Boa noite, querido(a) leitor(a)! Boa Páscoa pra você com muita renovação na sua vida. Renovação é o que envolve o protagonista da resenha de hoje. A data de hoje é uma boa data para pensarmos em motivos para continuarmos vivendo, aprendendo… Por coincidência ou não, é sobre isso que a mais nova atração da WebTV fala.

 


Everton Brito voltou ao admirável Mundo Virtual na noite desta sexta (10) com a nova minissérie do canal de Gabo Olsen. Motivos Para Continuar Vivendo conta a história de um jovem em meio às crise de sexualidade e de autoimagem, além dos conflitos familiares e escolares. Vamos aos destaques do episódio inicial.

Na primeira cena, o adolescente Felipe aparece ao lado da janela, escrevendo uma carta de despedida no querido diário. Após a reação negativa dos pais ao saberem de sua orientação sexual e o que isso afetou em sua autoestima, o protagonista decide dar fim à sua curta vida. Corta direto para a abertura.

[yotuwp type=”videos” id=”mH2JPSyKlco” ]

Capítulo 01, título Singularidades em Ruína. Abre no corredor da escola, recurso bastante clichê em séries norte-americanas. Até aí, tudo bem. Então começa a história propriamente dita. Enquanto Felipe pensa no vazio do comportamento humano, apanha do valentão e homofóbico Jota. Entra no banheiro e chora deprimido. Jota o segue e continua o bullying. Quando está novamente sozinho, Felipe consome bebida alcoólica e entra num desvio de autoimagem, através do espelho; depois cantarola a música O Tiro, da banda Scatolove. Tudo isto forma a segunda cena do piloto.

A seguir, Felipe sobe ao terraço da escola e, entre um montão de sensações e de suspense, está para se lançar do alto. Bem nessa hora, aparece o “príncipe salvador”, Ruan, para impedir que o pior aconteça. Após uma transição de fades, estão eles à frente de um penhasco prestes a darem gritos libertadores. A cada urro, a câmera se afasta em mais um recurso comum em seriados. Fim do episódio.

Com uma trama relativamente simples mas cheia de mensagens pró-vida, o primeiro capítulo convence e comove a partir do olhar de Felipe, tanto no sofrimento nas três primeiras cenas quanto na libertação na última. A formatação do roteiro lembra a de Cristina Ravela em Anti-Herói e Gato Preto, embora seja mais simplificada e direta, como esta série pede. Eu apenas separaria a cena 02 em dois blocos através de um SEGUE DIRETO, por haver muitas ações tanto no corredor quanto no banheiro, mas o recurso fica a cargo de cada autor. Deixar junto ou separado, neste caso, é apenas uma questão de estilo de roteiro e de disposição. Há poucas inadequações ortográficas, mas nada que comprometa a leitura e a interação do leitor com o personagem principal.

Em Motivos Para Continuar Vivendo, vencem a simplicidade textual e de trama (no bom sentido) e a emoção com que os conflitos de Felipe são postos por ele mesmo nos diálogos em VOICE OFF. Everton Brito começou muito bem na obra nova. Parabéns ao autor!

 


O Observatório fica por aqui, mas daqui a pouco tem o Cyber Backstage. Até já, leitor(a)!

A Widcyber está devidamente autorizada pelo autor(a) para publicar este conteúdo. Não copie ou distribua conteúdos originais sem obter os direitos, plágio é crime.

LEIA MAIS DESTE CONTEÚDO:

Pesquisa de satisfação: Nos ajude a entender como estamos nos saindo por aqui.

>
Rolar para o topo