EPISÓDIO 1: CUNTATÓRIO

LEGENDA: Rio de Janeiro – RJ (2020)

CENA 1. INT. PENITENCIÁRIA FEMININA. CORREDOR/ PORTARIA. MANHÃ

A CAM mostra uma mulher de sandália desfilando, conforme ela vai andando a CAM vai subindo tornando nítido Regina, uma mulher morena de cabelos pretos e longos, de 47 anos, caminhando escoltada por duas agentes. O porteiro abre a porta. Uma agente olha para Regina, desdenhando. 

AGENTE #1 (Sarcástica): Quer dinheiro pro táxi?

As duas agentes riem. Regina as observa cinicamente.

REGINA: Não precisa, querida. Meu motorista já deve está chegando.

Ouve-se uma freada. Regina as encara.

REGINA: Pronto, chegou!

Regina se afasta. As agentes observam boquiabertas.

                                                 CORTA PARA:

EXT. PENITENCIÁRIA FEMININA. MANHÃ.

Regina se aproxima de uma Ferrari vermelha e entra, sentando no banco da frente. As agentes perplexas observam. Regina olha para elas e sorri.

REGINA: Até nunca mais, vadias!

O carro sai em disparada.

                                                   CORTA PARA:

CENA 2. INT. FERRARI. MANHÃ.

Regina sorrindo põe a cabeça no ombro de Otto (Calvo, barba branca e curta, aproximadamente uns 61 anos).

REGINA: Finalmente, né?

Otto concentrado continua olhando para a frente.

REGINA: Como você descobriu?

CLOSE no sinal fechado. Otto olha para Regina, sóbrio.

OTTO: Pra quê interessa?

REGINA: É, você está certo. 

O sinal abre. Otto pisa no acelerador. 

                                                  CORTA PARA:

CENA 3. INT. ESTACIONAMENTO. AEROPORTO. MEIO-DIA.

Regina baba no ombro de Otto, ele incomodado cutuca ela. Regina acorda, desnorteada.

REGINA: O que foi?

OTTO: Chegamos.

REGINA: Pra onde você me trouxe? (TEMPO/Ela olha para os lados) Isso é um estacionamento?

OTTO: Faremos uma viagem.

REGINA: Você está maluco? Eu não tenho cabeça para pensar em viagem, Otto. (TEMPO/ Decepcionada) Eu jurei que você estava me levando à sério.

OTTO: É necessário.

Otto pega o celular.

OTTO: Acalme-se! (TEMPO/Ele entrega o celular para Regina) Tá vendo?

POV de REGINA – A foto de um navio azul numa ilha.

REGINA: E?

OTTO: Você não queria saber onde estava sua filha?

Otto pisca para Regina. Ela o abraça.

                                                   CORTA PARA:

CENA 4. INT. AVIÃO. NOITE.

(O.S da COMISSÁRIA): Tenham todos uma boa viagem.

REGINA (Entusiasmada): Muito obrigada. Pra você também.

Todos olham para Regina, estranhando. Regina constrangida olha para Otto.

REGINA: Ops! 

OTTO: Ponha os óculos escuros e finja que nada aconteceu. 

Regina acaricia o rosto de Otto.

REGINA: Muito obrigada!

OTTO: Não foi nada.

REGINA: Não! (TEMPO/ Ela sorri) Estou falando no sentido geral. Nossa, cara, você fez mais por mim do que eu mesmo.

OTTO: Eu sei. (TEMPO/Ele olha para Regina) Na minha idade, Regina, vivenciar isso que você e a sua história estão me proporcionando é um luxo. Te ajudar é a coisa mais genial que eu poderia estar fazendo nesse momento.

Regina chora. Otto sério, enxuga as lágrimas dela.

OTTO (Sarcástico): Nunca chore de olho nu, a alta sociedade é alérgica à lágrimas.

Regina olha para Otto e põe os óculos escuros.

REGINA: E agora?

OTTO: Agora, pode.

Regina sorri e encosta nele.

                                                   CORTA PARA:

LEGENDA: Puntacana – REPÚBLICA DOMINICANA 

CENA 5. EXT. CRUZEIRO D´LASCA. MANHÃ.

