garotta
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on tumblr

CENA 1. INTERNA |DIA |COBERTURA DOS BITTENCOURT.

CONTINUAÇÃO DO CAPÍTULO ANTERIOR.

Bia e Helô continuam em silêncio, se encarando… E Helô quebra o clima.

HELÔ – E então Bia, a gente pode conversar?

BIA (Categórica) – Nós não temos nada pra conversar Helô… E pra falar a verdade, eu não estou nem um pouco interessada no que você tem pra me dizer.

HELÔ (Surpresa) – Nossa… Eu não sabia que você era tão rancorosa e egoísta assim Bia.

BIA – E o que você esperava hein Helô? Um abraço fraterno entre irmãs, que apesar de sempre terem sido amigas, uma vem e apunhala a outra pelas costas?

HELÔ (Indignada) – Peraê… Eu não sou esse tipo de pessoa que você ta pensando não Bia… Eu não trai você. Tudo que aconteceu foi por acaso, é o destino, é porque tinha que ser assim… Eu nem queria ter participado desse bendito concurso e você sabe muito bem disso.

BIA – Mas acabou participando. E tudo pra agradar a sua amiguinha, a quem você tanto idolatra e confia. Mas vou te dizer uma coisa viu… A Lenita não é essa santa toda que você pensa não. Você diz que eu sou egoísta, mas quem agiu de maneira egoísta comigo foi você. Se gostasse de mim de verdade como diz, teria pensado em mim primeiro e desistido de participar do concurso e não nos caprichos da Lenita, que só quis que você participasse pra fazer pirraça pra mim.

HELÔ – Que absurdo Bia! A Lenita é um amor de pessoa, uma amiga de verdade em quem eu confio de olhos fechados, da mesma maneira como confio em você. Vocês duas são as minhas melhores amigas, e eu jamais seria capaz de fazer qualquer coisa que as magoasse. Se eu pudesse voltar atrás, eu te juro que não teria participado desse concurso, mas isso também não quer dizer que você ganharia, que seria a Garota de Ipanema. Entenda isso por favor! Eu não tenho culpa de nada, se as pessoas que me escolheram pra vencer o concurso.

BIA – Mas você sabia que eu estava sonhando com esse concurso há dias. Você mesma dizia que entre irmãs não deve haver qualquer tipo de competição, e o que foi que você fez? Competiu comigo, indo exatamente contra todos os seus princípios.

HELÔ – Bom, se você pensa assim… Eu não posso fazer nada. Eu entrei nessa de brincadeira, sem intenção nenhuma, muito menos de magoar ou competir com você ou com quem quer que fosse. Agora o que eu não entendo de verdade, é porque você esta insistindo tanto nessa história, e esta com tanta raiva de mim assim… Até parece que é você que compete comigo e não o contrário como esta dizendo. (Diz lançando um olhar questionador).

BIA (Sem graça) – Que bobagem Helô… Não tem nada a vê isso. (Diz dando as costas e entrando no quarto; Helô aproveita e entra logo atrás). – Eu fiquei chateada sim, eu confesso. Mas eu não estou com raiva de você não. Foi só um momento de desabafo, de nervosismo… Você sabe como eu sou temperamental, vou dizendo o que me vem a cabeça, e só depois é que eu penso nas conseqüências. Me desculpa ta bom minha irmã, vamos esquecer tudo isso, passar uma borracha em cima. Ta tudo bem agora…

HELÔ – Que bom. Eu fico muito feliz e aliviada com isso. (Diz abraçando Bia, que sem a irmã ver fecha a cara de ódio). – Eu detesto ficar brigada com você, me perdoa ta. (Sorri).

BIA (Irônica) – Te perdoar do que mesmo? (E ri). – Já passou sua boba, agora vamos descer e tomar café, que eu estou sem comer nada desde ontem a tarde, e estou morrendo de fome.

HELÔ – Vamos… (Helô nota a mão de Bia enfaixada e lembra do que Celina lhe disse). – O que aconteceu com a sua mão Bia, a Celina me disse que você se cortou?

