Destiinos Cruzados
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

CYBER TV                                                                                                     CAPÍTULO9

DESTINOS CRUZADOS

NOVELA DE

UELITON ABREU

ESCRITA POR

UELITON ABREU

DIREÇÃO DE NÚCLEO

ANDERSON SILVA

CENA. 1. APART DE PEDRO. SALA. INTERIOR. DIA 

ABRE EM PEDRO 

PEDRO              é isso mesmo, irmã, o Samuel trabalhará aqui 

NATHI               Pedro, vem comigo, vamos no quarto. Samuel, toma café, fica à vontade, tá! 

ARRASTA O IRMÃO PRO QUARTO

CORTE RÁPIDO 

CENA. 2. APART DE PEDRO. QUARTO. INTERIOR. DIA 

NATHI E PEDRO

PEDRO              eita! Que foi? 

NATHI               que porra é essa? O Samuel trabalhando aqui? Vocês se odeiam! 

PEDRO              ué, estou apenas ajudando seu amigo! ele foi demitido, não foi? Então, o ofereci um emprego e ele pelo jeito aceitou 

NATHI               você acha que eu sou burra, Pedro?

PEDRO              não mesmo! Te acho inteligente pra caralho! 

NATHI               sei que isso nãé por acaso, você fez alguma chantagem. foi isso, não foi? Caso ele não aceite, você o entrega! Que sacanagem, hein!

PEDRO              eu? Nathi, você me conhece muito bem, eu não sou homem de chantagens não! Só quero ajudá-lo. Só isso!

NATHI               é, mas quando a esmola é demais, o santo desconfia! É algum tipo de vingança, nãé? Sei que é. Só mais uma coisa: não ouse machuca-lo, você tá me ouvindo? ou as coisas vão ficar estreitas entre a gente 

PEDRO              não posso te prometer nada!

NATHI               saiba que é contragosto que vou aceitar esse absurdo 

PEDRO              pronto. Acabou? pois já estou atrasado pro trabalho! 

NATHI               vamos! 

DEIXAM O QUARTO 

CORTE PARA 

CENA. 3. APART DE PEDRO. SALA. INTERIOR. DIA 

PEDRO E NATHI VINDO DO CORREDOR. O PRIMEIRO JÁ FALANDO 

PEDRO              olha só, Samuel, a Nathi vai te indicar tudo o que tem que fazer. Vou indo. Bom dia pra vocês! 

PEGA SUA MOCHILA E SAI. NATHI JUNTA-SE A SAMUEL NA MESA 

SAMUEL           amiga, quero saiba que eu só aceitei esse trabalho por causa da grana 

NATHI               eu sei, amigo. Só que eu não confio no Pedro, ele está aprontando. Ele vai com tudo pra cima de você

SAMUEL           que venha! Você sabe que medo dele eu não tenho!

NATHI               e sei, Samuel. Bom. cê vai trabalhar aqui, com o que mesmo?

SAMUEL           cuidar da Petra, filha dele 

NTHI                 ah, vou te explicar como tudo funciona. É o seguinte… 

NATHI REPASSA TODAS AS INFORMAÇÕES PARA SAMUEL, QUE OUVE TUDO ATENTAMENTE 

CORTE PARA 

CENA. 4. APTO DE ALAN. QUARTO. INTERIOR. DIA 

CELULAR TOCANDO NO CRIADO MUDO. UMA MÃO MASCULINA PEGA O APARELHO. O ÂNGULO É ABERTO E REVELA ALAN QUE ACABARA DE ACORDAR. ELE LOGO ATENDE A LIGAÇÃO 

ALAN                 (AO CEL) sim, é ele! (T) Sério? Descobriu de onde vinham as ligações? (REAGE) Quê? cê tem certeza disso? (T) Tá, tá, valeu, cara. Depois a gente se acerta! Falou! (DESLIGA) quem da delegacia me chantageou daquela forma? Hoje eu descubro quem é esse calhorda! Vou agora mesmo à delegacia 

SALTA DA CALMA E VAI PRO BANHEIRO

CORTE PARA 

CENA. 5. DELEGACIA. SALA DE PEDRO. INTERIOR. DIA 

PEDRO TRABALHANDO EM SUA MESA. ALAN ENTRA 

ALAN                 atrapalho? 

