Destiinos Cruzados
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

CENA 1. CEMITÉRIO. EXTERIOR. DIA 

CONTINUAÇÃO DA ÚLTIMA CENA  

LOBÃO              (REAGE, SURPRESO) César? O que você está fazendo aqui? 

CÉSAR               eu te segui. Quis saber pra onde cê tava indo…pensei que cê fosse atrás daquela fedelha que na qual diz ser sua filha 

LOBÃO              e agora? O que eu faço? (DESESPERO) Eu matei a mãe do Samuel! 

CÉSAR               calma. Fica calmo, tá? relaxa! Eu vou acabar com tudo isso de uma vez por todas 

LOBÃO              como?

CÉSAR SACA SUA ARMA, APONTA EM DIREÇÃO AO CORPO DE ROSA, COM O DEDO NO GATILHO PRESTES A ATIRAR. LOBÃO É MAIS ÁGIL E CONSEGUE DESARMÁ-LO. CLIMA DE TENSÃO

LOBÃO              que porra cê pensa que tá fazendo, cara? 

CÉSAR               te ajudando! a gente atira nela, forja um assalto e pronto! ninguém vai saber que foi a gente, Lobo! 

LOBÃO              não! Ela é como uma mãe pra mim, não posso fazer isso! 

CÂM DETALHAR UMA LÁGRIMA ESCORRENDO NO ROSTO DE LOBÃO 

CÉSAR               Lobo, quê que isso, cara? Eu nunca te vi assim, chorando, com sentimentos. Que porra é essa, mano?!

LOBÃO              qual é, cara? eu também sou humano. Tenho meus sentimentos. Eu a adorava, nunca me fez mal, sempre cuidou de mim, me tratava como se fosse um filho. Não posso fazer isso com ela 

CÉSAR               mas ela já está morta, cara!

LOBÃO              foi um acidente, eu… eu agi por impulso, por um momento de desespero após fazer uma descoberta

CÉSAR               é, eu vi e ouvi. Você e a Alicia são irmãos. Que foda, hein. Vamos fazer o seguinte: a gente a abandona em um lugar qualquer e vaza 

LOBÃO              tudo bem 

CÉSAR               beleza, agora me ajuda aqui a leva-la até o carro. Bora 

OS DOIS A LEVAM NO OMBRO ATÉ O CARRO. PARTEM 

CORTE DESCONTÍNUO PARA 

CENA 2. LOCAL DESÉRTICO. EXTERIOR. DIA 

CÉSAR E LOÃO CHEGANDO EM UM CARRO. O VEÍCULO PARA. OS DOIS DESCEM. RETIRAM O CORPO DE ROSA DO BANCO DE TRÁS DO VEÍCULO. E ATIRAM CONTRA O CHÃO 

LOBÃO              sinto muito, Rosa. Descanse em paz! 

CÉSAR               vem, Lobo. Vamos!

VOLTAM PRO CARRO. QUE SAI EM SEGUIDA. CÂM FECHA NO CORPO DE ROSA ALI NO CHÃO. SOM DE CARRO SE APROXIMANDO. CLIMA DE SUSPENSE. O ÂNGULO É ABERTO. REVELA UM CARRO PRETO PERTO DO CORPO DE ROSA. DE DENTRO, SALTAM DOIS HOMENS FORTES, ENCAPUZADOS. PEGAM ROSA E A LEVAM PRA DENTRO DO VEÍCULO. ENTRAM. O VEÍCULO DÁ PARTIDA 

