Se não for vocee
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

NAVEGAR

O ressentimento do imortal de Lótus

YanLi olhava para avó apreensiva, desde que lhe contou de fato o que era todos aqueles acontecimentos bizarros se sentia aflita, afinal era seu irmão alguém que cuidou como se fosse uma mãe. ZiXuan tentava tranquiliza ela, afirmando que estaria junto com o rapaz. Ele havia decidido  nas atuais circunstâncias aprender a cultivar.

Primeiro para poder proteger seus entes queridos, sua amada noiva e as crianças do orfanato. Segundo pelo próprio Wei Ying, em seu coração acreditava ser uma carga muito pesada para o rapaz passar sozinho.

BaoShan SanRen contou-lhes o que sabia sobre a vida passada de Wei Ying e que sempre soube desde que o recebeu no orfanato de sua real natureza.

— Existe o medo profundo nas almas daqueles que vivenciaram aquela terrível batalha, muitos o odeiam e carregam por gerações dentro das famílias que tiveram entes perdidos na luta da Cidade sem noite. – A mulher se abanava com seu leque.

— Eu não sei se é correto leva-lo a um lugar onde muitos o odeiam. – YanLi estava muito assustada com tudo que ouviu. – Ele é só um garoto, não saberá se defender de pessoas assim.

— YanLi, minha neta é por esse motivo que estou indo com o segundo mestre Lan para essa conferência, a notícia do ataque ao orfanato, a revelação de minha existência e sobre Wei Ying chegou aos ouvidos de todos como folhas carregadas pela tempestade. – A imortal levantou de sua poltrona e caminhou pela sala olhando para o corredor que levava aos quartos. – Melhor encarar logo as cobras antes que elas invadam novamente minha casa.

Wei Ying apareceu correndo pelo corredor, agitado parou diante de BaoShan SanRen e uniu as mãos curvando-se em respeito a sua avó e mestra.

Wei Ying apareceu correndo pelo corredor, agitado parou diante de BaoShan SanRen e uniu as mãos curvando-se em respeito a sua avó e mestra

— Como estou vó? – Ergueu o corpo mostrando as vestes as quais a própria avó o havia preparado.

— Wei Ying está lindo como sempre.

ZiXuan pouco depois chegou na sala, vestido trajes quase parecidos com os de Wei Ying.

— A-Li. – ZiXuan se aproximou da noiva. – Não fique tão preocupada, confiaremos em nossa vó e no sr. WangJi. – Deu-lhe um suave beijo na testa de sua noiva.

Wei Ying aproximou da irmã e abraçou-a sorrindo começou a tagarelar.

— A-Li, eu vou ficar bem e nada vai acontece comigo ou com nosso lar. – Afastou dela e olhou para a vó. – Eu ficarei forte e poderei cuidar de todos.

YanLi sorriu e afagou o rosto de Wei Ying, mesmo com todos dizendo que tudo ficaria bem seu coração estava apertado e temeroso.

Nesse mesmo instante o sino que fina no portão de entrada do templo ecoou e todos olharam para a porta, sabendo que era a hora de irem.

— Deve ser o carro que o Sr. WangJi enviou para nos levar. – ZiXuan apressou-se e foi direto para a porta e pouco depois estava no portão principal abrindo-o.

BaoShan seguiu logo depois juntamente com Wei Ying, logo todos estavam de frente ao carro que era guiado por JingYi com SiZhui acompanhando. Notaram que havia mais dois carros de escolta. SiZhui que havia saltado do carro curvou em respeito a imortal.

— Obrigada por nos acompanhar jovem mestre Lan.

— É importante que cheguem bem à empresa Gusu, queiram se acomodarem. – SiZhui abriu a porta de trás do carro.

— Dr. SiZhui, onde está Lan Zhan? – Wei Ying paro-o antes de entrar no carro.

— HanGuang-Jun desejava vir buscar-lhe, mas achou por bem acompanhar os preparativos de seus testes. – Sorrindo um tanto emocionado olhando o rapaz com aquelas vestes, suspirou recordando de seu passado com Wei WuXian. — Jovem mestre Wei está muito bem vestido, um verdadeiro discípulo de BaoShan SanRen.

