Novela de Débora Costa

Escrita Por

Débora Costa

Revisão de Texto

Marcelo Delpkin

Direção Artística

Wellyngton Vianna

Núcleo

Cyber TV

Personagens no capítulo

 ÁGATA

BRUNO

CRISTINA

DANIELA

EDGAR

FLÁVIO

GILBERTO

GLAUCO

HENRIQUE

JANETE

LUCIANO

MIGUEL

PARCEIRO

RÉGIS

ROBERTA

SILVIA

SUELI

TAMARA

TICO

Cena 1/Rio de Janeiro/Favela/Ext./Noite.

Daniela e Flávio estão caminhando em uma praça.

FLÁVIO

Eu estava precisando muito sair daquele lugar. Obrigado.

DANIELA

Não precisa agradecer.

Flávio para de caminhar e fica de frente para Daniela.

FLÁVIO

Preciso sim. Você tem sido meu anjo da guarda. Se eles não fizeram algo pior comigo, é por sua causa.

DANIELA

Faço tudo isso porque te amo, Flávio.

FLÁVIO

Eu sei… Como te falei, estou confuso. Não posso deixar me influenciar por tudo isso que estou vivendo. Seria injusto com você.

DANIELA

Eu sei, não precisa se preocupar com isso. É melhor a gente voltar agora.

Tico se aproxima.

TICO

Oi, clone! Oi, Dani!

DANIELA

Tico, eu já te falei que o nome dele é Flávio. O que você está fazendo na rua a essa hora?

TICO

(sem jeito) Eu fiquei sem sono.

FLÁVIO

É feio mentir, Tico. O que aconteceu?

TICO

Sabe o que é, clone? Eu tava dormindo na casa de um amigo meu, mas a mãe dele disse que eu não podia mais ficar lá, daí fiquei sem ter aonde ir.

DANIELA

Eu já falei pra você ficar na minha casa, Tico. Mesmo se eu não estiver lá tem uma chave perto da janela. É só pegar e entrar.

TICO

Eu posso ir com você então?

DANIELA

Claro que pode.

TICO

Clone, a minha mãe mora muito longe daqui?

Flávio se abaixa e olha nos olhos de Tico.

FLÁVIO

Mora, mas eu vou te levar para ela.

Tico abraça Flávio.

TICO

Obrigado! Não vejo a hora de conhecer ela. Como ela se chama?

FLÁVIO

Sueli.

TICO

E meu pai?

Flávio se levanta e olha Daniela sem saber o que dizer pro garoto.

FLÁVIO

Depois a gente continua falando sobre isso.

DANIELA

Isso! Está muito tarde. Pode ir para a minha casa. Só vou levar Flávio pra casa dele.

TICO

Tá bom.

Tico sai. Flávio conversa com Daniela.

FLÁVIO

Infelizmente Tico não vai conhecer o pai.

Cena 2/São Paulo/Balada/Int./Noite.

Henrique entra se aproxima do balcão e pede uma bebida. Parceiro se aproxima de Henrique.

HENRIQUE

Trouxe o que eu pedi?

PARCEIRO

O que você acha?

Parceiro sorri e entrega um pacote para Henrique.

HENRIQUE

Valeu, parceiro! Encher a cara e me drogar é o que preciso agora.

PARCEIRO

Eu sei que não é da minha conta, mas você sabe que isso pode acabar com você, né?

HENRIQUE

Não uso droga sempre, mas hoje estou precisando. Roberta me viu beijando aquela desgraçada da Tamara e terminou tudo comigo.

PARCEIRO

Não foi com você que ela terminou, foi com Flávio.

HENRIQUE

Sinto que foi comigo.

PARCEIRO

Você está gostando dela?

Faz que sim com a cabeça e bebe.

PARCEIRO

(sorri) Taí uma coisa que nunca poderia imaginar: você amarrado em alguém.

HENRIQUE

Nem eu.

Ágata se aproxima sorridente.

