o leaao
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on tumblr

CENA 01. APARTAMENTO RAUL. SALA. INT. NOITE.

Continuação da última cena do capítulo anterior. Raul, Helena e Marcos em conflito. Todos de pé na sala.

RAUL
Helena, não entra em choque…

HELENA (corta)
Não preciso que me diga o que fazer. Ainda mais você. (a Marcos) E você, que decepção! Na véspera do seu casamento e na frente de todo mundo. Um vexame pra nossa família. Onde é que você estava com a cabeça? Seduziu uma moça inocente e traumatizada e, como levou um fora, agarrou e estuprou a moça. Você tem ideia do que fez, Marcos? Isso pode te jogar na cadeia!

MARCOS
Deixa eu me explicar…

HELENA
(grita) Ainda não acabei! (volta ao tom anterior) Você deu um grande presente à sua noiva, sabia? Ela já não queria casar e conseguiu o que queria, graças à sua total irresponsabilidade. Pra não dizer mais coisas. A imprensa já está a todo vapor com o novo escândalo da Bellatex. Amanhã mesmo saem notícias em todos os jornais. Fofoqueiros não param de me ligar. Só não está tocando agora, porque desliguei o celular.

MARCOS (chora)
Não é nada disso que a Solange está falando.

HELENA
E ainda ousa falar da Solange? Pensei que tivesse criado um homem, mas me enganei completamente. Você agora se saiu pior do que o Mário. No fundo, criei um estorvo igual ao seu pai.

RAUL
Helena, meça suas palavras!

HELENA
Estorvo sim! Imaturo! Não sei como pude me casar com você. (ao filho) Mas já sei como resolver. Você, Marcos, vai se casar o quanto antes com a Solange.

MARCOS
Mãe?

HELENA
Nem um piu! Você vai ter que ser homem de pelo menos assumir a moça. Fato consumado.

CENA 02. SÃO PAULO. EXT. DIA.

Sonoplastia (até a cena 03): Do It – Lenine.

Amanhece. Imagens de pessoas andando pela cidade.

CENA 03. APARTAMENTO IVAN. SALA. INT. DIA.

Ivan termina de preparar o café da manhã; ouve música. Mais animado. Senta à mesa e bebe suco. Pega o jornal que está em cima da mesa. Lê a manchete: “Exposição de pintor acaba em escândalo: estilista famosa traída por herdeiro da Bellatex”. Ele fala sozinho.

IVAN
Essa é a família para qual meu filho trabalhava. Hora de desvendar mais podres dessa sagrada família. Vai que é tua, Ivan.

Ele coloca o jornal sobre a mesa e come o sanduíche.

CENA 04. BELLATEX. SALA HELENA. INT. DIA.

Helena e Nelson conversam sentados.

NELSON
Letícia me disse que a Solange não quis denunciar o Marcos.

HELENA
Isto é bom sinal. Menos uma dor de cabeça. A polícia batendo aqui à porta, prisão, processo, justiça? Nem quero imaginar. É sensato da parte dela, embora ela possa procurar a justiça por seus direitos.

NELSON
Acredito que ela esteja fazendo em respeito e gratidão a você, Helena. Por tudo que tem feito pra ajudá-la.

HELENA
Faço o que posso. E Letícia?

NELSON
Agora quer focar inteiramente na nova coleção. Já passou na igreja para desmarcar o casamento, e seguiu direto pro trabalho.

HELENA
Melhor assim. Quanto ao Marcos, tomei a melhor decisão que poderia.

CENA 05. APARTAMENTO IVAN. SALA. INT. DIA.

Ivan mexe no celular novo. Fala sozinho.

IVAN
Acho que estou pegando o jeito. Aqui é a câmera, ali pra ligar, aqui pra baixar coisa… Gostei. (toca sinal, lê algo) Ela está me convidando pra jantar. Não perco isso por nada. (digita) Pronto, confirmado! (sorri)

Ivan põe o celular no bolso e sai de casa.

CENA 06. MANSÃO HELENA. FRENTE. EXT. NOITE.

Sonoplastia: Atlântida – Rita Lee.

Anoitece. Imagens da fachada.

CENA 07. MANSÃO HELENA. SALA. INT. NOITE.

Helena, Raul, Marcos, Virgínia e Solange sentados no sofá. Solange finge tristeza e não olha para Marcos.

VIRGÍNIA
Mãe, que horas sai o jantar? Tô morta de fome.

