CENA 01. MANSÃO DE RUGGERO. ESCRITÓRIO. INT. NOITE.

Continuação imediata do capítulo anterior.

Ruggero sentado com Ciro e Yoná à mesa. Melita termina de assinar o documento dado por Yoná. Ciro olha satisfeito sem que ninguém perceba.

RUGGERO
Já não falei pra você não assinar sem ler, mulher?

MELITA
Deixa de ser paranoico. É só um papel da caridade. Não tem novidade nenhuma.

YONÁ (guarda o papel na pasta)
Sim, doutor Ruggero, é uma solicitação de ajuda pra fundação da Cristina Werneck, que/

MELITA
Não explica, não, que ele só entende o que convém. (pega a bandeja) Vou deixar vocês a sós. (sai)

CIRO
Não deveria se importar com a caridade da Melita e sim com a sua reputação. A advogada entrou com processo por difamação e injúria.

RUGGERO
Não dá em nada. Dou a quantia que o juiz quiser pra encerrar o caso e colocar aquela feministazinha de merda no lugar. Quanto à Lilian, ela continua até terminar meu livro. Eu exijo.

CORTA PARA

CENA 02. PRÉDIO DE LILIAN. FRENTE. EXT. NOITE.

Lilian e César andam até a frente do prédio e param ali para conversar.

CÉSAR
Está entregue.

LILIAN (sorri)
Obrigada… pela companhia.

CÉSAR
Sempre que quiser, me chama pra ficar com/

LILIAN
Prefiro que fique com a Mônica e que seja fiel a ela.

CÉSAR
Mas uma coisa não impede a outra.

LILIAN
Nunca se sabe o que se passa na cabeça de uma mulher.

CÉSAR
O que passa na sua?

Lilian fica pensativa. Quando tenta responder algo, César a beija.

=== SONOPLASTIA: Quero Mais – Patrícia Marx ===

O paparazzo tira fotos de longe. Segundos depois, Lilian se solta.

LILIAN
Tenho que ir. Boa noite. (vai para o portão)

CÉSAR
Sonha comigo. (sorri)

Lilian entra pelo portão. César olha para um lado e para outro.

CORTA PARA

CENA 03. APARTAMENTO DE LILIAN. SALA. INT. NOITE.

Lilian entra no apartamento. Fecha a porta e acende a luz. Anda até o sofá, onde coloca a bolsa e o saco com o violino de Miguel. Põe a mão na boca e sente o beijo dado por César.

LILIAN (V.O.)
Se eu pudesse, corria agora atrás dele pra nunca mais largar. Mas ele tá com a Mônica. O que eu faço?

Lilian pensativa.

CORTA PARA

CENA 04. SÃO PAULO. EXT. DIA.

Amanhece. Imagens do Museu de Arte Moderna, do prédio da Câmara Municipal, do edifício Dacon, da Avenida Paulista.

CORTA PARA

CENA 05. PRÉDIO DE LILIAN. PORTARIA. INT. DIA.

=== SONOPLASTIA OFF ===

Lilian vem do elevador e coloca o celular no ouvido. Carrega uma bolsa de feira com rodinhas. Ela acena para Fátima e para ao lado da porta de vidro.

LILIAN
Oi, sou eu, a Lilian. Tudo bom? (pausa) Você tá muito ocupado? (pausa) É que eu tô com um violino aqui. Será que você podia dar uma olhada e me dizer se tem conserto? (pausa) Hã! (pausa) Obrigada, você é um anjo. Tô indo pra aí. (pausa) Até!

Lilian desliga o celular e sai.

CORTA PARA

CENA 06. CASA DE MIGUEL. SALA. INT. DIA.

Miguel passa um pano para limpar a flauta. Norma sai do quarto.

NORMA
Aonde é que você vai?

MIGUEL
Pra faculdade e depois pra praça.

NORMA
Devia arrumar um emprego decente em vez de ficar com esse palito na boca. Depois não reclama se quebrarem essa flauta também.

MIGUEL (ironia)
Tá vendo como você torce por mim?

NORMA
Torço mesmo, mas é pra tomar um rumo na vida. Seu filho está fazendo isso, sabia? Devia seguir o exemplo dele.

MIGUEL
Não me compara com o Guilherme.