Aglomerado de pessoas bem-vestidas. Uma fita vermelha separa-os do navio. Regina olha para Otto.

REGINA: Quem inventou essas fitas de inauguração merecia uma injeção letal.

OTTO: Achei que depois do presídio seu linguajar ficaria mais chulo, pelo que vejo me equivoquei.

REGINA: Fiquei na mesma cela que Nivea Silveira.

OTTO: Esse nome não me diz nada.

REGINA: É uma fono. Queria ser escritora como Agatha Christie, mas encarnou a personagem e acabou matando o marido.

OTTO (Sarcástico): Então além de fonoaudióloga e escritora, ela era atriz?

REGINA: Multitalentosa ou uma mentirosa qualquer. Eu fico com o primeiro adjetivo, gosto de enaltecer mulheres, me torna empoderada.

OTTO: Ela fez um bom trabalho.

Um homem alto, cabelos grisalhos, de barba feita se aproxima da fita com uma tesoura em punho. Regina o observa, maliciosa.

REGINA: Que homem! Otto, me diga quem é esse Deus grego.

OTTO: John Herbert. É um delegado aposentado, um empresário brasileiro, dono desse cruzeiro, dizem que ele é bem sádico.

POV de REGINA – Ela observa as partes íntimas do homem.

OTTO: Vamos, querida.

REGINA (Despercebida): Já cortou a fita?

OTTO: Anram. Pra onde você estava olhando que não percebeu?

Regina encara Otto.

REGINA: Nem queira saber, querido.

Regina sorri e caminha em direção à entrada.

                                                   CORTA PARA:

CENA 6. INT. CRUZEIRO D´LASCA. SUÍTE. MANHÃ.

Regina se joga na cama, entusiasmada. Otto sentado na poltrona a observa.

OTTO: E então? O que achou?

REGINA: É Sensacional! O ruim é que a gente vai revezar para dormir nessa camona.

OTTO: E se dormíssemos juntos. (TEMPO/ Regina o encara) Não nesse sentido, claro. 

REGINA (Sorrindo): Só se você usar aquele Malbec vermelho.

OTTO: Malbec sport?

REGINA: Se for o vermelho é.

OTTO: Pra minha sorte está na mala.

REGINA: Ótimo. E quando dormiremos? Estou morta!

OTTO: Espere anoitecer. É a noite das jogatinas.

REGINA: Preciso descansar um pouquinho, não quero parecer a momo quando encontrar ela.

OTTO: Nada disso! Você precisa conhecer o restaurante no segundo andar, tem peixe grelhado com batata.

REGINA: Você fala como se já tivesse vindo aqui antes.

OTTO: Mas eu vim alguns anos atrás.

REGINA (Estranhando): E a fita?

OTTO: É uma tradição do cruzeiro, toda vez é a mesma ladainha.

REGINA: Ah entendi. (TEMPO/Ela concerta o sutiã) Ai, deixa eu ajeitar o bojo e a gente já desce. Quero que os homens babem no meu silicone.

Ela pisca para Otto, sorrindo.

REGINA: Vamos de peixe?

                                                  CORTA PARA:

CENA 7. INT. CRUZEIRO D´LASCA. RESTAURANTE. MANHÃ.

Otto e Regina se aproximam do balcão.

ATENDENTE: Hola senõres, quieres algo?

OTTO: Un trago de tequile y (TEMPO/Ele olha para Regina) O que você quer beber?

Regina olha para o atendente.

REGINA: Water.

Otto sorri.

ATENDENTE: Inglés?

OTTO: No brasileños.

ATENDENTE: Ah, todo bien. Espera un poquito.

O atendente se afasta. Otto olha para Regina, sorrindo.

REGINA: Qual foi? Só confundi os idiomas.

POV de OTTO – Um homem de costas, cabelo preto, terno escuro.

OTTO: Olha ali. 

Otto se aproxima do homem e toca em seu ombro. O homem se vira. A CAM aproxima do rosto nidificando Conrado.

OTTO: Que coincidência!

