Amanhece o dia e no flat de Maurício ele acorda e não encontra Carla, apenas um bilhete…

‘’ Adorei a noite, se tiver entediado, me liga’’

Maurício está bastante interessado na amizade e em outras coisas mais que Carla tem a oferecer.

 

No cortiço…

Ligia acordou cedo e fez o café da manhã.

Dulce: – Que mesa linda Liginha!

Ligia: – Tia não era pra ter levantado da cama, eu ia levar seu café.

Dulce: – Minha filha me deixa levantar daquela cama um pouco.

Ligia: – Tá certo hein dona Dulce, mas comporte-se. Eu avisei ao Marcelo que vou chegar um pouco mais tarde hoje.

De repente, um barulho de porta abrindo…

Carla: – Bom dia família!

Ligia e Dulce dão bom dia e se entreolham sem entender nada.

Carla: – Que foi gente?

Ligia: – É você mesmo Carla? Tem certeza que tá falando com a gente?

Carla: – Ai eu não entendo vocês, se eu acordo de mal humor reclamam e se eu acordo de bom humor também, decidam!

A folgada já vai sentando e se servindo…

Dulce: – Que bom filha que você acordou de bom humor, isso é maravilhoso!

Carla: – Falar nisso tia, você melhorou?

Ligia: – Não graças a você. –responde ironicamente para a prima.

Dulce: – Estou melhor sim Carla.

Carla: – Ligia me erra hoje tá, que hoje eu tô muito linda, confiante e acordei mais convicta de que falta pouco, mais muito pouco para eu dar adeus a essa vida miserável que eu vivo hoje.

Dulce: – Não briguem, por favor. Vamos aproveitar esse clima de bom humor e tomar um café da manhã em família.

Ligia: – Tem razão tia! Paz Carla!

Carla: – Paz!

 

Na casa de Domingos e Margarida…

Margarida está muito feliz em ter se reconciliado com Billy.

Margarida: – Filho, que bom que você não tá mais zangado comigo. Eu tava até aqui pensando que não vou mais me opor se você quiser se envolver com Carla.

Billy: – Tá falando sério mãe?

Margarida: – Sim filho, só não me peça para aceitar ela aqui nesta casa.

Billy: – Tudo bem mãe, como a senhora quiser.

Margarida: – Então vem cá dá um abraço na tua mamma vem!

 

 

Na mansão Brito de Carvalho…

A família toma café da manhã em clima de funeral, ninguém fala até que Eduardo se manifesta…

Eduardo: – Mãe já marquei o dia do meu casamento, fui conversar com o padre e consegui uma excelente data.

Sônia: – Que bom meu filho, já estou vendo a questão do Buffet e decoração também, está quase tudo ok.

Maria Estela palpita na conversa.

Maria Estela: – Em trabalho não se fala nesta casa não é? Mas já gastar o dinheiro da família.

Sônia respira fundo para não repetir a cena desagradável da noite anterior com a sogra.

Ingrid: – Que mau humor hein vovó?! –a publicitária se dirige a Maria Estela.

Maria Estela: – Eu não sei por que gasto meu latir com esta família, ninguém mais me respeita aqui. Tá vendo Inácio?

Inácio: – Mamãe este não é o momento de lavar roupa suja.

Maria Estela: – Quando a construtora abrir falência e perdermos tudo não diga que eu não avisei. Seus filhos não se interessam pelos negócios da família e não me admira se um estranho assumir a presidência da empresa qualquer dia desses.

Ingrid se levanta da mesa.

Ingrid: – Família esse assunto já deu, se me dão licença tô indo pra agência.

Eduardo: – Também perdi a fome, eu vou com você Ingrid.

Após os dois irmãos se retirarem, o clima volta a ser de silêncio absoluto.

 

Na construtora Brito de Carvalho…

Suzana entra na sala de Maurício com cara de poucos amigos.

Suzana: – Onde você tava ontem Maurício?

Maurício: – No evento, você sabe. – o executivo parece não querer assunto com ela.

Suzana: – E depois? Te liguei muito e enchi seu celular de mensagens.

Maurício: – Fui jantar com um pessoal do shopping e da construtora.

Suzana: – Não me faz de boba Maurício! Não me enrola!

Maurício: – Modera esse tom Suzana, nós não somos casados.

Suzana: – Se você tá achando que vai brincar comigo tá muito enganado seu desgraçado.

Maurício: – Você tá ridícula Suzana, aliás, você é ridícula fazendo essa cena toda.

Suzana: – Tudo bem, você vai me ignorar Maurício? Mas você me paga!

Após ameaçar o amante, Suzana sai batendo a porta. Maurício fica sozinho e tira do bolso o papel com o telefone de Carla e resolve ligar para ela.

 

No apartamento da família Silveira…

Eduardo chega para visitar Graziela e a própria Verinha abre a porta.

Verinha: – Eduardo, querido! Entra por favor. Grazi, seu noivo chegou, vem aqui.

Eduardo segura um buquê de rosas lindo.

Graziela: Amor, bom dia! Já ia te ligar.

Eduardo: – Bom, eu tava indo para a empresa e resolvi passar aqui, te dar um beijo e dizer pessoalmente que nosso casamento está marcado para daqui há 3 semanas.

Verinha: – Mas isso é maravilhoso! Inclusive Sônia e eu vamos com a Grazi próxima semana fazer os últimos ajustes no vestido.

Graziela: – Adorei! Tô muito ansiosa.

Eduardo: – Você não tá chateada comigo?

Graziela: – Claro que não! Porque estaria?

Eduardo: – Nada não.

 

De volta ao cortiço…

Carla se arruma e se despede de Dulce e Ligia.

Carla: – Família eu recebi um convite maravilhoso e preciso sair, não morram de saudade, beijos!

Ligia e Dulce não dão muita importância às palavras de Carla.

 

Carla pede um táxi e vai de encontro a Maurício.

O executivo a convidou para um passeio de iate.

 

 

Fim do Capítulo

 -” ”>-‘.’ ”>

A Widcyber está devidamente autorizada pelo autor(a) para publicar este conteúdo. Não copie ou distribua conteúdos originais sem obter os direitos, plágio é crime.

Pesquisa de satisfação: Nos ajude a entender como estamos nos saindo por aqui.

Leia mais Histórias

>
Rolar para o topo