6 DESEMPREGADOS E UM HOSTEL

 

Por

Marcus Costa

 

 

SEASON 1 EPISODE 2

S1E2 – 6D1H

“RENOMEAR”

FADE IN:

1    INT. TEATRO – NOITE

Jasmim e Ator no pequeno palco da cidade. Em cena, Ator segura uma faca.

JASMIM

Não faço isso, Pedro! Entendes que a complexidade daquela víbora está além das nossas compreensões. Ela usará isso ao favor dela e nos destruirá.

ATOR

Preciso fazer algo para vingar as nossas famílias. Ela não pode ficar impune!

Ator solta a faca, ajoelha e chora.

JASMIM

(disfarçando o sorriso)

Pedro, vai ficar tudo bem! Nossa mãe… nossa mãe, ela…

Jasmim tenta segurar o riso, mas não resiste e gargalha. Todos na plateia riem juntos.

ATOR

Novamente, Jasmim?

JASMIM

Espera, espera. Desculpa, vamos de novo!

ATOR

Acho que vai perder rápido esse papel!

JASMIM

Espera aí, essa não é sua fala. Está me criticando é?

Ator sai do palco. Fecham-se as cortinas.

CORTA PARA

2    INT. BACKSTAGE – NOITE

Diretor, Jasmim e Ator estão nos bastidores.

DIRETOR

(enfurecido)

Chega, Jasmim. Você está demitida!

JASMIM

Não, espera aí. Estamos na primeira sessão, não vão encontrar uma atriz de última hora assim pra dar sequência nas sessões.

DIRETOR

Você não está no papel mais, Jasmim. O problema não é seu!

JASMIM

Tá, mas… quem vai me substituir?

DIRETOR

Será um monólogo! Chega de perguntas, pegue suas coisas e você não está mais com a galera estranha que você trabalhava!

JASMIM

(sorri)

Será um monólogo? Ah, essa eu quero ver. Vou comprar o ingresso e vou assistir de camarote a derrota desse drama pra um humor pior que stand up comedy.

Jasmim sai e bate com força a porta. A pessoa da equipe da produção entra.

PESSOA 1

Diretor, estão pedindo o dinheiro de volta.

DIRETOR

Sério? Me conta algo que eu não saiba. Deixa que eu resolvo.

Diretor sai e igualmente bate a porta. Ator e Pessoa se olham.

CORTA PARA

3    INT. POUSADA – QUARTO – NOITE

Jasmim chora nos braços de Angel.

JASMIM

Eu dei o meu sangue por aquela peça! Aquele ingrato que chora feito hiena, eu… eu tentei ajudar. Mas ele é muito ruim. Como alguém pode ser ator e não consegue nem chorar normal.

ANGEL

Chora, amiga. Vai passar logo, você vai ver.

JASMIM

Como eles puderam me trocar por aquele ator medíocre! Já imaginava a próxima peça fazendo em uma grande cidade e um caça talento indo em meu camarim atrás da próxima estrela da novela das nove.

Chora copiosamente. Angel a consolando.

CORTA PARA

4    EXT. ALBERGUE – FRENTE – DIA

Andy numa escada consertando a fiação do lado de fora do albergue. Mike lixa o portão, enquanto Brutus chega com mais ferramentas. Antes de chegar próximo da frente do albergue, o PREFEITO PAÇOCA RIBEIRO, 65 anos, moreno, cabelos pretos pintados com tinta, barba sempre feita, homem capaz de convencer o detector de mentiras com suas palavras e promessas, se aproxima para conversar com Brutus.

PREFEITO PAÇOCA

Bom dia, meu caro… (pausa) meu nobre cavalheiro.

BRUTUS

Bom dia, Prefeito. Não lembra do meu nome, não é?

PREFEITO PAÇOCA

Claro que lembro, meu caro, Bru… Bruno!

BRUTUS

Brutus, Prefeito Paçoca. Brutus.

PREFEITO PAÇOCA

Claro, meu filho. Brutus, e como vai seu avô?

BRUTUS

O senhor quis dizer, minha avó?

PREFEITO PAÇOCA

Sim, sim, ela mesmo. Melhorou da cabeça?

