CENA 1. CAMPO DE FLORES. EXT. DIA

Continuação imediata da cena do capítulo anterior, com o tiro disparado.

Ansiedade extrema, aquele tiro silenciou o lugar de uma maneira impressionante.

Agora, com um tiro à queima-roupa, caiu no chão Alexandre. Daniela não aguentou e correu para Alexandre.

AUGUSTO  – Volte aqui, Daniela!

Ela nem deu ouvidos.

DANIELA  – (desesperada, ajoelhada ao lado de Alexandre) Alexandreeeee, não morra! Aguenta firme. (e começa a chorar)

Maria sente ciúmes intensos. Ela vai até Alexandre. Não estava tão desesperada quanto Daniela, mas faz cara de choro.

MARIA  – Meu amor, o que fizeram com você?! Eu disse pra você não ir enfrentar esse bandido sozinho. Olha só o que dá querer bancar o herói.

DANIELA  – Ei, não fale assim com ele.

MARIA  – E quem pensa que é pra me dizer o que tenho ou não que falar com o meu noivo.

Daniela fica chocada com a notícia.

MARIA  – Que foi? Ficou surpresa com a notícia?

Um silêncio.

Mas temos alguém baleado aqui, não é mesmo? Quem percebeu isso foi o rei Augusto.

AUGUSTO  – Temos chamar um médico pra atendê-lo. E rápido, ele está perdendo sangue.

DANIELA  – Então vai, rápido! Ele não pode perder mais sangue! (aponta para Carlota e Rogério) O que aqueles imprestáveis estão fazendo aqui?

ROGÉRIO  – Eu… eu…

DANIELA  – É! Vocês mesmos! Vão chamar um médico! Agora! A-go-ra!

AUGUSTO  – Minha filha, se acalme.

DANIELA  – Eu não quero ficar calma. Eu quero um médico aqui pra cuidar de Alexandre.

AUGUSTO  – Tudo bem mas…

DANIELA  – Eu não quero saber de nada. Vai você também com eles.

Augusto resolve ir com Rogério e Carlota para o castelo à procura do médico.

 

CENA 2. CARRUAGEM DA FAMÍLIA REAL FRANCESA

Augusto não consegue esconder o seu constrangimento. Essa não era a recepção esperada para a família real da França.

AUGUSTO  – Eu nem sei o que dizer. Eu peço mil desculpas.

ROGÉRIO  – Imagina. Esse mundo está cada vez mais perigoso, majestade. A França não está muito diferente.

AUGUSTO  – Mesmo assim, eu peço que aceite as minhas sinceras desculpas.

ROGÉRIO  – Desculpas aceitas.

Depois disso, eles passam mais ou menos um quilômetro em silêncio. Carlota resolve quebrar o gelo, e jogar um verde pra saber mais informações do reino.

CARLOTA  – Eu fiquei encantada com a disposição de sua filha em salvar a vida de um simples plebeu. (ela e Rogério se olham)

AUGUSTO  – Na verdade eu nem conhecia aquele rapaz. Eles devem se conhecer de algum lugar.

ROGÉRIO  – Então não sabe por onde sua filha anda?

Carlota dá um beliscão na costela do filho.

AUGUSTO  – O príncipe vai passar uma temporada em Veseli e vai saber como é o temperamento de minha filha. Se quer cortejá-la precisa conhecê-la bem.

ROGÉRIO  – Ela não me parece ter o perfil de que gosta de ser cortejada.

AUGUSTO  – Está na hora dela ter responsabilidades na vida, meu amigo. Afinal ela vai ser rainha. Vai ser não, já é.

Rogério se engasga.

AUGUSTO  – Está bem, príncipe?

ROGÉRIO  – Cof, cof, sim. A baba desceu para o lugar errado.

CARLOTA  – Olhe os modos, Rogério. Essa não foi a educação que lhe dei.

AUGUSTO  – (aliviado para se livrar do constrangimento) Chegamos! Bem-vindos ao castelo de Veseli.

Rogério e Carlota se impressionam com a suntuosidade do castelo. Mesmo sendo um reino pequeno, Veseli tinha um castelo mais luxuoso do que a França.

 

CENA 3. CASTELO. INT. DIA

Augusto entra no castelo apressado, à procura do médico do castelo. Rogério e Carlota continuam deslumbrados com a beleza do castelo.

Depois de algum tempo, Augusto volta com o Dr. Fernando. Rogério e Carlota estavam com preguiça de voltar àquele lugar e inventaram uma desculpa esfarrapada.

