Destiinos Cruzados
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

DESTINOS CRUZADOS

NOVELA DE

UELITON ABBREU

ESCRITA POR

UELITON ABREU

CENA. 1. QUARTO DE HOTEL. INT. NOITE 

CONTINUAÇAO DA ÚLTIMA CENA 

CÉSAR                 você não podia ter feito aquilo, cara. Era uma vida que você tirou! Um bebê que não tinha nada a ver com os atos e atitudes da mãe 

HUGO                  vem cá, por que cê defende tanto ela, hein? Gosta dela, é isso? Que foi a cura gay realmente existe e te curou? Fala cara! 

CÉSAR                 vai se ferrar! Ela é minha amiga. Tu tens amigos, sabe do que eu estou falando dessa lealdade, cumplicidade que verdadeiros amigos têm uns com outros 

HUGO                  sei, sei sim. Tive muitos amigos. Mas ela não, ela me apunhalou pelas costas. Mentiu pra mim. Até me trai ela me traiu. Tem mais que sofrer. Minha vingança vai ser lenta e dolorosa 

CÉSAR CAMINHA ATÉ ELE, BEM PRÓXIMO, O OLHA NOS OLHOS 

CÉSAR                 é realmente essa tua falsa morte, te deixou fascinado por vingança. Cuidado! O feitiço pode virar contra o feiticeiro. Um aviso. Não mexe com ela ou você terá problemas comigo!

HUGO                  está me ameaçando?! 

CÉSAR                 não! Só um aviso de amigo. Amigo esse que te ajudou e agora, está sendo jogado pra escanteio 

HUGO                  eu… Não esqueci o que cê fez por mim, cara. Relaxa! Eu sei reconhecer quem realmente me ajuda, apesar de você ter provocado àquela falsa morte. Mas agora, eu te quero fora da jogada! Esse assunto é entre mim e aquela piranha. Apenas. Por isso. Eu te peço fica fora dessa jogada 

CÉSAR                 não vou te prometer nada! Bom, acho melhor eu ir. Até mais 

HUGO                  vai! Até mais… 

CÉSAR SAI. HUGO PERMANECE PARADO DE BRAÇOS CRUZADOS, PENSATIVO

CORTE PARA 

CENA. 2. DELEGACIA. SALA DE INTERROGATÓRIO. INT. NOITE 

PEDRO E ALAN DIANTE DE PAREDE 

PEDO                   quem diria delegado. O senhor metido com tráfico. Só que a casa caiu e nós, nós te pegamos. Sua situação está bem feia, viu. Corrupção, tráfico e até uma acusação de estupro. Roberval! Esse é seu verdadeiro nome, não é? Já descobrimos. Aliás, o Alan, o policial gay, que você achava que não podia atuar aqui nessa delegacia, que descobriu, anos e anos de investigação; tudo no maior sigilo e discrição. Sem levantar bandeira 

PAREDE             não sei do que vocês estão falando! Eu exijo presença do meu advogado. Só me pronunciarei em sua presença

ALAN                   ele já deve estar a caminho. Mas eu acho muito difícil você se livrar da cadeia. Não tem advogado que te inocente, Roberval. Desencana. Abre logo o jogo. Tu estás metido com o Lobão, não está? Sei que está. Fala porra! 

PAREDE             não vou falar nada!

ALAN                   tudo bem! Levem ele daqui. Agora! antes que eu não o soque aqui…

PEDRO                assim que teu advogado der as caras, te buscamos 

PAREDE É LEVADO POR DOIS POLICIAIS ATÉ UMA CELA 

CORTE PARA 

CENA. 3. STOCK-SHOTS. AMANHECER. EXT. DIA 

CENA. 4. CASA DE SAMUEL. FRENTE. EXT. DIA 

HUGO DE TOCAIA DENTRO DE SEU CARRO. AVISTA A SAÍDA DE SAMUEL. ESTE ENTÃO SALTA DO VEÍCULO E VAI AVANÇANDO RUMO A CASA. TOCA A CAMPAINHA