NORMA
É claro que não comparo. Ele é muito melhor. (Miguel pega a flauta) Ele tem objetivo na vida, ouviu? Não vai me deixar/ (Miguel sai) Estou falando com você! Miguel!

Norma irritada e pensativa.

CORTA PARA

CENA 07. REDE SONHO DE TELEVISÃO. ESTÚDIO. CORREDOR. INT. DIA.

César sai do camarim caracterizado como o personagem da novela. Mônica vem apressada e o encara. Mostra o celular a ele com a foto do beijo em Lilian.

MÔNICA
Posso saber o que é isso?

CÉSAR
Quem te mandou?

MÔNICA
Responde. Você beijou outra.

CÉSAR
Não beijei ninguém. Isso aí é montagem.

MÔNICA
Deixa de ser cínico, que nessa eu não caio. Achei que me respeitava/

CÉSAR
Beijei. Caí na tentação/

MÔNICA
Ah, caiu na tentação? A culpada é sempre a mulher, né? Você foi um galinha, isso sim.

CÉSAR
Tá bom, você tá certa. (pausa) O que posso fazer pra consertar?

MÔNICA
Nada. Tô chateada pra caramba.

CÉSAR (tenta abraçá-la)
Meu amor/

MÔNICA (desvia-se dele; tom)
Não me toca! E pensa direitinho antes de se juntar com outra pelas minhas costas. Não sou de aceitar ser traída duas vezes.

CÉSAR
Mônica, me perdoa.

Mônica sai pelo corredor sem dar atenção a César.

CORTA PARA

CENA 08. REDE SONHO DE TELEVISÃO. ESTÚDIO. BANHEIRO FEMININO. INT. DIA.

Mônica, em frente ao espelho, fala ao celular com Isolda.

MÔNICA
O quê? Agora eu que sou a errada?

ISOLDA (V.O., telefone)
Tá desperdiçando a chance de ficar com o gato. Lembra que tá todo mundo com a maior expectativa de vocês ficarem juntos e até se casarem.

MÔNICA
Não sei se aguento ficar calada como se nada fosse acontecer. Aquela cartomante foi bem clara.

ISOLDA (V.O., telefone)
Esquece a louca da Marta Klotz. Ela não sabe o que fala. Pura charlatã.

MÔNICA
Isso porque não foi você que encarou a fera olho no olho.

ISOLDA
Pra todos os efeitos, a Lilian é só mais um crush do César e você a oficial. Agarra!

MÔNICA
Como é que eu/ (Isolda desliga o telefone; Mônica com raiva) Droga! Essa loira azeda vai me pagar. Eu jogo no esgoto.

Mônica guarda o celular no bolso. Sai do banheiro, empurrando uma moça que entra.

MOÇA
Não olha por onde anda, não?

CORTA PARA

CENA 09. MANSÃO DE RUGGERO. ESCRITÓRIO. INT. DIA.

Lilian entra e fecha a porta. Ruggero a espera sentado à mesa e olha para o relógio de pulso.

LILIAN
Desculpa a demora, doutor.

RUGGERO
Chegou bem na hora. (olha para Lilian)

LILIAN (senta-se no sofá)
Sério? Ufa! Fiquei com medo de… Passei num amigo meu que conserta instrumentos. Uma pessoa que conheço teve o violino quebrado, e eu fui ver se tinha conserto.

RUGGERO
E tinha?

LILIAN (enquanto pega um bloco e uma caneta na bolsa)
Graças a Deus, sim. O arco é que vai ter que comprar novo, mas o violino vai ficar novinho em folha.

RUGGERO
Pensar que um desse acabou com uma parte de mim.

LILIAN
Como é? Não sabia que tocava música.

RUGGERO (triste)
Meu filho. Ele queria ser músico… antes de morrer.

LILIAN
E ele chegou a ser?

RUGGERO
Quando morava aqui, eu não deixava. Queria que ele fosse meu sucessor nas empresas e na vida de magnata; que ele mantivesse o nome que construí. (DISSOLVE) Até que um dia ele se virou contra mim e a mãe dele e quis sair de casa. Desde então, nunca mais vi; nunca mais quis saber do meu filho. Até o dia em que ele… (chora)

LILIAN
Meu Deus! Deve ter sido um baque/

RUGGERO
Mas eu preferi enterrar o passado e continuar o caminho como se nada tivesse acontecido. Esqueci que tive um filho e não quero mais que falem sobre ele.

