6 DESEMPREGADOS E UM HOSTEL

Por

MARCUS COSTA

 

 

SEASON 1 EPISODE 5

S1E5 – 6D1H

“DUPLICAR”

FADE IN:

1    INT. CASA DA AVÓ DE BRUTUS – COZINHA – DIA

Avó de Brutus entra na cozinha com muitas sacolas.

AVÓ DE BRUTUS

Meu filho, me ajude com as compras!

BRUTUS

Vó, eu já avisei a senhora pra não ir no mercadinho sem mim.

AVÓ DE BRUTUS

Oh, meu neto. Entendo sua preocupação, mas não vou deixar meus afazeres só por que não te chamei.

BRUTUS

Vó, estou aqui pra isso. Pra ajudar a senhora nessas coisas. Precisa entender que não está tão jovem pra carregar tantas compras.

AVÓ DE BRUTUS

E você precisa entender que não quero que esteja sempre aqui comigo. Você tem uma vida. Precisa viver, namorar, sair…

BRUTUS

Eu não gosto desses eventos, Vó.

AVÓ DE BRUTUS

Quando eu morrer, como vai lidar com a vida se não houver motivos pra viver? Eu quero que seja feliz, meu filho. Com ou sem mim.

CORTA PARA

2    INT. HOSTEL – RECEPÇÃO – DIA

Todos reunidos, exceto Brutus, na sala reformada. Ainda com algumas bagunças, baldes de tintas e faltando acabamentos. Mike com a mochila nas mãos, sentado no sofá.

ANGEL

Que bom que voltou. Estou muito feliz com a sua volta!

JASMIM

Por que voltou? A oportunidade não era tão boa assim?

MIKE

Eu tenho meus motivos.

Mike olha para Angel com admiração.

ANGEL

Que bom que escolheu a coisa certa!

SUZI

Ainda não entendi o porquê fez aquilo, mas que bom que está com a gente de novo.

ANDY

Bom, espero que esteja decido mesmo a ajudar. Não queremos pessoas inconstantes, nem que nos atrapalhe com o trabalho. Ainda temos muito o que fazer pra esse lugar se tornar um lugar à altura da concorrência.

MIKE

Agradeço pelas palavras de incentivo, mas voltei pra ajudar sim.

Andy continua com a pintura dos acabamentos. Mike sobe a escada com Brutus e as meninas vão para a cozinha.

CORTA PARA

3    INT. POUSADA – RECEPÇÃO – DIA

José Antunes escreve algo em um caderno apoiando no balcão. Vários turistas entram e ele os recepciona.

CORTA PARA

4    INT. PREFEITURA – GABINETE – DIA

O prefeito Paçoca conversa com dois homens bem vestidos. Entra: PAÇOCA FILHO, 28 anos, branco, o tipo de cara confuso e manipulável. Não recusa desafios, mas teme por eles.

PAÇOCA FILHO

Bom dia a todos. Bom dia, pai.

PREFEITO PAÇOCA

Ora, ora, quem chegou. Vou apresentar aos senhores o nosso candidato para a próxima eleição: Meu filho, Paçoca Filho!

Paçoca filho fica todo envergonhado.

PREFEITO PAÇOCA (CONT.)

Ele continuará as obras de seu pai, do grande prefeito que deixará a faca e o queijo em suas mãos.

Os homens sorriem. Um dos homens cumprimenta Paçoca Filho.

PAÇOCA FILHO

Eu queria exatamente conversar com o senhor sobre isso, pai.

PREFEITO PAÇOCA

Claro, meu filho. Pode falar, estamos na presença de homens que possuem interesse sobre esse assunto.

PAÇOCA FILHO

É que eu queria falar com o senhor em particular.

PREFEITO PAÇOCA

Diga, meu filho. Fale o que a mente do futuro prefeito de Propina Grande pensa.

