Destiinos Cruzados
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

DESTINOS CRUZADOS

NOVELA DE

UELITON ABREU

ESCRITA POR

Ueliton Abreu

DIREÇÃO DE NÚCLEO

Anderson Silva

CENA 1. CASA SORAIA. INTERIOR. DIA – FINAL DE TARDE 

DOROTEIA, UMA VIZINHA, ENTRA. DÁ-SE COM ADOLFO E SORAIA NO CHÃO MORTOS. FICA EM CHOQUE POR ALGUNS INSTANTES. LOGO DEPOIS PEGA SEU CELULAR E ACIONA A POLÍCIA. CORTE DESCONTÍNUO: PERITOS E POLICIAIS TRABALHANDO NO LOCAL 

DAVID            averiguem todo o local, agentes. Qualquer vestígio de arrombamento, roubo, algo assim… a senhora como chama? 

DOROTÉIA     Dorotéia, delegado. Sou bastante Amiga do casal em questão. hoje mesmo pela manhã vim visitá-los e eles estavam ótimos, não sei como isso pode ter acontecido!

MARIO SE APROXIMA 

MARIO           nenhum sinal de arrombamento, delegado! 

ALAN VEM DA COZINHA 

ALAN              eles foram assassinados! Mario, esses não são os pais da Alicia? 

MARIO           são eles mesmo, mano! 

ALAN              essas xícaras no chão estilhaçadas, com certeza, ele foi assassinado primeiro e quando vinha da cozinha, ela fora surpreendida e morta em seguida, isso foi queima de arquivo! O assassino misterioso, foi ele! 

MARIO           e você acha que esse assassino possa ser a Alicia? É isso? 

ALAN              talvez, por que não? 

DAVID            impossível! 

MARIO E ALAN REAGEM ENCARANDO DAVID 

ALAN              como assim impossível, delegado? 

DAVID            esse assassino não é a Alicia! Ela está morta, eles, seus pais quando foram na delegacia garantiram isso! Para de ficar criando teorias, agente! 

ALAN              por acaso tu sabes quem é esse assassino? Não, porque tu falas com uma convicção, que parece até que já sabe de quem se trata esse matador em série! 

DAVID            eu não sei! assim como vocês também não sabem, e nem por isso eu fico conspirando teorias incertas! Nosso trabalho por aqui está encerrado. Agora, deixem os peritos trabalharem! 

ALAN              tudo bem!

DAVID SE AFASTA, VAI CONVERSAR COM O CHEFE DOS PERITOS. ALAN E MARIO O OBSERVAM DE CANTO

MARIO           estranho não achas? essa certeza de que a Alicia está morta, sendo que as nossas investigações apontam que ela realmente possa estar viva, por aí

ALAN              estranho, não. Além. Ele está sabendo de alguma coisa. Isso é fato!

MARIO           será?

ALAN              a gente vai descobrir. Vamos! 

E VÃO EMBORA 

CORTE PARA 

CENA 2. STOCK-SHOTS. EXTERIOR. DIA. NOITE 

CENA 3. APART PEDRO. INTERIOR. NOITE 

PEDRO E SAMUEL CHEGANDO. ESTRANHAM A AUSÊNCIA DE NATHI. BUSCAM POR ELA EM TODOS OS CÔMODOS. NÃO A ENCONTRAM

CORTE PARA 

CENA 4. APART PEDRO. COZINHA. INTERIOR. NOITE 

SAMUEL JÁ POR ALI. PEDRO ENTRA 

SAMUEL        nenhum sinal dela? 

PEDRO           nenhum! (PREOCUPADO) onde será que essa garota se meteu?

SAMUEL        gente… tenta o celular dela. Quem sabe ela possa ter saído!

PEDRO           verdade! 

PEDRO PEGA O CELULAR. LIGA PRA IRMÃ. CÂM NO CELULAR EM CIMA DA MESA VIBRANDO 

SAMUEL        estranho, ela não desgruda do celular. Pedro, aconteceu alguma coisa!

PEDRO           calma. Não podemos nos desesperar! 

SAMUEL        ela estava aqui, olha, as louças, ela estava lavando… Esse chão… está molhado… (OBSERVA TODO O CHÃO EM BUSCA DE ALGO, ATÉ QUE AVISTA UMA XÍCARA QUEBRADA ABAIXO DO BALCÃO) essa xícara! (PEGA O OBJETO QUEBRADO E O MOSTRA) 

PEDRO           alguém teve aqui e a atacou!

