A Candidata: não perca as surpresas do próximo episódio!

 

Eu juro: nunca poderia imaginar que A Candidata ocuparia algum espaço. Quando a história me surgiu, há quase um ano, sequer tinha a pretensão de publica-la em algum lugar. Aliás, nem pensei que conseguiria escrevê-la. Originalmente, a narrativa da websérie teria outros rumos. Jurema Pinheiro seria uma jovem destemida, cujo propósito de vida era destruir o péssimo legado construído pelo seu avô, o Coronel Juca Pinheiro, o principal rival da protagonista. Teríamos diversos personagens, cada um com a sua história paralela, que fluiria em direção ao enredo principal.

No entanto, me peguei pensando, escreveria uma história demasiadamente óbvia. E sem graça. Um joguinho de gato e rato entre Jurema e seu avô, um triângulo amoroso formado pela prefeita, seu vice e Joaquim Gusmão, Laurinda sempre apoiando a filha, etc. Água com açúcar.

Foi quando decidi mudar os rumos. Excluí os núcleos paralelos de maneira a condensar a história em apenas um enredo e suas ramificações. Nesse momento conheci a WidCyber, ainda CyberTV, e outras webemissoras (e cometi a gafe de submeter A Candidata para duas avaliações em webemissoras diferentes, hoje peço perdão por isso).

O processo de escrita da primeira temporada foi bastante rápido, concluí em pouco mais de duas semanas. Nunca tive a ideia de criar uma história política, mas sim de relações familiares. Lançando um olhar profundo na obra, podemos perceber como A Candidata tenta responder a uma questão de certa maneira já bem conhecida por nós: o que somos capazes de fazer para proteger os nossos laços sanguíneos? Jurema Pinheiro é o cerne de toda a discussão, principalmente a partir do último episódio da primeira parte. E fico muito feliz por vê-la receber reconhecimento do júri técnico mas também, creio eu, dos leitores daqui do MV, afinal de contas, a segunda temporada encerrou a sua primeira semana como a obra de ficção mais lida da WidCyber (e eu espero que permaneça assim ao longo de toda a sua exibição).

(Não leu o segundo episódio? Clique aqui para ler na íntegra.)

O que eu quero dizer? A história de A Candidata não se encerrará nesta segunda temporada – que, inclusive, foi estendida em mais um episódio -, pois a fase de Jurema Pinheiro ainda tem seus frutos a serem colhidos. Por isso, aguardem uma terceira parte (sem previsão de ir ao ar, entretanto, com certeza será exibida com exclusividade aqui na WidCyber). Esta sim será a parte final, pelo menos da história que me propus a contar desde o primeiro episódio. Há, certamente, outras personagens cuja vida merece ser narrada: Antônia, o Coronel Juca, Olavo Gusmão, Salete, Laurinda, enfim, não nos falta personagens singulares e densos.

Dito isso, eu agradeço a todas as pessoas que leem a minha história. Vocês são essenciais ao ciclo da leitura e, sobretudo, à continuidade de A Candidata.

Para não perder o costume, vamos dar uma espiadinha no terceiro episódio: 

“– Eu pesei os prós e os contras da minha decisão, Laurinda, e decidi, no final das contas, que a melhor maneira de expurgar esse câncer de Timbaúba é me tornando parte dele.

– Talvez o seu erro seja acreditar que precisa destruí-lo de dentro para fora.

– Que outra sugestão você dá? Me tornar uma sombra e vagar por essa casa praguejando e resmungando?”

Amanhã, às 22h, só aqui na WidCyber!

 

No blog Universo Virtual, você encontra resenhas e análises exclusivas.

Publicidade
(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Veja Mais notícias

>
Rolar para o topo