PEDRO              Alan? Não! Entra. Que foi? O que aconteceu? 

ALAN                 preciso de sua ajuda! Quem vazou aquelas fotos minhas no grupo da PM está aqui dentro desta delegacia

PEDRO              você está falando sério? Como cê conseguiu descobrir isso? 

ALAN                 sim. Eu arranjei um Hacker, ele conseguiu decifrar todas as chamadas anônimas, e algumas delas, saíram daqui de dentro da delegacia 

PEDRO              já sabe de quem se trata, exatamente? 

ALAN                 não, mas vamos saber agora! Vem comigo!

ALAN VAI PRO SALÃO. PEDRO VAI ATRÁS 

CORTE RÁPIDO 

CENA. 6. DELEGACIA. SALÃO. INTERIOR. DIA 

ALAN E PEDRO VINDOS DA SALA. O PRIMEIRO JÁ PEGA SEU CELULAR E LIGA PRO NÚMERO DECODIFICADO. SONORIZAÇÃO: CELULAR DE ERIC TOCA.  ESTE PEGA O APARELHO E ATENDE SEM VER DE QUEM SE TRATA

ERIC                  (AO CEL) alô?

ALAN                 (AO CEL) tudo bem, Eric? 

ERIC                  (DESLIGA O CEL) quê que é isso? Por que isso? 

ALAN                 eu que te pergunto: por quê? O que eu te fiz? Hum? Você que me fotografou e vazou aquelas fotos 

ERIC                  (RI DE NERVOSO) você tá louco? Eu? Nada a ver! Eu…

PEDRO              agente Eric, ele investigou e descobriu que as ligações de chantagem saíram de seu celular 

ALAN                 foi por isso que eu liguei, pra saber quem aqui dentro é um traíra. Eu nunca te fiz nada, cara. Por que isso? Fala, porra! 

ERIC                  porque… quer saber? Fui eu sim! todos aqui dentro tinham o direito de saber a verdade. Mentiroso. Nos enganou esse tempo todo 

ALAN                 não, não foi só por isso não, tem mais. Fala, cara. Por quê? O que eu te fiz pra você ter desgraçado a minha vida desse jeito?

ERIC                  na-da! Fiz só por isso mesmo, pela tua mentira

ALAN                 agora, arque com as consequências, porque isso não vai ficar assim. Você vai ser processado! Aproveita essa grana da chantagem pra pagar o processo 

PAREDE VEM DE SUA SALA 

PAREDE            o que há aqui? E esse, esse… (ENCARANDO ALAN) o que esse desviado faz na minha delegacia? 

ALAN                 não se preocupe, Delegado. Já estou de saída! Vim apenas para esclarecer uma dúvida. Obrigado, Pedro! 

ALAN VAI EMBORA 

PEDRO              tchau, amigo! Respondendo sua pergunta, Delegado: O Eric que vazou aquelas fotos do Alan beijando aquele rapaz numa boate 

PAREDE            ah. foi, é? (A ERIC) Obrigado. Fez o certo agente, abriu meus olhos 

PEDRO              (PERPLEXO) é sério, Delegado? O senhor acha essa atitude do Eric coerente?

PAREDE            acho. Ele foi sensato em nos mostrar de quem, de fato, era aquele pervertido. Gosto de pessoas assim, que sejam realistas, não falsas 

ERIC                  obrigado. Delegado. Eu sou o único aqui nessa DP, que concorda com seus preceitos 

PAREDE            agora chega de disse e me disse. Voltem aos trabalhos!

PEDRO              delegado… você devia suspender esse cara, ele cometeu um grave delito 

PAREDE SE APROXIMA DE PEDRO, ENCARANDO-O 

PAREDE            vai me ensinar agora como fazer meu trabalho, agente? É isso que eu tô percebendo? 

PEDRO              não, senhor! Só acho/ 

PAREDE            (CORTA) não, você não acha nada. Só faça seu trabalho, que eu faço o meu. Com licença! 

