Destiinos Cruzados
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

DESTINOS CRUZADOS.

NOVELA DE

UELITON ABREU. 

ESCRITA POR

UELITON ABREU.

CENA 1. DELEGACIA. SALÃO. INTERIOR. DIA 

CONTINUAÇÃO DA ÚLTIMA CENA

PERITO           se ela está viva, não sabemos, só sabemos que as digitais dessa moça estão neste objeto em questão. Aqui, o pingente e os resultados das análises. Espero que resulte em algo e que vocês possam chegar nesse assassino. Bom, tenham um bom trabalho e um bom dia. Tchau (SAI)

ALAN              tchau…

MARIO SE APROXIMA DA MESA DE ALAN 

MARIO           o que é isso aí, mano?

ALAN              resultados de uma perícia…

MARIO           uhm! Deixa eu te falar, limpa essa baba aí, vai

ALAN              quê? Que baba? Do que cê está falando? 

MARIO           essa do canto da tua boca. Desde que o perito bonitão saiu daquele elevador que tu não para de babar. acho que todos aqui notaram isso 

ALAN              ah, nada a ver! Tudo bem; ele é bonito, tal, mas eu não estou babando. Não! aliás, mudando de assunto, vamos aos trabalhos… 

MARIO           ok. Manda! 

ALAN              quero que localize pra mim, por favor, a família de Alicia Alcântara 

MARIO           essa não é a ex-falecida esposa do Pedro?

ALAN              é, essa mesma. Esse pingente aqui fora encontrado ao lado do corpo do Leonardo, e por coincidência ou não, é dela. Esse objeto foi para analise na perícia e foram encontradas as IPLs dela no objeto, logo, as nossas suspeitas de que ela possa estar viva, estão cada vez mais certas e concretas

MARIO           sabia! Meu faro policial nunca falha 

ALAN              localize sua família e traga-os até a delegacia

MARIO           ok. Vou indo. Ih, o quem vem aí, carrasco (AVISTA DAVID SE APROXIMANDO) sorte aí (SAI) 

ALAN              obrigado… 

DAVID            bom dia! Estás bem? 

ALAN              sim, por que não estaria? 

DAVID            sei lá, passaste mal ontem, vai saber se não terás outro ataque… não sei. Tenho de zelar pela saúde dos meus agentes 

ALAN              entendi. Acho. Enfim. Desejas algo? 

DAVID            desejo! (CRUZAS OS BRAÇOS SÉRIO, O ENCARANDO) o que tu não entendeste?

ALAN              tudo, não é? Essa tua preocupação repentina, esse “bom dia.” Desculpa, mas eu não estou a entender nada. É medo de eu processar-te por ter provocado meu desmaio, é isso? 

DAVID            medo? Eu? (RI ALTO) boa. Mas não. É o que eu disse: tenho que zelar pela saúde dos meus agentes. Mas, também, eu não tenho que explicar nada! faz teu trabalho que é pra isso que tu e pago, idiota! 

E VAI INDO PRA SUA SALA

ALAN              esse é o verdadeiro delegado…

EM ALAN RINDO 

CORTE PARA 

CENA 2. APART PEDRO. COZINHA. INTERIOR. DIA 

NATHI À MESA, TOMANDO CAFÉ. SAMUEL ENTRA 

SAMUEL        bom dia, amiga! Dormiu bem? 

NATHI            sim. E você? 

SAMUEL        como um anjo. Estava precisando, sabe, de uma boa noite de sono 

NATHI            como foi seu jantar? 

SAMUEL        bacana! Agradável. Hugo sabe ser uma boa companhia. Aliás, tenho que contar-te, ontem ele me beijou…

NATHI            como é? (SURPRESA E FURIOSA) Você não podia ter beijado esse cara! E meu irmão?

SAMUEL        Nathi, por favor, calma. Eu não estou entendendo essa sua reação. Ele que me beijou no ímpeto, eu… Eu nem retribui, além do mais, ele me pediu desculpa por ter feito o que fez, e eu o desculpei… Ponto. Eu gosto do seu irmão, ele é o homem da minha vida 

NATHI            será mesmo, Samuel? (O OLHA NOS OLHOS) Porque pelo o que eu já presenciei e notei, é que esse cara está fascinado por ti, e ele não irá medir esforços pra conseguir te ter em seus braços. Amigo, me ouve: esse cara não presta 

SAMUEL        de novo com essas insinuações, Nathi. Para! Pra quê essa implicância? Diz-me! 