PAÇOCA FILHO

É que… é que…

PREFEITO PAÇOCA

Não gagueje, meu filho. Diga com honestidade e com pulso firme a ideia que quer falar. Se expresse com ousadia e explane planos claros para que o povo leigo dessa cidade o compreenda como nenhum outro.

PAÇOCA FILHO

(ajeita os ombros, bem tenso)

Eu não quero me candidatar pra essa eleição!

O prefeito se assusta, pisa no pé de um dos homens sentados à sua frente, cai pra trás como se fosse desmaiar.

PAÇOCA FILHO

Pai… calma, pai.

PREFEITO PAÇOCA

Ó que desgosto! Por que dizes isso, meu filho? Queres matar papai?

PAÇOCA FILHO

Pai eu entendo que quer que eu siga a carreira na política. Desde criança eu não gosto dessa área, meu pai. Tente entender… quis lhe agradar dizendo que me candidataria, mas não quero. Não sinto vontade, não parece ser a carreira para minha vida.

PREFEITO PAÇOCA

Alguém me segura, por favor. Por que vou esbofetear a fuça desse ingrato.

PAÇOCA FILHO

Calma, pai. Por isso pedi que estivéssemos a sós.

O prefeito parte pra cima dando tapas em seu filho.

PREFEITO PAÇOCA

Filho de advogado é advogado. Filho de médico é médico. Filho de um zé ninguém, é um zé ninguém. Como pode meu filho não querer ser político. É uma carreira tão promissora, tão relevante para a sociedade. Temos contato com o povo, temos contato com muito dinhe… com muito desafio. É uma profissão como qualquer outra.

PAÇOCA FILHO

Eu entendo, mas não aceito o convide do senhor para a próxima eleição.

PREFEITO PAÇOCA

Certo, meu filho. Faça o que você quiser, meu filho. Em casa nos terminamos essa conversa!

Prefeito sorri de nervoso para os homens em sua frente.

PREFEITO PAÇOCA

Bom, onde nós paramos?

Ignora seu filho, que continua de pé, enquanto prossegue a reunião.

CORTA PARA

5    EXT. PRAÇA – DIA

Para uma minivan toda fechada, branca, na frente de uma placa de avisos enorme. Um homem carrega uma escada e apoia na sustentação da placa. Sobe a escadas com um grande banner e começa a colar. Começa-se a ver o conteúdo do banner, onde Paçoca filho é o candidato, com sua foto, para as eleições municipais.

CORTA PARA

6    INT. HOTEL – RECEPÇÃO – SALA – DIA

Andy liga a televisão e escuta as notícias enquanto termina os acabamentos das paredes.

APRESENTADORA (V.O)

E vamos agora para os anunciantes… Estamos à procura de dois valiosos quadros que valem muito dinheiro. O artista deixou para sua pretendente e a esposa desde então procura por seus quadros e anuncia uma recompensa de quinhentos mil para quem encontrar os dois. São duas rosas que se completam como quebra-cabeça. Vejam os quadros. Caso encontre, ligue para o número que aparece na tela.

Andy escuta atentamente.

CORTA PARA

7    INT. HOSTEL – PORÃO – DIA

Mike arrasta as mãos pelas paredes procurando uma tomada. Brutus consegue encontrar e liga a luz. Muitos móveis antigos, um baú com cadeado, várias obras de arte, quadros empoeirados.

MIKE

Vamos olhar o que nossa professorinha guardou por aqui.

BRUTUS

Vamos levar algumas coisas lá pra cima. Talvez a gente aproveite alguns desses quadros.

Brutus tosse muito por causa da sujeira.

CORTA PARA

8    INT. HOSTEL – RECEPÇÃO – SALA – DIA

As meninas, Suzi, Jasmim e Angel limpam alguns móveis e com mais delicadeza os quadros. Andy continua com os acabamentos, Mike e Brutus trazem mais coisas, pequenas móveis, decorações e quadros.

SUZI

Muito bom, meninos. A gente vai usar alguns desses móveis. Vai dar um ar meio retrô pra nossa sala, vai ficar lindo!