BRUTUS

Da cabeça?

PREFEITO PAÇOCA

Sim, ela tinha, assim… os parafusos a menos e tal.

BRUTUS

(sorri)

Sim, ela mesmo. Mas ela não tem parafusos a menos só porquê não quis votar no senhor, Prefeito.

PREFEITO PAÇOCA

Amigo, bom amigo, essa conversa é pra outra hora.

Sorri e cumprimenta vigorosamente a mão de Brutus.

PREFEITO PAÇOCA

Fiquei sabendo que ganharam a herança da dona Margot. Bela espelunca, né? Quer dizer, albergue, belo albergue! E quem são os novos moradores que chegaram ontem na pousada do caríssimo José Antunes?

BRUTUS

As notícias correm rápido, né Prefeito! São antigos moradores da cidade. Foram meus colegas de turma e antigos alunos da professora Margot!

PREFEITO PAÇOCA

E por que você acha que ela fez isso, meu caro Brutus? Por que não deixou esse lugar pra prefeitura?

BRUTUS

Não sei, prefeito. Ela disse alguma coisa relacionada a travessura de professora, não entendi direito.

PREFEITO PAÇOCA

Ah, sim. É o mal dela mesmo. Arrancou todo o dinheiro da prefeitura por quase sessenta anos sendo professora, agora quis fazer caridade pra antigos alunos!

BRUTUS

Como é que é, Prefeito?

PREFEITO PAÇOCA

Nada, caro eleitor. Apenas vaguei em pensamentos audíveis.

CORTA PARA

5    INT. POUSADA – QUARTO – DIA

Suzi, Angel e Jasmim conversam. Jasmim deitada chorando com vários lenços espalhados em cima da cama. Angel segurando um laptop com as pernas cruzadas e Suzi pintando as unhas do pé direito.

SUZI

Meninas, acabei de ter uma ótima ideia.

ANGEL

Não está vendo que a Jasmim tá morrendo de chorar?

SUZI

Tá, que seja! Durante meu banho, cantava minhas músicas do pop americano quando de repente surgiu um nome na minha cabeça!

JASMIM

(assoando o nariz)

Deixa eu adivinhar. O nome era Brian?

SUZI

Não, menina. Sobre a herança, o novo nome do albergue.

JASMIM

Esquece, Suzi. Não vai ter nome de nenhum cachorro pinscher!

Suzi levanta da cama e joga o braço direito como se escrevesse a palavra no ar.

SUZI

“Hostel!” “O hostel feito para os turistas na cidade!”.

ANGEL

O nome é uma frase de efeito?

JASMIM

Desculpa, Suzi. A galera do interior não vai entender o que é hostel. Nem todo mundo tem a sua cultura norte-americana.

ANGEL

“Nosso Hostel!”, que tal? Somos vários donos. Seria legal. Teríamos nossa marca nessa cidade. Os turistas iam amar.

Suzi animada, bate palmas enquanto as duas ficam sem reação.

CORTA PARA

6    EXT. ALBERGUE – FRENTE – PRAÇA – DIA

Andy, Mike e Brutus ainda estão organizando e arrumando a frente do albergue.

MIKE

Cadê as meninas? Não somos os únicos donos dessa casa caindo aos pedaços. Precisamos da ajuda delas.

ANDY

Calma, Mike. Elas vão vir. E esse trabalho pesado nós temos que fazer. Ou vai deixar as jovens da praça vendo que quem pega no pesado são as garotas?

MIKE

Você tem ótimos argumentos, meu caro dono dos brinquedos da Disney. Agora entendo o porquê era seu amigo quando éramos da escola.

BRUTUS

Mike, vem me ajudar aqui!

Brutus serra os galhos da árvore ao lado da casa. Mike está embaixo da árvore e observa as jovens na praça olhando para ele, manda uns beijos e é atingido por pequenos galhos que caem da mão de Brutus.

MIKE

Tá me fazendo passar vergonha na frente das garotas, oh, amigo do ogro verde!

ANDY

Calma aí, Mike. Ajuda mais e fala menos, por favor.

MIKE

Tá pensando que tu é quem pra falar assim comigo, em rapaz? Minha mãe?… está achando que é minha mãe?