ÁGATA

Flávio, está cada vez mais comum te encontrar pela noite. Isso é impressionante.

HENRIQUE

Pra você ver. Precisei ser sequestrado para deixar de ser otário.

ÁGATA

(ri) E a Roberta?

HENRIQUE

Não estamos mais juntos, e é só isso que vou falar.

Henrique se afasta. Ágata morde o lábio inferior e olha Parceiro.

ÁGATA

O que está acontecendo com Flávio?

PARCEIRO

Deixa ele pra lá, gata. Senti sua falta sabia?

Ágata sorri e beija Parceiro.

ÁGATA

Então vamos nos divertir. Esses dias estão sendo muito chatos, mas tenho certeza que em breve tudo vai ser perfeito.

Ágata beija Parceiro.

Cena 3/Mais Tarde/Motel/Suite/Int./Noite.

Henrique entra beijando uma mulher. Está bêbado e drogado; ofegante e excitado. Beija a mulher com desejo; faz amor com ela.

Cena 4/Rio de Janeiro/Favela/Cativeiro de Flávio/Int./Noite.

Daniela está de saída. Flávio sente as mesmas coisas que Henrique. Aproxima-se de Daniela. Eles trocam olhares e se beijam. Trocam carícias, e se entregam ao desejo até fazerem amor.

Cena 5/Mansão dos Werneck/Sala de Jantar/Int./Dia Seguinte.

Silvia está tomando café da manhã. Cristina entra e se senta.

SILVIA

E meu filho?

CRISTINA

Está se arrumando. Ele não quer deixar as coisas do grupo.

MIGUEL

(entra) Pode falar pro seu marido ficar aqui o tempo que ele quiser. O grupo Werneck voltou para as minhas mãos, e ninguém pode mudar isso.

Miguel se senta. Silvia o encara.

SILVIA

Régis administra o grupo Werneck há anos. Você não pode tirar algo que pertence a ele dessa maneira.

MIGUEL

(sorri) Não estou tirando nada de ninguém, Silvia. Só deixando bem claro quem é que manda.

RÉGIS

(entra) Eu mando, Miguel. Meu pai me deixou na administração mesmo antes de morrer.

MIGUEL

Régis, eu pretendo tomar café antes de ir para o grupo e não quero prolongar essa conversa chata aqui. Marca uma hora com a minha secretária ainda hoje para conversarmos, está bem?

Miguel pega uma xícara se serve de café. Régis fica com raiva e se levanta para bater em Miguel. Cristina o segura.

CRISTINA

As coisas não vão se resolver assim, meu amor.

MIGUEL

(sorri) Cristina tem razão, Régis; mas se quiser vir me enfrentar de homem pra homem, vou ter muito prazer em acabar com você.

RÉGIS

(nervoso) Eu não vou permitir que você faça parte do grupo Werneck! Meu pai sempre me alertou sobre você!

SILVIA

Parem já com essa briga! Isso não vai levar a lugar algum.

MIGUEL

Ainda bem que você sabe, Silvia, e já falei: se você, Régis, quiser que eu explique as coisas, é só falar comigo no meu escritório. Agora cansei disso. Me deixa tomar café.

Régis sai da sala de jantar com raiva. Cristina vai atrás. Silvia encara Miguel.

SILVIA

Nem se atreva a agir contra o meu filho. Você não faz ideia do que eu sou capaz de fazer para defender meus interesses.

Miguel olha Silvia com ar de deboche e continua tomando café.

Cena 7/Mansão dos Werneck/Sala/Int./Dia.

Régis está nervoso. Cristina se aproxima.

CRISTINA

Meu amor, você precisa se acalmar. Desse jeito só vai piorar tudo.

RÉGIS

Piorar o quê, Cris? Tudo está indo de mal a pior! Nosso filho está sabe-se lá onde; o outro está vivo, mas nos odeia; meu pai morreu, e agora vem esse cara querendo tirar tudo que meu pai e eu construímos! Não dá mais para ficar pior, Cris!