Bia olhou para a mão enfaixada e para Helô, sem saber o que dizer.
BIA – Ah, isso não foi nada… Uma bobagem. Quando eu sai da praia ontem toda apressada, eu acabei tropeçando e cai com a mão bem em cima de uma garrafa quebrada. Imagina o perigo, e seu cortasse a cabeço ou o pescoço? A praia de Ipanema não é mais a mesma ultimamente, esta um descaso total. Mas o importante é que não aconteceu nada demais, eu estou bem… Isso é o que importa.

HELÔ – Graças a Deus! Olha só eu conversei com Pedro, Bia e ele também concordou, enfim… Eu gostaria que você fosse comigo pra Teresópolis no próximo fim de semana. Eu quero dividir essa parte do prêmio contigo, afinal você também chegou até a final do concurso, nada mais justo do que você também desfrutar dessa viagem comigo. O que acha? Uma viagem só entre irmãs, um fim de semana todo só de mulheres, o clube da luluzinha como fazíamos nos tempos de criança, lá na fazenda. Eu prometo que vai ser divertido. (Fala rindo).

BIA (Irônica) – Ah me poupe Helô… Prêmio de consolação pra mim agora, é isso mesmo? Olha que eu vou ficar ofendida hein…

HELÔ (Ri) – Não tem nada a vê com prêmio de consolação Bia, isso nem me passou pela cabeça. Como disse, eu acho justo você ir comigo, embora eu tenha ganhado o concurso, esse prêmio é de nós duas… Depois é uma maneira de nós ficarmos juntas, sem ninguém por perto e de se entender, esquecer tudo o que passou… Vamos vai?

BIA (Sorri) – De verdade Helô, eu entendo que você queira me levar e agradeço do fundo do meu coração por ter se lembrado de mim. Mas eu não to no clima pra viajar nesse momento, e depois nós estamos bem, não temos mais nada que acertar uma com a outra, nós somos irmãs e amigas, e nada vai mudar isso. Você ta tão feliz com o Pedro, seus olhos chegam a brilhar quando fala nele… Faz um favor pra mim e a você mesma? Leva ele e aproveitem muito esse fim de semana romântico.

HELÔ – Tem certeza? (Bia assenti). – Você não existe mesmo Bia. Eu te amo! Obrigada mesmo viu, de verdade… Agora vamos tomar café, que depois de tanta conversa, sou eu quem esta faminta agora.

As duas descem abraçadas e rindo…

CORTA PARA:
CENA 2. EXTERNA |DIA |CALÇADÃO.

Lenita espera Helô para a caminhada matinal delas, e encontra Pedro.

PEDRO – Bom dia Lenita. Madrugou hoje em plena segunda? (Fala e a cumprimenta com dois beijos no rosto).

LENITA – Que nada Pedro, eu estou acostumada levantar cedo todos os dias. Nem que seja pra ficar mais tempo à toa, como diz o meu pai. (Comenta rindo). – Eu e a Helô fazemos caminhada todos os dias durante a semana, eu to esperando ela.

PEDRO – Entendi… Ela me ligou bem cedo hoje, ficou de me encontrar também mais tarde aqui na praia. Disse que tem duas boas notícias pra me dar…

LENITA (Ri) – E você ficou curioso… Sua cara não nega. Olha nem adianta me pressionar que comigo ela não comentou nada, eu juro.

PEDRO – Eu devo confessar que estou um pouco curioso sim, embora esse sentimento seja exclusivo das mulheres e eu não me sinta nem um pouco confortável de partilhar ele com vocês…

LENITA – Como é que é? Quem foi que disse que só nós mulheres é que somos curiosas? Eu mesma não sou, e tem homem que é muito mais curioso do que mulher, fique o senhor sabendo viu. A curiosidade é um defeito unissex, do ser humano em geral, e não só privilégio das mulheres… Machista você hein? Coitada da Helô… (Fala rindo).

PEDRO (Sorri) – To só tirando onda com a sua cara…

LENITA – Sei… Nossa a Helô ta demorando, depois ela quer passar da academia ainda pra gente fazer uma avaliação, vai ficar tarde desse jeito…

PEDRO – Tão querendo emagrecer agora também? Não, definitivamente hoje é segunda-feira mesmo, dia de levantar cedo e fazer promessas, o que necessariamente não quer dizer cumpri-las depois… (Fala rindo muito).

