Na entrevista de emprego Ligia parecia bastante tranquila…

Ingrid: – Então Ligia eu vi aqui que seu currículo é excelente, embora você já esteja há algum tempo fora do mercado não é isso?

Ligia: – Verdade, eu encontrei algumas dificuldades para me recolocar e nesse período trabalhei informalmente.

Ingrid: – Então assim Ligia a gente vai fazer um teste com você ok?

Ligia: – Perfeito!

Ingrid: – Bom então por mim você pode começar agora – risos- pode ser?

Ligia: – Eu não vim preparada, mas tudo bem posso começar sim!

Ingrid: – Olha não fica assustada tá Ligia? Esse momento é mais pra te mostrar como funciona a rotina aqui na agência.

Ligia: – Sem problemas, vamos lá!

 

Na construtora Brito de Carvalho…

Vicente: – Inácio que jantar maravilhoso!  Verinha ficou encantada com a decoração que Sônia fez.

Inácio: – Vamos ser honestos que flores não são a preferência da Verinha.

Vicente desconversa…

Vicente: – É, pode ser, mas estava tudo muito bom como sempre!

Os dois são interrompidos por Eduardo…

Eduardo: – Bom dia, como vai Vicente? Papai preciso falar com você.

Vicente: – Bom dia eu vou bem Edu! Bom eu vou dar licença a vocês.

Inácio: – O que foi agora Eduardo?

Eduardo: – Como é que o senhor aprova uma compra milionária de material com um fornecedor que não é confiável?

Inácio: – Em primeiro lugar seu moleque baixe esse tom comigo! E em segundo lugar, você deixou uma obrigação da empresa de lado para atender os caprichos de sua noiva e o que aconteceu aqui foi que Maurício tomou as rédeas da situação e conseguiu um fornecedor com melhor preço e com qualidade, coisa que você nem sequer se deu ao trabalho de fazer.

Eduardo: – Eu não tô acreditando nisso pai, você deu carta branca para o Maurício, eu já tinha falado com ele da fama desse fornecedor. Isso é um absurdo!

Inácio: – Absurdo é eu ter um filho sem competência para gerenciar os negócios da família! Se você já terminou pode sair.

Eduardo: – Tudo bem pai, mas aquele desgraçado do Maurício vai se  ver comigo!

Inácio: – Eu o proíbo de discutir minhas ordens! Se arranjar desavenças com Maurício, você está fora da empresa.

Eduardo: – Ok pai, você nunca me quis por aqui e na verdade eu também nunca quis estar nos negócios da família, com licença. – O jovem executivo sai batendo a porta.

 

Suzana estava ouvindo toda a conversa atrás da porta e corre para contar tudo a Maurício.

Suzana: – Meu amor, você não sabe o que acabou de acontecer!

Maurício: – O que foi Suzana?

Suzana: – O Eduardo acabou de sala da sala do Dr. Inácio com uma cara péssima, parece que estavam discutindo porque eu ouvi vozes alteradas.

Maurício: – Mas isso é ótimo, quanto mais o velho briga com o Eduardo mais perto eu fico de chegar ao controle dessa empresa.

Suzana: – Sabia que você fica mais sexy assim, sendo ambicioso, malvado, quando é que vai me levar no seu flat de novo?

Maurício: – Hoje mesmo, a gente vai comemorar mais essa derrocada do babaca do Eduardo.

Suzana: – Vamos começar agora então, vem meu amor! – diz a secretária enquanto puxa o executivo pela gravata.

 

Enquanto isso no cortiço…

Billy bate freneticamente na porta de Dulce e a doceira abre…

Dulce: – Meu filho, o que é isso? O que houve?

Billy: – Olha dona Dulce eu vim falar com a Carla e só saio daqui quando tiver feito isso.

Dulce: – Billy acho que ela não vai querer te receber não.

Carla interrompe os dois.

Carla: – Pode deixar tia, eu quero falar com ele.

Dulce: – Tudo bem, com licença, eu vou passar um café pra vocês.

Carla: – Não precisa de café nenhum, só me deixa falar com Billy em paz.

Billy: – Não precisa se incomodar dona Dulce.

Dulce pega seus doces e sai para mais um dia de luta, enquanto Billy e Carla conversam.

Billy: – Carlinha desculpa pela minha mãe, eu sei que você ficou chateada pela forma que ela te tratou.

Carla: – Que ela me tratou não né Billy, que ela me trata, até parece que não conhece sua mãe.

Billy: – Tudo bem você tem razão, mas, vamos esquecer isso e, por favor, não desaparece da minha vida.

Carla: – Eu não vou desaparecer da sua vida Billy, mas voltar a frequentar a lanchonete dos seus pais isso nunca mais!

Billy: – Tudo bem, eu prometo vir te ver sempre e você sabe né?

Carla: – Sei o que?

Billy: – Que eu gosto muito de você.

