Destiinos Cruzados
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

 

DESTINOS CRUZADOS

UMA NOVELA DE

UELITON ABREU

ESCRITA POR

Ueliton Abreu

PARA

WIDCYBER

DIREÇÃO DE NÚCLEO

Anderson Silva

CENA 1. MANSÃO. DISPENSA. INTERIOR. DIA 

SAMUEL VÊ UM OBJETO EM UMA PRATELEIRA: UM VASO, O USA, GOLPEANDO O ASSASSINO NA CABEÇA QUE CAI DE LADO DESACORDADO. SAMUEL TREMENDO E ASSUSTADO, LEVANTA-SE DO CHÃO. O OBSERVA ALI, CAÍDO NO CHÃO, DESACORDADO. FAZ MENÇÃO EM TIRAR SEU CAPUZ PARA RECONHECIMENTO, PORÉM HESITA, AO VÊ-LO SE REMEXER. DESTRANCA A PORTA E SAI DALI GRITANDO POR SOCORRO

SAMUEL         socorro! 

MARIO, PEDRO, ALAN E CAIO ADENTRAM A SALA… SAMUEL ABRAÇA PEDRO, EM DESESPERO

PEDRO            (PREOCUPADO) O que houve, meu amor? 

SAMUEL         o assassino, ele está aqui… (ENGOLE EM SECO) Ele tentou matar-me!

ALAN              Onde ele te atacou? 

CAIO               meu Deus! Como você está, Samuel?

SAMUEL        eu vim aqui pra ir ao banheiro, mas acabei me perdendo na cozinha, daí ele me atacou por atrás e levou-me à dispensa. Ele tirou uma seringa, ias matar-me com veneno!

PEDRO           (ABRAÇA-O FORTE) Está tudo bem. Eu estou aqui! 

ALAN              temos que dá uma geral na casa. Esse matador ainda pode estar aqui! Vamos. Mario, me cobre vamos pra dispensa! (RETIRA SUA ARMA E SEGUE ANDANDO) 

PEDRO            amor, quero que vá pro jardim com o Caio. Lá vocês estarão seguros. Preciso ajudar o Mario e o Alan. Vão. (BEIJA-O) Vai ficar tudo bem. Nós vamos conseguir pegar esse desgraçado!

SAMUEL         ok. Boa sorte. Cuidado!

CAIO               vem, vamos!

CAIO E SAMUEL SEGUEM PRO EXTERIOR DA CASA

CORTE PARA 

CENA 2. MANSÃO. COZINHA. DISPENSA. INTTERIOR. DIA 

ALAN ADENTRA A DISPENSA E NÃO ENCONTRA NINGUÉM ALI, APENAS A SERINGA E A AMPOLA NO CHÃO 

ALAN              o desgraçado fugiu. (IRRITADO) Droga! 

MARIO           (MOSTRA) Ele deixou isso aqui pra trás: uma seringa e uma ampola. É arsênico!

ALAN              ele não pode ter ido muito longe. Vamos fazer uma busca em todos os cômodos desta mansão. Agora! 

MARIO            ok

PEDRO CHEGA À DISPENSA 

PEDRO           e aí, nada? Vim ajudá-los! 

ALAN              o infeliz conseguiu escapar. Que bom que veio ajudar. Agora, temos que vasculhar em todos os cômodos da casa

ELES ENTÃO VASCULHAM TODOS OS QUARTOS, SALAS, BANHEIROS, COZINHA DA CASA, E NÃO ENCONTRAM NADA. SIM, O ASSASSINO CONSEGUIRA FUGIR A TEMPO. SEM DEIXAR NENHUM VESTÍGIO SEQUER SEU NO LOCAL

CORTE PARA 

CENA 3. MANSÃO. JARDIM. EXTERIOR. DIA 

PEDRO, ALAN E MARIO VEM DO INTERIOR DA CASA 

CAIO               pela cara de vocês, presumo que não tenham conseguido alcançar esse criminoso! 

ALAN              não!

PEDRO           o filho da puta conseguiu escapar! Desgraçado! 