CORTE PARA 

CENA 3. APTO DE HUGO. SALA. INTERIOR. DIA 

LÍDIA DESPERTA DE SEU DESMAIO. LEVANTA AINDA UM POUCO ZONZA. VAI INDO RUMO À COZINHA SE SEGURANDO NOS MÓVEIS  

CORTE RÁPIDO 

CENA 4. APTO DE HUGO. COZINHA. INT. DIA 

LÍDIA ENTRA. VAI À GELADEIRA. SERVE UM COPO DE ÁGUA PRA SI

LÍDIA                que tontura é essa? Tenho que fazer uma bateria de exames… 

CORTE PARA 

CENA 5. APART DE PEDRO. QUARTO. INTERIOR. DIA 

PEDRO DEITADO NA CAMA. A OLHAR PRO TETO. PENSATIVO 

FUSÃO PARA 

CENA 6. FLASH-BACK RÁPIDO. CASA DE SAMUEL. QUARTO

MOMENTO EM QUE PEDRO BEIJA SAMUEL 

FUSÃO PARA

CENA 7. APART DE PEDRO. QUARTO. INTERIOR. DIA

VOLTA À CENA. EM PEDRO SORRIDENTE

CORTE PARA

CENA 8. HOSPITAL. LABORATÓRIO. INT. DIA 

ABRE NUMA SERINGA CHEIA DE SANGUE. O ÂGULO É ABERTO. LÍDIA SENTADA À BEIRA DE UMA MACA. UM ENFERMEIRO ACABOU DE RETIRAR SEU SANGUE PRA EXAMES LABORATÓRIAIS 

ENFERMEIRO(TAMPA O TUBO) pronto, sangue coletado! 

LÍDIA                ah. Que bom. Qual a previsão dos resultados, enfermeiro? 

ENFERMEIRO(ANOTA ALGO NUMA FICHA) final da tarde, você já fica a saber dos resultados… 

LÍDIA                é? Como eu faço? Venho aqui, buscá-los?

ENFERMEIROque nada, precisa nem sair de casa. É simples: você nos passa seu e-mail e te enviaremos os resultados do exame

LÍDIA                maravilha, avanço da tecnologia!

ENFERMEIROpois é. Bom. É isso. Você passa na recepção e deixa seu e-mail lá, tá bom?

LÍDIA                claro. Bom dia! 

LÍDIA SAI. ENFERMEIRO CONTINUA A ANOTAR ALGUMAS COISA NUMA PRANCHETA

CORTE PARA 

CENA 9. CRECHE. FRENTE. EXT. DIA 

ABRE EM LOBÃO A OBSERVAR PETRA QUE ESTÁ NOS BRAÇOS DE SUA CUIDARORA. ELE ESTÁ ENCANTADÍSSIMO PELA MENININHA.  INSTANTES 

LOBÃO              (SORRI, ENCANTADO) que garotinha fofa…! 

CORTE PARA 

CENA 10. STOCK-SHOTS. EXT. DIA 

CLIMA DE SUSPENSE 

CORTE PARA 

CENA 11. QUARTO DE HOTEL. INT. DIA 

CLIMA DE SUSPENSE. ILUMINAÇÃO BAIXA. ALGUÉM SENTADO A UMA POLTRONA.  SILHUETA MASCULINA. CÉSAR ENTRA, NA PENUMBRA. PARA DIANTE DA TAL PESSOA 

CÉSAR               a gente precisa conversar! 

NO SUSPENSE

CORTE PARA 

CENA 12. RESTAURANTE. BELMONTE. INT. DIA 

ALAN, LUIZA E LEONARDO À MESA. ALMOÇO A MEIO. LUIZA SENTE-SE MAL  

ALAN                 está tudo bem, Luiza? Você ficou pálida de repente… 

LUIZA               não! Eu tô enjoada. Com licença, vou ao banheiro 

ELA VAI INDO RUMO AO BANHEIRO

LEO                    eu vou atrás dela, tá, Alan. Já volto! 

ALAN                 Vai, vai sim. Eu fico aqui aguardando… 

LEO VAI ATRÁS DE LUIZA. CÂM SEGUE PARAR CAIO E BRUNO ALI PRÓXIMOS QUE JÁ TERMINARAM SEU ALMOÇO. CAIO JÁ PAGANDO A CONTA. OS DOIS LEVANTAM E VAO SAINDO. NA PORTA, HÁ UM BELA MOÇA VENDENDO FLORES. BRUNO COMPRA UMA PRA CAIO

BRUNO             pra você! 

CAIO                  não quero! Detesto flores! Sou alérgico! 

BRUNO             nossa, desculpa. Eu não sabia! Só achei…

CAIO                  não, não ache nada, querido. Já deixei bem claro, que entre a gente não irá rolar nada! Entendeu? Na-da! 

BRUNO             por que não pode rolar nada entre nós dois? O que te impede de ficar comigo? Hum? Me fala! Eu quero um bom motivo pra essa sua relutância

CAIO                  ah, chega, né… melhor eu ir embora… 

CAIO VIRA-SE PARA SAIR, PÕE O PÉ NA RUA, UM CARRO EM DISPARADA O ATINGE. CLIMA TENSO. CAIO É ARREMESSADO PARA O ALTO 

BRUNO             (VOZ ECOA) Caioooo! 

