MARCOS: E aquela fazenda onde tudo parecia tão calmo, tão sereno…um lugar para viver em paz, constituir uma família em meio à natureza e se esbanjar em felicidades… tornou-se o pior de todos os pesadelos. Uma história baseada em fatos reais, o que deixa tudo mais sinistro. Uma trama cativante, uma escrita confortável de se ler. Personagens marcantes e misteriosos com transformações incríveis ao longo da trama. Um conto que você não pode deixar de ler. Eu mesmo o analisei e o aprovei para a widcyber e posso dizer, com toda a certeza, que você vai ficar preso nesta história…ou melhor, refém desta fazenda.
Boa noite meus amigos. Hoje vamos bater um papo com o autor do conto “A Fazenda”, e vamos descobrir um pouco mais sobre a trama, seus personagens e suas inspirações. Chega mais meu amigo, Melqui Rodrigues.

MELQUI: Oi, pessoal! Oi, Marcos! Muito obrigado pelo convite!

MARCOS: Que história é essa ein, meu amigo? Faz tempo que você planejava escrever este conto?

MELQUI: Na verdade sim, desde o início de 2020, eu estava com planos de escrever esse conto, principalmente por se tratar de algo que aconteceu aqui na minha cidade, então eu devo ter começado ali por volta de Setembro ou Outubro, dei uma pausa e retomei agora pra finalizá-lo.

MARCOS: Quando vi que você o inscreveu eu já quis analisar. Queria ler em primeira mão e ter esta responsabilidade. Me prendi em cada linha. Me diga, ficou um tanto longo o conto, não pensou em transformar em uma minissérie?

MELQUI: Então, a princípio o conto não seria tão longo, mas a medida que fui escrevendo percebi que dava pra explorar mais os medos e os traumas dos personagens, isso seria inviável em uma antologia onde tem um limite de palavras, mas como estava escrevendo este de maneira independente, quis explorar mais. E preferia fazer apenas um conto do que uma minissérie que iria tomar muito mais meu tempo e este ano de 2021 eu não terei tempo pra investir em minisséries.

MARCOS: Mas gostei que dividiu a história em atos. Ficou perfeito para se ler assim e entender o andamento dela. Você é ótimo em escrever o gênero, pode-se dizer que Melqui Rodrigues é um escritor de terror/horror?

MELQUI: Olha, ainda é cedo pra afirmar isso, esse é apenas o meu terceiro conto de terror, e confesso que gostei muito da experiência e acho que nesse eu pude me aprofundar mais e explorar mais esse gênero, trazendo subtramas reais e aplica-las no contexto sobrenatural e também psicológico. Eu não consegui fazer isso tão bem nos anteriores porque tinha pouco tempo de “tela”.

MARCOS: Quais autores do gênero te servem como inspiração? E quais obras produzidas também lhe servem como inspiração?

MELQUI: Bom, sem sombra de dúvidas Stephen King é minha grande inspiração e também tenho o diretor James Wan que dirigiu “Invocação do Mal”. Tenho os filmes dele e também Poltergeist como um ponto de partida pra eu fazer histórias de horror.

MARCOS: Acredita que precisamos de mais obras do gênero dentro do MV?

MELQUI: Com certeza. Mas escrever terror não é tão fácil quanto parece, é preciso passar o medo, a agonia, a angústia em letras para o espectador, e isso é muito difícil. Mas acho que sim que deveria existir mais obras desse gênero no MV.

MARCOS: É um gênero que para ser bom mesmo precisa ser muito bem escrito, não é algo pra qualquer um, não. Dentro do MV quem você acredita que possua características importantes para escrever boas histórias de terror/horror?

MELQUI: Me lembro muito bem de um conto que o autor Eduardo Moretti escreveu para a antologia “Meia-Noite”que eu pude ver o terror genuíno ali, senti arrepios em cada parágrafo que lia. Outro autor também que se destaca nesse gênero é o Jota Pê, li “Urban Legend” dele e fiquei aterrorizado kkkkk.