LENITA (Ri) – Deixa de ser bobo cara. Você hoje resolveu me pegar pra cristo, só pode. Primeiro eu e a Helô decidimos fazer academia sim, mas não pra emagrecer que a gente não esta precisando, e sim para mantermos a forma, já que a Helô agora também vai desfilar, é garota propaganda de uma marca, enfim tem que se cuidar né? E depois o que a gente promete, a gente cumpre sim! Vamos até a academia, fazer uma avaliação médica que já esta marcada, depois fazemos a nossa matrícula e já começamos amanhã mesmo, se Deus quiser! E mesmo hoje sendo segunda-feira, o dia mundial das promessas não cumpridas… Eu te garanto que a nossa nós iremos cumprir sim, e seguir a risca.

Os dois caem na gargalhada juntos e continuam conversando (Em off).

CORTA PARA:

CENA 3. INTERNA |DIA |COBERTURA DOS BITTENCOURT |SALA.

(Toca – Instrumental Suspense).

Bia esta no terraço gourmet da cobertura e lá de cima observa Pedro e Lenita conversando animadamente no calçadão. Ela sorri maliciosamente e depois entra.

BIA – Helô vamos logo com esse café… Nós já estamos atrasadas. O Pedro e a Lenita já estão lá embaixo conversando.

HELÔ – Já vou Bia. Eu só estava terminando de acertar uns detalhes com a Celina pro jantar de amanhã. O Pedro vai vir jantar com a gente, esqueceu?

BIA – E tem como? Nem que eu quisesse, você não fala de outra coisa desde que acordou. Agora vamos, bom dia pra todos. Ah, eu vou ao shopping depois e não devo voltar pro almoço Celina, avisa o papai pra mim.
CELINA – Pode deixar Bia. E você Helô? Vem pra almoçar?

HELÔ – Venho sim Celina. Hoje eu tenho a prova na faculdade, e vou passar a tarde toda estudando. (Diz pegando a bolsa e saindo). – Beijos.

CELINA – Beijos… Vão com Deus.

MAROCA – Parece que agora ta tudo bem entre elas né?

CELINA – Como deve ser entre irmãs, graças a Deus! Depois a gente precisa acertar os detalhes do jantar de amanhã Maroca. Eu quero um jantar delicioso e simples.

MAROCA – Eu disse parece, dona Celina… Parece estar bem…

CELINA – Vai começar com as insinuações logo cedo Maroca? Pode tirar a mesa do café… (Fala de cara feia pra empregada e se retira).

Maroca só balança a cabeça e resmunga…

MAROCA – Ai tem… Então eu não conheço bem a cobra da Bia…

CORTA PARA:

CENA 4. EXTERNA |DIA |PRAIA – CALÇADÃO.

Lenita e Pedro ainda estão conversando bem animados no calçadão, enquanto Bia e Helô se aproximam.

BIA – Animados eles, você não acha Helô? Eu queria saber o motivo de tanta animação assim… Abre o teu olho com a Lenita viu…

HELÔ (Nervosa) – De novo essa história, Bia? Vai insistir nisso agora, que chato… O Pedro e a Lenita são amigos também, e eu não vejo nada demais nisso.

BIA – Você que sabe Helô. Eu é que não ia gostar de ver a minha melhor amiga conversando com o meu namorado, com tanta intimidade assim… Risos, tapinhas, um colocando a mão no outro, acho uma tremenda falta de respeito isso. E desde que a gente tava em casa ainda eu vi os dois com essas brincadeiras lá de cima, do nosso espaço gourmet, eu que não te falei nada…

Bia lança o veneno e depois repara a expressão de Helô que sorri pra ela sem falar nada, mas olha desconfiada para Pedro e Lenita. Pronto a semente estava plantada e logo iria florescer no jardim da discórdia entre Helô e Lenita, no que dependesse dela, pensou Bia.

PEDRO (Animado) – Oi meu amor, bom-dia! (Diz dando um beijo em Helô). – Dormiu bem?