RAUL
Já estão todos aqui, Helena.

HELENA
Ainda não. Falta uma pessoa.

MARCOS
Quem? Alguém de fora pra ver essa encenação. Não tem necessidade.

HELENA
Tem sim, pois você não poupou esta pessoa do espetáculo. Agora aguente as consequências. E ela vai participar sim desse encontro.

RAUL
Não vai me dizer que é a Letícia.

Nágila vai até a porta para receber Ivan. Ele entra. Todos, menos Helena e Virgínia, ficam chocados.

IVAN
Com licença. Boa noite a todos.

HELENA
Aproxime-se, Ivan, por favor.

RAUL
Você convidou esse cara pra… Não posso acreditar.

IVAN
Se minha presença incomoda, posso sair. Não quero causar transtornos.

MARCOS
Pois já causou. Mãe, isso já é exposição demais. Nem conhecemos esse cara direito.

HELENA
Esse cara que você diz foi o anfitrião do evento que você manchou com sua atitude, Marcos. Devemos desculpas e satisfações a ele.

IVAN
Não se incomodem com isso. Entendo perfeitamente.

HELENA
Faço questão. Agora vamos todos à mesa. Mande servir, Nágila.

Helena olha séria para Marcos e Raul. Estes encaram Ivan, que finge estar envergonhado.

CENA 08. MANSÃO HELENA. SALA JANTAR. INT. NOITE.

Helena à beirada da mesa; Ivan de frente para Solange, ambos próximos de Helena; Marcos ao lado de Solange; Raul e Virgínia nas outras cadeiras.

HELENA
Chamei todos para celebrarmos hoje o noivado de Marcos e Solange. (pausa) Vamos, Marcos, faça o pedido.

Marcos tenso, apreensivo. Closes alternados entre os personagens, enquanto Ivan tira suas conclusões sobre um a um.

IVAN (VO)
Helena, a chefe dominadora e burguesa; Marcos, o filho submisso e inseguro; Raul, o ex-marido fraco e mulherengo; Virgínia, a menina sonhadora que não tem aprovação dos pais. E Solange, a noiva. Uma incógnita. Ainda não tenho conclusões sobre ela.

HELENA
Marcos, o que está esperando?

MARCOS (com medo)
Solange, olha pra mim. Preciso te pedir desculpas pelo que te fiz ontem. Não era meu direito abusar de você. Fui covarde e cruel. Uma pessoa a quem admiro muito desde que chegou aqui. É por isso que peço sua mão em casamento. Você aceita?

SOLANGE (finge medo)
Sim. Aceito.

Uns instantes de silêncio. Em seguida, Helena toma a palavra.

HELENA
Que assim seja feito. Vamos fazer os preparativos para um grande casamento. E este não será dissolvido em hipótese nenhuma. Entendido, Marcos?

MARCOS
Sim, mãe.

Sonoplastia: suspense. Ivan observa e analisa atentamente cada reação nos demais. Closes alternados entre os personagens.

CENA 09. MANSÃO HELENA. SALA. INT. NOITE.

Ivan e Helena conversam.

IVAN
O jantar estava ótimo.

HELENA
Que bom que gostou. Venha jantar outras vezes.

IVAN
É só me convidar.

CAM em Raul e Marcos, em outro canto da sala.

RAUL
Olha só como ela trata o sujeito? Toda simpática, educada. Com ele, sua mãe sai literalmente do pedestal de megaempresária sisuda. Não me conformo.

MARCOS
Também não vou com a cara dele.

CAM volta para Ivan e Helena. Ele observa o jeito cabisbaixo de Solange.

IVAN
Helena, você me dá licença? Vou conversar um pouco com ela.

HELENA
Toda. Vai fazer bem a ela.

Ivan se aproxima de Solange.

IVAN
Posso conversar um pouco com você?

SOLANGE
Claro. Como vai, seu Ivan?

IVAN
Me chame só por Ivan. Não tivemos nenhum momento juntos. Olha, sei o quanto o Mário era importante na sua vida, assim como ele foi na minha. Por isso, acho que precisamos nos fortalecer juntos para superarmos a perda dele.

SOLANGE
O Mário me decepcionou muito. Só quero esquecê-lo.

IVAN
Acredite em mim. Ele não roubaria um centavo, quanto mais milhões de dólares do lugar onde trabalhava. Ele amava a Bellatex. Sei que é difícil acreditar nisso sem provas, mas tudo vai se esclarecer.