Carla: – Disso eu sei, eu também gosto de você, por isso não admito a forma como sua mãe me trata.

Billy: – Prometo que você não precisa mais passar por isso, mas tem algo que eu possa fazer pra te deixar pelo menos uns 10% feliz?

Carla: – Olha eu não queria ficar te pedindo nada sabe, pra evitar os comentários da sua mãe, mas, eu tenho uma entrevista de emprego sabe Billy numa agência de publicidade famosa aí e não tenho nenhum vestido decente.

Billy: – Esse problema já tá resolvido, quando é essa entrevista?

Carla: – Próxima sexta.

Billy: – Te pego aqui amanhã às 11h e a gente vai ao shopping.

Carla: – Tudo bem, nem sei como te agradecer.

Billy: – Só sorri gata, te ver sorrir já me deixa feliz, agora deixa eu ir que daqui a pouco a mama liga me enchendo com as entregas.

 

Na mansão dos Brito de Carvalho, Eduardo chega bastante revoltado, com uma cara de poucos amigos.

Sônia: – Meu filho você parece transtornado, o que aconteceu?

Eduardo: – Tive uma discussão com o papai.

Sônia: – Mas por quê?

Eduardo: – Ele agora da carta branca para o Maurício fazer o que quiser e quanto ao que eu penso ou faço ele reprova.  Mãe eu vou subir para o meu quarto, depois vou sair com Graziela.

Sônia: – Tudo bem filho, esfrie a cabeça, você sabe como seu pai é.

Eduardo da um beijo na mãe e sobe. Maria Estela surpreende a nora como se já estivesse ouvindo a conversa.

Maria Estela: – Você pode me dizer como é que o meu filho é Sônia?

Sônia: – Que susto Maria Estela! Eu não entendi sua pergunta.

Maria Estela: – Entendeu sim Sônia, sejamos francas, seu filho é mimado, cheio das manias, tal e qual você. Eu não admito que você coloque Eduardo contra o meu filho!

Sônia: – Espera um pouco porque eu também não admito que você me diga como tratar meu filho e meu marido, isso, não esqueça que Inácio é seu filho, mas também é meu marido há quase 30 anos.

Maria Estela: – Eu só estou pensando no bem estar da família, depois não reclame do inferno que você mesma está contribuindo para criar dentro desta casa.

Sônia: – Olha Maria Estela, essa conversa está sendo bastante desagradável e eu não quero mais me estender nesse assunto!

Nesse momento são interrompidas por tia Leonor…

Leonor: – Que gritaria é essa? Falem baixo! Vão acabar descobrindo seus segredos. – diz a idosa se dirigindo à Maria Estela.

Maria Estela: – Saia daqui Leonor!

Sônia: – Você a está deixando nervosa Maria Estela. Venha tia Leonor, vamos tomar um chá no jardim. – Sônia caminha em direção ao jardim tomando pelo braço tia Leonor.

Na casa de Carolina…

Carolina: – Já te disse meu irmão tá tudo bem comigo e com Matheus.

Marcelo: – Vou acreditar em você viu? Mas se não estivesse nada bem você me contaria?

Carolina: – Claro que sim seu bobo. Pode ir tranquilo.

Marcelo: – Olha maninha, mas qualquer coisa você me liga tá?

Carolina: – Pode deixar. – responde a dona de casa enquanto dá um beijo na testa do irmão.

 

No apartamento da família Silveira…

Verinha: – Graziela nós precisamos marcar um dia para mergulhar naquela piscina maravilhosa da casa do Eduardo.

Graziela: – Tanto faz mãe, o que importa de fato é estar com meu noivo.

Verinha: – Claro você sempre discordando em tudo comigo. Mas filha, aqui pra nós, que sogra brega que você tem hein?! – risos- Não quero ser maldosa nem nada, mas Sônia devia gastar todo aquele dinheiro com joias e não com todas as flores do palácio de Buckingham.

Graziela: – Que exagero mãe! Eu acho que cada um gasta seu dinheiro como quer.

 

Anoitece e na agência de publicidade Marcelo Duarte…

Ingrid: – Ligia me espera um pouco aqui na recepção, vou só buscar uns papéis na minha sala.

Ligia: – Espero sim Ingrid.

Marcelo entra na agência e começa a olhar fixamente para Ligia, admirado com sua beleza.

Marcelo: – Isso! É você moça, onde você estava esse tempo todo? – pergunta o publicitário em êxtase.

Ligia: – Eu comecei hoje aqui. – responde meio sem graça a moça.

Marcelo: – E se depender de mim vai ficar por muuuito tempo.

 

 

 

Fim do Capítulo

A Widcyber está devidamente autorizada pelo autor(a) para publicar este conteúdo. Não copie ou distribua conteúdos originais sem obter os direitos, plágio é crime.

Pesquisa de satisfação: Nos ajude a entender como estamos nos saindo por aqui.

Leia mais Histórias

>
Rolar para o topo