HELÔ (Desconfiada) – Bom-dia! Dormi bem sim e você? Como vai Lenita?

LENITA (Sorri) – Eu to ótima amiga e você? (Helô só sorri para a amiga).

PEDRO – Eu dormi feito uma pedra meu amor. Eu surfei até tarda ontem, depois ainda dei um tempo por aqui, fiquei conversando com a Lenita esperando você aparecer, mas você não veio.

HELÔ – É eu fui estudar e depois acabei dormindo… (Olha para Bia que sorri maliciosamente para a irmã).

BIA – E faz tempo que você esta nos esperando Pedro? (Indaga olhando para Helô, que disfarça).

PEDRO – Tem uns quarenta minutos Bia, mas acabou que eu nem vi o tempo passar… A Lenita chegou e me fez companhia. E nós demos altas risadas.
HELÔ – Bom vamos indo então Lenita, que eu to com pressa. Ainda quero estudar mais hoje, a prova é muito importante, e se eu não conseguir nota agora no inicio do semestre, depois fica complicado. A gente se vê mais tarde Pedro. (Diz dando um selinho rápido nele e sai puxando Lenita).

PEDRO – Nossa que pressa… Espera Helô e as novidades que você ia me contar? (Gritou por fim, mas elas já estavam longe, e ele não obteve resposta). – Estranho… A Helô está diferente hoje, mais seca. Aconteceu alguma coisa, Bia? Você ta sabendo de algo, que eu não sei?

BIA (Misteriosa) – Nada… Sei tanto quanto você, a não ser que…

PEDRO (Curioso) – A não ser que o quê?

BIA – Olha Pedro, eu posso até te contar, mas você vai ter que me prometer que não vai falar nada com a Helô. Muito menos que eu te falei…

PEDRO – Claro que não Bia. Pode ficar tranqüila, que eu não irei falar nada pra ela.

BIA – Eu vou confiar hein… Eu e a Helô voltamos as boas agora, passamos uma borracha em cima de tudo que aconteceu desde o concurso, e eu não quero perder a confiança da minha irmã. Mas também não acho justo ela não comentar nada com você, enfim… Tem um ex-namorado da Helô, que fica ligando lá em casa pra falar com ela direto. Ele nunca esqueceu ela, os dois se amaram muito, ele foi muito importante na vida da Helô, e agora ele esta querendo voltar com ela…

PEDRO (Nervoso) – Mas a Helô não me disse nada… Pra que me esconder isso de mim?

BIA – Bobagem Pedro, a Helô te ama. Vai ver ela não quer te chatear com essa história. E depois ela já deu um passa fora nele e nem atende mais quando ele liga. Agora por favor, você prometeu não tocar nesse assunto com ela. A Helô não pode nem sonhar que eu te falei isso.

PEDRO (Intrigado) – Pode ficar sossegada, eu não vou falar nada não. Eu confio na Helô. Mas vem cá, porque eles terminaram o namoro na época?
BIA – Agora você já esta querendo saber demais Pedro. (Fala dando as costas pra ele).

PEDRO – Por favor, Bia. Confia em mim…

BIA – Ta bom… Na época, a Helô vacilou, deu bobeira. Ela suspeitava que estivesse grávida dele.

PEDRO (Surpreso) – Grávida?

BIA – É, mas a suspeita não se confirmou. Graças a Deus, a Helô só estava atrasada. Dias depois ela acabou menstruando, e a gravidez foi descartada. Mas o Luca ficou uma fera na época e terminou tudo com a Helô.

PEDRO – Por quê? Ele queria ser pai?

BIA – Imagina, claro que não. Era justo o contrário. Eles eram muito novos ainda, imaturos, e ele desconfiou que a Helô estivesse querendo usar a gravidez pra segurar ele. Pra forçar ele a se casar com ela, entendeu?

PEDRO (Boquiaberto) – Mas isso que você ta me falando é muito sério Bia. Vai contra tudo que eu vi na Helô, sobre os princípios dela.