— Eu adorei as roupas. – Wei Ying endireitou o corpo em uma postura mais altiva e olhou para sua avó sorrindo.

A imortal sorriu e fez um gesto para ZiXuan e Wei Ying entrar no carro, virou-se para olhar o tempo e estendeu a mão onde desenhou no ar com os dedos um arranjo de proteção. Baixou o braço satisfeita com o resultado de seu feitiço. O local havia sido revestido por uma membrana espiritual que somente os cultivadores podiam sentir apesar de não ver.

SiZhui olhou o local admirado, aquela mulher era a primeira imortal imaginando o quanto ela conhecia e era poderosa.

Pouco depois, todos estavam no carro partiram para o prédio da empresa da família Lan. ZiXuan apesar de mostrar-se calmo, por dentro estava apreensivo ao contrário de Wei Ying que agitado fazia perguntas a BaoShan.

— Vó, como é o teste? O que eu preciso fazer para passar nesse teste? Eu sei que eles vão me fazer perguntas Lan Zhan me disse ontem por mensagens, quero fazer tudo certo.

— Não se preocupe tanto quanto ao que vão lhe perguntar, somente responda o que achar necessário e não fique com medo. – Explicou-lhe. – O teste é basicamente testa seu núcleo dourado para descobrirem se há energia ressentida.

— Mestra BaoShan… – ZiXuan a interrompeu. – E se o pressionarem? Digo, Wei Ying não conhece sobre cultivação ao ponto de responder perguntas desses senhores de clãs.

— Exatamente, o fato dele não conhecer é uma vantagem. – Olhou novamente para Wei Ying. – Eles vão querer achar pontos que possam denunciar que tem ressentimento sobre o mundo da cultivação, como não tem conhecimento, ainda, será mais fácil para meus argumentos calarem as bocas das víboras imortais. – Piscou para ele.

Wei Ying abriu um largo sorriso concordando e vira o rosto para ZiXuan falando despreocupado.

— ZiXuan, não deve ficar pegando no meu pé, posso dar conta de um teste.

— Eiii moleque, estou preocupado com você, o local que vamos é bem mais do que pensa e nenhum deles lá serão como o segundo mestre Lan ou o líder do Clã Lan que são benevolentes.

Wei Ying estreitou os olhos e antes que pudesse retrucar ouviu a sua avó dizer:

— ZiXuan estar certo. – Ela olhou para a janela do carro, vendo a paisagem da cidade passar rápido pelos seus olhos, com o leque se abanava elegantemente quando prosseguiu. – Ouviu as palavras do ancião QiRen, ele odeia profundamente sua existência passada e o local onde iremos estará repleto de cultivadores com ódio tão qual ou maior que o dele por Wei WuXian.

Wei Ying engoliu seco e seu sorriso sumiu na face, se ajeitou no banco do carro e calou-se.

— Não tenha medo, mesmo que eles destilem o ódio sobre você não poderão lhe fazer nada. – A imortal virou-se e passou o braço no ombro dele trazendo para seu lado. – Eu estarei lá e calarei qualquer um que quiser lhe magoar ou ferir.

Wei Ying tinha um brilho emotivo nos olhos e voltou a sorrir.

Ele sabia que não seria fácil lidar com aquela situação, afinal ele tinha aquele passado trágico e ruim, no entanto em seu coração sentia que não era exatamente uma pessoa de má índole ou conduta. Era esse o seu sentimento maior que o fazia crer que conseguiria passar em qualquer teste que lhe fosse apresentado.

Pouco mais de quarenta minutos estavam chegando ao prédio das corporações Gusu, não demorou muito a estacionar o carro e todos estavam subindo o elevador principal para o salão onde os demais os aguardavam

Pouco mais de quarenta minutos estavam chegando ao prédio das corporações Gusu, não demorou muito a estacionar o carro e todos estavam subindo o elevador principal para o salão onde os demais os aguardavam.

No salão de conferência estavam reunidos membros das principais famílias dos clãs renomados do mundo da cultivação. O cultivador chefe LianFang-Zun conversava com enquanto aguardavam a chegada do rapaz ao qual era a reencarnação de Wei WuXian.

O grupo das famílias discutiam entre si, muitos mostravam suas revoltas e indignação diante da confirmação da volta do Patriarca YiLing.