Régis chora e se senta no sofá. Cristina o abraça.

CRISTINA

Eu poderia falar pra você não chorar, mas você precisa porque até agora não te vi derramar uma lágrima… Mas eu estou aqui, meu amor.

Henrique entra, ainda bêbado. Olha Régis chorando e abraçado por Cristina e dá risada.

HENRIQUE

Pra mim esse tipo de coisa ridícula só acontecia em filme ruim de romance barato. A esposinha consolando o marido, que é infiel ainda por cima.

Henrique ri mais. Régis se levanta com raiva, dá um soco em Henrique e o segura pelo colarinho da camisa.

RÉGIS

Estou farto de você agir assim! De onde você tirou que sou infiel?

Cristina se levanta e coloca a mão no ombro de Régis. Está com medo de que a briga piore. Henrique está com um corte na boca por causa do soco que levou e encara Régis.

HENRIQUE

Se você não me soltar agora, eu vou te quebrar todinho, e nem a Cristina vai poder te ajudar de tão moído que você vai ficar.

CRISTINA

Régis?!

Régis interrompe Cristina, não solta Henrique e o chacoalha.

RÉGIS

Eu não tenho medo de você! Para de criar intrigas, entendeu?

Henrique se solta de Régis,  o encara e sorri.

HENRIQUE

Deveria ter medo, sim. Eu já mandei muita gente para o inferno e da pior maneira possível. Não se esqueça que o otário do Flávio está nas minhas mãos. Qualquer vacilo de vocês, e ele vai pagar. Agora, quanto às intrigas… Eu converso com a Ágata e sei bem que vocês já andaram se beijando por aí.

Régis vai bater em Henrique, que se defende. Segura a mão de Régis e dá um soco no estômago dele. Régis cai no chão. Cristina fica desesperada, se abaixa perto de Régis e chora.

CRISTINA

Já chega! Vocês não podem ficar brigando desse jeito. São pai e filho!

HENRIQUE

Esse cara não é nada pra mim e nem você. Quero que vocês se danem.

Henrique sobe as escadas. Cristina chora. Régis tosse.

RÉGIS

Estava enganado, Cris… As coisas podem piorar, sim.

CRISTINA

Régis, é verdade? Você está interessado em Ágata?

RÉGIS

Não estou, e você comprovou isso.

CRISTINA

A Janete me disse que Ágata reclamou com ela porque você estava dando em cima dela.

RÉGIS

Ela te disse isso, e você acreditou? Mesmo depois do que viu? Cris, é invenção. Com certeza a Ágata que é muito inteligente falou isso para a Janete porque sabia que ela te contaria.

CRISTINA

(abraça Régis) Se eu perder você, não sei o que vai ser de mim. Régis, eu te amo e preciso muito de você.

RÉGIS

Também preciso de você, Cris, e você é a única mulher que amo.

Cristina, abraçada com Régis, fecha os olhos.

Cena 8/Transição de Tempo.

Os dias passam…

Régis entrega para Cristina o prédio que Frederico passou ao nome dela para a nova Fundação.

Henrique senti falta de Roberta e a procura, mas ela está muito magoada e não quer nem vê-lo. Ele decide conquistar Roberta.

Edgar bate em Glauco e diz para ele nunca mais chegar perto de Roberta. Edgar desfaz a sociedade no grupo Werneck e oferece ajuda para Cristina na fundação.

Miguel mostra para Régis os documentos que provam que ele é dono da metade do grupo Werneck e o novo Presidente. Régis, sem ter o que fazer, aceita continuar sendo o administrador, mesmo recebendo ordens de Miguel.

Ágata começa a seduzir Régis aos poucos. Sempre usa roupas provocantes e faz de tudo para chamar a atenção de Régis, mas dessa vez ela finge não estar interessada. Ele começa a olhar pra ela com desejo.

Janete e Miguel assumem o namoro.

Bruno desiste de conquistar Sueli.

Sueli, Bruno, Roberta, Cristina, Luciano e Edgar trabalham juntos para a reabertura da Fundação.