BIA – Sim, mas ela era nova Pedro. Tinha acabado de completar dezessete anos e era louca por ele. O Luca também gostava dela, mas não levava ela tão a sério, por isso ela quis segurá-lo de qualquer jeito. Coitada da Helô, ela ficou cega de amor na época…

PEDRO – Mas porque ele quer voltar com ela agora? Isso não faz o menor sentido, depois de tantos anos.

BIA – Ele diz que se arrependeu de ter terminado tudo com ela, que ele a ama muito, que a Helô é o amor da vida dele, que na época ele não enxergou isso, enfim… Vai entender cabeça de homem né… Bom era isso, não comenta nada com ela Pedro, por favor! Eu só te contei porque não achei justo ela esconder de você uma coisa tão sem importância, se fosse eu no lugar dela, teria te contado sem nenhum problema, afinal no amor tem que ter cumplicidade. Bom, eu vou indo, que eu marquei no shopping com uma amiga e já estou atrasada. Fica tranqüilo Pedro, isso é coisa passada, a Helô te ama cunhadinho. (Fala e da um beijo no rosto dele e sorri). – Até mais e conta sempre comigo ta bom?

Pedro deu um meio sorriso para Bia e assentiu com a cabeça, depois foi para a praia, mas não mergulhou, ele se sentou na areia, largou sua prancha de lado e ficou pensativo, olhando para o mar. De longe Bia o olhava satisfeita e feliz, por estar conseguindo êxito em seus objetivos.

CORTA PARA:

CENA 5. INTERNA |DIA |ACADEMIA.

Helô e Lenita estão na academia aguardando por suas avaliações médica. Helô esta calada e pensativa, e Lenita quebra o gelo.

LENITA – Vem cá, o que esta acontecendo Helô? Você está muda desde o calçadão, ta estranha, você não é assim, ta sempre de bem com a vida, com um sorriso estampado no rosto… O que foi que aconteceu amiga? É alguma coisa que eu te fiz?

HELÔ (Sem graça) – Não, claro que não Lenita. Eu to com a cabeça cheia de coisas, só isso. Acho que só agora que caiu a ficha do concurso, e da história de ser modelo… Eu to muito nervosa com tudo isso.

LENITA – Normal Helô… Todo começo assusta mesmo, mas depois você se acostuma e parece que fez aquilo a sua vida inteira.

Helô sorri para Lenita e a abraça, agradecendo ela por tudo e pelo apoio sempre. Nesse momento a recepcionista aparece e chama Helô.

RECEPCIONISTA – Dona Heloísa Bittencourt vamos lá? Pode entrar.

CORTA PARA:

CENA 6. EXTERNA |DIA |CLIPE DE IMAGENS.

{Começa a tocar: Secret Love Song – Little Mix}.

Cam (fade in) – Mostra o pão de açúcar, as praias do Rio, o corcovado, o trânsito, o calçadão, pessoas fazendo caminhada, atividade física, mergulhando. Depois pega a praia de cima, e foca no quiosque da praia, onde Helô e Pedro estão sentados em uma mesa, tomando água de coco.

PEDRO (Surpreso) – Jantar na sua casa amanhã? Pra conhecer o seu pai?

HELÔ (Ri) – Calma… Não é só pra conhecer o meu pai, você vai conhecer a família toda. Bom a Bia você já conhece, agora falta o meu pai, a minha madrasta Celina, e a nossa empregada Maroca, que é uma figura e como se fosse da família também, você vai amar ela.

PEDRO – Poxa, você deveria ter me perguntado antes se eu queria ir né Helô? Eu acho muito cedo ainda pra esse tipo de coisa, faz só três semanas que estamos juntos. E depois eu não faço a linha bom moço, do tipo que vai conhecer a família num jantar e pede a mão da moça em namoro. Isso tudo escapa da minha zona de conforto.

HELÔ (Decepcionada) – Mas isso tudo faz parte do relacionamento, quando o namoro é sério, quando se tem boas intenções de ambas as partes. Eu respeito o seu jeito de ser Pedro, de verdade. Eu me apaixonei por você do jeitinho que você é. Eu sempre quis conhecer alguém que valesse a pena, um amor de verdade, e eu encontrei tudo isso em você. Mas se você não esta preparado ainda pra conhecer minha família, tudo bem, eu cancelo esse jantar.