— Não temos como prever se Wei WuXian vai se vingar, afinal ele voltou depois de mais de mil anos, o que acreditam que ele fará? – O líder do clã Yao incitava os demais mestres na discursão. – Não acho correto manter essa situação.

— Wei WuXian é um criminoso, muitos morreram diante de sua louca vingança e deve pagar por todas as vidas. – Outro senhor de clã concordava.

Lan XiChen pediu a palavra.

— Senhores, uma vida sempre será uma vida. – Olhando todos continuou. – O jovem ao qual é a reencarnação de Wei WuXian não tem sequer ligação com passado, afinal como as leis imutáveis da reencarnação nos dizem, é uma nova existência.

Os burburinhos ecoavam no grande salão, Jin GuangYao olhava-os com leve sorriso a face tentando manter o controle diante de tantas acusações e tensões.

— Líder do clã Lan tem sábias palavras, ainda não vimos o rapaz e se realmente fosse o caso de ter tamanha vingança ele não iria vir até nós dessa forma aberta. – Jin GuangYao olhou para Lan XiChen curvando levemente a cabeça. – Eu confio que ZeWu-Jun esteja correto, afinal ele será testado por nós.

Novamente os burburinhos de indignação ecoaram pelo salão, Lan XiChen olhou para todos e depois para o lado extremo onde estavam seu tio, suspirou ao notar a face irritada do mesmo.

No lado de fora do salão, SiZhui informa pelo seu telefone que chegaram e pouco depois WangJi sai de seu escritório, caminhando pelo corredor elegantemente vestido de roupas sociais brancas e um longo robe em tons branco e azul se aproxima do grupo.

— Lan Zhan! – Wei Ying sorrindo mal consegui se conter ao lado do outro.

WangJi curvou em reverencia a imortal e voltou o olhar para Wei Ying.

— Você está bem?

— Sim. – Respondeu sorrindo para o outro.

WangJi virou-se para o restante do grupo, mais especificamente para BaoShan.

— Pretendo assumir juntamente com meu irmão os testes, mas ele passará por teste com o cultivador chefe e os demais chefes de clã.

— Imaginava que nenhum deles abririam mão de testa Wei Ying, não abro mão de estar junto em cada teste, mesmo que o segundo mestre Lan esteja presidindo.

WangJi curvou leve a cabeça concordando.

— SiZhui.

— HanGuang-Jun. – Prontamente o rapaz se aproximou.

— Informe ao cultivador chefe e meu irmão que estamos presentes aguardado que nos autorizem a entrar.

SiZhui curvou e olhou para Wei Ying, seu coração estava apertado e temeroso por ele, virou-se e foi para o local.

— Wei Ying.

— Sim, Lan Zhan.

— Quando entrar por aquela porta ouvirá diversas ofensas, palavras de ódio e repudia.

— Eu sei Lan Zhan. – Wei Ying olhou nos cantos dos olhos para sua avó. – Vó Su… Quero dizer a Mestra BaoShan me orientou.

— Hn. – Seu olhar ainda demonstrava preocupação.

— HanGuang-Jun, fiz todas as recomendações e o preparei, mas ainda assim não sabemos como será o desfecho dessa conferência. – A imortal olhava para a grande porta do salão. – Espero não precisar ser mais enérgica.

— Não precisara. – WangJi garantiu-lhe.

A porta do salão se abriu e SiZhui apareceu estendendo a mão e curvando para dar passagem aos mestres. ZiXuan estava atento e ao mesmo tempo apreensivo e ao seu lado JingYi olhou-o demonstrando que estava ali para ajudar.

BaoShan SanRen caminhou e ao parar diante da porta abriu seu leque e murmurou:

— Vamos entrar no ninho das serpentes… – Voltou a face para o neto e fez um gesto para segui-la.

Wei Ying acompanhou-a, logo atrás WangJi fazia a escolta e pouco depois JingYi, ZiXuan e SiZhui.

Conforme estraram todos os sussurros e murmurinhos sessaram e os olhares eram unicamente divididos entre a primeira imortal e o rapaz que a seguia. BaoShan SanRen caminhou elegantemente até o meio do salão e parando diante do cultivador chefe fechou seu leque e curvou saudando tanto ele quanto a todos no salão.