SOLANGE
Não tenho a mesma esperança. Pra mim a vida tem sido muito dura, como você mesmo vê aqui.

IVAN
Sinto muito sua situação com Marcos. Mas, em relação ao Mário… Bem, se quiser um amigo, me procure. Tá bom?

Ivan abraça e dá um beijo na testa de Solange. Afasta-se dela. Helena o leva até a porta de saída; despede-se dele. Ivan sai. Helena fecha a porta. CAM em Marcos revoltado.

CENA 10. BELLATEX. FACHADA. EXT. DIA.

Sonoplastia: Cremoso – César Camargo Mariano.

Amanhece. Imagens da fachada da empresa.

CENA 11. BELLATEX. SALA NELSON. INT. DIA.

Raul está muito agitado, anda de um lado pro outro. Nelson sentado à mesa.

NELSON
Raul, senta e respira. (Raul obedece) Se o jantar foi um sucesso, se o Marcos pediu a moça em casamento, então por que essa agitação toda?

RAUL
Você nem imagina quem a Helena chamou para o jantar.

NELSON
A Letícia?

RAUL
Antes fosse. Foi o pintorzinho xexelento.

NELSON
E qual é o problema? Não foi na exposição dele que o Marcos aprontou? Nada mais justo. Acho bonito da parte da Helena.

RAUL
Acorda, Nelson! Ela está derretida no cara. Sabe aquela pose magnânima que ela tem? Ela não faz pra ele.

NELSON
Você está vendo coisas. Falando nisso, a Isadolly ligou revoltada porque você a deixou plantada no motel. Está lá até agora, esperando você pagar as diárias.

RAUL
Caramba! Esqueci completamente. Vou correndo lá. Me encontra em casa, depois das sete.

NELSON
Combinado!

Raul sai correndo. Nelson ri; depois, lê e assina documentos.

CENA 12. APARTAMENTO SOLANGE. SALA. INT. DIA.

Solange entra feliz da vida, rindo como uma hiena. Pedro assiste a um filme na TV.

PEDRO (ironia)
Nossa, quanto tempo?

SOLANGE
Saiba que esse tempo valeu muito a pena. Já leu os jornais?

PEDRO
O golpe deu certo mesmo, vadia.

SOLANGE
Marcos que se prepare. O problema é que…

PEDRO (irrita-se)
Problema?

SOLANGE
O pai do cadáver agora resolveu frequentar a casa da madame. E pelo visto tá derretendo o coração gelado da bruxa.

PEDRO
Nossa, o cara é tão poderoso assim? Achei um cara tão comum na foto do jornal.

SOLANGE
A cara é de pastel mesmo, mas até que é charmoso o sujeito. O Raul tá puto de ciúmes, é até engraçado. (ri) Então, o Ivan quis conversar comigo, me dar apoio. Muito babaca. Teve o filho a quem puxar.

PEDRO
E a Letícia?

SOLANGE
Sumiu! Nunca mais apareceu. Fiz até um favor pra ela. (suspira) Não vejo a hora de botar a mão de novo no dinheiro daquela avestruz de salto alto. Mas antes quero matar as saudades daquilo que me faz louquinha.

Os dois se beijam ardentemente. Deitam-se no sofá, ela por cima de Pedro.

CENA 13. RESTAURANTE. FACHADA. EXT. DIA.

Ivan e Sérgio andam pela calçada.

IVAN
Em poucos minutos já tinha toda a leitura dos Albuquerque Diniz. Só falta desvendar o mistério por trás de Solange. E isso me excita. No bom sentido, claro. Almoça comigo?

Eles param em frente ao restaurante.

SÉRGIO
Não posso. Tenho uma consulta com cliente daqui a pouco. Acusado de manter relações com a mulher recém-falecida.

IVAN
Nossa! Esse mundo está de cabeça pra baixo. Ok, vou entrar. A gente se fala a qualquer hora.

SÉRGIO
Até mais!

Ivan entra no local. Sérgio continua seu percurso.

CENA 14. RESTAURANTE. INT. DIA.

Sonoplastia: música de restaurante. Ivan é atendido por um garçom, ao fundo. Helena, sozinha em uma das mesas, acena para ele. Ivan se aproxima. Ela se levanta e o cumprimenta. Ambos se sentam à mesa.