PEDRO – Não… Tudo bem Helô, não precisa desmarcar nada. Eu vou. Agora que já esta marcado, eu não vou dar pra trás, até porque eu não sou homem de fugir da raia. Depois por você meu amor, eu faço qualquer sacrifício, e enfrento qualquer situação, até mesmo a fera do seu pai… Minha garota de Ipanema. (Fala beijando Helô que sorri e retribui apaixonada).

HELÔ – Obrigada Pedro. Você não imagina o quanto me faz feliz, você aceitar esse convite. Ah, agora me lembrei, deixa eu te contar uma coisa… Eu falei com a Bia sobre a viagem para Teresópolis nesse fim de semana, e ela não quer ir. Me agradeceu por ter pensado nela e tal, mas ela disse que se trata de uma viagem romântica e que eu devo levar você comigo… E então você vai comigo né?

PEDRO – Claro que eu vou meu amor. Você acha que eu vou perder a oportunidade de passar o fim de semana todo ao seu lado, num paraíso daqueles? Boazinha essa cunhada hein, já gostei dela. (Fala rindo). – Mandou muito bem, Bia.

HELÔ – Eu tenho que concordar com você, a Bia às vezes é difícil, mas ela também é um amor de pessoa.

{Começa tocar: Um Amor, Um Lugar – Fernanda Abreu & Herbert Vianna}.

Pedro e Helô se beijam… Depois animados, eles começam a planejar o fim de semana juntos (Off). Cam se afasta aos poucos, pegando uma ampla visão da praia, e tudo ao redor deles. (Cam fade out).

CORTA PARA:

CENA 7. EXTERNA |DIA – NOITE |CLIPE DE IMAGENS.

Cam (Fade in) abre mostrando as ondas do mar, morros, a barra da tijuca, as ruas do Leblon, de Ipanema, pessoas reunidas na beira da praia à noite, outras no quiosque. Casais andando de mão dadas pelo calçadão, ciclistas indo e vindo pela ciclovia… Dia amanhece, Helô e Lenita malhando juntas na academia, enquanto Pedro pega suas ondas e Bia o observa de longe sentada na areia e sorrindo… Anoitece… Cam foca no prédio de Helô.

CORTA PARA:

CENA 8. INTERNA |NOITE |COBERTURA DOS BITTENCOURT |SALA.

Todos estão reunidos na sala, esperando Pedro chegar. Helô é a mais ansiosa, embora seu pai não esconda o nervosismo.

ANSELMO (Sério) – Já vi que pontualidade não é o forte desse rapaz, ele devia ter chegado há cinco minutos.

CELINA – Calma Anselmo são só cinco minutos. Ele já deve estar chegando.

HELÔ – Depois ele mora um pouco longe pai, e o trânsito não deve estar ajudando, o senhor sabe como fica o engarrafamento nesse horário.

BIA – Eu só sei que estou faminta, e esse cheiro vindo da cozinha ta bom demais… A Maroca caprichou hoje hein Celina. O que vamos ter para o jantar?

CELINA – É surpresa Bia… Comida simples, mas tudo feito com muito amor e carinho para receber o namorado da Helô. Vocês vão gostar, eu prometo. (Fala sorrindo e pegando na mão de Helô, que esta sentada ao seu lado no sofá).

ANSELMO – Contanto que eu não morra de fome antes dele chegar, e ele ainda me encontre estirado aqui no chão da sala, tudo bem.

Todos riem… Nesse momento a campainha toca.

HELÔ (Rindo) – Para de fazer drama pai, que horror… Ta vendo só, deve ser ele. De fome o senhor não morre mais… Eu atendo. (Diz se levantando do sofá num pulo só).

Todos se levantam para receber Pedro. Anselmo e Celina ficam de braço dado, Bia logo atrás e ao fundo escondida no canto, Maroca também esta ansiosa para ver o namorado de Helô.

