁ DE CONVIR QUE ELA NÃO MEREÇE A IGUALDADE NOS BENS.

QUELÔNIO: – ISSO, EU NÃO PODE AFIRMAR. ESTOU APENAS COMO ADVOGADO. NÃO É DE MEU FEITIO ME METER NESSES ASSUNTOS. (SENTA. ABRE A MALETA, RETIRA UNS DOCUMENTOS.) POIS BEM, SENHORES, ANTES DE FAZER QUALQUER ESPECULAÇÃO EM RESPEITO DA PARTILHA DOS BENS, GOSTARIAM DE COMUNICAR A TODOS QUE O PAI DE VOCÊS, DR. BENEDITO NÃO DEIXOU TESTAMENTO ALGUM.

(REAÇÃO DE ESPANTO DE TODOS.)

ESTER: (INDIGNADA) – O QUÊ?

JULIANO: – QUE BRINCADEIRA É ESSA, DR. QUELÔNIO?

QUELÔNIO: – É ISSO MESMO, MEU RAPAZ. DR. BENEDITO NÃO DEIXOU TESTAMENTO.

ESTER: – O SENHOR DEVE ESTAR CASSOANDO DE NÓS.

QUELÔNIO: – CLARO QUE NÃO. O PAI DE VOCÊS NÃO DEIXOU TESTAMENTO. MAS DEIXOU UMA CARTA POR ESCRITO NOMEANDO O VERDADEIRO HERDEIRO DA METADE DE SEUS BENS.

JULIANO: – UMA CARTA? QUE ESTRANHO!

ESTER: – UMA CARTA OU TESTAMENTO, DAR NO MESMO, NÃO É? POIS BEM. COMECE A LER, POR FAVOR.

             (QUELÔNIO COMEÇA A LER O TESTAMENTO.).

QUELÔNIO: – VOU LER PRA TODOS: (PAUSA) “EU, BENEDITO SABATINI, VIÚVO, RESIDENTE NESTA CIDADE, E PELA LEI QUE NOS REGE”…

ESTER: – POR FAVOR, DR. QUELÔNIO, VAMOS AOS FINALMENTE.

QUELÔNIO: – SE A SENHORA NÃO ME ATRAPALHAR. POSSO CONTINUAR?

ESTER: – SIM. FAÇA O FAVOR.

QUELÔNIO: (CONTINUA A LEITURA) – “PORTANTO, DEIXO MEUS DISCOS DA DALVA DE OLIVEIRA PRA MINHA FILHA: ESTER. NO VALOR DE 15 MIL CRUZEIROS.”…

ESTER: ( ESTARRECIDA) O QUÊ? MAS ISSO É UM ABSURDO! OS DISCOS DA DALVA DE OLIVEIRA? QUE PIADA É ESSA?

(JOANA FAZ MENÇÃO DE RI.)

QUELÔNIO; (CONT…) 55% DO HOTEL JARDIM DO ÉDEN, PARA MEU FILHO, JULIANO. NO VALOR DE 25 MIL CRUZEIROS.

JULIANO: (SURPRESO) SÓ ISSO? MAS QUE MÃO DE VACA. E AS AÇÕES DA EMPRESA?

QUELÔNIO: (CONT…) “30% DAS AÇÕES DA ´PARAÍSO PARA O MEU SOBRINHO, DANIEL…”

JOANA: (INCRÉDULA) DANIEL?!

ESTER: QUEM É ESTE?

QUELÔNIO: “E POR FIM… DEIXO 70% DAS ACÕES DA EMPRESA, NO VALOR DE 26 MILHÕES DE CRUZEIROS… DEIXO PARA MINHA NETA VITÓRIA, FILHA DE JOANA. E COMO AINDA É DE MENOR NOMEIO MINHA FILHA JOANA, MÃE DESTA, COMO TUTORA LEGAL DOS BENS ATÉ QUE COMPLETE SUA MAIORIDADE. E NOMEIO MEU FIEL E COMPANHEIRO AMIGO, VALDIR, À 45% DO HOTEL JARDIM DO ÉDEN. DITO ISTO, ATESTO E COMPROVO EM CARTÓRIO TUDO QUE AQUI FOI NOMEADO. BENEDITO SABATTINI. EM 20 DE MARÇO DE 1990. 

ESTER: (EXALTADA) – O QUÊ? O VALDIR, HERDOU 45% DO JARDIM DO ÉDEN? MAS QUE ABSURDO É ESSE? E PRA MIM? NÃO DEIXOU NENHUMA PORCETAGEM DE NADA? NEM UMA PONTINHA DAS AÇÕES DA PARAÍSO?