LILIAN
Quer que ele fique de fora da biografia?

RUGGERO
Não disse isso. (segundos) Depois que eu morrer, faz o que quiser.

LILIAN (após segundos de silêncio)
Como ele se chamava?

RUGGERO
Prefiro não dizer. Me dói muito.

LILIAN
Tá, mas quer falar mais alguma coisa sobre ele? Sobre a relação de vocês?

Mais segundos de silêncio. Ruggero fala em OFF, enquanto Lilian faz anotações no bloco.

=== SONOPLASTIA: PIANO ===

DISSOLVE PARA

CENA 10. CENÁRIOS DIVERSOS. PASSAGEM DE TEMPO.

Shots intercalados em CORTES DESCONTÍNUOS.

MANSÃO DE RUGGERO. SALA. INT. DIA.

– Melita leva Lilian para a porta de saída e se dão um aperto de mãos.

MANSÃO DE RUGGERO. ESCRITÓRIO. INT. DIA.

– Ruggero, sentado à mesa, chora ao olhar a foto do filho morto.

MANSÃO DE RUGGERO. CORREDOR. INT. DIA.

– Ciro vê o documento assinado por Melita e guarda em sua pasta. Beija Yoná com paixão.

PRAÇA. EXT. DIA.

– Praça lotada de fãs. Raúla e Renato dão autógrafos. CORTA. Eles se abraçam de frente para uma fã, que tira foto com celular.

FÓRUM. SALA DO JUIZ. INT. DIA.

– Ruggero entrega um cheque a um juiz. Este olha com espanto, mas aceita o suborno. Ruggero pisca para Ciro.

APARTAMENTO DE LILIAN. QUARTO DE LILIAN. INT. NOITE.

– Lilian conversa com César pelo celular. Ele aparece na tela do aparelho.

APARTAMENTO DE BRENO. SALA. INT. NOITE.

– Mônica pergunta algo a Breno, mas ele nega. Ela vai embora. Breno fecha a porta.

REVISTA DE FOFOCAS. REDAÇÃO. INT. DIA.

– Sérgio tenta ir pra sala de Nara, mas Nando e Isolda o impedem. Eles discutem. Isolda dá um tapa em Sérgio, e Nando o arrasta à força pra fora.

REVISTA DE FOFOCAS. SALA DE NARA. INT. DIA.

– Isolda conversa em OFF com Nara, que fica pensativa e preocupada.

CASA DE MIGUEL. SALA. INT. DIA.

– Norma dá um beijo no rosto de Guilherme. Este sai contente. Norma esperançosa.

PRAÇA. EXT. DIA.

– Miguel toca flauta. Guilherme passa com dois colegas. Miguel o vê e tenta se aproximar, mas Guilherme vira a cara e muda de direção. Miguel triste. CORTA. Miguel e Lilian conversam no banco da praça. Ela o consola. César se aproxima. Lilian o apresenta a Miguel.

LANCHONETE. INT. DIA.

– Lilian e César lancham juntos. Troca de olhares.

REDE SONHO DE TELEVISÃO. ESTÚDIO. SALA DE JÚLIO. INT. DIA.

– Mônica tira a blusa e fica de sutiã. Agarra e beija Júlio com volúpia.

RUA. EXT. DIA.

– Benjamin e Melita conversam nostálgicos. CORTA. Quase se beijam, mas desistem.

MANSÃO DE RUGGERO. ESCRITÓRIO. INT. NOITE.

– Ciro e Yoná se agarram. Ela se solta de Ciro. Melita entra, mas eles disfarçam. Melita chama Yoná e sai com ela sem desconfiar de nada.

CASA DE ZU. SALA. INT. NOITE.

– Lilian, Zu, Caco e Pedro veem o blog quase pronto. Todos comemoram.

RIO DE JANEIRO. AVENIDA MARQUÊS DE SAPUCAÍ. EXT. NOITE.

– Raúla desfila como rainha da bateria de uma escola de samba. CORTA. Breno está no alto de um carro alegórico.

CASA DE HAILA. QUARTO DE HAILA. INT. NOITE.

– Haila e Raúla entram no quarto. Renato deprimido na cama. Haila desesperada.