PAREDE VOLTA PRA SUA SALA. PEDRO SEGUE PRA SUA SALA

CORTE RÁPIDO 

CENA. 7. DELEGACIA. SALA DE PEDRO. INTERIOR. DIA 

PEDRO ENTRA FURIOSO. CHUTA O SOFÁ. ESTÁ PUTO COM O DELEGADO. FECHA EM PEDRO BEM IRRITADO 

CORTE PARA 

CENA. 8. APTO DE HUGO. SALA. INTERIOR. DIA 

ABRE EM HUGO NO SOFÁ, MEXE NO CELULAR. LÍDIA VEM DO CORREDOR, COM MUITA PRESSA. ESTÁ ATRASADA PRA FACULDADE. NÃO ENCONTRA SEU CELULAR EM LUGAR NENHUM 

LÍDIA                cadê?… 

HUGO                que foi? O que você tá procurando? 

LÍDIA                meu celular, não estou achando! E o pior é eu estou mega atrasada pra faculdade… 

O CELULAR DE LÍDIA APITA, ESTÁ DEBAIXO DE UMA ALMOFADA. HUGO O PEGA E VER UMA NOTIFICAÇÃO, MENSAGEM DE LOBÃ

HUGO                (MOSTRA) aqui, seu celular! 

LÍDIA                ah, que ótimo! (PEGA E GUARDA NA BOLSA) Obrigada! Vamos? 

HUGO                quem é lobão, Lídia? 

REAÇÃO DE LÍDIA AO QUE OUVE 

LÍDIA                Lobão? É um colega lá da faculdade. Por quê? 

HUGO                nada, só achei estranho esse nome: Lobão. Enfim. Vamos nessa? 

LÍDIA                claro! (VAI À MESA) vou só pegar minhas apostilas. (PEGA AS APOSTILAS) Aqui. Vamos! 

SAEM PRA RUA 

CORTE PARA 

CENA. 9. CARRO DE HUGO. INTERIOR. DIA 

HUGO DIRIGINDO. CLIMA DE SUSPENSE. LÍDIA AO CELULAR RESPONDENDO A MENSAGEM DE LOBÃO SEM QUE HUGO PERCEBA. VÃO A CAMINHO DA UNIVERSIDADE

CORTE PARA 

CENA. 10. COLÉGIO. SALA DE AULA. INTERIOR. DIA 

VOZERIO DOS ESTUDANTES. HUGO ENTRA JÁ FALANDO 

HUGO                bom dia, galerinha! exercícios da aula anterior sobre as carteiras. Irei dar os vistos em 3, 2, 1… 

JÁ DEIXA SUA MOCHILA SOBRE O BIRÔ. RETIRA UMA CANETA DO BOLSO E SEGUE ANDANDO ENTRE AS FILEIRAS DE ALUNOS. UM GRUPO DO FUNDÃO CONVERSA ENTRE SI. ESTÃO A DISCUTIR ALGO INDISTINTO. HUGO VAI SE APROXIMAR DO GRUPO

HUGO                eita que o papo aqui estáé bom, né? O que vocês tanto confabulam aí, hein?

ALUNO             estamos comentando aqui, sobre traição. O que você acha disso, Professor? Você perdoaria uma traição? 

HUGO                uou! Cada dia vocês com um tema polêmico, hein! Eu… assim, não concordo e nem acho certo trair. Sei lá, se já sabe que vai trair, pra quê que se casa, ou namora? Fica solteiro, pô, assim, tu fazes tudo o que der na telha. E assim, perdoar, perdoar uma traição; sinceramente, não sei. Nunca fui traído, mas se um dia eu for, não sei, só saberei lá na hora, no momento, sabe?

ALUNA              Eu já ia fazer “mó” barraco! Tenho sangue de barata, não. Pegava assim, sabe, os dois e sentava o cacete 

ALUNOS RIEM

HUGO                é, só que com violência ninguém resolve nada. Temos que ser mais passionais, aprender a dialogar mais, não agredir. De violência o mundo já tá cheio. Vocês não acham? Enfim, deixamos de lado esse assunto, e vamos pra aula. Correção das atividades… 

SEGUE PARA A FRENTE E COMEÇA A CORREÇÃO DOS EXERCICIOS

CORTE PARA 

CENA. 11. UNIVERSIDADE. CORREDORES. INTERIOR. DIA 

CAIO VINDO DE UM CORREDOR, DISTRAÍDO, A MEXER NO CELULAR. BRUNO VEM DO OUTRO LADO. ESTÁ PERDIDO, POIS É SEU PRIMEIRO DIA NA UNIVERSIDADE. AMBOS ACABAM SE ESBARRANDO. NATHALIA ACABA POR VER A CENA. CAIO JÁ REAGINDO ABORRECIDAMENTE 

CAIO                  porra! Tu não olhas por onde anda, não, seu imbecil? 