CAIO               o que leva vocês a acharam que possa ser um homem? Pode ser uma mulher, não pode? Até porque ele usa uma vestimenta que é impossível perceber se é homem ou mulher!

SAMUEL        uma coisa é certa, é um homem. (CONVICTO) Eu lutei contra ele, impossível ser uma mulher, gente. A força era de um homem forte, musculoso e com muita vontade de fazer aquilo, matar!

PEDRO           eu acredito em você!

ALAN              também tive essa mesma impressão quando ele tentou me matar! Que era um homem, seu porte, não é de uma mulher. Estamos lhe dando com um homem perigoso, inescrupuloso e calculista

SAMUEL        gente, eu peço desculpas, mas eu preciso ir. Eu não estou bem, sei lá, eu tenho a sensação que a qualquer instante esse desgraçado pode atacar-me novamente

CAIO               que isso. Vai, vai sim. Cuida-se. Qualquer coisa me liga! (ABRAÇO) 

SAMUEL        pode deixar! Vamos, Pedro? 

PEDRO           vamos. Gente, a festa, tudo muito lindo. Desejo do fundo do meu coração que vocês dois sejam felizes, mesmo, de verdade. Boa sorte! 

BRUNO           obrigado. Vão com Deus!

PEDRO E SAMUEL VÃO EMBORA DALI. A FESTA CONTINUA

CORTE PARA 

CENA 4. STOCK-SHOTS. EXTERIOR. DIA 

LETREIRO: HORAS DEPOIS… 

CENA 5. MANSÃO. SALA DE ESTAR. INTERIOR. NOITE 

SAFIRA SENTADA NO SOFÁ TOMANDO UÍQUE. CAIO E BRUNO ENTRAM DE MÃOS DADAS 

CAIO               foi tudo muito lindo, meu amor! 

BRUNO           você merece e muito mais…

SAFIRA          ora, ora, vejamos que aleijado voltara a andar! Patético tudo isso, esse casamento de vocês, toda essa promiscuidade. Cuidado, hein, vocês podem acabar indo parar no inferno, junto ao belzebu 

BRUNO           preocupa, não, querida, que o teu lugar lá também já está garantido! (DÁ UMA PISCADELA) Aliás, o que você está fazendo aqui, tomando nosso uísque? Hum? Até onde sei, a partir de agora, você é empregada. Lembra do testamento do seu falecido esposo?

SAFIRA          essa casa é minha! (LEVANTA-SE, JÁ DE PÉ O ENCARANDO) E eu tomo uísque quantas vezes eu quiser, seu energúmeno 

CAIO               não, é do meu pai. Agora, Safira, saia. Vá pro seu quarto. (ORDENA) Hum-hum! (PIGARREIA) Não o seu, o dos empregados! 

SAFIRA          como é? (INCRÉDU-LA) Acha mesmo que eu, uma dama, irei dormir num cubículo daqueles? Nunca! Eu vou pro meu quarto! Dane-se esse testamento, dane-se aquele infeliz do teu pai que, por mim, esteja queimando lá no quinto dos infernos 

BRUNO           cê tem certeza que vai desobedecer ao testamento? Você pode se dá mal, hein, sogrinha! 

SAFIRA          sogrinha? Jamais! Quero que vocês morram, seus sodomitas, pecadores! Morram! Boa noite! 

E VAI INDO BEM PLENA PRO SEU QUARTO 

BRUNO           não gosto dessa ideia de ter que conviver com essa “draga” aqui. Desculpa. Eu sei que é sua mãe, mas… Ninguém merece ter de conviver com ela 

CAIO               isso eu concordo com você, mas fica de boa, a colocarei no cabresto. agora, a deixamos de lado e vamos pro nosso quarto… (PUXA-O PELO BRAÇO) vem! 

