“Recomeços…”

 

[CENA 01 – CASA DO JUNIOR/ SALA/ DIA]
JUNIOR – Que proposta?
ADRIANA – Você não precisa ir embora com ela.
JUNIOR – Olha, eu já agradeci o que você e sua amiga fizeram, mas não posso cuidar dela sozinho e não temos onde morar.
ADRIANA – Mas na rua vocês não vão ficar!
JUNIOR – Não entendi?
ADRIANA – Hoje cedo, conversei com à Carla e a Ana precisa de leite materno, certo? E vocês indo embora, não vão poder dar isso para ela.
JUNIOR – Talvez não…
ADRIANA – Combinamos que se você topar, a Carla pode amamentar a Ana, até ela poder comer outros alimentos.
JUNIOR – Desculpa, mas acho que…
HILDA – Que é uma ótima ideia filho. (aparecendo ao lado do filho) Eu também não estou querendo muito que vocês venham comigo. Não que eu não queira ficar com minha neta, mas é que não podemos deixar ela fica doente novamente. Sua amiga deu uma boa ideia, e dependendo da sua escolha, vou te apoiar.
JUNIOR – Eu não sei mamãe, a Joana…
HILDA – Filho olha para mim. (Junior fica de frente a ela) A Joana… quer à felicidade de vocês, com certeza! Se ela estivesse viva, e ela não pudesse amamentar a menina, ela certamente iria fazer o que fosse melhor para Ana. (caminhão de mudança buzina lá fora) Chegou à hora, você tem que fazer sua escolha agora, filho.

[CENA 02 – HOTEL DO THOMAS/ DIA]
THOMAS – Então, já tem a minha resposta?
FREDERICO – Tenho. Sinto muito, mas não vou poder aceitar.
THOMAS – Por que não?
FREDERICO – Quando me separei da sua irmã, prometi para mim mesmo que jamais voltaria a se relacionar com algum assunto relacionado a ela.
THOMAS – Mas vocês se encontram quase todos os dias, mantem contato…
FREDERICO – Eu sei, mas isso vai ser diferente se aceitar à sua proposta.
THOMAS – Qual é a diferença? Olha, meu casamento será daqui alguns dias, vou dar mais esse tempo para você pensar…
FREDERICO – Eu já pensei, Thomas. Vou ter que recusar sua proposta.
THOMAS – Está bem. Não vou exigir isso de você, o jeito agora é esperar a Beatriz falir à empresa, quando ela assumir.
FREDERICO – Bem, eu não aceito presidência, mas, posso ajudar à Beatriz nos assuntos que ela estiver em dúvida.
THOMAS – (ironiza) Que bom, assim ela vai demorar um pouco mais para falir.
FREDERICO – Também não fala assim, não sou um mal administrador.
THOMAS – Agradeço por ficar do lado da minha irmã, quando eu não estiver ao lado dela.
FREDERICO – A Beatriz se tornou uma grande amiga minha. Eu gosto dela de verdade, Thomas.
THOMAS – Se eu ouvisse isso uns meses atrás estaria pegando no seu pé agora, mas as coisas mudaram agora.
FREDERICO – (ri) Pois é!
THOMAS – Tenho que ir, mas antes, quero te dizer algo.
FREDERICO – Diga.
THOMAS – Depois que eu for embora, você será a segunda pessoa que minha irmã mais confia, então, se eu souber que você a magoou…
FREDERICO – Fica tranquilo, não vou cometer esse erro novamente.

[CENA 03 – PARQUE/ DIA]
LUANA – Acho que devemos resolver a nossa situação.
SÉRGIO – Para isso que você me chamou, para resolvermos finalmente a nossa situação?!
LUANA – O Felipe voltou!
SÉRGIO – Eu sei.
LUANA – E a Alice, não é sua filha.
SÉRGIO – Ótimo. Então não temos mais nenhuma relação que nos liga.
LUANA – Assim tão fácil?
SÉRGIO – É.
LUANA – O Sérgio que eu conheço, estaria agora tentando me convencer a se separar do Felipe, estaria dizendo que eu estava mentindo, exigiria um teste de paternidade.
SÉRGIO – O antigo Sérgio faria isso. O novo não.
LUANA – Novo Sérgio?
SÉRGIO – É que eu cansei de ficar me humilhando atrás de alguém que não está nem aí para mim. Se você quisesse ficar comigo, você não estaria casada com o Felipe até agora. Não venha com história que você não pode, porque você teve várias oportunidades, teve sete longos meses para tomar uma escolha. Agora é eu quem desisto. Vai lá ficar com seu marido. Vão cuidar de sua filhinha. (ele se levanta para ir embora) Ah não precisa devolver os presentes que eu dê pra sua filha. Considere isso, um presente para o casal. (vai embora, e Luana fica sentada no banco, sem entender nada)

[CENA 04 – CASA DO JUNIOR/ EXTERNO DA CASA/ DIA]
(Hilda está se despedindo de seu filho em frente ao caminhão, Adriana está um pouco atrás deles)
HILDA – Eu ligo quando chegar. Tchau, filho. (o abraça) Tchau meu amor. (beija sua neta, entra no carro de mudanças e vai embora. Junior e Adriana ficam do lado de fora, observando o caminhão se distanciando)
JUNIOR – Eu só vou pegar as bolsas dela, e a gente vai.
ADRIANA – Tá, se você quiser posso segurá-la, para você não ter problema com as bolsas.
JUNIOR – Está bem. (Junior entrega Ana para a Adriana, e ele vai lá para dentro pegas as bolsas)