HELÔ – Seja bem vindo meu amor. (Diz dando um beijo nele, depois o puxa pela mão). – Papai, Celina, esse é o Pedro. Pedro esse é Anselmo meu pai, e Celina a esposa dele. A Bia você já conhece…
Pedro estava sem jeito. Para ele era novidade conhecer a família da namorada em um jantar formal como aquele, e ele se sentia como sendo avaliado, principalmente pelo pai de Helô, que pra ajudar não o fazia se sentir nem um pouco confortável naquela situação.

PEDRO – Prazer seu Anselmo. (Falou estendendo a mão ao sogro que lhe deu um forte aperto, além de tê-lo encarado sério. Logo em seguida ele cumprimentou Celina e deu um beijo em seu rosto). – Prazer dona Celina.

CELINA (Simpática) – O prazer é todo meu Pedro. Agora sem o dona, por favor, só Celina.

BIA (Sorridente) – Eu sei que nós já nos conhecemos cunhadinho, mas eu também mereço um beijo né?

PEDRO – Claro. Como vai Bia? (Falou também dando um beijo no rosto dela).

BIA – Eu confesso que estou bem melhor agora… Que vamos comer é lógico. Eu estava faminta. (Diz rindo).

HELÔ – Bom agora eu vou te apresentar a Maroca, pode sai daí de trás Maroca… (Gritou a empregada, que ela já vira escondida atrás da porta).

MAROCA (Sem graça) – Oi… Eu estava passando e ouvi à senhora me chamar dona Helô, eu não estava atrás da porta não viu, eu juro.

BIA – Nós sabemos que não Maroca, você nunca faz isso, não é mesmo? (Rindo).

HELÔ – Bom essa é a Maroca nossa secretária do lar, ela esta conosco há mais de quinze anos e já faz parte da nossa família.

PEDRO – Prazer. (Sorri).

MAROCA – O prazer é todo meu. Você soube escolher hein Helô, que pão de homem.

HELÔ – Que isso Maroca… (Ri para Pedro).

ANSELMO (Bravo) – Isso é comentário que se faça criatura? Vai já para a cozinha.

MAROCA – Eu vou… Mas como já dizia a minha mãe, que Deus a tenha. Quem fala a verdade não merece castigo! (Fala dando as costas e sai que nem um furacão).

Todos riem…

(CORTA DIRETO PARA A SALA DE JANTAR).

Todos estão reunidos a mesa e jantam tranquilamente, até que Anselmo começa o interrogatório…

ANSELMO (Sério) – Quantos anos você tem rapaz?

PEDRO – Eu fiz vinte e cinco…

ANSELMO – E faz o que da vida?

PEDRO (Nervoso) – Eu pego onda… Quer dizer, além de pegar onda, eu também faço faculdade de arquitetura.

Bia tenta conter o riso, enquanto Celina e Helô se olham apreensivas…

ANSELMO – Muito bem, é bom estudar, ter uma formação pra ser alguém na vida. E trabalho? Você trabalha com o quê?
PEDRO – Então, no momento eu estou desempregado. Mas estou batalhando, procurando emprego, mas esta difícil conseguir alguma coisa. Logo também eu começo estagiar na minha área.

ANSELMO – E quais as suas intenções com a minha filha?

HELÔ – Que isso pai, chega desse interrogatório ou nós não terminamos de jantar hoje.

CELINA – A Helô tem razão Anselmo. Já deu pra perceber que o Pedro é um rapaz de caráter, que esta quase se formando, e tem uma linda carreira pela frente, além de amar a Helô e isso é o que importa.

PEDRO – Obrigado dona Celina… Celina. (Disse se corrigindo ao lembrar-se do pedido dela que a chamasse apenas pelo nome). – Mas se vocês me permitem, eu gostaria de responder ao senhor Anselmo. (Diante do silêncio de todos, ele continua) – Eu gostaria de dizer, que eu amo a sua filha, como eu jamais amei alguém na minha vida. Por ela eu vim nesse jantar hoje, o meu primeiro jantar com a família de uma namorada, a primeira namorada que eu levo muito a sério e com quem eu pretendo me casar futuramente… A Helô me faz querer ser um homem melhor, um filho melhor e um namorado como eu jamais fui, a cada dia que passa. Eu a respeito e admiro muito. E se hoje eu estou aqui quebrando as minhas próprias regras, e mergulhando de cabeça no que eu descobri que me faz feliz de verdade, e do lado de quem eu quero viver essa felicidade todos os dias da minha vida… É por ela. (Fala olhando para Helô e segura em sua mão). – É por você Helô, que é a mulher da minha vida. A mulher que eu amo e vou amar sempre, todos os dias, até que a morte nos separe… Eu não sou perfeito seu Anselmo, aliás, ninguém é. Mas o que eu posso dizer agora, é que eu encontrei motivos suficientes pra melhorar cada dia mais, e que eu irei fazer a sua filha muito feliz… (Conclui sorrindo um pouco sem graça) – É isso.