JASMIM

Olhem esse quadro, que lindo! Parece que é uma quebra-cabeça gente. Olhem, que incrível. Que artista espetacular.

ANDY

Quebra-cabeça?

JASMIM

Sim, Andy. Venha ver. Ficará lindo atrás do balcão da recepção…

Andy olha para o quadro e fica pálido. No sobressalto, corre para pegá-lo.

MIKE

Que foi, Andy? É só uma velharia. Dá pra usar por aqui, esse lugar nem tá lá essas coisas.

ANDY

Não gente, esse quadro… esse quadro, ele… ele…

Andy desmaia com o quadro nas suas mãos. Todo mundo se assusta, Brutus ajuda Andy a se recompor, senta ele. Mike pega o quadro e vai para cozinha.

SUZI

Credo, gente. Parece que ele viu uma assombração.

ANGEL

Talvez esteja trabalhando demais, tadinho. Brutus, leva ele pro sofá, por favor.

Brutus leva Andy para o sofá. Andy desperta alarmado.

ANDY

O quadro, cadê o quadro?

JASMIM

Está com o Mike, ele vai pregar na parede pra gente.

ANDY

Não, não. Não faça isso.

SUZI

Ih, gente. Buguei. Não estou entendo ele.

ANDY

A tv… quer dizer, passou na televisão o quadro… ele, ele vale muito dinheiro, galera. Ele vale muita grana.

SUZI

Como assim, um quadro feio daquele?

JASMIM

Eu achava que você tentava ser assim, mas agora percebo que você é sem cultura mesmo em Suzi?

SUZI

Claro que tenho cultura, amor. Meu pai tem muitos quadros que vale milhões. Aliás, conheço tão bem que não reconheço esse quadro como um quadro que vale dinheiro.

JASMIM

Vamos ver na internet se a notícia procede, Andy.

No balcão da recepção. Jasmim se espanta e vai pra trás.

JASMIM

É muito dinheiro!

ANDY

Eu avisei.

SUZI

Então, o que faremos agora, pessoal? Chamamos um crítico de arte pra saber se a obra é verdadeira?

JASMIM

Calma aí, pessoal. Aqui diz que ele é um quebra-cabeça, então tem outro quadro. Um quadro que se completa com esse que está com a gente.

Mike volta da cozinha.

MIKE

Foi mal, galera. Estava limpando melhor o quadro. Mas parece que deu uma borrada.

ANDY

Não, não, não. Não pode ser.

Andy corre pra ver o quadro. Brutus vai atrás dele. Quando pega o quadro, o observa e desmaia. Brutus o segura e o leva novamente para o sofá.

JASMIM

Nossa, o que está acontecendo com seu irmão, Angel? Tá precisando de vitamina?

ANGEL

Não enche, Jasmim. É muita grana mesmo… Mike, eu não estou acreditando nisso!

MIKE

Pois é. Limpei bem, não é mesmo?

JASMIM

Você borrou um quadro que vale muito dinheiro, garoto tosco!

MIKE

Vale, o quê? Essa velharia?

Andy desperta.

ANDY

(enfurecido)

Rapaz idiota é pouco. Olha o que você fez com o quadro?

Andy levanta e vai pra cima de Mike pra bater nele. Jasmim pega o quadro e analisa.

JASMIM

Eu já pintei algumas coisas, talvez eu consiga arrumar isso.

Brutus e as meninas tentam separar os dois.

ANDY

Olha o que você fez com o quadro! Agora nunca vamos conseguir esse dinheiro.

O telefone de Brutus TOCA.

BRUTUS

(preocupado)

Alô… Oi vó, tudo bem? Aconteceu alguma coisa? Sim, entendo… sim, já estou indo.

Brutus desliga e faz movimentos para sair.

SUZI

Aconteceu alguma coisa com sua avó? Precisa que a gente ajude?

BRUTUS

Não, claro que não. Agradeço a preocupação Suzi. Ela só me chamou porque tem alguém lá na casa dela querendo falar comigo.