QUELÔNIO: – NÃO. NADA. COMO FOI DITO. ESTA FOI À VONTADE DE VOSSO PAI. E TERÃO QUE ACATAR.

ESTER: – SENTE MUITO? GUARDE SEUS SENTIMENTOS PRA QUEM PRECISE SEU ADVOGADO DE PORTA DE CADEIA.

QUELÔNIO: AGORA SE VER DONA ESTER, PORQUE SEU BENEDITO NÃO DEIXOU NADA PRA A SENHORA. ELE CONHECIA BEM A PEÇA.

JULIANO: – PAPAI NÃO PODIA TER FEITO ISSO CONOSCO.

ESTER: – VELHO MISERÁVEL. PASSEI MINHA VIDA TODA CUIDANDO DAQUELE INFELIZ E É DESSA FORMA QUE ELE ME PAGA.

JOANA: – DR. QUELÔNIO, ESSA VITORIA, MENCIONADA NA CARTA, É MINHA FILHA. O QUE VAI ACONTECER DAQUI PRA FRENTE?

QUELÔNIO: – COMO MÃE, VOCÊ SE TORNA TUTORA LEGAL DELA, ATÉ COMPLETAR A MAIORIDADE.

JULIANO: – ISSO É UM ABSURDO, DR. QUELÔNIO. ELA O ABANDONOU PRA SE AVENTURAR NA VIDA. NÃO PODEMOS PERDER ESSE DIREITO.

QUELÔNIO: – INFELIZMENTE NÃO POSSO FAZER NADA.

ESTER: – COMO NÃO PODE FAZER NADA SEU INCOMPETENTE?!

QUELÔNIO: – A SENHORA ME RESPEITE VIU? EU SOU UMA AUTORIDADE. EU POSSO MANDAR LHE PRENDER POR DESACATO.

JULIANO: – CALMA, ESTER, NÃO COMPLIQUE MAIS AS COISAS. NÓS VAMOS REVERTER ESTA SITUAÇÃO.

QUELÔNIO: – BOM, EU TENHO QUE IR. PASSAR BEM.

JOANA: – MUITO OBRIGADA, DOUTOR. EU ACOMPANHO O SENHOR.

QUELÔNIO: (P/ JOANA) TOME CUIDADO COM ESSES DOIS. ELES PODEM ARMAR ALGUMA COISA CONTRA VOCÊ E ACABAR TIRANDO O DIREITO DA SUA FILHA.

JOANA: PODE DEIXAR, DR. QUELÔNIO. OBRIGADO PELA INFORMAÇÃO. EU SEI MUITO BEM COMO ENCARAR ESSA DUAS FERAS.

(DR. QUELÔNIO SAI DE CENA)

ESTER: – ESTÁ FELIZ, NÃO É, SUA MORTA DE FOME?

( JOANA MUDA DE ATITUDE, AGE COM MAIS AUTORIDADE.)

JOANA: – A JUSTIÇA TARDA, MAS NÃO FALHA.

JULIANO: – AGORA QUE ESTÁ POR CIMA DA CARNE SECA, O QUE PRETENDE FAZER?

ESTER: – DAQUI EU NÃO SAIO. EU NÃO VOU DAR ESTE GOSTINHO A VOCÊ.

JOANA: – E NEM EU PRETENDO FAZER ISTO. PODEM FICAR PRA VER QUE EU TENHO BOM CORAÇÃO.

JULIANO: – O PAPAI É FOGO, HEIN. QUE COVARDIA! NÓS, QUE ÉRAMOS SEUS FILHOS MAIS QUERIDOS, APRONTAR UMA DESSAS COM A GENTE!

ESTER: – VELHO ORDINÁRIO. ESPERO QUE QUEIME NO INFERNO.

NINA: – EU NÃO VOU PERMITIR QUE OFENDESSEM O MEU BABO NA MINHA FRENTE. LOGO PORQUE ELE NÃO ESTÁ AQUI PRA SE DEFENDER.

ESTER: – VOCÊ ESTÁ SE ACHANDO, NÃO É, GAROTA? SE EU FOSSE VOCÊ, NÃO FICARIA TÃO ANIMADINHA ASSIM. EM BREVE TUDO ISSO NÃO TERÁ PASSADO DE UM EQUÍVOCO.

JOANA: – PENSE O QUE QUISER ESTER. E AGRADEÇA A DEUS POR EU NÃO OS EXPULSAREM DE CASA. JÁ QUE A HERANÇA QUE O PAPAI DEIXOU, AGORA É MINHA.