BRUTUS

Pega leve, Mike. Tá passando vergonha na frente das garotas!

Mike volta a ajudar Brutus com os galhos. Continua sorrindo para as garotas e olha com raiva para Andy, que retribui um leve sorriso.

LETREIRO: “Algumas horas depois…”.

CORTA PARA

7    INT. ALBERGUE – RECEPÇÃO – DIA

Mike limpa a recepção, enquanto Andy desinstala alguns armários e Brutus o ajuda. Suzi chega com vários papéis nas mãos. Jasmim traz uma placa e banners enrolados. Angel acompanha, entra em seguida.

SUZI

Meninos, tivemos uma ótima ideia para iniciar o dia!

MIKE

Já está quase anoitecendo, Suzi. Do que você está falando?

JASMIM

Fomos atrás de quem faz placas e fizemos vários folhetos para entregar pela cidade.

MIKE

Você também não queria vender sua parte, Jasmim?

JASMIM

Isso foi antes de ser demitida. Agora preciso de algo para me sustentar.

MIKE

Claro, que ótimo. Agora a hippie se juntou a galera que quer ser dona do estabelecimento de mendigos.

ANGEL

Queremos só um trabalho, Mike. Olha, todos nós estamos sem emprego. Tem alguém que pague suas contas, que te ajude nos seus sonhos? Não, não temos ninguém, pessoal. Só temos um ao outro.

SUZI

Legal, começou a sessão de terapia.

JASMIM

Enfim, galera. Olhem o letreiro que fizemos e os panfletos!

Jasmim mostra os folhetos e os banners.

MIKE

Nosso hostel? O povo daqui vai achar que escrevemos hotel errado.

ANGEL

Mike, meu amor. Nos poupe de seus comentários desnecessários e sutil desinteligência e vamos focar no que interessa.

JASMIM

Wow, Angel mostrou as garras. Isso ai, amiga!

SUZI

Meninos, possui o mesmo significado que albergue, então resolvemos mudar pra dar um ar de modernidade pra esse lugar. Certeza que muitos turistas vão preferir aqui ao invés da pousado do titio vovozinho ali.

ANDY

Tudo bem, meninas. Então vamos fazer assim: Mike sai para distribuir os folhetos amanhã cedo, Brutus e eu continuamos na reforma da fachada. Suzi e Angel limpam os banheiros, cozinha e lavanderia. Porém, finalizando tudo temos que estar todos aqui pra remodelar a recepção e a sala de estar antes do final de semana.

JASMIM

Querido, quem disse que você está no comando? Quem te escolheu pra ser líder? Eu não fui.

SUZI

Lavar banheiro? Nunca limpei nada em toda minha vida!

MIKE

Pois agora vai limpar, burguesinha. Não esqueça das privadas.

SUZI

Privadas? Primeiro eu vou limpar é sua boca, moleque.

Suzi pula para agarrar o pescoço de Mike, mas Brutus a segura. Todos ajudam a separar a briga, Mike sorri enlouquecidamente de Suzi.

CORTA PARA

8    INT. PREFEITURA – GABINETE – DIA

Prefeito Paçoca sentado em sua confortável cadeira e José Antunes andando de um lado para o outro.

JOSÉ ANTUNES

Prefeito, nós da associação dos moradores exigimos que o senhor mude o nome da nossa cidade.

PREFEITO PAÇOCA

Veja bem, caro cidadão. A tramitação é muito demorada. Nossa cidade possui outras prioridades. Temos o hospital pra construir que nunca saiu do papel. Temos o shopping que com fé em Deus e contando com o voto de vocês, meu filho, Paçoca Filho, concluirá e dará a vocês mais entretenimento e diversão… (pausa) Veja, caro Antunes, nosso povo é tão sofrido. Com salários tão minguados, empregos tão desgastantes. Nosso povo também precisa de alegria, entusiasmo para iniciar o novo dia.

JOSÉ ANTUNES

Por que não conversa comigo como pessoa, cidadão dessa cidade. Parece que fala como se estivesse sempre em um palanque!

PREFEITO PAÇOCA

Meu querido amigo, não precisamos de embates políticos. Precisamos de união. Mais que isso, precisamos de muita alegria para o nosso povo ter saúde para dar e vender.