NATHI            eu não sei! Só sei que desde que eu o vi aqui, naquela noite, senti uma energia ruim emanando de seu corpo. Sabe, quando uma pessoa reconhece de perto que a outra não presta? Pois é. Foi o que eu senti. E volto a te pedir se afasta dele 

SAMUEL        melhor pararmos por aqui, não quero discutir com você logo cedo pela manhã

NATHI            nem eu, mas pelo que vejo você está cego. vou escovar os dentes 

NATHI LEVANTA E SAI 

SAMUEL        tá certo! 

SAMUEL CONTINUA A TOMAR SEU CAFÉ 

CORTE PARA 

CENA 3. STOCK-SHOTS. EXTERIOR. DIA 

LETREIRO: ALGUM TEMPO DEPOIS… 

CENA 4. HOSPITAL. QUARTO. INTERIOR. DIA 

PEDRO JÁ DISPERTO DO COMA. NATHI E SAMUEL ENTRAM 

NATHI            meu amor, como é bom ver-te bem, recuperado! (ABRAÇA-O) Rezei tanto por você, que Deus resolveu atender minhas preces

PEDRO           obrigado! 

SAMUEL        oi! Fico feliz que esteja a se recuperar

PEDRO           não vais dar-me um beijo?

NATHI            vem, bobo, beija ele! 

SAMUEL ENTÃO SE APROXIMA E O BEIJA 

PEDRO           agora sim! Quanto tempo fiquei assim, em coma? O que eu perdi? 

NATHI            um mês e alguns dias por aí, não sei ao exato! O que importa é que agora você está bem aqui conosco. Já falei com o médico e ele me disse que se tudo der certo, logo, logo, você já vai poder ir pra casa. Quanto aos acontecimentos… O Samu vai te colocar a par de tudo 

PEDRO           que bom. E a Petra, minha filhota? Como ela está?

NATHI            está bem, agora, neste exato momento, ela está na creche 

SAMUEL        ela sentiu muita sua falta…

PEDRO           imagino! Eu e ela somos muito apegados 

NATHI            bem. Vou deixá-los a sós. Vou tomar um suco, já estou de volta. Cuidem-se! 

PEDRO           enfim, sós. Me conta quero saber de todos os acontecimentos. Tudo que ocorrera em minha ausência. Vamos lá. Estou pronto!

SAMUEL        creio que não seja o momento adequado para falarmos de problemas. Talvez…

PEDRO           por favor! Eu quero saber 

SAMUEL        tudo bem. A Lídia fugiu da cadeia. Alguns capangas invadiram a delegacia e a resgataram. Com certeza, foram os capangas do Lobão, meu irmão. Descobri que eles estão juntos 

PEDRO           droga! Isso não podia ter acontecido 

SAMUEL        infelizmente aconteceu. Agora, ela está por aí, livre…

PEDRO           não vejo a hora de sair daqui. Está aqui, nessa cama é estafante 

SAMUEL        tenta não pensar em trabalho agora, por favor, você tem que se recuperar logo! O Alan, seu colega, já está cuidando desse caso… fica tranquilo. Aliás, mais tarde ele dará uma passada por aqui, eu liguei e informei de sua melhora para ele 

PEDRO           ótimo. Assim, eu o questiono as quantas andam as investigações. O que mais aconteceu na minha ausência?

SAMUEL        de relevante, só isso. Nada mais

PEDRO           tudo bem.

SAMUEL        vê se descansa, tá? (BEIJA-O) Vou lá ter com sua irmã. Fica bem! 

E SAI. PEDRO FICA ALI, PENSATIVO 

CORTE PARA 

CENA 5. DELEGACIA. SALÃO. INTERIOR. DIA 

ALAN E MARIO, TOMANDO UM CAFEZINHO 

MARIO           como é bom esse cafezinho…! 

ALAN               é, ótimo… 

MARIO           que foi, hein? estou te achando meio cabreira, desanimado… já sei até o motivo: delegado carrasco. Acertei?

ALAN              esse cara consegue me tirar do sério, men. Eu, hein. Parece que tem o dom de me irritar 

MARIO           definitivamente ele não foi com a tua cara. Não mesmo!

ALAN              ele é um idiota, isso sim. Mal amado. Nojento, arrogante… ah! e mais, ele é um prepotente 

DAVID APARECE POR TRÁS DE ALAN. MARIO PERCEBE 

MARIO           ih, ferrou! 