BRUNO             calma aí, mermão. Foi mal. Não te vi 

CAIO                  é cego? Não. Então, da próxima, vê se olha por onde anda, cuzão! 

E SEGUE ANDANDO

BRUNO             eu, hein! Carinha mais arrogante… 

NATHI SE APROXIMA DE BRUNO 

NATHI               olá. Bom dia! Cê tá precisando de ajuda? 

BRUNO             sim, sim. É… queria saber onde fica a turma de Ed. Física VI?

NATHI               então, você segue aqui, direto, final do corredor, à direita, sala 21. É lá, viu! 

BRUNO             certo. Obrigao. Valeu mesmo! 

NATHI               de nada! Só não sou igual aquele idiota que esbarrou em ti agora a pouco. Aliás, (ESTENDE A MÃO) me chamo Nathalia, mas pode me chamar de Nathi 

BRUNO             (CUMPRIMENTA) prazer, Nathi. Eu sou Bruno!  

NATHI               boa aula! Tenho que ir pra minha sala agora!

BRUNO             pra ti também. Até mais!

NATHI SEGUE PRA SUA SALA. BRUNO SEGUE AS ORIENTAÇÕES DE NATHI E VAI EM BUSCA DA SUA TURMA

CORTE PARA 

CENA. 12. UIVERSIDADE. SALA DE AULA. INTERIOR. DIA

PROFESSOR A EXPLICAR MATÉRIA NO SLIDE. BRUNO BATE À PORTA. O PROFESSOR INTERROMPE SUA EXPLICAÇÃO E O ATENDE

PROFESSOR    olá. Entre, garoto!

BRUNO             ah, claro. (VAI ENTRANDO) Com licença! 

PROFESSOR    antes de se sentar, aproveite e se apresente à turma 

BRUNO             Ah, professor. Precisa mesmo disso? 

PROFESSOR    sim. por favor? 

BRUNO             bom dia, galera! Bom, me chamo Bruno, tenho 24 anos, sou daqui mesmo do Rio, e escolhi essa faculdade, porque amo praticar atividades físicas. E também, porque quero trabalhar em sala de aula. É isso. Eu acho… 

PROFESSOR    ok. Seja bem-vindo, Bruno. Sente-se, por favor 

BRUNO             claro! 

BRUNO AVISTA UMA CADEIRA AO LADO DE CAIO, A QUEM ESBARROU ANTES DE ENTRAR NA SALA. VAI ATÉ ELE 

BRUNO             tem alguém sentado aqui nessa carteira? 

CAIO                  (RISPIDO) tá vendo alguém aí? Não, né, idiota? Então pronto. Não enche! 

BRUNO             valeu aí, amigão… 

CORTE PARA 

CENA. 13. APART DE PEDRO. SALA. INTERIOR. DIA 

PEDRO ENTRANDO EM CASA. SAMUEL QUE JÁ ESTAVA DE SAÍDA, DÁ DE CARA COM ELE 

PEDRO              opa! vai aonde? 

SAMUEL           pra minha casa? Já fiz meu trabalho. Sua filha já estar dormindo lá no quarto 

PEDRO              ótimo. Só que você não vai agora, não. Quero que faça algo pra eu comer! 

SAMUEL CAI NA RISADA 

SAMUEL           (RISOS) peraí, isso é algum tipo de piada?

PEDRO              (LANÇA-LHE UM OLHAR SÉRIO) não! tô rindo? 

SAMUEL           nem vou te responder, cara. Boa noite. Já fiz o que tinha que fazer. Quer comer? (VAI INDO RUMO À PORTA) Que faça, ou peça algo! 

PEDRO              você não vai sair daqui! 

PEDRO O IMPEDE DE SAIR, SEGURANDO SEU BRAÇO. ESTE AINDA TRANCA A PORTA E GUARDA AS CHAVES EM SEU BOLSO 

SAMUEL           seu bruto, meu braço! Quê que é isso?! Isso é cárcere-privado, sabia? Eu vou te denunciar pra polícia! 