Todos ficaram surpresos e emocionados com a declaração de Pedro. Ele conseguiu quebrar o gelo de Anselmo e ganhar ainda mais o amor de Helô. Já Bia se roeu de inveja da irmã. O resto do jantar correu muito bem, e depois da declaração de Pedro, ele e Anselmo conversaram mais e melhor, agora sem reservas.

CORTA PARA:

CENA 9. INTERNA |NOITE |ELEVADOR.
Helô esta se despedindo de Pedro enquanto esperam o elevador. E Bia ouve tudo atrás da porta.

HELÔ – Você hein seu danado, conseguiu desmontar até o meu pai com aquele seu discurso lindo… Não e o senhor Anselmo apesar de tentar disfarçar, ficou até emocionado que eu percebi… Você foi incrível.

PEDRO (Sorri, charmoso) – É eu tenho os meus momentos. E depois eu só falei a verdade… Era tudo que eu estava sentindo, aliás, é tudo o que eu sinto por você…

HELÔ (Sorri) – Eu sei… E eu fiquei muito feliz em saber disso publicamente. Eu também te amo e te admiro muito Pedro. (Os dois se beijam e Bia continua vendo tudo atrás da porta). – Agora fala sério… O que você faz da vida? Eu pego onda… (Disse rindo sem parar). – Essa foi à melhor cena da noite, tinha que ver a cara do meu pai e a sua né, foi muito engraçado…

PEDRO (Rindo) – Nem me lembra. Ah por falar nisso, agora eu me lembrei… Eu não poderei ir junto com você na sexta pra Teresópolis. Eu tenho um trabalho da faculdade pra fazer em grupo e como iremos passar o fim de semana fora, eu só poderei fazer na sexta, pelo menos a minha parte. Enfim, eu só vou poder ir mais tarde pra lá, quase à noite… Tem algum problema pra você? Tem como você ir na frente sozinha?

HELÔ (Compreensiva) – Bom tem sim, isso não é problema. Eu peço o carro do meu pai emprestado já que o meu pra subir a serra não dá, é impossível, aquela lata velha… O chato é ir e chegar sozinha, não ter você do meu lado. Mas se é preciso, eu entendo.

PEDRO – Sim… Depois nós teremos um fim de semana inteirinho pra curtir, só nós dois… Juntinhos e felizes… Agora me fala, eu me sai bem? Você gostou da noite?

HELÔ (Satisfeita) – Sim, você se saiu muito bem meu amor, como eu achei que seria. E a noite foi simplesmente irretocável, pra dizer o mínimo.

Pedro e Helô se beijam e continuam namorando. Bia então entra sorrindo e já maquinando algo contra a irmã.

BIA (Sorrindo) – Isso é o que nós vamos ver, sobre essa viagem… Se você chega viva nesse hotel fazenda, minha irmãzinha querida. (Close – Rosto maquiavélico de Bia).

FIM DO CAPÍTULO.

(A imagem congela. Depois se transforma em um cartão postal, jogado sobre Ipanema).
{O capítulo se encerra com a música: Quando Eu Te Encontrar – Biquini Cavadão}.

LEIA MAIS DESTE CONTEÚDO:

A Widcyber está devidamente autorizada pelo autor(a) para publicar este conteúdo. Não copie ou distribua conteúdos originais sem obter os direitos, plágio é crime.

Pesquisa de satisfação: Nos ajude a entender como estamos nos saindo por aqui.

Você também poderá gostar de ler:

Você também poderá gostar de ler:

>
Rolar para o topoAllEscort