Brutus sai.

MIKE

(para Andy)

Desculpa, Andy. Não foi minha intenção. Talvez a gente possa arrumar de algum jeito.

JASMIM

(para Suzi)

Ele ta caidinho por você, né Suzi?

SUZI

Por mim?

ANGEL

Eu concordo. Ele te olha diferente.

SUZI

Gente, claro que não. Não me relacionaria com um bicho do mato.

ANGEL

Credo, amigo. Que cruel! Não fala assim dele, parece ser muito carinhoso com a avó!

JASMIM

(entregando um papel)

Meninas, eu preciso de um favor de vocês. Preciso que comprem…

SUZI

Compras! É comigo mesmo.

Suzi pega o papel e Angel a acompanha.

ANDY

Acha que vai dar certo?

JASMIM

Tem que dar certo, Andy. Não podemos levar pra nenhum restaurador, custaria uma grana! Talvez eu possa só cobrir essa mancha.

ANDY

E o outro quadro?

JASMIM

Enquanto eu tento reparar a cagada que o Mike fez aqui, você poderia ver se encontra o outro onde os meninos encontraram esse aqui.

CORTA PARA

9    INT. HOSTEL – PORÃO – DIA

ANDY

Precisamos encontrar esse quadro. Seria uma grande ajuda pro hostel. Teríamos como quitar as dívidas…

MIKE

Eu ainda poderia ajudar meu pai.

ANDY

Sim, poderia. A Angel me contou sobre… nos desculpe se não conseguimos entender os seus motivos pra ir embora pra cidade.

MIKE

Tudo bem! Vamos encontrar esse quadro.

Vasculham todos os cantos. Limpam, organizam, Mike tenta quebrar o cadeado do baú, mas sem sucesso.

ANDY

Ele não caberia aí, Mike. Depois a gente tenta abrir esse baú.

CORTA PARA

10    INT. HOSTEL – RECEPÇÃO – SALA – DIA

Jasmim sentada num banquinho com o quadro num tripé.  Tenta corrigir as falhas que foram borradas com pano molhado.

Andy entra na recepção.

ANDY

Não achamos. Não está em canto nenhum desse hostel.

MIKE

Talvez ela tenha ficado só com um, tenha vendido o outro.

JASMIM

Não faria sentido ela vender só um. Ele deve estar por aqui. Se não estiver, temos que tentar pintar ele.

ANDY

Impossível, Jasmim. Você pode até consertar um pouco esse, mas será impossível começar um outro… você não tem o traço do artista, não tem…

JASMIM

Posso tentar, Andy! É nossa única escolha!

Todos os três apreensivos.

CORTA PARA

11    INT. CASA DA AVÓ DE BRUTUS – SALA – DIA

José Antunes pega a xícara de café na mesa de centro.

JOSÉ ANTUNES

É uma oportunidade imperdível, Brutus. Sua avó ia se orgulhar de você!

BRUTUS

Não sei se é uma boa ideia, senhor José. Eu gosto daqui, ainda posso cuidar e olhar minha avó. Aqui é um lugar bom de se morar.

AVÓ DE BRUTUS

Oh, meu filho. Pense em seu futuro. A velha aqui já não tem muitos anos pela frente. Você precisa se profissionalizar, ter uma boa faculdade, ter um bom emprego.

BRUTUS

Vó, tudo que mais amo está nessa cidadezinha. Ainda reencontrei meus amigos da época de escola. Não tenho muitos amigos, Vó, você sabe disso. E ainda ganhamos uma herança e preciso cuidar daquilo que é meu.

JOSÉ ANTUNES

Concordo com sua avó, meu querido Brutus. A vida é curta demais. Os anos passam e as oportunidades de uma vida melhor na cidade grande são para poucos.

AVÓ DE BRUTUS

Vá, meu filho. Agarre essa oportunidade.

BRUTUS

O senhor ganha o quê com isso?