SAMUEL        meu Deus! Ela precisa da gente, Pedro. Você… acha que foi o assassino que a atacou? 

PEDRO           não! Temos que ser otimistas! vamos orar pra que isso não tenha acontecido, não com ela 

ABRAÇA-O, FORTE. ASSUSTADO E PREOCUPADO 

SAMUEL        temos que ligar pra polícia!

PEDRO           eles não vão poder fazer nada, não antes das 48 horas, que é o momento em que se pode abrir um B.O. E eu não vou esperar esse tempo todo. Tenho que fazer algo, por conta própria. E se realmente foi um sequestro, se, eles vão ligar pra pedir resgate!

SAMUEL        então, o que nos resta é apenas esperar! Espero que ela esteja bem, e que eles não a machuquem 

PEDRO           infelizmente!

CORTE PARA 

CENA 5. STOCK-SHOTS. EXTERIOR. NOITE. DIA 

CENA 6. STOCK-SHOTS. MATA. EXTERIOR. NOITE 

CLIMA DE TENSÃO 

CENA 7. CASEBRE. INTERIOR. DIA 

NATHI SENTADA A UMA CADEIRA, AMARRADA DOS PÉS AS MÃOS E AMORDAÇADA. ESTÁ INCONSCIENTE. HUGO ALI DE FRENTE PRA ELA, COM UMA ARMA EM PUNHO. INSTANTES. NATHI LENTAMENTE VAI DESPERTANDO. ABRE NO PV DELA: VISÃO TURVA. TENTA RECONHECER O AMBIENTE. DEBATE-SE. NOTA ESTAR PRESA NA CADEIRA 

NATHI            uhm! uhm! 

HUGO             vai adiantar de nada, se debater e tentar gritar… Ninguém vai te ouvir! Aqui, trouxe teu café da manhã 

PEGA UM SANDUÍCHE E UMA CAIXINHA DE SUCO DE CIMA DE UMA MESA VELHA, SUJA DE POEIRA E FOLHAS DE ÁRVORES

HUGO             ó, eu vou tirar a mordaça, mas nem tente gritar, se não, eu mato-te! 

ELE SE APROXIMA E A DESAMORDAÇA

NATHI            desgraçado! Eu odeio-te! (COSPE NO ROSTO DELE) Eu odeio-te. (GRITA) Socorro! Socorro! 

HUGO             uhm! Vaca! (DÁ-LHE UMA BOFETADA) Cachorra! Isso é pra tu aprender! Vagabunda. (ENFURECIDO) Agora, só por esse desaforo, vai ficar sem o café da manhã! (PÕE A AMORDAÇA DE VOLTA) 

LÁGRIMAS ESCORREM PELO ROSTO DE NATHI. UMA MARCA VERMELHA SE INSTALARA EM SEU ROSTO 

HUGO             isso chora, chora! Que essas lágrimas de piranha não me comovem! Fica aí, tá, pianinha. Eu vou dá uma saída. Vou atrás do que é meu por direito: O Samuel. E a senhora, não vai mais me atrapalhar, uma pena, não é, queriida? Tchau (SAI) 

CORTE PARA 

CENA 8. GALPÃO. INTERIOR. DIA 

CÉSAR ALI FAZENDO A CONTAGEM DO DINHEIRO. LOBÃO À ESPREITA. CÉSAR VERIFICA SE NÃO VEM NINGUÉM. E SÓ ENTÃO TIRA ALGUM DINHEIRO PRA SI ESCONDIDO E GUARDA NO BOLSO. LOBÃO VIU A CENA, MAS NÃO DESMONSTROU NENHUMA REAÇÃO. FINGE NATURALIDADE E ENTRA 

LOBÃO           tudo certo por aí, César?

CÉSAR            ah, oi, tudo sim, chefe. Já até terminei aqui a contagem dos lucros 

LOBÃO           ótimo. Excelente trabalho! 

CÉSAR            obrigado. Quê que foi? Por que me olhas assim, tão compenetrado? 

LOBÃO VAI SE APROXIMANDO À MEDIDA QUE VAI FALANDO 

LOBÃO           só observando sua beleza. O quanto é lindo, é parceiro… 

CÉSAR            modéstia à parte, isso eu só mesmo! 

LOBÃO           além de tudo é um convencido!

CÉSAR            sempre! 