O CARRO QUE O ATINGIRA CAPOTA VÁRIAS VEZES NA RODOVIA, EXPLODE EM SEGUIDA. O MOTORISTA MORRE CARBONIZADO 

CAIO CAÍDO NO CHÃO, DESACORDADO… PESSOAS SE AGLOMERAM PRÓXIMO A ELE… 

BRUNO SE APROXIMA, DESESPERADO 

BRUNO             Caio, Caio, Caio. Fala comigo. Ei? 

VAI TENTAR SE APROXIMAR, MAS É IMPEDIDO POR UM HOMEM

HOMEM            você não pode tocar nele, cara!

SIRENE DE AMBULÂNCIA, BOMBEIROS E POLÍCIA CHEGANDO NO LOCAL. O FOGO DO VEÍCULO É CONTIDO PELO CORPO DE BOMBEIROS 

PARAMÉDICOS ATENDEM CAIO, QUE DE IMEDIATO É COLOCADO EM UMA MACA 

PARAMÉDICO         ei, rapaz, você é o que dele? 

BRUNO                     namorado, ele é meu namorado!

PARAMÉDICO         venha, ele precisa de um acompanhante 

BRUNO ENTRA E SE SENTA EM UM BANCO, PORTA É FECHADA, SIRENE SOA, VEÍCULO EM MOVIMENTO RUMO AO HOSPITAL 

CORTE PARA 

CENA 13. HOSPITAL. RECEPÇÃO. SALA DE ESPERA. INTERIOR. DIA

NA RECEPÇÃO, BRUNO AFLITO. AGUARDA INFORMAÇÕES SOBRE O ESTADO DE CAIO. BIPE DO ELEVADOR. QUE ABRE. DESTE SAEM: SAFIRA E ÁTILA, OS PAIS DE CAIO. VISIVELMENTE DESESPERADOS E AFLITOS. VÃO ATÉ A MOÇA QUE TRABALHA ATRÁS DO BALCÃO 

ÁTILA               olá, somos pais do paciente, Caio Castelo, que deu entrada aqui há meia hora atrás 

RECEP               neste momento ele está em cirurgia, senhores 

SAFIRA             meu Deus, meu filhinho não pode morrer 

RECEP               vocês podem esperar junto a aquele rapaz 

APONTA EM DIREÇÃO A BRUNO QUE SE ENCONTRA SENTADO E DE CABEÇA BAIXA 

ÁTILA               quem é ele?

RECEP               namorado, foi como ele se apresentou

SAFIRA             (REAGE) como é que é? Namorado? Meu… meu filho não veado, meu filho é macho! Que porra é essa?! 

ÁTILA               (REPREENDE) Safira, por favor, nós estamos num hospital… fale mais baixo… 

SAFIRA             dane-se! Vou tirar essa história à limpo e é agora! 

SAFIRA VAI INDO EM DIREÇÃO A BRUNO 

ÁTILA               (VAI ATRÁS) Safira, ei? 

SAFIRA             ei, você? Que história é essa de que tu é namorado do meu filho? 

BRUNO             mas eu sou, senhora…

SAFIRA             senhora é a tua vó! Olha aqui, seu… moleque: vaza daqui, vai embora. Esquece do meu filho, seu lixo, que ele não é da tua laia, não, veado! 

BRUNO             mas eu o amo…

SAFIRA             foda-se! Pega esse teu amor, junto com as tuas esperanças de ficar com ele e some, vai pro quinto dos infernos. (ESBRAVEJA) Aberração! Má-influência! Pervertido! 

BRUNO             (CHORA) senhora… 

SAFIRA             (GRITA) saiiii! 

HUMILHADO, BRUNO SAI DALI. FRIA, SAFIRA O OBSERVA IR EMBORA. TODOS QUE ALI ESTÃO A OLHAM COM UM OLHAR DE REPROVAÇÃO 

SAFIRA             quê que foi? Bando de indigente! 

ÁTILA               (AS PESSOAS) perdão, perdão. Você não devia ter feito esse escândalo, Safira!