— LianFang-Zun.

— BaoShan SanRen, seja bem vinda espero que se encontre bem. – Sorrindo-lhe gentilmente, Jin GuangYao levantou de seu patamar elevado e desceu caminhando até ela. – É uma grande honra está em vossa presença.

— Previsível… – BaoShan cobriu os lábios com o leque e olhou profundamente até sorrir-lhe. – Eu não necessitaria sair de meu templo se não fosse profanado, espero que o grande cultivador chefe aceite minhas queixas formais e averigue a invasão.

— BaoShan SanRen, não precisa formalizar tal queixa mediante ao ocorrido é lógico que mandarei investigar e encontrar os culpados, afinal foi utilizado as artes malignas e profanas para tal ataque. – Jin GuangYao voltou a face para Wei Ying e sorriu-lhe ao se aproximar. – Presumo ser esse seu neto, prazer em conhece-lo jovem mestre Wei.

Wei Ying juntou as mãos e curvou em reverencia ao chefe dos cultivadores.

— O prazer é meu, LianFang-Zun. – Wei Ying baixou os braços e olhou para os demais no salão, muitos tinham olhares sombrios pra ele.

— Jovem mestre Wei vamos começar nossos testes, acredito que tenha sido preparado para os passos que virão a seguir.

— Sim, LianFang-Zun. – Wei Ying virou o rosto para olhar WangJi.

— Muito bem, vamos começar? – Jin GuangYao apontou o banco no centro do salão para ele sentar.

Quando Wei Ying virou-se para ir ao local, palmas abafadas cortaram os murmurinhos e sussurros silenciando-os. As palmas eram fortes e haviam pausas curtas entre uma batida de mão e outra. Todos sem exceção viraram os rostos para o lugar de onde o som vinham.

— Líder do Clã Jiang. – Jin GuanYao suspirou e estendeu a mão para que ele se aproximasse ao lugar que era lhe reservado.

— Que espetáculo patético

— Que espetáculo patético. – Jiang Cheng olhava para Wei Ying em fúria, ignorando todos a sua volta caminhou com o punho cerrado. – Você não deveria ter saído do inferno… – A passos largos avançou para atacar Wei Ying, no entanto deparou-se com um vulto branco parando entre ele e o rapaz.

Wei Ying se assustou com aquele olhar furioso e esgueirou-se para junto de sua avó.

— Sandu Shengshou. – A imortal BaoShan colocou-se a frente de seu neto para protege-lo. – Contenha suas palavras.

— Hahahahaha… Poupem-me de suas palavras grande imortal, meu desafeto é com Wei WuXian. – Apontou o dedo para o rapaz atrás da imortal não se importando com a presença de WangJi a sua frente. – Por que voltou? – Jiang Cheng falava com os dentes cerrados de tamanho ódio que sentia com a presença do rapaz.

WangJi se colocava ainda mais a frente do ensandecido líder do clã Jiang quando este fez surgir seu chicote Zidian, instantaneamente foi bloqueado por Bichen que surgiu desembainhada entre os dois mestres imortais.

Wei Ying estremeceu ao ver que WangJi e o homem furioso com ele estava pronto para lutarem, tocou o braço de sua avó e saiu de trás dela.

— Sandu Shengshou, peço que mantenha a civilidade. – Jin GuanYao aproximou da dupla que estava preste a um embate. – HanGuang-Jun, por favor.

Lan XiChen se aproximou para apaziguar a situação.

— Líder do Clã Jiang, está desrespeitando a votação que fizemos antes e apesar de ter votado contra a maioria dos senhores de clãs concordaram com os testes ao jovem mestre Wei.

— Palhaçada!!! – Jiang Cheng recolheu Zidian e virou-se para os senhores de clãs e apontou para Wei Ying. – O que deu em vocês? Ele retornou, acreditam que vai mudar? Acreditam que não é o mesmo Wei WuXian? – Voltou o olhar friamente para Wei Ying. – Você nunca deveria ter voltado.

Wei Ying sentia o olhar daquele imortal, seu coração pulsava no peito de tal forma que sentia nauseado. Segurou o braço de sua avó e murmurou para o homem.