LOBÃO O BEIJA, DE OLHOS ABERTOS, COM NOJO, POIS É PERCEPTÍVEL EM SEU ROSTO. ELES SE AFASTAM 

LOBÃO           posso fazer-te uma pergunta? 

CÉSAR            faça

LOBÃO           a Lídia, ela nunca mais o procurou? Tens noticia dela? 

CÉSAR            não! Por acaso não! Ela deve ter sumido, a vadia

LOBÃO           uhm! Enfim. Era isso. Obrigado!

CÉSAR            de nada. Bom, tenho que dá uma saída agora! Vai precisar de mim nas próximas horas?

LOBÃO           não! Vai, pode ir…

CÉSAR            qualquer coisa, me liga! 

DESPEDE-SE COM UM BEIJINHO E SAI 

LOBÃO           é, vamos ver pra onde cê vai, de fato! 

LOBÃO VAI ATRÁS 

CORTE PARA 

CENA 9. CONDOMINIO. FRENTE. EXTERIOR. DIA 

CÉSAR E LÍDIA. LOBÃO OS OBSERVA DE DENTRO DO CARRO 

CÉSAR            (ENTREGA-LHE UM PACOTE) aqui, toma sua grana! 

LÍDIA              (GRITINHO) Ah! (RECEBE) Obrigado, fofes 

CÉSAR            nada! Vê se não gasta tudo, tá. Tenho que ir, não posso levantar bandeira. O idiota lá já está suspeitando (VAI SAINDO) 

LÍDIA              (CHAMA ATENÇÃO) ei, meu beijo?

CÉSAR            vem buscar! 

LÍDIA VAI ATÉ ELE E O BEIJA. CORTE PRA REAÇÃO DE LOBÃO QUE FICA EM CHOQUE COM O QUE VER. FURIOSO, PEGA SUA ARMA. FAZ MENÇÃO EM DESCER, PORÉM HESITA. ELE RESPIRA FUNDO 

LOBÃO           ok. Tudo bem. Eles querem jogar? Então, vamos jogar!

ELE LIGA O CARRO E VAI EMBORA DALI

CORTE PARA 

CENA 10. MANSÃO. SPA. INTERIOR. DIA 

CAIO DE PÉ, JÁ DANDO SEUS PRIMEIROS PASSOS. SOB A SUPERVISÃO DE SEU FISIOTERAPEUTA 

CAIO               (FELIZ) Patrick, eu estou andando, Patrick!

PATRICK        você está! 

CAIO               só que eu tenho que pedir-te algo. Quero que o Bruno não saiba disso! 

PATRICK        ué, por quê? 

CAIO               calma. É por uma boa causa. Quero fazer uma surpresa pra ele, no dia do casamento! Aliás, você está mais que convidado pra cerimônia

PATRICK        ah, bom. Se for pra uma boa causa, vale. Enquanto ao seu convite, sim, eu irei com muito prazer! 

CAIO               ótimo. Agora, continuemos, pois estou… radiante. Eu estou andando… 

PATRICK        Ok. Vamos lá… Força…

CONTINUAM A SESSÃO 

CORTE PARA 

CENA 11. MANSÃO. INTERIOR. DIA 

SAFIRA ENTRANDO EM CASA, COM SACOLAS DE COMPRAS. AS DEIXA SOBRE O SOFÁ E SEGUE PRA COZINHA 

CORTE PARA 

CENA 12. MANSÃO. COZINHA. INTERIOR. DIA 

SAFIRA VEM ENTRANDO. VAI À GELADEIRA. TOMA UMA ÁGUA. OUVE ALGUÉM CHAMAR SEU NOME. VOZ COM RUÍDOS QUE ECOA NA COZINHA 

SAFIRA          quem tai? 

OLHA TUDO EM VOLTA, NÃO HÁ NINGUÉM. VIRA-SE PRA SAIR E DEPARA-SE COM O ESPIRITO DE ÁTILA NA ENTRADA DA COZINHA, A OBSERVANDO, SORRIDENTE. O COPO QUE ESTÁ EM SUAS MÃOS CAI E SE ESPATIFA NO CHÃO 

SAFIRA          (GRITA) ah! Sai, sai daqui! 