JULIANO: – COMO ASSIM SUA? O PAPAI DEIXOU TUDO PARA  VITORIA.

JOANA: – SIM. EU SEI DISSO. MAS O VITORIA É MINHA FILHA, E COMO É MENOR DE IDADE, EU CUIDAREI DA SUA HERANÇA. O ADVOGADO MESMO FALOU QUE EU SERIA SUA TUTORA LEGAL, ATE ELE COMPLETAR A MAIORIDADE. NESTE CASO, EU SOU A HERDEIRA DO TODOS OS BENS DO MEU QUERIDO PAPAI.

JULIANO: – ESPERTINHA VOCÊ, NÃO?

ESTER: – E COM TODA ESSA SUA ARROGÂNCIA, O QUE PRETENDE FAZER? COLOCAR-NOS NO OLHO DA RUA?

JOANA: – NADA DISSO. EU QUERO É QUE VOCÊS CONTINUEM AQUI. POIS SERÃO DE GRANDE VALIA PRA MIM. E OUTRA COISA: QUERO QUE ME DIGAM ONDE ESTA MINHA FILHA. EU SEI QUE VOCÊS A COLOCARAM NUM ORFANATO, DEPOIS QUE PAPAI MORREU.

ESTER: COMO SABE DISSO?

JOANA: TENHO MEUS INFORMANTES. SE ME DISSEREM AONDE COLOCARAM MINHA FILHA, EU POSSO SER BOAZINHA COM VOCÊS.

ESTER: VOCÊ NUNCA VAI SABER ONDE ESTAR VITÓRIA. NUNCA!

JOANA: SEJA AMIGÁVEL, MINHA IRMÃ. ESTOU SENDO GENTIL COM VOCÊS.SE QUISEREM TER DIREITO NA HERANÇA QUE O PAPAI DEIXOU PRA MINHA FILHA… TERÃO QUE TRABALHAR.

ESTER: TRABALHAR?! ESTÁ LOUCA?

JULIANO: QUE TIPO DE TRABALHO?

JULIANO: (FAZ UMA PAUSA, PRA CRIAR SUSPENSE. REVELA) EU QUERO VOCÊS COMO MEUS EMPREGADOS.

ESTER E JULIANO: (JUNTOS) – EMPREGADOS?!

JULIANO: – ISSO MESMO QUE OUVIRAM: EMPREGADOS.

(NA REAÇÃO DE ESPANTOS DE ESTER E JULIANO, CORTA PARA….)

CENA 10 . CASA DE DANIEL E SÔNIA. QUARTO. INT/DIA.

DANIEL DE ROUPÃO, SAINDO DO BANHEIRO. SÔNIA SENTADA, PENTEANDO O CABELO.

DANIEL: SÔNIA, MEU AMOR, EU QUERO TE PERGUNTAR UMA COISA A VOCÊ.

SÔNIA: FALE.

DANIEL: DÁ ONDE VOCÊ CONHECE A JOANA?

SÔNIA: A JOANA? SEI LÁ, NÃO LEMBRO. PARECE QUE UMA AMIGA DE MAMÃE, QUE ME INDICOU ELA.

DANIEL: SEI. E DA ONDE ELA É?

SÔNIA: DO INTERIOR. É MUITO DISTANTE DAQUI. (CURIOSA) PORQUE VOCÊ QUER SABER TUDO ISSO?

DANIEL: NÃO. NADA. É QUE ELA TRABALHA Á TEMPO CONOSCO, FICOU CURIOSO. A GENTE NUNCA SABE A VIDA DOS CRIADOS.

SÔNIA: A JOANA NÃO É CRIADA! TEM SIDO UMA MÃO NA RODA PRA NÓS. É UMA ESPÉCIE DE GOVERNANTA.

DANIEL: E ESSA VIAGEM DE UMA HORA PRA OUTRA? ELA NÃO TE DISSE?

SÔNIA: SIM. PARECE QUE FOI VISITAR UNS FAMILIARES QUE TEM NO INTERIOR.

DANIEL: ENTÃO, ELA TEVE VIDA ANTES DE VIR MORAR CONOSCO?

SÔNIA: CLARO! TODO MUNDO TEM SUA VIDA, DANIEL.

DANIEL: É. MAS EU ACHO ESSA VIAGEM MUITO SUSPEITA.

SÔNIA: SUSPEITA? COMO ASSIM?

DANIEL: COISA MINHA.

SÔNIA: PARA DE IMPLICÂNCIA. A JOANA É UMA BOA MOÇA.

DANIEL: TUDO BEM. VOCÊ QUE SABE.