JOSÉ ANTUNES

Tudo na vida possui um preço, meu amigo. Mas creio que se você agarrar essa chance, não sentirá falta de nada por aqui.

AVÓ DE BRUTUS

Ele me prometeu viagens, meu filho. Viajarei pelo Brasil inteiro.

BRUTUS

E o que você quer por isso tudo?

JOSÉ ANTUNES

Bom, não vou medir palavras com um bom entendedor. Quero sua parte no albergue, Brutus. Quero que me venda pelo preço que achar necessário. E vou duplicar esse valor, e vou dar a metade para sua avó.

AVÓ DE BRUTUS

Aquele casarão é da minha época, meu filho. Não vale muita coisa. Agora, pense no que ele disse. Uma boa faculdade, um quarto em uma das pousadas dele na cidade grande e ainda trabalhar lá, é algo bom demais pra não agarrar.

Brutus pensativo e sua avó acaricia sua mão direita.

CORTA PARA

12    INT. HOSTEL – RECEPÇÃO – DIA

Jasmim mostra o quadro para Suzi e Angel.

SUZI

Nem parece que você mexeu, amiga. Está muito bom.

JASMIM

Cadê o Andy?

ANGEL

Não sei, ele saiu. Disse que ia falar com alguém sobre alguma coisa. Estava com fone na hora.

JASMIM

Será que ele foi atrás de alguém pra pintar o quadro?

SUZI

Você não ia tentar, amiga? Não ia tentar desenhar?

JASMIM

Seria impossível. Ainda acho que esse quadro não vai valer muito. Mexi nele, e quem trabalha com quadros conhece quando existe mais camadas de tinta e algumas falhas.

CORTA PARA

13    INT. CASA DA AVÓ DE BRUTUS – SALA – DIA

Brutus se levanta, incisivo.

BRUTUS

Não sei quais são seus planos pra acabar com o hostel, mas não contará com minha ajuda!

A avó de Brutus se surpreende com a resposta.

AVÓ DE BRUTUS

Meu neto, pense em você. Não pense que a vida lhe dará algo de graça…

BRUTUS

Já tem dado, Vó. A vida me deu você, me deu meus amigos de volta. Ainda me ofereceu a chance de trabalhar. Trabalhar no albergue da cidade. No hostel.

JOSÉ ANTUNES

Não posso forçar ninguém a nada, Brutus. Mas posso dar uma chance melhor de vida. Eu entendo que não queira… bom, senhora, com sua licença.

José coloca a xícara na mesa de centro e sai.

AVÓ DE BRUTUS

Brutus, inacreditável sua atitude. Não te criei pra deixar as boas oportunidades escaparem por seus dedos. Não admito isso, meu filho.

Avó de Brutus levanta com dificuldade, nega a ajuda de Brutus e vai para a cozinha.

BRUTUS

Vó, eu preciso tomar as rédeas da minha vida. E agora tenho amigos, amigos de verdade. E não deixaria a senhora andar pelo mundo sem mim.

AVÓ DE BRUTUS

É isso que farei, meu filho.

BRUTUS

Não entendi.

AVÓ DE BRUTUS

Acho que você vai aprender a viver um pouco sem sua avó por perto.

BRUTUS

Não acredito que a senhora vai viajar pelo Brasil com aquele velho safado?

AVÓ DE BRUTUS

Não, meu filho. Estou indo pra casa da minha irmã.

BRUTUS

E a senhora vai me deixar aqui sozinho?

AVÓ DE BRUTUS

Você ainda pode voltar atrás na sua decisão, meu filho. Vá na pousada do José Antunes e peça desculpas pela sua forma grosseira de respondê-lo.

BRUTUS

Não, Vó. Não vou ceder as suas chantagens.

Avó de Brutus fica abismada com sua atitude.

AVÓ DE BRUTUS

Tem mulher envolvida, não tem, Brutus? Nunca me respondeu assim, alguém tá mandando no seu coração, não estar?

