capa bate papo

Conversa com o autor de “Passarela de Pedras”

MARCOS: Boa noite meus queridos. Estamos aqui para mais um episódio do nosso Bate Papo com o Autor, e hoje deixando um alerta à todos vocês web noveleiros de plantão: vem trama boa por aí na widcyber, ein? Hoje nossa conversa é com o autor de Passarela de Pedras. Autor estreante no MV e que já mostra seu cartão de visita com uma história de tirar o fôlego. Boa noite, Oswaldo Wilson da Silva Sthel, seja bem vindo ao programa e ao Mundo Virtual.

OSWALDO: Boa Noite Marcos, e muito obrigado pelo convite, estou muito feliz por ter me *convidado.

MARCOS: Bom, como foi que você chegou até aqui no MV, na widcyber? Através do contato de alguém, por curiosidade pesquisando pela web…

OSWALDO: Bom, na verdade eu havia escrito Passarela de Pedras ano passado em um site, foi um dos meus últimos roteiros. Foi quando recebi uma mensagem no Facebook de Tales Dias, um autor do site e também apresentador dizendo que gostou muito do roteiro e me contou do site, me incentivou a mandar para avaliação, mandei e no dia seguinte recebi um email dizendo que foi aprovada.

MARCOS: Tô sabendo que você já tens alguns projetos por aí…a escrita de uma peça de teatro, um curta metragem sobre sua história, projetos de Web novelas, além desta, projeto de um livro…nos conte mais sobre esta sua experiência.

OSWALDO: Bom, eu me casei ano passado e tenho autismo, acho que esses dois fatores foram os ingredientes certos para o curta “Possível”, uma história de superação, pois foi Mariana, minha esposa que me mudou muito, ela faz faculdade de pedagogia, e gosta muito do autismo, acho que também tive essa chance, ela me ajudou muito na criação do personagem, além da minha própria vivência, O Troço, é uma peça de teatro que escrevi sobre minha cidade e o que eu imagino que teria acontecido com o início da televisão, Laje do Muriaé cidade onde nasci é muito pequena e pacata, eu não havia pesquisado nada a respeito de como as pessoas iriam reagir a chegada da televisão nessa cidade, eu queria fazer uma obra fictícia utilizando-se de perfis de personagens que convivem comigo nos dias atuais levando eles ao passado de quando a tv chegou. Tenho sim um projeto de web novela para depois de passarela de pedras, é um outro novelão, mas esse eu não posso falar nada, só apenas que é sobre amores impossíveis, já Segunda Chance é um livro de superação, de um garoto que se torna paralítico depois do acidente onde perde o pai e tem que abandonar tudo e mudar com a mãe para uma outra cidade onde precisa conviver com pessoas preconceituosas, porém irá encontrar ajuda e força em uma pessoa muito especial, é uma história clássica, porém quem me conhece sabe que eu tracei o perfil de Pedro baseado na minha história até o ano passado. Além disso tenho outros dois roteiros, porém esses pretendo apresentar para a TV quando surgir oportunidade.

MARCOS: E qual é tua formação? Tua ocupação profissional no momento?

OSWALDO: Bom, eu estou no sexto período da faculdade de jornalismo e trabalho de vídeomaker e design gráfico numa rede de supermercados.

MARCOS: E como surgiu a paixão pela escrita?

OSWALDO: Bom, isso foi desde a infância, desde quando era pequeno eu ouvia histórias fantásticas da minha tia e aí eu comecei também a inventar minhas histórias, via pessoas e imaginava como seriam elas em uma história. Iniciei na literatura, já escrevi vários livros e também joguei fora vários originais por que eu acredito que a boa história nasce de erros e acertos, e cada erro é um aprendizado, uma vez eu ouvi de um autor famoso que não me lembro agora que você escreve vinte vezes, e vinte vezes você joga fora, quando escreve a vinte um aí você está feito, é aquele texto. Depois disso eu fiquei fascinado pelos grandes folhetins clássicos da tv, minha primeira relação com a escrita em roteiros foi quando eu tinha dez anos, escrevi o roteiro Nós Dois, que se passava durante a escravidão, era de um negro e de uma branca, a história não me lembro muito bem, faz muito tempo, aí depois veio o resto escrevi muitas histórias mas nunca publiquei nenhumas, até fazer o curso com Leila Miccolis, uma roteirista que já fez novelas na globo, ela por exemplo foi co-autora de Barriga de Aluguel ao lado de Glória Perez.

MARCOS: Muito bem, que você tenha sucesso absoluto em teus projetos. Agora sobre a sua trama Passarela de Pedras, de onde surgiu a ideia para esta novela?

OSWALDO: Bom, o tema vingança sempre tem boas histórias, mas nunca vi novela de uma paralítica que se vinga, eu pensei: acho que daria uma boa história, sempre admirei as modelos, minha mãe foi costureira, eu via aquelas modelos e pensei como elas deviam pensar, com o pensamento delas, fazendo sucesso, e se de repente, da noite para o dia tivesse que abandonar seu maior sonho por conta da traição de uma pessoa que ela mais confiava, eu pensei, o que será que ela fez até aqui para chegar onde chegou, lutou, teve várias derrotas, vários não, e finalmente um grande sim, até a chegada dessa pessoa que numa estalar de dedos acabou com o seu castelo de areia, daí surgiu Passarela de Pedras, uma história instigante, um folhetim clássico do jeito que o povo gosta.