CORTE PARA 

CENA. 5. CASA DE SAMUEL. INT. DIA 

ROSA ABRINDO A PORTA. REAÇÃO DELA AO SE DEPARAR COM HUGO 

ROSA                   (ESPANTO) menino, está fazendo o quê aqui? O Samu… 

HUGO                  ele saiu, eu vi. Fica tranquila. Relaxa. Ninguém me viu aqui. Precisamos conversar 

ROSA                   claro! Entra 

HUGO ADENTRA A AGUARDA FECHAR A PORTA 

HUGO                  podemos sentar. Aqui?  

ROSA                   sim. Quer tomar alguma coisa. Água, suco, café…?

OS DOIS SENTAM NO SOFÁ 

HUGO                  não, obrigado. Tô Bem 

ROSA                   então, o que quer falar comigo, Hugo? Achei que era apenas pra nos encontramos no hotel, como da outra vez que você me salvou

HUGO                  mudei de ideia. Eu quero que você continue como está, vigiando o Lobo, fique atenta a todos seus passos. Ele não é essa pessoa boa que ele diz ser. Foi ele que atentou contra minha vida e inclusive, contra a sua, lembra? Aquele dia no cemitério quando ele te empurrou… 

ROSA                   esse dia nunca sairá da minha memória. Nunca. Inclusive, daquele amigo dele que queria me desovar em um lugar qualquer. Agradeço-te muito, por ter me resgatado daquele lugar 

HUGO                  fiz porque tenho uma enorme consideração pelo seu filho. Ele é como um irmão pra mim 

ROSA                   e vem cá, como você se salvou daquele acidente? 

HUGO                  foi bastante complicado. Aquele capanga dele atirou contra os pneus do meu carro que logo perdi o controle e capotei diversas vezes na pista. Sorte é que estava sem cinto e consegui pular a tempo, me lasquei todo, nesse pulo. Fiquei todo quebrado, arranhado. Passei dias sobre uma cama, me recuperando 

ROSA                   imagino que deva ter sido difícil mesmo ficar sozinho, todo Machucado 

HUGO                  mas eu não fiquei

ROSA                   não. Quem te ajudou? 

HUGO                  o próprio Cesar, o que atirou contra mim. Ele cuidou de mim esse tempo todo, ele quem me dava os remédios e comida. Ficava ali sempre atento a cuidar de mim 

ROSA                   eu não estou entendendo mais nada, mas não foi ele que atentou contra sua vida? 

HUGO                  sim, mas a mando do Lobo. Ele se arrependeu, sei lá. O que importa é que ele me ajudou e estou aqui pronto pra fazer justiça por mim e por você 

ROSA                   vá com calma, meu filho. Não é com o mal que a gente paga o mal. Pense bem antes de tomar qualquer atitude. Não se precipite.  E conte comigo pra fazer justiça, mas a justiça certa, não a com as mãos porque com essa não chegaremos a lugar nenhum 

HUGO                  justiça, essa do Brasil? Não! prefiro a minha. É mais rápida e não tem falhas 

ROSA                   você que sabe. Bom, creio que seja melhor você ir, o Samu já deve estar a voltar 

HUGO                  tem razão. Qualquer coisa te ligo! 

ROSA O LEVA A PORTA. SE DESPEDEM COM UM ABRAÇO. E ESTE VAI SE EMBORA 

CORTE PARA 

CENA. 6. RODOVIARIA. INT. DIA 

FABIO SENTADO NUM BANCO A MEXER NO CELULAR. NA TELA, FOTOS DE CÉSAR. FABIO ENTÃO DECIDE DELETA-LAS. E ASSIM FAZ. SEU ÔNIUS SE APROXIMA. ELE GUARDA SEU CELULAR NO BOLSO. LEVANTA. PEGA SUA MOCHILA NO CHÃO E PÕE NAS COSTAS E SEGUE PARA A ENTRADA DO ÔNIBUS. JÁ NA ENTRADA, FABIO PARA OLHA PRA TRÁS E DIZ A SI MESMO: 

FABIO                  adeus! que comece uma nova vida! 