E SAI CORRENDO PRA SALA 

CORTE RÁPIDO 

CENA 13. MANSÃO. INTERIOR. DIA 

SAFIRA VINDO DA COZINHA, OFEGANTE 

SAFIRA          eu devo estar pirando, só pode. Fantasmas não existem, sua idiota! melhor eu subir e tomar um bom-banho! E claro, provar essas lindezas de roupas 

PEGA AS SACOLAS DE COMPRAS E SOBE PRO QUARTO 

CORTE PARA 

CENA 14. CAFETERIA. INTERIOR. DIA 

PEDRO, SAMUEL E HUGO 

PEDRO           já não sei mais o que fazer! eu não consigo encontrar minha irmã em lugar nenhum! e o pior é que eu não sei se ela está bem, se ta viva, morta… Ah! como dói não poder fazer nada! 

SAMUEL        temos que ter esperanças! ela… eu sinto que ela está viva 

HUGO             é, o Samuel tem razão, notícias ruins chegam rápido. Ela deve estar bem! 

PEDRO           (ENCARA) como você sabe? 

HUGO             não, não eu não sei, cara. Só é uma dedução! Só quero aqui, que saibam que vocês podem contar comigo pra o que precisarem, tá bom?

SAMUEL        obrigado, Hugo. Tu estás a ser um grande amigo!

HUGO             não precisa me agradecer. Faço isso, porque o tenho como um irmão! 

PEDRO           vamos, Samuel? Já está tarde!

SAMUEL        vamos. Tchau, Hugo 

HUGO             tchau. Tchau, Pedro. Fiquem bem! 

PEDRO E SAMUEL SAEM. HUGO OBSERVA OS DOIS IREM EMBORA 

HUGO             se depender de mim, vocês não vão achar aquela vadia nunca! 

E SORRI MALÉFICO 

CORTE PARA 

CENA 15. RUA DA CAFETERIA. EXTERIOR. DIA 

PEDRO E SAMUEL CAMINHANDO LADO A LADO 

PEDRO           eu não gosto desse cara! ele vem com aquele papo de amigo, tal, mas é tudo da boca pra fora. Ele não presta, Samuel. Ele te quer, eu vejo em seus olhos

SAMUEL        como que você pode pensar uma coisa dessas, cara. Ele tá dando maior apoio pra gente, e tu já vem de novo com essas suspeitas, para! Ele não é esse cara que vocês pensam. Ele é bom! 

PEDRO           uhum. Um poço de bondade, ele… tá, parei 

SEGUEM ANDANDO

CORTE PARA

CENA 16. GERAIS. RIO DE JANEIRO. EXTERIOR. DIA. NOITE

LETREIRO: UM MÊS DEPOIS… 

CENA 17. CARTÓRIO. INTERIOR. DIA 

CAIO E BRUNO JÁ ASSINANDO OS PAPÉIS DO CASAMENTO. PADRINHOS À PARTE.  CAIO RESOLVE ENTÃO SURPREENDER BRUNO. AMBOS FICAM UM DE FRENTE PARA O OUTRO. CAIO SEGURA AS MÃOS DO OUTRO, E SE PÕE DE PÉ

BRUNO           (IMPRESSIONADO, EMOCIONADO) que é isso? Você… Já… 

Caio                 Sim, meu amor, eu já consigo ficar de pé e dá algumas passadas! 

BRUNO           Que maravilha! (RISO) Eu te amo! (SEGURA SEU ROSTO, O OLHANDO NOS OLHOS) E é ao teu lado que eu quero estar sempre: na alegria, na tristeza, doença… prometo-te ser fiel a você assim como prometo amar-te como amo a mim mesmo. Caio Castelo, é uma honra ter-te como meu legitimo esposo! 

CAIO               Bruno Oliveira, eu entrego a ti, o meu amor, e que juntos possamos usufruí-lo da melhor forma possível, pois toda forma de amar e ser amado é válida. E que Deus abençoe nossa união e que possamos viver juntos até o fim de nossas vidas. Amo-te, sempre e para sempre, meu eterno marido! 

MC                  vos declaro casados! 