SOBEM AS ESCADAS AOS BEIJOS… VÃO RUMO AO QUARTO… 

CORTE PARA 

CENA 6. MANSÃO. QUARTO CAIO. INTERIOR. NOITE 

CAIO ABRE A PORTA DE SEU QUARTO E JUNTINHOS ADENTRAM O LOCAL… SUA CALMA CHEIA DE PÉTALAS DE ROSAS VERMELHAS, REPRESENTANDO A PAIXÃO QUE UM SENTE PELO OUTRO, A ILUMINAÇÃO DO AMBIENTE É APENAS MEIA LUZ, OS RAIOS LUNARES ADENTRAM O QUARTO PELA JANELA QUE SE ENCONTRA EM ABERTO. OS DOIS PARAM UM DE FRENTE PARA O OUTRO, OLHANDO NOS OLHOS…

BRUNO           Amo-te! 

CAIO               eu também te amo. Muito. Muito. Quero que essa seja uma noite perfeita pra mim e pra você. Eu entrego-me a ti de corpo e alma. Eu sou todo seu, meu amor! 

OS DOIS SE BEIJAM APAIXONADOS, UM BEIJO AVASSALADOR CHEIO DE AMOR E CARINHO, DE AMBAS AS PARTES… LENTAMENTE, BRUNO TIRA A BLUSA DE CAIO, QUE FAZ O MESMO COM A DELE, EM TODO O PROCESSO SEM TIRAR OS OLHOS UM DO OUTRO. EM SEGUIDA, SUAS CALÇAS SÃO TIRADAS, FICANDO APENAS DE CUECA. ELES SE OLHAM FELIZES, SE BEIJAM, CAMINHAM ATÉ A CAMA, BRUNO DEITA CAIO SOBRE A CAMA E APÓS SOBE SOBRE O MESMO, SEUS CORPOS BEM JUNTOS, COLADOS… BRUNO BEIJA SUA BOCA, DESCE PARA O PESCOÇO, ONDE CHEIRA, LAMBE O LOCAL E DÁ VÁRIAS MORDISCADAS EM SUA ORELHA. CAIO VAI AO DELÍRIO AO SENTIR OS TOQUES DE BRUNO E SEU CHEIRO INEBRIANTE QUE EXALA EM SUAS NARINAS… DO PESCOÇO, BRUNO DESCE PARA SEU PEITORAL, AOS BEIJOS, EM SEGUIDA; AO ABDÔMEN ATÉ CHEGAR NUM FARTO VOLUME QUE HAVIA SE INSTALADO DENTRO DA CUECA DE CAIO… O OBSERVA…

BRUNO           Animado, hein? 

CAIO               me chupa logo! 

BRUNO ARRANCA A CUECA DE CAIO E COMEÇA A CHUPÁ-LO. CAIO VAI AO DELIRIO. O PRAZER É EXPRESSIVO EM SEU ROSTO. BRUNO SOBE BEIJANDO TODA A BARRIGA, TORÁX, PEITORAL, PESCOÇO DO OUTRO ATÉ CHEGAR AO PÉ DO OUVIDO…

BRUNO           (AO PÉ DO OUVIDO, E APÓS MORDENDO O LÓBULO DE SUA ORELHA) me come! 

CAIO               você quer? Vou te comer, então! 

…BRUNO SE PÕE DE BRUÇOS SOBRE A CAMA… CAIO VEM POR CIMA E O PENETRA… LENTAMENTE, O QUE CAUSA UM PEQUENO DESCONFORTO EM BRUNO, POIS É VISÍVEL EM SUA CARA A DOR…, MAS TODA ESSA DOR É SUBSTITUÍDA, MINUTOS DEPOIS, POR MUITA EXCITAÇÃO. CAIO O PENETRA FRENETICAMENTE, CHEIO DE DESEJOS. ELES CRUZAM SUAS MÃOS. FICAM ALI TRANSANDO POR UM BOM TEMPO. E APÓS AGARRADINHOS ACABAM POR ADORMECEREM 