E ENTRA NO ÔNIBUS QUE PARTE 

CORTE PARA 

CENA. 7. HOSPITAL. QUARTO. INT. DIA 

LEONARDO AO LADO DE LUIZA. ALAN ENTRA  

ALAN                   olá, gente. Queria ter vindo antes, só que tive um trabalho aí, com a polícia, e só agora tive um tempinho pra vir aqui 

LUIZA                  não se desculpe. Sabemos que deva ser importante seu trabalho. Eu fico feliz que tenha vindo me vê. Obrigada! 

LEONARDO LEVANTA-SE DA CAMA, VAI ATÉ ELE

LEO                      (ABRAÇO) obrigado, amigo, pelo seu apoio! 

ALAN                   que isso. Imagina! 

LUIZA                  eu… Eu queria pedir algo a vocês… (TOSSE) 

ALAN                   não se esforce, amiga! descanse… 

LUIZA                  não. Eu preciso falar… Se caso eu venha a morrer, que eu sei que isso irá acontecer mais cedo ou mais tarde, quero que vocês me prometam algo…

ALAN                   e o que seria? 

LUIZA                  eu quero que vocês fiquem juntos, que cuidem um do outro, que se amem, sejam felizes… 

LEO                      meu amor, eu não estou lhe entendendo… 

LUIZA                  vocês se combinam, eu sinto isso… Eu quero que me prometam isso: que irão ficar juntos após minha partida. Eu voz abençoo. Deem-me suas mãos, por favor… 

ALAN E LEONARDO DÃO SUAS MÃOS A ELA, QUE AS COLOCA UMA SOBRE A OUTRA, E EM SEGUIDA PÕE EM SEU PEITO 

LEO                      (CHORA) você não vai morrer!

LUIZA                  sejam felizes, que amor de vocês consiga superar todas as barreiras que existem nesse mundo. (EMOCIONADA) Eu estou indo, mas estou deixando o meu amor com vocês, que vocês possam me levar sempre dentro dos corações. Leo, meu amor, eu te amo e sempre te amarei, não se esqueça de mim, viu, e me desculpe qualquer coisa. Eu dei meu máximo pra te fazer feliz… Adeus… 

LUIZA DÁ UM ÚLTIMO SUSPIRO E MORRE

ALAN, COMPLETAMENTE EMOCIONADO. LEONARDO SE APROXIMA DELA A REMEXE NO LEITO 

LEO                      ei, meu amor, acorda! Não me deixa, por favor! Não, não vá… 

ALAN                   sinto muito, amigo! Meus sentimentos… 

LEONARDO VOLTA-SE A ELE E O ABRAÇA FORTE

NA TRISTEZA DELE 

CORTE PARA

CENA. 8. HOSPITAL. CONSULTÓRIO. INT. DIA 

FELIPE FAZENDO ALGUMAS ANOTAÇÕES. ALGUÉM BATE À PORTA 

PEDRO                você tá podendo falar? Tem um tempinho? 

FELIPE                claro! Fique à vontade. Já o aguardava, mesmo… 

OS DOIS SE CUMPRIMENTAM COM UM APERTO DE MÃOS 

FELIPE                o que te traz de volta até aqui, meu caro?

PEDRO                você estava certo… 

FELIPE                estava

PEDRO                quando disse que eu poderia estar apaixonado pelo Samuel. Pois é. Eu estou. Aquele jeito dele, arrogância, afronte… Faz-me gostar, me atrair por ele, como pode ser eu nunca… nunca fiquei com homem algum 

FELIPE                e agora que sabe que é apaixonado por ele, o que pretende fazer? Hum? Vai reprimir esse sentimento que sente por ele, ou vai arriscar… arriscar a ser feliz ao lado de quem realmente se gosta?