ALAN              não… mas é isso que ele é, um frustrado!

DAVID            belos adjetivos, agente! 

ALAN REAGE ASSUSTADO 

MARIO           olha, delegado…

DAVID            mantenha-se em silêncio, agente. Fale apenas ao ser permitido

MARIO           ok. Calei…!

ALAN              isso é jeito de falar com uma pessoa? 

DAVID            vais ensinar-me agora a como falar com as pessoas? (ARQUEIA UMA DAS SOBRANCELHAS) eu falo do jeito que eu quiser! Está achando ruim? É só pedir demissão!

ALAN              não! De forma alguma eu vou te dar esse gosto. Não mesmo. isso é feio, sabia? tratar uma pessoa dessa forma; abrupta, é imoral. Antiético. Devias ter mais empatia. Vamos, Mario, pois temos muito trabalho a fazer. Fica aí, aproveita e toma um café, doce de preferência, pra adoçar essa tua vida amarga! Com licença!

DAVID            não vais, não. Pode ir, agente Mario. Tu ficas! 

MARIO           tudo bem… com licença! (SAI) 

ALAN              fala, estou cheio de coisas pra fazer 

DAVID            minha sala… agora! 

ALAN              não tenho tempo a perder

VIRA-SE PRA SAIR. DAVID O SEGURA PELO BRAÇO, FORTE 

DAVID            eu não estou pedindo, estou mandando!

ALAN              me solta! (SE SOLTA DE SUAS MÃOS) idiota!

DAVID            és muito audacioso. Quem tu pensas que é pra falar e agir desta maneira comigo, moleque? 

ALAN SE APROXIMA, FICA CARA A CARA COM ELE… ROSTOS BEM PRÓXIMOS, BOCAS TAMBÉM

ALAN              que foi? Vais me bater? 

DAVID            queres que eu te bata? Hum? Posso te bater. Mas… Com outra coisa, assim, bem nessa tua cara. Quer?

ALAN              eu quero… que tu vás se ferrar! 

E SAI, O DEIXANDO ALI SOZINHO 

DAVID            ele está afiado, mais que nunca!

ALAN CHEGA ATÉ SUA MESA. PEGA SUA BOLSA, CARTEIRA, CHAVES E VAI INDO PRO ELEVADOR. MARIO O ACOMPANHA JÁ FALANDO 

MARIO           vais sair?

ALAN              vou ver o Pedro. Menino, nem te falei, esqueci. Ele saiu do coma. Estou indo dá um pulo lá, segue o baile aqui, qualquer coisa me liga. Beleza? Valeu! 

E ENTRA NO ELEVADOR 

MARIO            aí? Obrigado por ter me defendido!

ALAN              que nada…! Tchau!  

PORTAS FECHAM. DAVID CORRE PARA PEGAR O ELEVADOR E ACABA O PERDENDO 

DAVID            droga! Agora vamos de escada, David 

CORTE RÁPIDO 

CENA 6. ESTACIONAMENTO. INTERIOR. DIA 

ALAN CHEGA AO ESTACIONAMENTO NO SUBSOLO, CAMINHA DENTRE AS FILEIRAS DE CARRO QUE ALI ESTÃO. CAMINHA ATÉ SEU CARRO, ONDE O DESTRAVA. UM MOTOQUEIRO SURGE DE TRÁS DOS CARROS. TODO DE PRETO, COM UM CAPACETE E MASCARAS PRA DIFICULTAR SUA IDENTIFICAÇÃO. PARA NUMA DETERMINADA DISTANCIA DE ALAN, MIRA COM UMA PISTOLA EM SUA DIREÇÃO. ASSUSTADO, ALAN IMPLORA POR SUA VIDA. DAVID CHEGA AO ESTACIONAMENTO E VER A CENA

ALAN              quem é você? Por favor, não me mate! 

O ASSASSINO SEM PESTANEJAR ATIRA CONTRA ALAN. UM DISPARO! PÁ! OUVE-SE APENAS O GRITO DE DAVID QUE ECOA NO ESTACIONAMENTO 

DAVID            NÃO! 

CORTE PARA 

FINAL DO CAPÍTULO.

Atenção: A Widcyber tem a autorização do autor para publicar este conteúdo.

cropped-wid-1.png

NAVEGAR

>
error: Este conteúdo é protegido! A cópia deste conteúdo não é autorizada em virtude da preservação de direitos autorais.
Rolar para o topo