CORTE PARA 

CENA 7. GERAIS. EXTERIOR. NOITE. DIA 

CENA 8. CONDOMINIO. FRENTE. EXTERIOR. DIA 

HUGO SAINDO DO LOCAL EM SEU CARRO. ALAN PASSA A SEGUI-LO 

CORTE PARA 

CENA 9. AVENIDA. EXTERIOR. DIA 

HUGO SEGUE DIRIGINDO. PERCEBE ESTAR SENDO SEGUIDO PELO RETROVISOR. ACELERA O VEÍCULO. CUSTURA OS OUTRO VEÍCULOS E CONSEGUE DESPISTAR ALAN 

CORTE PRO INTERIOR DO CARRO DE ALAN QUE REAGE SOCANDO O VOLANTE 

ALAN              droga! O perdi de vista. (PEGA SEU CELULAR, DISCA O NÚMERO DE PEDRO) Alô, irmão. Infelizmente eu perdi o canalha de vista, sei lá, talvez ele deva ter notado, não sei… 

CONVERSAR SEGUE FORA DE ÁUDIO 

CORTE PARA 

CENA 10. POSTO DE BEIRA DE ESTRADA. EXTERIOR. DIA 

HUGO CHEGANDO POR ALI. FRENTISTA SE APROXIMA DA JANELA DO VEÍCULO 

FRENTISTA   quanto? 

HUGO             ponha 100 reais, por favor! Obrigado

FRENTISTA   ok. 100 

HUGO AGUARDA ENQUANTO SEU TANQUE ESTÁ SENDO ABASTECIDO 

FRENTISTA   aqui, suas chaves. Tanque cheio!

HUGO             aqui sua grana. valeu, obrigado! 

FRENTISTA   obrigado o senhor. Boa viagem! 

FRENTISTA SE AFASTA. HUGO SEGUE VIAGEM 

CORTE PARA 

CENA 11. CASEBRE. FRENTE. EXTERIOR. DIA 

HUGO CHEGANDO. SALTA DO VEÍCULO. VAI SE APROXIMANDO DA CASA. OBSERVA TODO O LOCAL. DESTRANCA A PORTA E ENTRA. CORTE RÁPIDO 

CENA 12. CASEBRE. INTERIOR. DIA 

HUGO ENTRANDO JÁ FALANDO COM NATHI 

HUGO             bom dia! Nossa, como você está maltrapilha, hein! Acabada! Enfim, seu irmãozinho ta querendo brincar comigo, viu? Não gostei do que ele aprontou… (SE SENTA EM UMA CADEIRA) Vou te falar, você nem vai acreditar… ele pôs aquele amigo lá, policial, pra me seguir. Sorte que eu o despistei, mas, ó, vai ter volta… (LEVANTA-SE, IRRITADO) E pra começar a senhora que vai pagar o pato! (DÁ-LHE UM BOFETÃO) vai ficar novamente sem água e sem comida pra aprender. Vadia. (COSPE NELA) Tenho que ir agora, vê meu amorzinho: o Samuel, é! E hoje vou fazer com que seu irmãozinho nos veja juntinhos 

HUGO SAI RINDO. NATHI SE DEBATE NA CADEIRA 

CORTE PARA 

CENA 13. MANGUEZAL. EXTERIOR. DIA 

CENA 14. GALPÃO. INTERIOR. DIA 

LOBÃO FAZENDO ALGUMAS ANOTAÇÕES. CÉSAR ENTRA COM GABRIEL 

CÉSAR            Lobo, oi, você pode falar? 

LOBÃO           claro! Fala aí. Oi, garotão. Vem com papai, vem! 

CÉSAR            é justamente isso. Será que você podia ficar com ele? É que tenho que resolver uma coisa na rua

LOBÃO           vai lá, está tudo bem! 

CÉSAR            valeu! Vou indo lá. Qualquer coisa, me liga! (SAI) 

LOBÃO           Igor? 

IGOR               fala, chefe?