PEDRO                não sei! eu… eu namoro a Lídia, ela vai ter um filho meu, tal, não posso fazer isso, jogar tudo pro ar. Eu acho que fico a 1ª opção  

FELIPE                cê acha que um filho é impedimento para ser feliz, Pedro? Nunca foi, nem nunca será. Veja eu, tenho um filho, vivo numa boa com a mãe dele, e tenho um namorado, que por sua vez, dar-se muito bem com ele 

PEDRO                cara, não sei! tô confuso. Preciso refletir sobre tudo isso, sabe. Essa descoberta da minha sexualidade é muita coisa pra ser digerida 

FELIPE                só toma cuidado pra não ser tarde demais, quando tomares a decisão que pretende tomar 

PEDRO                bem, deixa eu ir, que ainda tenho que voltar para delegacia. Obrigado por me ouvir, cara 

FELIPE                disponha 

PEDRO SAI. FELIPE PARTE PARA ALGUMAS ANOTAÇÕES

CORTE PARA 

CENA. 9. STOCK-SHOTS. ANOITECER. EXT. NOITE 

CENA. 10. MANSÃO. SALA. INT. NOITE 

ÁTILA NO SOFÁ. LÊ ALGO EM SEU IPAD. BRUNO VEM COM CAIO 

CAIO                    olá, pai. Eu e o Bruno iremos jantar em um restaurante com o Samuel e uma amiga dele 

ÁTILA                  ok, filho. Tomem cuidado! 

BRUNO               pode deixar que eu cuido bem do seu filho, Sr. Átila. 

ÁTILA                  faça isso, por favor 

BRUNO               Vamos, Caio? 

CAIO                    bora. Boa noite!

ÁTILA                  boa noite! 

BRUNO O EMPURRA NA CADEIRA DE RODAS RUMO À SAÍDA

SAFIRA VEM DESCENDO AS ESCADAS TODOS DESLUMBRANTE E PERFUMADA 

SAFIRA               irei me encontrar com algumas amigas. Não que eu te deva satisfação, mas é sempre bom manter-te informado. Tchauzinho, querido 

E SAI PRA RUA. ÁTILA VOLTA A SUA LEITURA 

CORTE PARA 

CENA. 11. CASA DE SAMUEL. INT. NOITE 

NA PORTA, SAMUEL E ROSA. O PRIMEIRO JÁ DE SAÍDA 

ROSA                   que bom que vocês estejam se dando bem. Fico muito feliz. Vai lá. Bom jantar. divirtam-se 

SAMUEL             obrigado, mãe. Beijo! Nathi já está me aguardando aqui fora. Tchau 

SAMUEL SAI. ROSA O OBSERVA ENTRAR NO CARRO. QUE SAI EM SEGUIDA. ROSA SENTE UM ANGÚSTIA REPENTINA. UMA SENSAÇÃO DE QUE ALGO ESTÁ PRESTES A ACONTECER. CLIMA DE TENSÃO 

CORTE PARA 

CENA. 12. BARRACO DE CÉSAR. INT. NOITE 

LOBÃO ENTRA. BUSCA POR CÉSAR. NÃO O ENCONTRA 

LOBÃO                onde será que ele está? 

NO SUSPENSE

CORTE RÁPIDO 

CENA. 13. QUARTO DE HOTEL. INT. NOITE

HUGO VINDO DO INTERIOR DO QUARTO. PEGA SUA CARTEIRA, CHAVES DO CARRO NUM CÔMODO E SAI PRA RUA, APRESSADAMENTE 

CORTE PARA 

CENA. 14. HOSPITAL. QUARTO. INT. NOITE 

ENFERMEIRO ENTRA COM O JANTAR DE LÍDIA. NÃO A ENCONTRA NO QUARTO 

ENFERMEIRO   eu, hein! Que louco. Ela não está aqui 

ENFERMEIRO DEIXA A BANDEJA ALI E SAI DO QUARTO 

CORTE PARA 

CENA. 15. MANGUEZAL. ENTRADA. EXT. NOITE 

LOBÃO VEM AVANÇANDO EM DIREÇÃO AO SEU CARRO. DESTRANCA. ENTRA E SAI DALI CATANDO PNEU 

CORTE PARA 

CENA. 16. DELEGACIA. SALA DE PEDRO. INT. NOITE

AGENTE BATE À PORTA AO ENTRAR. A SALA ESTÁ VAZIA. ELA SAI 

CORTE RÁPIDO 

CENA. 17. DELEGACIA. SALÃO. INT. NOITE 

AGENTE VINDO DA SALA DE PEDRO. QUESTIONA UM OUTRO COLEGA 

AGENTE             vem cá, você viu se o Pedro saiu? 