Flávio e Daniela estão cada vez mais unidos.

Gilberto quer rever Cristina de qualquer jeito.

Tamara não quer deixar Henrique em paz. Vai procurar por ele no grupo Werneck e acaba se aproximando de Glauco.

Glauco não consegue tirar Roberta da cabeça.

Henrique desvia dinheiro do grupo Werneck.

Silvia pega dinheiro da conta de Frederico e passa para a conta dela. O detetive a procura para dar informações sobre o filho de Frederico, mas ela o dispensa.

Henrique manda flores para Roberta todos os dias e sempre junto com um convite para jantar. Ela acaba aceitando. Henrique é romântico como nunca foi, leva Roberta para viajar, eles se divertem, e Henrique consegue conquistar o amor de Roberta, que o perdoa e diz que o casamento será no dia que estava planejado.

Régis, apaixonado, beija Ágata. Henrique vê e resolve criar um plano junto com a prima para que Cristina descubra a traição.

Letreiro: 3 Meses Depois.

Cena 9/Fundação Frederico Werneck/Sala de Cristina/Int./Dia.

Cristina e Sueli estão sentadas.

CRISTINA

Eu nem acredito que amanhã vamos reabrir nossa fundação, Sueli. Isso me faz muito bem.

SUELI

A mim também, Cris. Já estava morrendo de saudades das crianças, de estar perto delas e pode ajudar. É como se estivesse um pouco mais perto do meu filho.

CRISTINA

Eu sei como você se sente. Quando eu abri a Fundação, queria de uma certa forma cuidar das crianças porque assim estaria suprindo a falta do meu filho que achava que estava morto… Fomos vítimas da maldade das pessoas, Sueli. Estamos pagando por coisas que nem fizemos.

SUELI

Você não fez, Cris, mas eu, sim. Fui amante do Frederico por muito tempo. É claro que a Silvia se vingaria.

ROBERTA

(entra feliz) Oi, Cris! Oi, Sueli! Acabei de vir da última prova do meu vestido. Ficou perfeito.

Roberta se senta. Cristina fica desanimada.

ROBERTA

O que foi, Cris?

CRISTINA

Nada, querida. Só estou um pouco cansada.

Cena 10/Restaurante/Mesa de Ágata e Henrique/Int./Dia.

ÁGATA

Até agora não entendi por que você quer que sua mãe me veja com Régis. Você sabe que ela vai ficar arrasada.

HENRIQUE

Sim, mas não acho justo uma traição dessas. Minha mãe não merece.

ÁGATA

Por mim, quanto antes ela souber melhor, porque assim fico com Régis só pra mim. (toma suco)

HENRIQUE

Essa noite vocês vão se encontrar?

ÁGATA

Acho que sim. Ele quer me levar para jantar, e isso geralmente termina em um motel.

HENRIQUE

E é sempre o mesmo?

ÁGATA

É.

HENRIQUE

Me liga antes de ir jantar com ele. Vou dar um jeito de levar a minha mãe até o motel e ver vocês na cama.

ÁGATA

(sorri) Cruel! Adorei!

HENRIQUE

Mas eu não, pois se trata da minha mãe, que eu amo. Agora sai daqui, vadia, e me liga confirmando tudo.

Ágata se levanta, pega a bolsa e encara Henrique.

ÁGATA

Não sou vadia, sou a mulher que faz o seu paizinho feliz.

Ágata sai. Henrique sorri e bebe uísque.

HENRIQUE

Isso vai ser muito bom. Vou poder ver de perto a cara da Cristina quando ela ver o amor da vida dela com outra. (gargalha)

Fim do Capítulo

A Widcyber está devidamente autorizada pelo autor(a) para publicar este conteúdo. Não copie ou distribua conteúdos originais sem obter os direitos, plágio é crime.

Pesquisa de satisfação: Nos ajude a entender como estamos nos saindo por aqui.

Leia mais Histórias

>
Rolar para o topo