JOSÉ ANTUNES

Nós mandamos para a câmara legislativa um projeto para alterar o nome de nossa cidade. Precisamos da sua pressão lá para mudar isso.

PREFEITO PAÇOCA

Meu digníssimo cidadão. Veja bem… (interrompido)

JOSÉ ANTUNES

Veja bem, nada, Prefeito. Ou o senhor manda isso com caráter de urgência ou conto para todos na cidade sobre seus planos… (interrompido)

PREFEITO PAÇOCA

Meu amigo, José Antunes. O senhor tem descontos da prefeitura, tem regalias e privilégios que nenhuma pousada no Brasil possui. Quer mesmo me desafiar?

Os dois fitam os olhos simultaneamente um do outro.

JOSÉ ANTUNES

Meus clientes não ouvem coisas boas da cidade por ter o nome de Propina Grande! Quem dá um nome desse pra uma cidade, Prefeito?

PREFEITO PAÇOCA

Propina significa riqueza, meu nobre Antunes.

JOSÉ ANTUNES

Estou perdendo clientes. Turistas não gostam desse nome, principalmente os norte-americanos que fazem bastante trilha pela cidade. E agora, tenho concorrência ao lado da minha pousada. Espero que senhor já tenha planos para aquele lote.

PREFEITO PAÇOCA

Fui lá hoje, visitei aquela pocilga. Não ficam muito tempo ali. É só questão de tempo. Vão vender num piscar de olhos. Não sei qual foi a ideia louca que dona Margot teve na cabeça de deixar pra essa galera da cidade. Mas enfim, temos o projeto de construir um restaurante ao lado de sua pousada, assim haverá aumento na sua clientela e lhe será dado mais visibilidade na cidade.

JOSÉ ANTUNES

Cumpra com seus acordos, Prefeito.

PREFEITO PAÇOCA

Cumprirei, meu caro citadino.

CORTA PARA

9    INT. POUSADA – QUARTO – NOITE

Jasmim, Suzi e Angel estão sentadas no chão com um pote de pipoca.

JASMIM

O Andy tem espírito de liderança, né?

SUZI

Ficou gamado nele, não é, amiga?

JASMIM

Claro que não!

ANGEL

Meu irmão é super gente boa e muito trabalhador. Vim pra cá porquê ele tinha planos de vir pro interior. Aí acompanhei ele, pra talvez tentar algo novo por aqui.

SUZI

Então vamos inaugurar no sábado mesmo?

JASMIM

Acho loucura, temos poucos dias até o final de semana.

ANGEL

O novo nome ficou legal, não é? “Nosso hostel!” Agora ele parece nosso mesmo.

SUZI

Não viaja, garota. Vamos reformar e passar esse negócio para alguém, ou até mesmo vender. Com tudo arrumado, certeza que vale mais do que pensamos.

CORTA PARA

10    INT. POUSADA – ROL DE QUARTOS – NOITE

José Antunes escuta atrás da porta do quarto das meninas com um lençol cobrindo sua cabeça. Andy chega no rol.

ANDY

Opa, licença. Esqueceu alguma coisa por aqui?

José Antunes se esconde e cobre o corpo com o lençol.

JOSÉ ANTUNES

(imitando voz feminina)

Achei que fosse meu quarto, rapaz. Desculpe o incômodo, garotinho.

José Antunes desce a escada e Andy repara nas pernas bem cabeludas.

FADE OUT:

 

FIM

 

“Esta é uma obra de ficção baseada na livre criação artística e sem compromisso com a realidade.”

 

GLOSSÁRIO:

Citadino – aquele que é natural ou habitante de cidade.

Propina – (um dos significados) quantia que se oferece ou paga a alguém para induzi-lo a praticar atos ilícitos; suborno.

 

A Widcyber está devidamente autorizada pelo autor(a) para publicar este conteúdo. Não copie ou distribua conteúdos originais sem obter os direitos, plágio é crime.

LEIA MAIS DESTE CONTEÚDO:

Pesquisa de satisfação: Nos ajude a entender como estamos nos saindo por aqui.

>
Rolar para o topo