— Sinto muito… – Wei Ying não sabia porque ele disse tais palavras, mas desde que entrou naquele lugar sentia a energia ressentida de todos no lugar, eles o odiavam e mesmo que ele fizesse qualquer teste e provasse que nunca mais faria algo de mal a ninguém ainda assim todos eles continuariam o odiando.

— SINTO MUITO?!!! – Jiang Cheng urrou ainda mais. – MORRA WEI WUXIAN, MORRA MIL VEZES PARA PAGAR PELO QUE FEZ A MINHA IRMÃ.

O tumulto foi criado, todos os demais chefes de clãs levantaram e alguns concordavam com o líder do clã Jiang, outros lamentavam e muitos se calaram em sua falsa ignorância de não quererem se meter com um poderoso líder de clã.

— Senhores, por favor!? – Lan XiChen olhou para WangJi e fez um sinal.

WangJi que nesse momento estava ao lado de Wei Ying o pegou pelo braço, nesse instante Jiang Cheng voltou a gritar com Wei Ying.

— VAI FUGIR?! COMO SEMPRE, NUNCA ASSUME SEUS ERROS, MALDITO!!! – Voltando a se aproximar de rapidamente de WangJi e Wei Ying.

Na confusão generalizada no salão foi interrompida por uma batida de punha da espada no chão. Aquela batida gerou uma onda de energia que se propagou em círculos tomando todo o lugar e calando todos que ali estavam presentes.

— Esse barulho realmente me incomoda. – BaoShan SanRen estava no meio do salão com sua espada que tocava a ponta da lâmina no chão e dela emitia aquelas ondas de energia espiritual. – Vejo que os senhores imortais não são dignos de minha presença. – Ela caminhou elegantemente até parar diante do líder do clã Jiang. – E és o pior de todos.

Wei Ying olhava para a avó e depois para a espada no meio do salão que ainda emitia aquelas ondas espirituais que lembravam vento.

— Shenfeng. – WangJi olhou-o. – O nome da espada.

— Avó somente os parou com o vento da espada?

— Um dos ataques são para mobilizar e o vento impede de se mexer. – WangJi respondeu. – BaoShan SanRen é a primeira imortal e seu cultivo é extraordinário, nenhum cultivador sabe quais são os seus conhecimentos, já que ela desapareceu a mais de mil anos se isolando nos sete picos celestiais.

— Nossa! – Wei Ying havia percebido que sua avó não era uma pessoa comum, mas saber que era tão poderosa o fez assustar-se com o que a viu fazer.

— Senhores ao meu ver toda situação criou um grande problema para mim. – Olhou para o cultivador chefe e falou em tom suave, porém incisivo. — LianFang-Zun, havia garantido que meu neto faria tais testes sem precisar passar dificuldades, mas ao que percebi não teve a capacidade de manter a ordem dentro de uma casa que não lhe pertence. – Ela caminhou parando de frente ao cultivador chefe. – Não confio mais em vocês para testar meu neto. — A imortal olhou para Wei Ying e estendeu o braço. – Vamos embora, acho que por hoje esses senhores precisam acalmarem as mentes.

Wei Ying olhou para WangJi e suspirou baixo indo até avó.

Todos naquele lugar estavam presos ao arranjo invocado pela espada e somente observaram a mulher caminhar para a saída do salão. WangJi não estava sob o feitiço e caminhou logo atrás falando com a imortal.

— BaoShan SanRen, peço que aguarde em minha sala, contornarei a situação. – WangJi curvou aguardando.

— Que seja. – BoaShan estendeu a aba de seu robe e recolheu sua espada desfazendo o feitiço. – Boa sorte com as víboras HanGuang-Jun, vai precisar.

Quando ela saiu sendo seguida por Wei Ying se depararam com um jovem cultivador que olhava para seu neto com os olhos queimando de raiva.

— Jovem mestre Jin. – SiZhui que vinha logo atrás se colocou entre eles e curvou cumprimentando. – Creio que seu tio precise de sua ajuda. – Ergueu o corpo e virou-se para acompanhar rapidamente os demais.