MARCOS: Todos os personagens de “A Fazenda” são baseados em pessoas reais que conviveram com a história verdadeira, ou você acrescentou algo?

MELQUI: Bom, o casal do primeiro ato realmente existiu, mas claro que os nomes foram alterados, a família do segundo ato também existiu, porém incluí a garotinha “Júlia” pra dar um contraste na história. Houve muitas pessoas que passaram por aquela casa da fazenda e testemunharam eventos sobrenaturais lá, a cena do banheiro e das panelas aconteceram de verdade. Muitas outras coisas precisei acrescentar pra amarrar mais o roteiro, porém muitas questões realmente tirei do que aconteceu.

MARCOS: Qual destes personagens é o seu predileto?

MELQUI: Bom, eu gosto muito da Sandra, ela é uma personagem forte e uma verdadeira mãe leoa, mas o personagem que eu mais me identifico é o Gustavo, acho que ele literalmente me representa no início dos anos 2000 kkkk.

MARCOS: Poderia incluir na postagem da trama algumas imagens reais do lugar, não é? Será que teremos esta grata surpresa?

MELQUI: Pretendo fazer algo do tipo e até mesmo algumas filmagens, já tem dois anos que eu não vou ao local e não sei como tá lá. Mas quero sim mostrar como é esta fazenda após tantos anos.

MARCOS: E a trilha sonora, marca registrada das histórias de Melqui Rodrigues, estará presente também né? Tô ansioso por isso.

MELQUI: Com certeza! Hahaha. Já estou escalando a trilha sonora a dedo, ainda falta fazer alguns ajustes, mas pode ter certeza que vocês vão ler com fone de ouvido sim kkkk.

MARCOS: Meu amigo, um conto merecedor do selo Four Elements, meus parabéns. Já estávamos com saudade de uma obra sua no MV. Com certeza, “A Fazenda” vai ganhar alguns prêmios nas próximas premiações.

MELQUI: Muito obrigado, pra mim foi uma experiência incrível escrever esse conto e sem dúvidas é um dos meus favoritos.

MARCOS: Agora, meu amigo, vamos ao Bate-Bola do nosso programa. Está preparado?

MELQUI: Opa, vamos lá!

MARCOS: Bora então!

1) um conto inesquecível do MV: A Cobrança

2) uma novela inesquecível do MV: O Leão

3) uma webserie inesquecível do MV: Eu, Kadu

4) Cristina Ravela: Total Badass

5) Hugo Martins: Um grande escritor e amigo

6) um(a) personagem de conto do MV inesquecível: Benjamim de “A Cobrança”

7) um(a) personagem de novela do MV inesquecível: Solange de “O Leão”

8) um(a) personagem de webserie do MV inesquecível: Avelino de “Gato Preto”

9) Criar histórias para mim é: Expressar tudo o que tá na alma.

10) Melqui Rodrigues e o futuro no MV: Espero poder criar mais histórias futuramente, agora sempre ao meu tempo pra poder entregar um trabalho melhor para o meu público.

MARCOS: Muito obrigado Melqui. Desejo todo o sucesso para você e suas histórias e fica aqui meu enorme carinho por você e o desejo de escrever uma história de terror/horror contigo. Vamos amadurecer a ideia.

MELQUI: Com certeza, meu amigo! Vamos sim! Será uma honra dividir uma história de horror contigo.

MARCOS: Ficamos por aqui, meus amigos, com mais um episódio do nosso programa e mais um grande autor do MV. Até a próxima.

A Widcyber está devidamente autorizada pelo autor(a) para publicar este conteúdo. Não copie ou distribua conteúdos originais sem obter os direitos, plágio é crime.

LEIA MAIS DESTE CONTEÚDO:

Pesquisa de satisfação: Nos ajude a entender como estamos nos saindo por aqui.

>
Rolar para o topo