PM                        saiu, disse que ia lanchar numa padaria 

AGENTE             assim que ele voltar me avisa

VOLTA PRO SEU POSTO

CORTE PARA 

CENA. 18. RESTAURANTE. SALÃO. INT. NOITE 

SAMUEL, CAIO, BRUNO E NATHI À MESA. CLIMA DE DESCONTRAÇÃO. CONVERSA FORA DE ÁUDIO. RISADAS. CLIMA ALEGRE. TEMPO 

CORTE PARA 

CENA. 19. CASA DE SAMUEL. COZINHA. INT. NOITE 

ABRE EM ROSA LAVANDO LOUÇA. CANTAROLA. BARULHO DE ALGO CAINDO NA SALA. ELA SE ASSUSTA. JÁ EM ALERTA, ELA PARA O QUE ESTÁ A FAZER. SECA SUAS MÃOS NO PANO DE PRATO E MESMO COM MEDO E RECEIO SEGUE RUMO À SALA. CLIMA DE SUSPENSE 

CORTE RÁPIDO

CENA. 20. CASA DE SAMUEL. SALA. INT. NOITE 

ROSA VINDO DA COZINHA. VÊ NO CHÃO UM PORTA RETRATO. SE APROXIMA PEGA O OBJETO. UMA FOTO SUA COM SAMUEL. COM A QUEDA SEU VIDRO RACHOU-SE. ELA SE VIRA E É SURPREENDIDA COM VÁRIOS GOLPES DE FACA EM SEU PEITO. CLIMA DE TENSÃO. JATOS DE SANGUE PARA TODOS OS LADOS. OLHAR DE ROSA FIXO AO DO ASSASSINO. CAI MORTA ALI NO CHÃO. O ASSASSINO VAI EMBORA  

CORTE PARA 

CENA. 21. RESTAURANTE. SALÃO. INT. NOITE 

ABRE EM SAMUEL COM UM MAU PRESSENTIMENTO 

NATHI                 Samuel, você tá bem? 

CAIO                    é cara, você ficou pálido de repente… tá tudo bem? 

SAMUEL             não sei… me deu uma pontada aqui no peito. Eu preciso ir embora, gente. Vamos, amiga? 

NATHI                 vamos, vamos sim!  

CAIO                    vão lá. Se cuidem! Assim que você tiver em casa me liga avisando, tá? 

SAMUEL             ligo, ligo sim… 

BRUNO               melhoras aí pra ti, mano! 

SAMUEL             valeu, Bruno! 

NATHI                 é isso aí, gente! Vamos, Samu! 

OS DOIS VÃO EMBORA 

CORTE PARA 

CENA. 22. CASA DE SAMUEL. INT. NOITE 

NATHI E SAMUEL ENTRANDO. O SEGUNDO DEPARA-SE COM O CORPO DA MÃE SEM VIDA NO CHÃO ENVOLTO DE UMA POÇA DE SANGUE 

SAMUEL             mãe… (BERRA) nãooooooooooo!

NATHI                 (CHOQUE) meu deus! 

REAÇÕES

CORTE PARA 

FINAL DO CAPÍTULO

Atenção: A Widcyber tem a autorização do autor para publicar este conteúdo.

cropped-wid-1.png

NAVEGAR

>
error: Este conteúdo é protegido! A cópia deste conteúdo não é autorizada em virtude da preservação de direitos autorais.
Rolar para o topo