SAFIRA             fiz e vou fazer pior, quando aquele filho de uma puta, que não sou eu a puta, sair daquela cirurgia e me explicar essa história dele ser veado, de gostar de dar o rabo pra macho 

ÁTILA               (INDIGNADO) que horror… você está dando um verdadeiro show de preconceito aqui diante dessas pessoas 

SAFIRA             não, querido, eu não estou sendo preconceituosa, eu só não aceito essa raça, esses imundos, depravados

ÁTILA               quer saber? fica aí, sozinha que eu preciso tomar uma água, porque tá difícil de digerir todas essas asneiras que saíram da sua boca

ÁTILA SAI. CLOSE EM SAFIRA SÉRIA 

SAFIRA             vai, vai. Idiota! Só que me faltava esse infeliz ser gay. Tomara que morra nessa cirurgia! 

CORTE PARA 

CENA 14. MANGUEZAL. LAJE. EXTERIOR. DIA 

LOBÃO POR ALI, TRAGA UM CIGARRO. CÉSAR SE APROXIMA 

CÉSAR               fala, lobão! 

LOBÃO              coé?! 

PASSA O CIGARRO PRA CÉSAR QUE JÁ DÁ UMA TRAGADA 

CÉSAR               uhm! Já tive uma ideia pra tu se aproximar lá da fedelha 

LOBÃO              ah, é? Fala aí. Qual que é da parada? 

CÉSAR               um sequestro! 

LOBÃO              boa, mano! Você vai ficar à frente disso tudo, leva mais dois mens contigo 

CÉSAR               olha só, não é querendo me gabar, não, mas eu sei dá conta do recado muito bem sozinho 

LOBÃO SE APROXIMA DELE, TOMA O CIGARRO DE SUAS MÃOS 

LOBÃO              convencido. Ok. Vai lá, fodão! 

CÉSAR               amanhã mesmo você tê-la-á em seus braços 

SE OLHAM 

NA ARMAÇÃO 

CORTE PARA 

CENA 15. APTO DE HUGO. SALA. INTERIOR. DIA 

LÍDIA NOS BRAÇOS DE PEDRO, NO SOFÁ. NAMORAM 

LÍDIA                (AO SAIR DO BEIJO) saudades de você, sabia? 

PEDRO              é? Que bom. é que ando muito ocupado com o trabalho, por isso quase não tenho tempo pra lhe ver 

LÍDIA                imagino. Mas de boa, não sou o tipo de mulher que cobra a presença do boy, não. Relaxa! 

PEDRO              bacana! E eu também não sou o tipo de homem controlador 

UMA NOTIFICAÇÃO CHEGA NO CELULAR DE LÍDIA, UM E-MAIL 

PEDRO              o que é?

LÍDIA                nada demais. Só um e-mail, é que fiz alguns exames de rotina, sabe, deixa eu ver aqui. Tudo normal, colesterol, normal…

ELA DÁ UMA PAUSA BRUSCA AO DEPARAR-SE COM UM RESULTADO INESPERADO 

PEDRO              que foi? algum problema? 

LÍDIA                nada. Eu só vou ali, na cozinha, buscar uma água… já volto… 

LÍDIA SAI PRA COZINHA 

CORTE RÁPIDO 

CENA 16. APTO DE HUGO. COZINHA. INTERIOR. DIA 

LÍDIA ENTRA, JÁ EM DESESPERO 

LÍDIA                caralho, não é possível? Eu tô grávida! 

FADE OUT 

CENA 17. STOCK-SHOTS. ANOITECER. EXTERIOR. NOITE 

CLIMA DE TENSÃO

CENA. 17. CASA DE SAMUEL FRENTE. EXT. DIA 

ABRE NA CHEGADA DE LOBÃO. CLIMA DE TENSÃO. TOCA A CAMPAINHA. A PORTA É ABERTA. LOBÃO DEPARA-SE COM ROSA ALI, VIVÍSSIMA, A SUA FRENTE. ELA O ENCARA BEM SÉRIA 

LOBÃO              (EM CHOQUE, GAGUEJA) R-osa? 

ROSA                 Lobão… 

CLOSES ALTERNADOS DOS DOIS SE OLHANDO 

CORTE PARA 

FINAL DO CAPÍTULO

Atenção: A Widcyber tem a autorização do autor para publicar este conteúdo.

cropped-wid-1.png

NAVEGAR

>
error: Este conteúdo é protegido! A cópia deste conteúdo não é autorizada em virtude da preservação de direitos autorais.
Rolar para o topo