CORTA PARA…

CENA 11. CASA DE BENEDITO. SALA. INT/DIA.

CONTINUAÇÃO DA CENA 9. OS TRÊS CONTINUAM DISCUTINDO.

ESTER: – QUANTA AUDÁCIA. QUEM VOCÊ PENSA QUE É? A RAINHA DA INGLATERRA?

JOANA: – CLARO QUE NÃO. SE FOSSE, VOCÊS HÁ MUITO TEMPO ESTARIAM LONGE DAQUI. COMO EU SOU BOAZINHA, ESTOU DANDO UMA OPORTUNIDADE DE OURO A VOCÊS.

JULIANO: – ESTER… VAMOS ACEITAR A CHANCE QUE ELA NOS TÁ DANDO.

ESTER: – O QUE? VOCÊ TÁ ME PEDINDO PRA EU ACEITAR A SE HUMILHAR A ESTA INFELIZ?

JOANA: – SE NÃO ACEITAR, A PORTA DA RUA E A SERVENTIA DA CASA. EU NÃO VOU ACEITAR NA MINHA CASA DOIS VAGABUNDOS SEM NADA FAZER.

JULIANO: – ACEITA ESTER, É O MELHOR QUE TEMOS A FAZER. NÃO TEMOS ALTERNATIVA.

ESTER: (DEPOIS DE PENSAR, A CONTRAGOSTO) – TUDO BEM. EU VOU ME SACRIFICAR A ESTA CALAMIDADE.

JOANA: – ÓTIMO. AGORA, TRATEM DE IR TIRANDO ESTAS ROUPA E COLOCAR UMA ADEQUADA PARA AS TAREFAS DOMÉSTICAS.

JULIANO: – ISTO JÁ É DEMAIS. JÁ NÃO BASTA TER QUE TRABALHAR! AGORA VESTIR ROUPAS DE EMPREGADOS. ISSO NÃO!

JOANA: – DEIXA DE CHILIQUE!

ESTER: – E VEM CÁ MOCINHA, O QUE A GENTE VAI GANHAR COM ISSO?

JOANA: – VOCÊS IRÃO GANHAR: CASA, COMIDA, DORMIDA E ROUPA LAVADA. O QUE PODE SER MELHOR DO QUE ISSO?

ESTER: – VOCÊ NÃO VALE NADA MESMO.

JOANA: – EU VALHO, SIM! 26 MILHÕES E OUTRAS COISAS A MAIS. É POUCO?

JULIANO: – ISSO NÃO VAI FICAR ASSIM, VIU, JOANA, NÃO VAI MESMO.

JOANA: – ESTÁ ME AMEAÇANDO, JULIANO? SE EU FOSSE VOCÊ NÃO OUSARIA TANTO.

ESTER: – ESSE ERA O SEU SONHO, NÃO ERA? VER-NOS DERROTADOS, SE HUMILHANDO A VOCÊ?

JOANA: – CONFESSO QUE O MEU SONHO ERA UM POUCO REMOTO. MAS VER VOCÊS AÍ, NESTAS CONDIÇÕES, ME DÁ UM POUCO DE ÂNIMO.

ESTER: – MISERÁVEL!

JOANA: – CHEGA! EU QUERO RESPEITO. DESDE QUE CHEGUEI VOCÊ ME FALA MAL. DA PRÓXIMA VEZ, EU LHE PARTO A CARA. ESTRUPÍCIO. MAL-AMADA.

JULIANO: – CHEGA NÉ, GENTE? A TROCA DE ELOGIOS ESTÁ ME DANDO ENJOO.

(JOANA SE SENTINDO DONA DA SITUAÇÃO.)

NINA: – AGORA, EU QUERO QUE VOCÊS ME DIGAM, EM QUAL ORFANATO VOCÊS COLOCARAM MINHA FILHA?

(NA REAÇÃO DE ESPANTO DE ESTER E JULIANO.)

CORTA PARA…-” ”>-‘.’ ”>

LEIA MAIS DESTE CONTEÚDO:

A Widcyber está devidamente autorizada pelo autor(a) para publicar este conteúdo. Não copie ou distribua conteúdos originais sem obter os direitos, plágio é crime.

  • Joana já ganhou minha torcida. Coloca esses irmãos no lugar deles! Parabéns pela novela, Nathan!

  • Joana já ganhou minha torcida. Coloca esses irmãos no lugar deles! Parabéns pela novela, Nathan!

  • Pesquisa de satisfação: Nos ajude a entender como estamos nos saindo por aqui.

    Você também poderá gostar de ler:

    Você também poderá gostar de ler:

    >
    Rolar para o topo