CONRADO: Otacílio Valadares?

OTTO: Otto para os íntimos. Quanto tempo, meu amigo.

CONRADO: Sim! Uns doze anos, talvez.

OTTO: Onde está a Rachel? As crianças? (Corrige) Já devem estar crescidinhos.

CONRADO: A Rachel foi ao banheiro. E as crianças, bem.

Regina acena para Otto. Conrado observa.

CONRADO: Pelo visto o tempo te proporcionou boas companhias.

OTTO: Serviço rápido esse. Foi um prazer revê-lo, depois marcamos um jantar, colocar o papo em dia.

CONRADO: Com certeza!

Otto abraça Conrado e se afasta. Rachel se aproxima de Conrado.

RACHEL: Quem era aquele?

CONRADO: Ah! Não reconheceu? É o Otto.

RACHEL: O empresário?

CONRADO: Exato!

RACHEL (Entusiasmada): Nossa! Vamos lá falar com ele, quero saber da Débora.

CONRADO: Melhor não. Ele está acompanhado.

RACHEL: Uma cortesã?

CONRADO: Não sei. Vamos para nossa suíte, quero deitar na banheira e só levantar no finalzinho da tarde.

Conrado e Rachel caminham de mãos dadas.

                                                  CORTA PARA:

Regina e Otto tomam a bebida.

REGINA: Colegas de faculdade?

OTTO: Não! Minha ex-mulher era amiga da esposa dele, daí nos tornamos amigos.

REGINA: Quase dez anos trabalhando na sua casa e nunca soube dessa ex-mulher.

Otto encara Regina.

OTTO: Vou subir ao nosso quarto. Estou exausto! Eu até deixaria você ziguezagueando por aí, mas tenho medo que você se perca. Esse navio é maior que Portugal.

REGINA: Ah, que exagero!

OTTO: É sério. Em doze horas você atravessa Portugal e adivinha quantas horas você demoraria para conhecer todos os lugares desse cruzeiro? Exatamente doze horas e dois segundos.

REGINA: Bora logo pro quarto. Acabo de perceber que você não aguenta um drink.

Otto revira os olhos. Regina o abraça. Otto se apoia em Regina. A CAM mostra eles caminhando abraçados.

                                                  CORTA PARA:

CENA 8. INT. CRUZEIRO D´LASCA. SUÍTE. TARDE.

Otto ronca, enquanto, mexe na cama.

OTTO (De olho fechado): Ver a hora aí, Regina.

Silêncio. Otto bate a mão na cama. CLOSE no olho de Otto abrindo. POV de OTTO – A cama vazia.

OTTO (Desesperado): Regina?

     CORTA PARA:

CENA 9. INT. CRUZEIRO D´LASCA. ESCRITÓRIO. TARDE.

A CAM mostra um homem de costas sentado numa poltrona. Regina amarrada numa cadeira, com a boca tapada com fita crepe, chora.

HOMEM: Não matarás, êxodo capítulo vinte, versículo 13. Pelo que vejo você infligiu um mandamento, certo?

Regina se move freneticamente tentando se soltar.

HOMEM: E sabe quem não tolera isso?

A poltrona gira revelando John Herbert, apontando uma arma para Regina.

JOHN HERBERT: Eu.

A CAM escurece. Ouve-se um disparo. 

Continua…

A Widcyber está devidamente autorizada pelo autor(a) para publicar este conteúdo. Não copie ou distribua conteúdos originais sem obter os direitos, plágio é crime.

LEIA MAIS DESTE CONTEÚDO:

  • CHOCADO!! Primeiro quero ressaltar que gostei da Regina, ela é bem debochada kkkkkkk, morri de rir na cena que ela falou que vai ficar parecendo a “Momo” kkkkkk.

    Eu estava achando estranho no começo porque não estava lembrando desses personagens na primeira temporada, depois que eu fui linkando os pontos. E não é que o coroa que a Regina ficou doida não é flor que se cheire?

    Adorei, amigo!

  • Pesquisa de satisfação: Nos ajude a entender como estamos nos saindo por aqui.

    >
    Rolar para o topo