MANSÃO DE RUGGERO. ESCRITÓRIO. INT. DIA.

– Ruggero conta a Lilian sobre sua vida, em OFF.

APARTAMENTO DE RAÚLA. SALA. INT. DIA.

– Raúla pega um buquê de flores com o entregador e pega a carta para ler. CORTA. Raúla entusiasmada.

DELEGACIA. FRENTE. EXT. NOITE.

– Jairo sai da delegacia, sorridente. Olha para os dois lados.

SALÃO DE FESTAS. FESTA DE LANÇAMENTO DA NOVELA. INT. NOITE.

– Ruggero, Melita, César, Breno, Mônica, Júlio, Sérgio e dezenas de artistas assistem no telão ao primeiro capítulo da novela. César e Mônica se beijam.

CORTA PARA

CENA 11. APARTAMENTO DE LILIAN. SALA. INT. NOITE.

=== SONOPLASTIA OFF ===

Laura e Benjamin conversam no sofá, enquanto assistem à novela.

LAURA
Não é que a novela ficou boa?

BENJAMIN
O que não fica bom nas mãos do Sérgio Freitas?

LAURA
Verdade. É o melhor escritor que o Brasil tem hoje em dia, pelo menos na televisão.

BENJAMIN
E ainda tem meu filho cantando na abertura.

LAURA
Como é que ele está? Minha filha disse que ele voltou a ficar mal.

BENJAMIN
Ele tem se sentido esgotado. Cheio de shows, de compromissos, quase não sobra tempo pra ele. Se não fosse a Haila, nem sei como ele estaria.

Lilian entra. Miguel fica acanhado de entrar.

LILIAN
Vem.

MIGUEL (à porta)
Uma casa tão bonita como essa… não sei se devo entrar.

LILIAN
A casa também é sua.

MIGUEL
Se é assim, com licença.

Miguel entra. Lilian fecha a porta. Laura e Benjamin se levantam.

LILIAN
Deixa eu te apresentar. Essa é a Laura, minha mãe, e esse é o Benjamin, meu padrinho.

MIGUEL (cumprimenta Laura e depois Benjamin)
Tudo bom? Não queria vir, mas ela insistiu.

LAURA
Fica à vontade. Você é o Miguel, não é?

MIGUEL
Sim, isso mesmo.

LAURA
Minha filha fala muito bem de você.

MIGUEL
Não sei se mereço.

LILIAN
Não fala assim, não, que eu fico brava. Vem, senta aí, que eu vou pegar uma coisa lá dentro.

LAURA
Aceita um café?

MIGUEL
Tem água?

LAURA
Tem sim. E você, Benjamin?

BENJAMIN
Acompanho o amigo aqui.

LAURA
Já venho.

Laura e Lilian saem juntas pelo corredor. Benjamin se senta no sofá. Miguel faz o mesmo, receoso de sujar o sofá. Benjamin sorri.

CORTA PARA

CENA 12. CASA DE CIRO. SALA DE JANTAR. INT. NOITE.

Ciro e Pedro jantam à mesa.

CIRO
Nosso futuro está garantido.

PEDRO
Do que tá falando?

CIRO
Não posso te contar ainda, mas você vai gostar muito quando acontecer.

PEDRO
Você sabe que não gosto de suspense.

CIRO
É necessário. Só por enquanto. Quando eu puder contar, você vai ser o primeiro. Mas é uma coisa que vai garantir a sua vida, a nossa vida, pra sempre.

PEDRO
Se é assim…

CIRO
Confia em mim, que vai dar tudo certo.

CORTA PARA

CENA 13. APARTAMENTO DE LILIAN. SALA. INT. NOITE.

Laura vem do corredor com uma bandeja com uma xícara de café, dois copos de água e um pote com biscoitos amanteigados; coloca-a na mesinha de centro.

LAURA
Pronto! Sirvam-se.

MIGUEL
Obrigado.

BENJAMIN
Laurinha, ele estava me contando que é músico há muitos anos. O que é mais impressionante nessa história é que a gente nunca se cruzou.

LAURA
Sério? (a Miguel) O que você toca?

LILIAN (entra com um saco grande)
Miguel, tenho uma coisa pra te entregar.

MIGUEL
Um presente? Não precisava.