CARLOTA  – Majestade, eu acho melhor nós ficarmos aqui no castelo mesmo enquanto essa situação se resolve.

AUGUSTO  – Claro! Imagina. Vou chamar o mordomo para arrumar o quarto de vocês. Alfredo!

Alfredo chega, apressado.

ALFREDO  – Em que posso ajudar, majestade?

AUGUSTO  – Termine a preparação do quarto de rainha Carlota e príncipe Rogério.

ALFREDO  – Claro.

AUGUSTO  – E prepare um banho de sais para a rainha. Ela teve um estresse muito grande hoje.

ALFREDO  – Obviamente, senhor.

AUGUSTO  – Vou voltar com o Dr. Fernando. Fiquem à vontade.

 

CENA 4. COZINHA DO CASTELO. INT. DIA

Alfredo chega na cozinha para repassar a fofoca para a equipe toda.

ALFREDO  – A família real francesa chegou.

FÁTIMA  – E como eles são.

ALFREDO  – O príncipe tem cara de bundão e a rainha tem cara de nojo.

FÁTIMA  – Mais que a rainha Alice?

ALFREDO  – Quem você pensa que é pra falar com a rainha Alice desse jeito? Você é só uma subalterna. Ponha-se no seu lugar.

FÁTIMA  – E você se acha muito importante, né? Nem percebe que a rainha só o despreza e ainda fica correndo atrás dela.

MORGANA  – (chegando à cozinha) Concordo absolutamente com Fátima.

ALFREDO  – Que susto, sua bruxa! Não sabe bater na porta?

MORGANA  – Não preciso, meu amor. Sou íntima da família.

ALFREDO  – (baixinho) Por pouco tempo.

MORGANA  – O que disse?

ALFREDO  – Nada que seja da sua conta.

MORGANA  – Bem, de todo o modo só estou avisando que a rainha Carlota está querendo o banho de sais dela. Pode ir prepará-lo, serviçal.

Alfredo sai reclamando.

ALFREDO  – Já estou vendo que não terei vida fácil com essa megera dando ordens por aqui.

 

CENA 5. CAMPO DE FLORES. EXT. DIA

Daniela está muito aflita.

DANIELA  – Onde está o meu pai? Onde está o médico?

Alexandre estava muito fraco. O sangue perdido já começava a dar efeitos em seu corpo.

DANIELA  – Por favor, não enfraqueça, meu amor.

Essa frase saiu tão naturalmente que Daniela demorou para perceber o que tinha dito. E o rebuliço foi grande. Maria imediatamente ficou brava como uma leoa. Só não partiu pra cima de Daniela porque Patrício e Odete a segurou.

MARIA  – Escuta aqui, sua princesinha insolente! Você sabia que ele é noivo? Isso mesmo. Noivo. Meu noivo. Nós íamos marcar a data do casamento hoje se não fosse esse contratempo.

DANIELA  – Contratempo? Você é burra ou o quê? Alexandre podia ter morrido!

O barraco estava se desenvolvendo, e quem estava gostando muito disso era Alice. Os olhos da rainha estavam brilhando.

ALICE  – (pensando) Essa Maria tem futuro. Pode ser uma aliada importante.

A confusão se desfez quando a carruagem chegou com Augusto e o Dr. Fernando.

FERNANDO – Meu Deus! O caso é mais grave do que eu imaginava.

Ele rapidamente atende Alexandre retira a bala, que estava alojada na costela dele.

Agora a guerra de Daniela e Maria se dava por meio de olhares.

Todos estavam apreensivos e acompanhavam o trabalho do médico. Odete estava chorando, nunca imaginou seu filho numa situação dessa. Estava rezando desesperadamente. Augusto foi consolar Daniela, que estava chorando também.

Aproximadamente meia hora depois, Dr. Fernando terminou o procedimento.

DANIELA  – Então, doutor, ele vai ficar bem?

FERNANDO – Ele teve muita sorte. Deus estava com ele com certeza. Mas ainda está muito fraco. Precisa ficar em observação por um mês pelo menos.

DANIELA  – Então ele vai ficar no castelo, está decidido.

MARIA  – O quê?

Foco na cara de Maria.

 

 

A Widcyber está devidamente autorizada pelo autor(a) para publicar este conteúdo. Não copie ou distribua conteúdos originais sem obter os direitos, plágio é crime.

LEIA MAIS DESTE CONTEÚDO:

Pesquisa de satisfação: Nos ajude a entender como estamos nos saindo por aqui.

>
Rolar para o topo