Por dentro de Pesadelo – O Portal dos Sonhos

Em Pesadelo – o portal dos sonhos, assim como na obra Anjos de Metal, o autor Apollo Souza aplica a teoria do multi-verso, não no sentido de múltiplos universos, mas sim múltiplas dimensões ou planos existenciais que coexistem juntas dependendo umas das outras para manter o equilíbrio, usando os preceitos do RPG para construir a história onde os heróis precisam passar por provações constantes para subir de nível e avançar na trama.

Assim acredita-se na existência de vários planos conhecidos como o plano material (onde habitam os humanos), plano astral (Dimensão dos Espíritos), o plano das sombras (dimensão dos monstros) e o plano das fadas (o mundo das fadas) e o plano elemental (terra / fogo/ agua e ar em sua forma mais pura) dentre outros.

Dentro desse conceito nós temos, o Digimundo (Digimon), Narnia (As Crônicas de Narnia), O mundo celestial (shurato) Zephiro (Guerreiras magicas de Rayarth), Ezius, dentre outros…

Em O Portal dos Sonhos, primeira parte da nossa história, somos levados ao mundo de Pangeia, governado pelas divindades, Lumus – o senhor da luz e Dharkus – a senhora das sombras – criadores dos seres de luz e sombras respectivamente.

Luz e Sombra conviviam pacificamente, com o passar do tempo a ganancia de ambos os povos fez com que se cogitasse a guerra pela conquista de ambos os reinos, assim Luminus e Darkus travaram uma grande batalha, causando morte e sofrimento para ambos os lados. Temendo pela vida de seu povo as divindades decidiram separa-los até o dia em que ambos os povos conseguissem mais uma vez coexistir, e para resguardar seus territórios 7 chaves magicas foram criadas com o poder de abrir um portal para transitar entre as duas dimensões e com elas 7 guardiões foram escolhidos para guarda-las e guiar aqueles que desejassem conhecer a ambos os planos sem feri-los de forma alguma, três chaves para Dharkus e três para Luminus para lembra-los desse acordo, Luminus criou o sol e Dharkus a lua, e de tempos em tempos os dois se unem abrindo uma porta que liga ambos os reinos em um só, aberta apenas pela chave dos sonhos, que ficaria em posse de alguém que não pertencesse a nenhum dos povos, alguém puro que pudesse enxergar a verdadeira essência de Pangeia, trazendo a paz para ambos os mundos.

 

O grande eclipse se aproxima mais uma vez, o portal dos sonhos está prestes a se abrir novamente, e para isso as sete chaves devem ser reunidas novamente, mas uma vez a possibilidade de paz ou de guerra se torna real. Você acredita em monstros?

No fim um pesadelo pode mudar para sempre o rumo de toda uma vida!

Publicidade
(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Comentários recentes

Veja Mais notícias

>
Rolar para o topo