BRUTUS

Claro que não, Vó. Só queria essa chance pra provar que posso fazer algo pela cidade.

AVÓ DE BRUTUS

Você pode, meu filho. Vá para cidade grande, faça uma faculdade, trabalhe e volte pra cá. Ajude no que precisar, mas ajude a si mesmo primeiro.

Ela se retira e deixa Brutus confuso e pensativo.

CORTA PARA

14    INT. HOSTEL – RECEPÇÃO – SALA – FIM DE TARDE

Jasmim aprecia seu reparo no quadro, enquanto Mike assiste televisão junto com Angel e Suzi. Brutus entra.

SUZI

Demorou em, Brutus. Sua avó está bem?

BRUTUS

Está bem até demais. Disse que vai para a casa de sua irmã na cidade.

ANGEL

Por que? Aconteceu algo com a família dela na cidade?

BRUTUS

Não, na verdade, nem sei se ela vai mesmo. Pareceu que estava fazendo birra comigo.

SUZI

Birra?

BRUTUS

Pessoal, preciso contar algo pra vocês. Cadê o Andy?

Jasmim se aproxima da sala.

JASMIM

Ele saiu cedo, e não voltou até agora.

BRUTUS

Pessoal, tem alguém querendo comprar esse lugar!

JASMIM

Eu sabia. Sempre fui sensitiva. E agora faz todo sentido meu sonho, meninas.

ANGEL

Quem poderia ser, Brutus? O Prefeito?

BRUTUS

O José Antunes.

ANGEL

O dono da pousada?

JASMIM

Nunca fui com a cara daquele velho mesmo!

SUZI

E por qual motivo ele quer esse lugar, gente? Vai demorar muito pra gente ter a quantidade de turista que tem naquela pousada.

BRUTUS

Eu não sei, Suzi. Só sei que todos temos que tomar cuidado com ele. Ele tem propostas muito sedutoras, parece que quer comprar esse lugar a qualquer custo!

Todos, exceto Mike, ficam perplexos com a novidade. Mike não faz cara de surpresa e fica calado.

CORTA PARA

15    INT. HOSTEL – RECEPÇÃO – NOITE

Andy entra com um homem com maleta e vão observar o quadro. O homem coloca no chão sua pasta, abre, pega uma lupa, coloca luvas nas mãos. Ele olha cada detalhe do quadro. Brutus, Jasmim e Angel também estão aguardando a análise do quadro.

HOMEM

Falso. O quadro é falso.

Andy desmaia novamente, Brutus o segura.

JASMIM

(para Angel)

Amiga, depois desse episódio vamos no médico, tudo bem? Acho que seu irmão não está passando bem.

Brutus levanta Andy.

ANDY

Não é possível, doutor.

HOMEM

Sim, é possível. Queiram me dar licença. Além de uma cópia barata, tentaram fazer uma restauração com uma macha feita com pano de chão e poeira de porão. Não tenho tempo para cópias. Tenham uma ótima noite.

O homem pega sua mala e se retira.

SUZI

Como que ele sabia de tudo aquilo?

ANDY

Nosso dinheiro foi pela ralo.

Andy começa a chorar. Angel também.

JASMIM

(emocionada)

A não gente, por favor. Não chorem, porque se não vou começar a chorar também.

Jasmim abraça Andy, os dois vão aos prantos.

Mike desce as escadas.

MIKE

O que eu perdi?… Por que estão chorando?

JASMIM

(chorando)

TPM, amigo. TPM.

FADE OUT:

FIM

“Esta é uma obra de ficção baseada na livre criação artística e sem compromisso com a realidade.”

A Widcyber está devidamente autorizada pelo autor(a) para publicar este conteúdo. Não copie ou distribua conteúdos originais sem obter os direitos, plágio é crime.

LEIA MAIS DESTE CONTEÚDO:

Pesquisa de satisfação: Nos ajude a entender como estamos nos saindo por aqui.

>
Rolar para o topo