[CENA 05 – APARTAMENTO DO SÉRGIO/ SALA/ DIA]
(Sérgio chega no apartamento, se deita no sofá aliviado, como se tivesse tirado um grande peso dos ombros)
ADRIANO – Onde estava?
SÉRGIO – Resolvendo de vez uma página na minha vida.
ADRIANO – Luana! Então definitivamente acabou tudo entre vocês?
SÉRGIO – Acabou. Agora definitivo.
ADRIANO – Devo confessar, que isso demorou muito tempo para acontecer.
SÉRGIO – Tempo até demais. Importa agora que eu vou focar no meu futuro.
ADRIANO – Alguma ideia?
SÉRGIO – Ainda não. Estou com a cabeça cheia, acho que vou tomar um banho. (se levanta, e caminha para seu quarto)

[CENA 06 – CASA DO FELIPE/ SALA/ DIA]
(Luana chega em casa, e é flagrada por Felipe)
FELIPE – Onde estava?
LUANA – Fui dar uma volta no shopping.
FELIPE – Pois quando você foi dar sua voltinha no shopping, sua filha estava aqui, chorando com fome.
LUANA – Eu já cheguei tá. E eu não entendo agora essa sua preocupação toda com minha filha.
FELIPE – Nossa filha. Ela é minha também. E se você não fazer suas responsabilidades de mãe, vou toma-la de você.
LUANA – Boa sorte. (sobe para o quarto com raiva, enquanto Felipe fica na sala pensativo)

[CENA 07 – CASA DA CARLA/ SALA/ DIA]
(Carla e Paula estão na sala, Carla está amamentado Pedro)
PAULA – Será que ele vai aceitar essa ideia?
CARLA – Não sei. Mas ele não tem outra escolha, se realmente gosta da filha dele, é a única solução que ele tem. (campainha) Devem ser eles. (Paula vai abrir à porta)
ADRIANA – Oi, olha só que veio.
PAULA – Quer ajudar com as coisas.
JUNIOR – Não precisa, dou conta sozinho. (todos entram, e estão na sala agora)
CARLA – Você tomou a decisão certa, Junior. A Joana, faria a mesma coisa.
JUNIOR – Eu só vou aceitar isso, até ela ficar maior.
CARLA – Claro. (Ana começa chorar, Junior coloca as bolsas no canto do sofá, pega a Ana da Adriana, e começa a ver o que a filha quer)
JUNIOR – Parece que ela está com fome.
CARLA – Me dar ela aqui. (Carla entrega Pedro para Paula, e vai pegar Ana de Junior)
JUNIOR – Então, onde vamos ficar?
PAULA – Eu levo você até lá. (Junior pega as bolsas novamente, e segue a Paula)
ADRIANA – Ela tem o nariz da Joana. (se aproxima da Carla)
CARLA – Também percebi isso. (as duas riem)
ADRIANA – Talvez se conversarmos com ele, ele queira ficar aqui e não queira leva-la para longe!
CARLA – Ele é o pai, Adriana, tem o direito de levar à filha para onde quiser, não podemos obriga-lo.

[CENA 08 – CASA DO FELIPE/ Q. DA LUANA/ DIA]
(Luana coloca Alice para dormir, quando Viviane entra no quarto)
VIVIANE – Oi.
LUANA – Shiii. Ela dormiu agora.
VIVIANE – Desculpa. Podemos conversar um pouco?
LUANA – Claro. Vamos lá fora.
[NA SALA]
VIVIANE – Aproveitei que o Felipe saiu, e como não tive coragem de perguntar para ele, quero saber de você. Como é que vocês estão?
LUANA – Não sei. Às vezes conseguimos conversar sem nenhuma briga, outras é impossível um diálogo.
VIVIANE – Mas acredito que isso vá passar filha, essa menina vai unir vocês.
LUANA – Queria ter essa confiança que a senhora tem.

[CENA 09 – CASA DA CARLA/ COZINHA/ DIA]
(Adriana entra no quarto do Junior, e o encontra dormindo com sua filha do lado. Ela se emociona, e sai do quarto, sem acordar ninguém)
ADRIANA – (entrando na cozinha) Estão dormindo os dois.
CARLA – Devem estar cansados com a história de mudança.
ADRIANA – Por favor, me ajuda a convencer ele ficar aqui.
CARLA – Eu não sei, Adriana. Eu não sei o que houve entre vocês, não conheço  muito o rapaz, não posso ajudar.
ADRIANA – Mas com esse tempo, qual impressão você teve dele?
CARLA – Que ele é um cara legal, me parece ser honesto e gosta muito da filha.
ADRIANA – Então, me ajuda Carla.
CARLA – Me responde uma coisa, Adriana. Você ainda gosta do Junior?

Continua no Capítulo 56…

A Widcyber está devidamente autorizada pelo autor(a) para publicar este conteúdo. Não copie ou distribua conteúdos originais sem obter os direitos, plágio é crime.

Pesquisa de satisfação: Nos ajude a entender como estamos nos saindo por aqui.

Leia mais Histórias

>
Rolar para o topo