OS DOIS BEIJAM-SE, EMOCIONADOS. TODOS ALI APLAUDEM. BRUNO E CAIO OLHAM SORRIDENTE PROS QUE ESTÃO ALI PRESENTES 

CORTE PARA 

CENA 18. MANSÃO. ÁREA EXTERNA. DIA 

GERAL DO LOCAL. JARDIM TODO DECORADO. UMA PISTA DE DANÇA SOBRE A PISCINA. VÁRIAS MESAS E CADEIRAS PROS CONVIDADOS. UM DJ ANIMA O EVENTO. GARÇONS TRANSITAM DE UM LADO PRO OUTRO. MESAS COM DIVERSOS PETISCOS: DOCES, SALGADOS, EBBIDAS. E UMA MESA COM UM BOLO DE CINCO ANDARES BEM DECORADO

CORTE DESCONTÍNUO: CAIO, SAMUEL E PEDRO A CONVERSAREM  

SAMUEL        irmão, vocês estão de parabéns. A festa tá linda! 

CAIO               obrigado. Foi tudo bem pensado, e planejado. Divirtam-se! 

PEDRO           obrigado!

CAIO               bem, me deixem cumprimentar os outros convidados. Comam e bebam à vontade. Com licença! 

CAIO SAI. SAMUEL O OBSERVA, FALANDO COM PEDRO 

SAMUEL        como é bom vê-lo assim, sabe, já de pé, caminhando 

PEDRO           é!

ALAN SE APROXIMA 

ALAN              olá, olá, rapazes 

PEDRO CUMPRIMENTA O AMIGO 

PEDRO           fala, irmão! 

ALAN              gostaria de falar contigo, em particular. Assunto de trabalho!

PEDRO           claro, vamos sim. Você espera aqui, amor? Já eu volto!

SAMUEL        faz assim, podem ficar aqui conversando, que eu vou ali no banheiro rapidinho. Já volto! (SAI) 

PEDRO           e então, cê investigou aquele sujeito que te mandei?

ALAN              sim. O cara é limpo. Nada de ficha suja. Nada!

PEDRO           droga!

ALAN              eu te conheço muito bem, cê suspeita dele, não é? Acha que ele pode ter dado cabo de sua irmã? 

PEDRO           aqui, só entre nós, sim. minha irmã não gostava dele, sabe, ela sempre foi de ficar tentando abrir os olhos do Samuel em relação ao caráter e intenções dele para com ele. Daí, do nada ela some? É muito estranho. Eu tenho que ficar na cola desse calhorda 

ALAN              certo. Conta comigo pra o que cê precisar, irmão!

PEDRO           valeu, brother. Minha gratidão pra consigo será eterna! 

ALAN              que isso, sei que faria o mesmo por mim

PEDRO           não pensaria duas vezes…

CORTE PARA 

CENA19. MANSÃO. COZINHA. INTERIOR. DIA 

SAMUEL ENTRANDO. ESTÁ PERDIDO. SEM SABER PRA ONDE IR 

SAMUEL        ah, que ótimo. Estou eu aqui perdido! 

SAMUEL OUVE PASSOS LENTOS A SE APROXIMAR… VÊM DA SALA OS PASSOS, É O ASSASSINO MISTERIOSO, TODO DE PRETO, ENCAPUZADO, O QUE DIFICULTA E MUITA SUA IDENTIFICAÇÃO, NÃO SABEMOS SE TRATA DE HOMEM OU DE MULHER. A TAL PESSOA VEM POR TRÁS DE SAMUEL, O AGARRA E TAPA SUA BOCA, ELE SE DEBATE. TENTA SE SOLTAR, PORÉM SEM HESITO. O ENCAPUZADO O ARRASTA ATÉ A DISPENSA O JOGA CONTRA O CHÃO. TRANCA A PORTA. SAMUEL SE DESESPERA, POIS TEM CIÊNCIA DE QUE PODERÁ SER MORTO. SUPLICA PRA NÃO MORRER 

SAMUEL        eu não quero morrer! (SUPLICA) Por favor, não me mata. Quem é você? Fala! 

O ASSASSINO NADA DIZ, APENAS RETIRA UMA AMPOLA E UMA SERINGA DE SEU BOLSO, HÁ NO VIDRINHO DA AMPOLA O NOME: ARSÊNICO. O ASSASSINO VAI PRA CIMA DE SAMUEL QUE SE DEBATE E LUTA CONTRA ELE TENTANDO SALVAR SUA VIDA 

SAMUEL        sai! (BERRA) socorro! Não, não! 

CORTE PARA 

FINAL DO CAPÍTULO.

Atenção: A Widcyber tem a autorização do autor para publicar este conteúdo.

cropped-wid-1.png

NAVEGAR

>
error: Este conteúdo é protegido! A cópia deste conteúdo não é autorizada em virtude da preservação de direitos autorais.
Rolar para o topo