LOBÃO           (ENTREGA-LHE O BEBÊ) fique com esse moleque, vou dá uma saída. Se chorar, dá papinha, se não parar, troca a frauda… 

LOBÃO SAI ÀS PRESSAS 

IGOR               mas eu não sei trocar frauda… muito menos cuidar de um… bebê… 

IGOR OLHANDO PRA GABRIEL QUE SORRI 

CORTE PARA

CENA 15. FRENTE MOTEL. EXTERIOR. DIA 

ABRE EM LOBÃO VENDO CÉSAR ENTRANDO NO MOTEL ACOMPANHADO POR UM RAPAZ GAROTO DE PROGRAMA 

LOBÃO           desgraçado, está a fazer jogo duplo! 

CORTE PARA 

CENA 16. STOCK-SHOTS. ANOITECER. EXTERIOR 

CENA 17. APART PEDRO. INTERIOR. NOITE 

SAMUEL A VER TV. SONORIZAÇÃO: CAMPAINHA TOCA 

SAMUEL        Hugo? 

HUGO             boa noite! Soube que tentaram matar-te ontem!

SAMUEL        sim, foi. Entra. Entra!

HUGO             claro! (ENTRA) Estás sozinho?

SAMUEL        o Pedro foi comprar comida pra gente. Senta! 

HUGO             ah! Trouxe aqui esse vinho pra gente tomar!

SAMUEL        desculpa, mas eu não costumo beber. Sinto muito. Mas você pode beber à vontade. Vou buscar uma taça pra ti 

HUGO             mas me conta, como foi ontem…? Que tentaram matar-te… 

SAMUEL VEM DA COZINHA. ENTREGA-LHE A TAÇA 

SAMUEL        ah, foi horrível, não gosto nem de lembrar. Esse assassino atacou-me, levou-me a dispensa e queria matar-me ejetando um veneno! 

HUGO             que horror! Ainda bem que ele não te matou… 

HUGO SE SERVE. BATE PAPO CONTINUA FORA DE ÁUDIO. CORTE DESCONTÍNUO. HUGO E SAMUEL A CONVERSAR. O PRIMEIRO OUVE O DESTRANCAR DA PORTA. VAI PRA CIMA DE SAMUEL E O BEIJA. PEDRO ENTRA. REAGE AO VER A CENA 

PEDRO           que porra é essa? 

SAMUEL E HUGO SE ENTREOLHAM E EM SEGUIDA OLHAM PARA PEDRO 

CORTE PARA 

CENA 18. MANSÃO. QUARTO SAFIRA. INTERIOR. NOITE 

SAFIRA SENTADA EM UMA CADEIRA DE FRENTE A SUA PENTEADEIRA, PASSA UM CREME EM SEUS BRAÇOS E PERNAS, JÁ DE CAMISOLA PRONTA PRA IR DORMIR… TERMINA. VAI RUMO A SUA CAMA, SE DEITA… ALGUNS MINUTOS… OUVE VOZES A CHAMANDO… LUZES DOS ABJURES PISCAM CONSTANTEMENTE, ELA SE APAVORA… GRITA AO VÊ O ESPÍRITO DE SEU EX-MARIDO NA PORTA DE SEU CLOSET. ABRE A PORTA DE SEU QUARTO, SAI DALI CORRENDO, DESESPERADA, VOZES GRITANTES E ESTRIDENTES EM SUA CABEÇA. CORRE ATÉ AS ESCADAS… CAIO E BRUNO A VEREM TV NO SOFÁ, A OUVEM GRITAR…

SAFIRA           (GRITO, OFF) para. Socorro! 

… ELA ACABA POR TROPEÇAR E DESPENCA ESCADA ABAIXO… O GRITO DE CAIO ECOA EM TODO O LOCAL:

CAIO                   mãe! 

… SAFIRA ESTIRADA NO CHÃO, EM CHOQUE, PARALISADA, SEUS OLHOS ABERTOS, ARREGALADOS 

CORTE PARA 

FINAL DO CAPÍTULO.

Atenção: A Widcyber tem a autorização do autor para publicar este conteúdo.

cropped-wid-1.png

NAVEGAR

>
error: Este conteúdo é protegido! A cópia deste conteúdo não é autorizada em virtude da preservação de direitos autorais.
Rolar para o topo