MARCOS: Eu gostei bastante da sinopse, é uma história que promete muitas reviravoltas, como uma boa novela tem que ser. Você tem como inspiração quais novelas e quais autores?

OSWALDO: Minha maior inspiração é o autor João Emanuel Carneiro, depois que vi Avenida Brasil, fiquei fascinado com Nina a típica mocinha que engana, mente só para se vingar e depois vê que estava o tempo todo errado e que todo o sentimento que cativou a fez sofrer ela e os outros a sua volta. Vi também A Favorita fiquei vidrado na revelação da verdadeira vilã que até então todos pensavam ser Donatela e foi descobrir ser Flora.

MARCOS: O nome propriamente dito, veio de onde?

OSWALDO: Bom Passarela de Pedras nasceu depois de vários títulos, ela foi aquele título que falou mais alto, um dia eu estava caminhando na praça e vi quando uma pessoa tropeçou em uma pedra, pode não parecer, mas aquilo ali foi a sementinha para nascer o título eu pensei, Andreia desfila na passarela, e irá enfrentar obstáculos pela vida além de se tornar paralítica e ter que abdicar do seu maior sonho, então eu uni os dois elementos, passarelas, que remete a modelos e a desfiles pedras, que remete a obstáculos, quem nunca teve pedras no seu caminho? Hein? Passarela de Pedras também tem outro significado o caminhar pela vida, durante a vida Andreia enfrentará muito mais obstáculos que ela enfrentou ao se tornar paralítica.

MARCOS: E esta protagonista que promete ser muito forte e ter uma evolução digna da sua força, como surgiu? Foi muito difícil caracterizar esta personagem?

OSWALDO: Bastante, na verdade eu peguei características de vários depoimentos em blogs e internet para formar o caráter de Alice.

MARCOS: Passarela de Pedras já está com todos seus capítulos finalizados?

OSWALDO: Sim, todos escritos.

MARCOS: Conte pra nós, Oswaldo, como é o seu processo de escrita? Como é o seu dia-a-dia na hora de sentar e escrever um capítulo?

OSWALDO: Bom, eu trabalho de manhã até a noite, tenho hora do almoço e depois das seis horas que é o momento que eu escrevo. Às vezes viro a noite, e os finais de semana eu descanso, gosto de ter muitos capítulos de frente para não ficar muito apertado.

MARCOS: Sobre o antagonismo em novelas, o que você tem a dizer? Como desenvolveu sua antagonista para esta trama? Pois sabemos que o público ama de paixão um bom antagonismo, não necessariamente um vilão, mas sim aquele antagonismo que mexe com o interior do(a) protagonista.

OSWALDO: Bom os meus vilões tem que ter maldades e humor, se um vilão não tiver um leve toque de humor, ele deixa de ser um personagem forte, ter um tom de sarcasmo ou ironia em seus diálogos é como se fosse a cereja do bolo, o vilão também não pode ser mal, ele é mal por que aconteceu alguma coisa em sua história, ou ele sofreu no passado uma grande perda e por isso se tornou a pessoa. Bom, um vilão tem sempre seu lado emotivo e sensato, mas também um lado duro e forte, enfim todo os vilões devem ser redondos e com todos os aspectos definidos com clareza se não deixa de provocar emoção e a sensação no público.

MARCOS: Muito bom, Oswaldo. Eu acredito que Passarela de Pedras será um grande sucesso este ano no MV. Torço por isso. Bom, acredito que tenha acompanhado os outros episódios do programa e sabe que temos um quadro especial aqui, o nosso Bate-Bola. Preparado pra ele?

OSWALDO:

MARCOS: Bora lá então.

1) um conto inesquecível que você já tenha lido; Nana Neném

2) uma webnovela inesquecível que você já tenha acompanhado; Chuvas de Verão

3) uma webserie inesquecível que você já tenha acompanhado; Anne History

4) um filme inesquecível que você já assistiu; Em Algum Lugar no Passado

5) uma série de tv inesquecível que você já acompanhou; Lost

6) uma novela inesquecível que você tenha acompanhado; Avenida Brasil

7) Escrever para mim é; Vida

8) Oswaldo e o MV; Oportunidade

9) O que espera da reação do público/leitor no MV com Passarela de Pedras; Torcida

10) O que não suporta ou que lhe tiraria do sério no MV;
– pessoas falsas
OU
– intrigas desnecessárias
OU
– ter uma ideia, ou parte dela, roubada

Pessoas Falsas

MARCOS: Meu muito obrigado, Oswaldo, pela participação neste programa. Que a sua estadia no MV seja duradoura, sempre nos trazendo cada vez mais grandes histórias. Que Passarela de Pedras possa ser um grande sucesso. Eu irei acompanhar, com certeza. Aproveite o momento e também deixe aqui seu convite para nossos leitores acompanharem sua trama.

OSWALDO: Bom, eu que agradeço Marcos essa oportunidade para estar apresentando minha web novela. Bom, então eu deixo aqui desde já o meu convite para acompanhar Passarela de Pedras que estréia dia 5 de julho no WidCyber.

MARCOS: É isso aí meus amigos. Ficamos por aqui e até uma próxima! Abraços para todos!

A Widcyber está devidamente autorizada pelo autor(a) para publicar este conteúdo. Não copie ou distribua conteúdos originais sem obter os direitos, plágio é crime.

LEIA MAIS DESTE CONTEÚDO:

Pesquisa de satisfação: Nos ajude a entender como estamos nos saindo por aqui.

>
Rolar para o topo