SAMUEL PEGA SEU CELULAR. PEDRO TOMA O APARELHO DELE RAPIDAMENTE 

SAMUEL           ei! Devolve meu celular, porra!

PEDRO              tsc, tsc, tsc. Não! Ah, antes que cê se esqueça, eu sou a polícia

SAMUEL           (SÉRIO) abre essa porta, eu não tô brincando! 

PEDRO              saiba que eu também não estou brincando. Quer seu celular e as chaves? Faça o que eu pedi. Simples 

SAMUEL           não! Não sou obrigado! O senhor me contratou pra ser o babá da sua filha, não seu cozinheiro 

PEDRO              ok. Já que não tem acordo, vai passar à noite aqui…

SAMUEL VAI PRA CIMA DE PEDRO, NA TENTATIVA DE ARRANCAR AS CHAVES E O CELULAR DO MESMO. PEDRO SE DESVENCILHA DELE, E AMBOS COMEÇAM UM PEGA-PEGA NA SALA DE ESTAR 

PEDRO              (MOSTRA A CHAVE E O CEL P/ SAMUEL) aqui, ó, vem pegar, vem pegar! 

AO TENTAR IR PRA CIMA DE PEDRO, SAMUEL ACABA ESCORREGAN-                              DO E CAINDO DE CARA NO CHÃO. MACHUCOU O NARIZ. DETALHAR O SAGRAMENTO NO NARIZ DE SAMUEL

PEDRO              eita! 

SAMUEL           ai, ai, ai, meu nariz

PEDRO VAI ATÉ ELE E O AJUDA A LEVANTAR 

PEDRO              calma! Vem. Deixa-me te ajudar! Senta aqui no sofá!

SAMUEL           pega uma compressa de gelo pra mim, por favor. Tá doendo muito!

PEDRO              tá. Eu vou buscar!

CORRE ATÉ A COZINHA. ACABA DEIXANDO AS CHAVES E O CELULAR SOBRE A MESINHA DE CENTRO. SAMUEL MESMO COM DOR PEGA SEU CELULAR, AS CHAVES E VAI INDO RUMO À PORTA. DESTRANCA E ANTES DE SAIR GRITA: 

SAMUEL           tchau, seu idiota! 

E VAI EMBORA. PEDRO VEM DA COZINHA COM A COMPRESSA DE GELO NA MÃO E ENCONTRA APENAS A PORTA ABERTA 

PEDRO              ponto pra ele, se safou bem, mas vai ter próxima, se vai! 

E VAI INDO FECHAR A PORTA 

CORTE PARA 

CENA. 14. MAGUEZAL. GERALZÃO. EXTERIOR. DIA 

CENA. 15. MANGUEZAL. LAJE. EXT. DIA 

CÉSAR E LÍDIA A DISCUTIREM. LOBÃO À PARTE

CÉSAR               qual é, vadia, está zoando com a minha cara? Passa logo minha grana pra cá! Eu não fiz aquele servicinho sujo de graça, não! 

LÍDIA                calma, tá bom? e não me chama de vadia! Eu vou pagar, mas não agora, porque… porque não vai dar 

CÉSAR               ah, é? e quando é vai dar, hum? Fala pra mim! Olha que tu não me enrolas, porque eu posso de dá um chá de sumiço igual eu fiz com aquele corpo

LÍDIA                ui… que medo! Até tremi nas bases agora! Não se esqueça, bonito, que o senhor também está aqui, ó, nas minhas mãos 

CÉSAR               medo não é meu forte!            

LÍDIA                pois devia ser, porque eu posso contar a qualquer momento do seu segredinho pro Lobo

LOBÃO APARECE POR ALI 

LOBÃO              e o que seria esse segredinho, Lídia? 

REAÇÕES

  FADE OUT 

CORTE PARA 

FINAL DO CAPÍTULO

Atenção: A Widcyber tem a autorização do autor para publicar este conteúdo.

cropped-wid-1.png

NAVEGAR

>
error: Este conteúdo é protegido! A cópia deste conteúdo não é autorizada em virtude da preservação de direitos autorais.
Rolar para o topo