Jin Ling continuava acompanhar com o olhar Wei Ying, nada falou e virou-se para entrar no salão. JingYi passou por ele e logo em seguida ZiXuan, porém ao olhar para o rapaz sentiu um leve aperto no peito e sem entender ficou olhando-o.

— O que você está olhando? – Jin Ling bufou e continuou o caminho até se virar e do lado de dentro do salão bater a porta na face de ZiXuan.

— Que estranho… – ZiXuan inspirou baixo e balançou leve a cabeça. – Garoto estranho. – Caminhou pelo corredor para se juntar aos demais que seguiam para a sala da presidência onde WangJi pediu que o esperassem.

Aquela tarde seria longa, os líderes de clãs discutiam pressionados pelo Jiang Cheng para decidirem não testar o rapaz, ele queria que pagasse por seus crimes da vida passada. Em contra partida, o cultivador chefe tentava ser complacente entre os desejos de vingança e os testes para serem feitos ao jovem que era a reencarnação de Wei WuXian.

WangJi se coloca a frente e garantia que o jovem era livre de qualquer prática do cultivo demoníaco. Lan XiChen continuava em cima das leis e do direito do rapaz em ter seu núcleo dourado testado afim de comprovar que não havia reencarnado para vingar-se ou muito menos voltar a cultivar o caminho herege.

Todo aquele impasse durou horas e já era noite quando decidiram fazer os testes, ainda sobre os protestos de Jiang Cheng que mesmo contra decidiu esperar o tais testes. No entanto, deixou bem claro que mesmo que a reencarnação de Wei WuXian estivesse limpo e passasse nos testes nunca aceitaria que seja treinado e levado a cultivar.

Os demais líderes de clã concordaram sobre o fato de testarem o rapaz, mas que esse nunca venha a praticar cultivação. WangJi novamente interviu, Wei Ying precisava cultivar, seu núcleo dourado fora despertado e poderia ser instável podendo prejudicar o rapaz que ainda não conhecia os métodos de cultivação.

Estranhamente surgiu uma solução que ao ver de Lan XiChen seria a melhor possível, um dos líderes apontou como mestre para o rapaz o cultivador mais rigoroso de todos os clãs que seria o próprio HanGuang-Jun.

— Concordo. – O cultivador chefe sorriu aliviado que finalmente chegaram em um ponto em comum para resolver aquele impasse. – HanGuang-Jun é o mais indicado para treinar o jovem mestre Wei, quem melhor que ele para colocar o rapaz no caminho correto? Não tenho dúvidas de que o rapaz estará em mãos mais que corretas para que continue a trilhar o caminho correto da cultivação. – Jin GuangYao sorriu a todos e virou a face para Lan XiChen curvando a cabeça satisfeito por ter feito aquela situação se abrandar.

— HanGuang-Jun irá controlar Wei WuXian? Hahahahahahahaha… – Jiang Cheng sentado em sua cadeira encostou e fitou o segundo mestre Lan. – Essa eu pago para ver… – A insinuação nas palavras do líder do clã Jiang foi direta e bem captada pelo segundo mestre, já que no passado eles sabiam que não teve sucesso algum em parar Wei WuXian.

O silêncio foi total e durou alguns segundos até ser quebrado por Jin GuangYao que levantou e andou até o centro do salão.

— Senhores, pelo tardar da hora acredito que será necessário fazermos uma breve pausa para logo em seguida começarmos os testes ao jovem mestre Wei.

— Ah, estou cansado, melhor fazermos uma pausa. – Um dos líderes concordou.

Automaticamente os demais concordaram e a pausa foi estabelecida.

Automaticamente os demais concordaram e a pausa foi estabelecida

Algumas horas antes…

Wei Ying entrou no escritório de WangJi e sentou no sofá, todos os demais estavam apreensivos e por algum tempo ficaram em silêncio. BaoShan SanRen sentou no sofá largo ao lado do neto e se abanava tranquilamente. Alguns minutos depois, um som suave de choro ecoou ao seu lado. Todos perceberam que era de Wei Ying. ZiXuan sentou em uma cadeira ao lado do sofá e olhou-o preocupado.

— Acalme-se, vai tudo se resolver.

Wei Ying fungou baixo, estava com a cabeça baixa quando ouviu o outro lhe confortar.