LILIAN
Olha primeiro e depois me fala.

Miguel pega o saco com receio e abre lentamente. Olha pra dentro e fica incrédulo.

MIGUEL (emocionado)
Você gastou dinheiro pra…? Meu Deus, como é que vou pagar?

LILIAN
Não se preocupa com isso. Fiz de coração.

MIGUEL
Assim eu não quero. (tira o violino de dentro) Tenho que pagar/

LAURA
É um agradecimento meu e dela por tudo que tem feito pela gente.

LILIAN
O arco é novo, mas o violino… Olha como ficou perfeito.

LAURA
Novinho em folha.

LILIAN
Agora você pode tocar sempre que quiser. (pausa) Tem mais uma coisa.

MIGUEL
Não vai me dizer que/

LILIAN
Conversei com um casal de amigos, e eles fazem questão de que você toque no casamento deles.

BENJAMIN
Meu filho e minha nora

MIGUEL
Não sei nem o que dizer.

BENJAMIN
Não diga nada. Quem enche a vida das pessoas de música e de esperança merece uma grande recompensa.

MIGUEL
Não sei se posso aceitar tudo isso.

LILIAN
Já aceitou. E daqui a pouco vou te levar em casa.

BENJAMIN (a Lilian)
Se preferir, eu levo. Assim você não se arrisca na rua a essa hora.

LILIAN
Tá bom, mas vê se trata bem nosso amigo aqui.

CLOSES alternados entre Lilian, Laura, Miguel e Benjamin.

CORTA PARA

CENA 14. BOATE. SALÃO. INT. NOITE.

=== SONOPLASTIA: Não Me Ame Tanto – Karina Buhr ===

Júlio e Isolda conversam sentados à mesa. Ele está levemente bêbado.

ISOLDA
Conte-me tudo, não me esconda nada.

JÚLIO
Tô aqui pro que der e vier. Aceita? (oferece um copo de uísque)

ISOLDA
Não bebo.

JÚLIO
Não sabe o que perde.

ISOLDA
Sei sim. Saúde, anos de vida e muitas rugas. Eca! (Júlio ri) Vai, me conta: como foi o teste da Mônica Fischer?

JÚLIO
Por que quer saber?

ISOLDA
Digamos que tô interessada em saber de onde ela veio, o que ela quer.

JÚLIO
Pois não tem nada que possa te passar. Ela fez o teste de cena com outras atrizes e passou com nota máxima. Ganhou a vaga.

ISOLDA
Ela é maravilhosa, né? Conta outra, que essa história aí eu não engulo. Ela é mais uma na tua lista gigante, não é?

JÚLIO
Assim você me ofende.

ISOLDA
Pra cima de mim, não! Do teu tipo, conheço um monte.

JÚLIO
Tá bom… Ela fez teste comigo, sim.

ISOLDA
Sabia! Você adora carne fresca. E ela se amarra em qualquer coisa em nome da ambição. E aí, gostou?

JÚLIO
Aí você já quer saber demais.

ISOLDA
Sou jornalista. Esse é meu trabalho.

Júlio enche mais um copo de uísque e bebe. Isolda curiosa.

=== SONOPLASTIA OFF ===

CORTA PARA

CENA 15. APARTAMENTO DE LILIAN. SALA. INT. NOITE.

Lilian e Laura assistem à televisão. Estão sentadas no sofá, abraçadas.

LAURA
A essa hora o seu amigo já deve ter chegado em casa.

LILIAN
Só espero que a mulher dele não crie problema.

LAURA
Por que criaria? Ele me parece uma pessoa do bem.

LILIAN
Ele é, mas ela… Ela é tóxica, amarga, não fica do lado dele pra nada.

LAURA
Nossa! Por que então não se separam? Melhor do que viverem juntos e sofrendo. (o interfone toca) Que estranho! Benjamin sempre sobe direto.

LILIAN
Pode ser a Zu.

Laura vai para o corredor e atende. Lilian presta atenção do sofá.

LAURA
Oi! (pausa) Ela está sim. Quem quer falar com ela?

LILIAN (se aproxima)
Quem é?

=== SONOPLASTIA: TENSÃO ===

LAURA
(ao interfone; raiva) De jeito nenhum! Bota esse sujeito pra fora! Se ele insistir, chama a polícia.