IVAN
Que honra vê-la novamente.

HELENA
Venho aqui sempre que me sobra um tempo para apreciar bons pratos.

IVAN (aponta o cardápio)
Já escolheu?

HELENA
Ainda não, cheguei há pouco. Começo sempre com um bom vinho.

IVAN
Garçom? (este se aproxima) O mesmo que ela, por favor.

Troca de olhares e sorrisos entre o pintor e a empresária.

CENA 15. MANSÃO HELENA. JARDIM. INT. DIA.

Marcos anda pelo jardim, em direção ao carro. Sonoplastia: suspense. Um repórter e um fotógrafo se aproximam ansiosos por notícia. Nágila corre atrás deles. O fotógrafo tira fotos.

REPÓRTER
Marcos Diniz, nos dê uma palavrinha sobre o escândalo na exposição de Ivan Rangel.

NÁGILA
Perdão, Marcos. Eles pularam o muro e driblaram a segurança.

REPÓRTER
Responda, por favor, Marcos. Como ficou a história?

MARCOS
Nada a declarar.

Marcos continua andando, com todos atrás dele.

REPÓRTER
É verdade que sua mãe o obrigou a casar com a mulher que você teria estuprado na…

Sonoplastia: suspense. Marcos se enfurece e agarra o repórter pela gola, ameaçando-o. É fotografado. Os seguranças chegam. Marcos solta o repórter e manda os seguranças colocarem os invasores para fora.

MARCOS (grita)
Fora daqui! Quero a segurança redobrada de todos os lados da casa.

NÁGILA
Que isso, seu Marcos? Sua mãe não vai gostar nada disso. Vai ficar uma arara.

MARCOS
Ela é uma arara. Uma arara que não para de berrar nos meus ouvidos. Agora me deixa trabalhar, Nágila.

Ele entra no carro e sai. Nágila preocupada.

CENA 16. RESTAURANTE. INT. DIA.

Continuação da cena 14. Ivan e Helena almoçam.

HELENA
O cordeiro está divino.

IVAN
Está mesmo. Sabia que cordeiro é minha especialidade? Qualquer dia te convido para comer um feito por mim. Até que sou bom na cozinha.

HELENA
Já eu sou uma negação. Ivan, sua companhia tem sido muito agradável.

IVAN
Bondade sua!

HELENA
É sério. Faz muito tempo que eu não me sentia tão bem ao lado de um homem. (pega nas mãos dele) Gosto do seu jeito protetor, do jeito que você fala do seu filho, do seu charme, da sua voz… Acho que estou gostando de você, Ivan.

IVAN
Não sei nem o que dizer, Helena. Mas saiba que eu gosto muito de você, também. Tem muitas qualidades que admiro numa mulher. Só acho muito cedo pra… sou muito apegado à minha esposa ainda. Não quero atropelar as coisas. Entende? Vamos ser bons amigos, por enquanto. Dar tempo ao tempo. Depois, se rolar…

HELENA
Como você quiser.

IVAN
Vai ser melhor assim, você vai ver.

Mais sorrisos e olhares entre eles.

CENA 17. SÃO PAULO. AVENIDA PAULISTA. EXT. DIA.

Ivan e Helena andam pela avenida.

IVAN
Você tem muito bom gosto. O restaurante é mesmo excelente.

HELENA
Depois posso te indicar outros lugares como esse.

IVAN
Quem sabe não vamos juntos a todos?

Eles param de andar; ficam de frente um para o outro.

HELENA
Quem sabe?

Sonoplastia: romântica. Ivan e Helena trocam sorrisos e olhares apaixonados. Rostos se aproximando.

Efeito de fim de capítulo: imagem congela. Sonoplastia: rugido de leão.

LEIA MAIS DESTE CONTEÚDO:

A Widcyber está devidamente autorizada pelo autor(a) para publicar este conteúdo. Não copie ou distribua conteúdos originais sem obter os direitos, plágio é crime.

  • Solange dissimulada! Deixa Ivan descobrir tudo, aí quero ver rs.
    Ótimo capítulo Marcelo 😉

  • Solange dissimulada! Deixa Ivan descobrir tudo, aí quero ver rs.
    Ótimo capítulo Marcelo 😉

  • Pesquisa de satisfação: Nos ajude a entender como estamos nos saindo por aqui.

    Você também poderá gostar de ler:

    Você também poderá gostar de ler:

    >
    Rolar para o topo