— Eles me odeiam. – Wei Ying tremeu e levou a mão para cobrir os olhos.

— E daí? – ZiXuan suspirou. – Eles não interessam, você tem a nós. – ZiXuan olhou a vó. – Vó Su, YanLi, as crianças e eu, apesar de me irritar muito com suas implicâncias sem sentidos, ainda assim estou aqui.

— Eu sempre vou implicar com você chato… – Bufou e sorriu com o outro.

— Que seja, eu não ligo… Você sempre vai dar trabalho mesmo… – ZiXuan encostou na cadeira satisfeito por ver Wei Ying parar de chorar.

SiZhui estava de longe observando e sorriu com aquela maneira de ambos se tratarem, eram uma família afinal. Aproximou e sentou em outra cadeira.

— Jovem mestre Wei não se preocupe, HanGuang-Jun irá resolver a situação. – SiZhui sorriu gentilmente. – Confie e logo teremos uma solução.

— O líder do clã Jiang é que é estressado, afinal de contas quem deixou ele vir? – JingYi bufou pegando seu telefone e mandando mensagens para segurança.

— JingYi, não podemos falar mal das pessoas sem estarem presentes. – SiZhui chamou-lhe atenção.

— Eu falo por trás e na frente também, Líder do clã Jiang é um porre, ataca qualquer um sem nem dar chance de se defender. – Olhou para Wei Ying. – Ele ia usar Zidian, ele sabe que Wei Ying não é cultivador, sabe que é proibido usar cultivo e energia espiritual com uma pessoa comum, parece até aquele desgraçado da família Mo quando atacou alguns meses atrás.

— Como é?! – Wei Ying surpreendeu-se com aquela revelação. – O idiota do ZiYuan usou cultivação em mim?! – Wei Ying levantou indo até JingYi.

SiZhui bufou e levantou parando ao lado do rapaz.

— JingYi falou demais.

— Ah, agora já foi… Sim, Wei Ying ele usou energia espiritual para lhe espancar. – Ergueu os braços e virou-se para sentar em outra poltrona. – Ele vai acabar sabendo quando começar a treinar cultivação e os estudos.

Wei Ying ficou pensativo recordado que não conseguia se soltar dos braços daquele bando de puxa sacos do ZiYuan.
— Entendi, eu sempre consigo me esquivar em uma briga, mas como eu conseguiria? Esse merda…

— Wei Ying. – BaoShan o chamou. – Sente-se.

Wei Ying sentou ao lado dela.

— Existem regras no mundo da cultivação, infringi-las pode acarretar uma severa punição, no caso da família Mo o seu primogênito está pagando sua penitência, foi lacrado seu núcleo dourado para não usar em outras pessoas. – Ela se abanou levemente com o leque. – Uma punição branda demais ao meu ver, mas esqueça esse assunto, temos outro mais importante para preocuparmos.
Wei Ying concordou e olhou para os demais pro fim pegou seu telefone e ficou olhando a tela esperando por WangJi.

— O líder do clã Jiang me odeia por causa da irmã, eu não posso ser culpado nessa vida de atos que aconteceu no passado.

— Eu concordo. – SiZhui sorriu e continuou. – É uma nova vida e tem todo direito de vive-la, acredito que se fosse algum agente maligno não haveria necessidade de testes, estaria nítido. – Com um leve suspiro ele concluiu. – Basta olhar e conhece-lo um pouco mais para ver que é de um grande coração.

Wei Ying olhava para o jovem médico com o coração apertado e meio sem jeito com aquelas palavras coçou leve a ponta do nariz.

— Eu estou sem jeito com o que disse Dr. SiZhui hahahahahahaha…

— É sincero, lhe garanto.

Sorriram um para o outro e JingYi resolveu quebrar o clima falando em que pediria algo para eles comerem já que com o passar das horas sabiam que aquela conferência fechada iria demorar.

Continua…

Caso deseje ler a primeira temporada, esta se encontra no catálogo da nossa plataforma.

Atenção: A Widcyber tem a autorização do autor para publicar este conteúdo.

cropped-wid-1.png

NAVEGAR

>
error: Este conteúdo é protegido! A cópia deste conteúdo não é autorizada em virtude da preservação de direitos autorais.
Rolar para o topo