Laura desliga o interfone.

LILIAN (tensa)
Então é verdade?

LAURA
Você já sabia?

LILIAN
O Pedro comentou, mas eu não acreditei. Mas a Fátima não tá lá embaixo?

LAURA
Não, hoje é dia do Franco, o porteiro novo. A sorte foi essa, que ele não conhece quase ninguém.

Lilian ansiosa. Laura a abraça.

CORTA RÁPIDO PARA

CENA 16. PRÉDIO DE LILIAN. FRENTE. EXT. DIA.

O porteiro Franco e o zelador carregam Jairo à força pra fora. Este se debate e grita pro alto sem parar.

JAIRO
Isso não vai ficar assim! Você é minha! Ouviu bem? Eu ainda te pego de volta, Lilian!

ZELADOR
Já chega! Para de fazer escândalo e toma teu rumo.

JAIRO
Lilian!

Franco abre o portão e, com ajuda do zelador, joga Jairo ao chão.

FRANCO
Vê se não aparece mais aqui!

JAIRO (se levanta; berra)
Quero ver quem vai me impedir.

Os dois homens entram na portaria e fecham a porta interna. Jairo furioso.

CORTA PARA

CENA 17. APARTAMENTO DE LILIAN. SALA. INT. NOITE.

Laura fala ao interfone com Franco.

LAURA
Sim, nós ouvimos daqui de cima. (tempo) Ah, mas o problema é dele. (tempo) Se insistir, não pense duas vezes. (tempo) Obrigada, mais uma vez. Boa noite!

Laura desliga o interfone e vem pra sala. Lilian toma um copo de água com açúcar, sentada no sofá. Laura se junta a Lilian e a consola.

=== SONOPLASTIA OFF ===

CORTA PARA

CENA 18. CASA DE MIGUEL. SALA. INT. NOITE.

Miguel entra com Benjamin. Norma vem da cozinha e não disfarça o desagrado.

BENJAMIN
Está entregue, com o violino pronto pra outra.

NORMA
Não devia ter se importunado com as coisas do meu marido.

MIGUEL
Dá boa noite/

NORMA
Boa noite, uma ova. (a Benjamin) Esse aí fica humilhando a mim e ao filho dele todos os dias naquela praça fedorenta e, quando dou graças a Deus de essa droga ter sido quebrada, aí vem você e termina de acabar com a paz dessa família. Aliás, você e sua filha.

BENJAMIN
Minha filha não tem nada com isso.

NORMA
Ah, não? Ela vive rodando pra cima e pra baixo com ele.

MIGUEL
A Lilian não é filha dele.

NORMA
Não? Então é amante? Essa moça gosta de velho mesmo.

MIGUEL
Vamos conversar lá fora, que aqui dentro está insuportável.

NORMA
Desde o dia em que aceitei ficar com você.

Miguel coloca o violino num canto e sai com Benjamin. Norma irritada.

CORTA PARA

CENA 19. PRÉDIO DE ISOLDA. CORREDOR. INT. NOITE.

Jairo sai agitado do elevador e anda até a porta do apartamento de Isolda. Toca a campainha. Segundos. Toca de novo. Impaciente, dá palmadas na porta.

JAIRO
Abre, que eu sei que você tá aí!

Mônica sai do outro elevador e vê a cena.

MÔNICA
Hei! O que você tá fazendo aí, ô, troglodita?

JAIRO
Não é da sua conta. (dá socos na porta) Abre essa porta, Isolda!

MÔNICA
Ela não tá. Marquei de encontrar com ela aqui e cheguei primeiro. (se aproxima) Você é o Jairo Costa, né?

JAIRO
O que te importa?

MÔNICA
A Lilian te deu toco de novo, não foi? (pausa) Pois eu posso te ajudar.

CLOSES alternados entre Mônica e Jairo.

Efeito de fim de capítulo: imagem de Jairo congela; efeito de flash de fotografia; imagem fica em preto e branco.

A Widcyber está devidamente autorizada pelo autor(a) para publicar este conteúdo. Não copie ou distribua conteúdos originais sem obter os direitos, plágio é crime.

Pesquisa de satisfação: Nos ajude a entender como estamos nos saindo por aqui.

Leia mais Histórias

>
Rolar para o topo